oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

4 ( 1 )

2020 ( 2 )

2019 ( 19 )

2018 ( 47 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 77368 matches for " clínica-escola de psicologia "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /77368
Display every page Item
Perfil da clientela de um programa de pronto-atendimento psicológico a estudantes universitários
Peres Rodrigo Sanches,Santos Manoel Antonio dos,Coelho Heidi Miriam Bertolucci
Psicologia em Estudo , 2004,
Abstract: Pesquisas indicam que a caracteriza o da clientela de clínicas-escola de Psicologia fornece elementos para o aprimoramento dos servi os oferecidos. O presente estudo prop e-se a tra ar o perfil sociodemográfico e clínico dos usuários do Programa de Pronto-Atendimento Psicológico ao Aluno da UNESP/Assis. Os dados indicam que a maioria dos usuários era ingressante na universidade, oriunda do curso de Psicologia, com idade entre 19 e 22 anos, do gênero feminino, n o exercia atividade profissional remunerada, apresentava ?dificuldades psicológicas moderadas? e foi encaminhada para psicoterapia. Tal caracteriza o subsidiou a implementa o de mudan as nos servi os já existentes e a cria o de novas modalidades de atendimento.
A Clínica de Psicologia – Unidade Cora o Eucarístico
Ana Maria Sarmento Seiler Poelman,Paula Maria Bedran,Suzana Faleiro Barroso
Psicologia em Revista , 2009,
Abstract: Este artigo apresenta a Clínica de Psicologia como uma clínica-escola, isto é, um servi o estruturado para promover a prática clínica sustentada na articula o do ensino, da pesquisa e da extens o. Além de fazer uma retrospectiva da Clínica, do seu percurso e de sua inser o na história do próprio curso de Psicologia da PUC Minas, o artigo coloca em debate os impasses decorrentes da especificidade de uma clínica-escola. E conclui indicando as novas perspectivas que se ancoram na no o de uma clínica em rede, como um modelo de trabalho sintonizado com as mudan as da contemporaneidade.
Mudan a em pacientes de clínica-escola: avalia o de resultados e processos Cambio en pacientes de clínica-escuela: evaluación de resultados y procesos Changes in training-clinic patients: evaluation of the results and processes
Giovanna Corte Honda,Elisa Medici Piz?o Yoshida
Paidéia (Ribeir?o Preto) , 2012, DOI: 10.1590/s0103-863x2012000100009
Abstract: Este artigo objetivou avaliar mudan as em pacientes atendidos em clínica-escola e compreender possíveis fatores que influenciaram os resultados das psicoterapias. A amostra foi composta por nove participantes (oito mulheres e um homem), com idade igual ou superior a 33 anos, em fase de término de atendimento psicoterápico. Realizou-se entrevista individual semiestruturada para avaliar eficácia adaptativa, estágio de mudan a e sintomas psicopatológicos. Utilizaram-se a Escala Diagnóstica Adaptativa Operacionalizada Redefinida (EDAO-R), a Escala de Estágios de Mudan a (EEM) e a Escala de Avalia o de Sintomas (EAS-40). Os resultados sugerem ser possível esperar abrandamento dos sintomas psicopatológicos e progresso nos estágios de mudan a. A qualidade da configura o adaptativa é mais resistente a melhoras. A alian a terapêutica positiva e a disposi o do paciente como agente da própria mudan a podem ter sido relevantes nos resultados das psicoterapias, ainda que n o diretamente avaliados. S o necessárias pesquisas longitudinais para o acompanhamento dos processos desde o início. Se puso como objetivo evaluar los cambios en pacientes acogidos en clínica-escuela y comprender posibles factores que influenciaron en los resultados de las psicoterapias. La muestra abarcó a nueve participantes (ocho mujeres y un hombre), con edad igual o superior a 33 a os, en fase final de atención psicoterápica. Fueron realizadas entrevistas individuales semi-estructuradas para evaluar la eficacia de adaptación, etapa de cambio y síntomas psicopatológicos. Fue utilizada la Escala Diagnóstica Adaptativa Operacionalizada Redefinida (EDAO-R), la Escala Etapas de Cambio (EEM) y la Escala de Evaluación de Síntomas (EAS-40). Los resultados sugieren que es posible aguardar ablandamiento de los síntomas psicopatológicos