All Title Author
Keywords Abstract


AGRUPAMENTO DE áRVORES MATRIZES DE Eucalyptus grandis EM FUN O DAS VARIáVEIS DENDROMéTRICAS E DAS CARACTERISTICAS TECNOLóGICAS DA MADEIRA

Keywords: análise de agrupamento , Eucalyptus grandis , dendrometria , tecnologia da madeira

Full-Text   Cite this paper   Add to My Lib

Abstract:

O objetivo deste trabalho foi investigar a possibilidade de agrupar árvores matrizes de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden em fun o das variáveis dendrométricas e fenotípicas e das características tecnológicas da madeira. As 63 árvores matrizes selecionadas, em um povoamento comercial do litoral norte do estado do Rio Grande do Sul foram abatidas e classificadas quanto às características fenotípicas e dendrométricas. Depois disso, retiraram-se discos na base, no diametro à altura do peito (DAP), e a 25, 50, 75 e 100% da altura comercial, destinados à determina o da massa específica básica. Das duas primeiras toras seccionadas acima do DAP, foram retiradas, paralelamente à medula, as tábuas destinadas à avalia o qualitativa da madeira serrada. Por meio da análise de agrupamento, as árvores matrizes foram reunidas em quatro grupos distintos e classificadas com base na tendência em desenvolver rachaduras de topo nas tábuas e toras. No grupo I, classificaram-se as árvores com menor tendência a apresentar rachaduras de topo das tábuas, enquanto que nos grupos II e III, reuniram-se as árvores com menor tendência a rachaduras de topo das toras; e por fim, no grupo IV, classificaram-se as árvores com maior tendência a rachaduras de topo das toras e das tábuas. Através da aplica o da análise discriminante, foi possível identificar cinco variáveis com poder de discrimina o dos grupos (DAP, porcentagem estimada de rachaduras, rela o altura/diametro, tipo de casca e percentual volumétrico de alburno) e três fun es discriminantes. A técnica de análise de agrupamento e análise discriminante possibilitou o agrupamento das árvores semelhantes, a identifica o das variáveis de sele o e a discrimina o das fun es que permitem alocar novas árvores nos grupos formados.

Full-Text

comments powered by Disqus