All Title Author
Keywords Abstract


Mudan as na composi o e adequa o nutricional da dieta familiar nas áreas metropolitanas do Brasil (1988-1996)

Keywords: Inquéritos sobre dietas , Hábitos alimentares , Consumo de alimentos , Necessidades nutricionais , Dieta/economia , Zonas metropolitanas , Tendência secular

Full-Text   Cite this paper   Add to My Lib

Abstract:

OBJETIVO: Atualizar a tendência secular (1962-1988) da composi o e da adequa o nutricional da dieta familiar praticada nas áreas metropolitanas do Brasil, com base em nova pesquisa sobre or amentos familiares realizada em meados da década de 90. MéTODOS: Utilizaram-se como fontes de dados as pesquisas sobre or amentos familiares (POF) da Funda o IBGE, realizadas entre mar o de 1987 e fevereiro de 1988 (13.611 domicílios) e entre outubro de 1995 e setembro de 1996 (16.014 domicílios), tendo ambas como universo de estudo as áreas metropolitanas do Brasil. Nas duas pesquisas chegou-se à disponibilidade domiciliar diária per capita de alimentos, dividindo-se o total de alimentos adquiridos no mês pelo número de pessoas residentes no domicílio e pelo número de dias do mês. O padr o alimentar foi caracterizado com base na participa o relativa de grupos selecionados de alimentos e de nutrientes na disponibilidade calórica total. A compara o entre as duas pesquisas levou em conta o conjunto das áreas metropolitanas do País e estratos dessas áreas correspondentes às regi es menos desenvolvidas (Norte e Nordeste) e mais desenvolvidas (Centro-Oeste, Sudeste e Sul). RESULTADOS: Observou-se intensifica o do consumo relativo de carnes, de leites e de seus derivados (exceto manteiga) em todas as áreas metropolitanas, enquanto o consumo de ovos passou a declinar, sobretudo no Centro-Sul do País. Leguminosas, raízes e tubérculos prosseguiram sua trajetória descendente, mas cereais e derivados tenderam a se estabilizar no Centro-Sul ou mesmo a se elevar ligeiramente no Norte-Nordeste. A participa o relativa de a úcar refinado e refrigerantes cresceu em todas as áreas, sendo que a participa o de óleos e gorduras vegetais manteve-se constante no Norte-Nordeste e declinou intensamente no Centro-Sul. CONCLUS ES: A tendência ascendente da participa o relativa de lipídios na dieta do Norte e do Nordeste, o aumento no consumo de ácidos graxos saturados em todas as áreas metropolitanas do País, ao lado da redu o do consumo de carboidratos completos, da estagna o ou da redu o do consumo de leguminosas, verduras, legumes e frutas e do aumento no consumo já excessivo de a úcar s o os tra os marcantes e negativos da evolu o do padr o alimentar entre 1988 e 1996. Mudan as que podem indicar a ades o da popula o a dietas mais saudáveis -- declínio no consumo de ovos e recuo discreto da elevada propor o de calorias lipídicas -- foram registradas apenas no Centro-Sul do País.

Full-Text

comments powered by Disqus