y progreso en las etapas de cambio. La calidad de la configuración de la adaptación es más resistente a mejoras. La alianza terapéutica positiva y la disposición del paciente como un agente de su proprio cambio quizá fueron relevantes en los resultados de las psicoterapias, aunque no directamente evaluados. Se hacen necesarias investigaciones longitudinales para monitorear los procesos desde su inicio. This study investigated changes in patients cared for in a Training-Clinic and sought to understand the factors influencing the results of psychotherapeutic practices. The sample was composed of nine participants (eight women and one man) aged 33 years old or older, after they had completed psychotherapy treatment. Semi-structured interviews were conducted to evaluate a
Aten o psicológica infantil: compreens o de usuários e estagiários do servi o-escola
Helena Bazanelli Prebianchi
Psicologia em Revista , 2011,
Abstract: A qualidade da aten o em saúde pode ser enfocada conforme asatisfa o dos usuários, do profissional e da institui o. Foi objetivo, neste estudo, conhecer a percep o dos estagiários e dos cuidadores de crian as usuárias de um servi o-escola de Psicologia, sobre o atendimento infantil. Dezoito cuidadores e 16 estagiários foram entrevistados, e seus depoimentos submetidos à análise de conteúdo. Resultados: para os alunos, o atendimento tem importancia, mas é insuficiente para a forma o profissional; o processo terapêutico é incompreendido pelos usuários; variáveis da triagem dificultam o processo; resultados positivos do tratamento s o indicados pela maior espontaneidade da crian a. Para os cuidadores, o atendimento é importante pela gratuidade e qualidade; sentem-se participantes e identificam resultados positivos apenas quando orientados. Concluiu-se que diferentes concep es, entre os participantes, sobre saúde/doen a determinam diferentes expectativas quanto à necessidade e eficácia do tratamento e que a exclus o dos cuidadores e dimens es da triagem, comprometem o processo terapêutico.
Da experiência da fala de sujeitos usuários na clínica psicológica às suas possíveis repercuss es On the experience of speech with subjects of the psychological clinic and its possible repercussions
Lucyanna de Farias Fagundes Pereira,Marcus Túlio Caldas,Ana Lúcia Francisco
Psicologia: Ciência e Profiss?o , 2007, DOI: 10.1590/s1414-98932007000300009
Abstract: Esta pesquisa busca promover reflex es sobre a clínica psicológica enquanto lugar de abertura a uma fala criadora de sentido, partindo da experiência de sujeitos usuários. Compreendendo que há uma especificidade da linguagem no espa o da clínica, acredita-se que este trabalho possibilite maior clareza quanto à propriedade, singularidade e importancia dessa temática, além de levar a reflex es e discuss es, tanto do ponto de vista teórico quanto dos campos de atividade do psicólogo. A modalidade clínica escolhida para refletir acerca da linguagem expressa na narrativa do sujeito foi a psicoterapia. Para isso, utilizou-se, enquanto método investigativo, a perspectiva fenomenológica existencial para compreender e interpretar, pela hermenêutica, as experiências de três clientes, sem levar em considera o idade, sexo e abordagem teórica, pois o objetivo foi colher narrativas acerca da experiência na clínica psicológica, sem especificidades. O acesso a essas pessoas se deu a partir de um contato prévio com colegas de profiss o, o que possibilitou uma interlocu o direta. Foi feita uma pergunta disparadora/provocadora, a fim de que os sujeitos pudessem transitar livremente por suas experiências. As discuss es tornaram-se possíveis a partir de afeta es e reflex es entre relatos e pesquisadora, bem como através de diálogos com autores que transitam pelo tema. This paper intends to promote a reflection on the psychological clinic as an opening place to a creative speech of direction, starting from the experience of the users. Taking into account that there is a particularity of the language in the clinic, one believes that this work makes possible a better understanding of the uniqueness, singularity and importance of this field, leads to reflections and discussions and gives support to the academy and the psychologist's fields of activity. The clinical modality chosen to reflect the expressed language in the narrative of the subjects was psycotherapy. For this, it was used the existencial phenomenological methodology to understand and to interpret, through hermeneutics, the experiences of three patients, without taking in consideration age, sex and theoretical approach, because the objective was to collect narratives concerning the experience in the psychological clinic without any specification. The access to these people was made through a previous meeting with colleagues, what made possible the direct contact with the subjects. A triggering/provoking question was asked with the intention of making the patients speak feely about their experience. The discussio
Saúde mental e espiritualidade/religiosidade: a vis o de psicólogos Mental health and spirituality/religiosity: psychologists' understandings
Márcia Regina de Oliveira,José Roque Junges
Estudos de Psicologia (Natal) , 2012,
Abstract: A espiritualidade está sendo sempre mais pesquisada em sua rela o com a saúde mental. O objetivo da pesquisa é descrever como os psicólogos percebem em suas práticas a rela o entre espiritualidade/religiosidade e a saúde mental. Trata-se de um estudo exploratório com abordagem qualitativa. A amostra foi composta por 2 grupos de profissionais graduados em Psicologia. Um grupo foi formado por 5 psicólogos do Centro de Aten o Psicossocial de S o Leopoldo, o outro por 5 psicólogos de clínicas particulares, selecionados segundo o método da "bola de neve", pelo qual o primeiro é escolhido por conveniência, este indica outro e assim por diante. Os dados foram coletados através de entrevista semiestruturada e interpretados segundo a análise de conteúdo, identificando três categorias temáticas: 1) Saúde mental como equilíbrio e sentido da vida; 2) Espiritualidade/Religiosidade como experiência; 3) Clínica como autoconhecimento e como autonomia. Spirituality has been more and more researched in its relations with mental health. The objective of the research is to describe how the psychologists realize in their practices the relationship between religiosity/spirituality and mental health. It is an exploratory study with qualitative approach. The sample has been composed by two groups of professionals of psychology. One group has been formed by all the 5 psychologist of the Public Mental Health Service of S o Leopoldo and the other by 5 psychologists of private clinics, selected by the method named "snow ball" by which the first is chosen by convenience and this one indicate the second and so on. The dates have been collected by semi-structured interview and interpreted according the content analysis, identifying three subject matter categories: 1) Mental health as equilibrium and sense of life; 2) Spirituality/religiosity as experience; 3) Clinic as becoming aware of the self and autonomy.
Programa CVV: preven o do suicídio no contexto das hotlines e do voluntariado
Dockhorn, Carolina Neumann de Barros Falc?o,Werlang, Blanca Susana Guevara
Textos & Contextos (Porto Alegre) , 2008,
Abstract: O comportamento suicida vem ganhando destaque em termos numéricos, constituindo um problema de saúde pública. Diante desta realidade, s o fundamentais a es preventivas com o objetivo de reduzir os alarmantes índices de tentativas de suicídio e de suicídios consumados. Dentre os programas de preven o, existe o recurso de atendimento por meio de hotlines, o qual se faz presente no Brasil através da a o dos Postos CVV, executores do Programa CVV de Preven o do Suicídio e integrantes do Centro de Valoriza o da Vida. Com trabalhadores voluntários, o CVV oferece interven o em crise a sujeitos que telefonam buscando apoio emocional. O objetivo deste artigo é contextualizar historicamente este tipo de servi o, destacando a a o do voluntário como pe a fundamental na sociedade civil, no cuidado efetivo a pessoas em sofrimento e no esfor o para evitar a concretiza o de um desfecho fatal.
O Psicodiagnóstico Interventivo como método terapêutico no tratamento infantil: fundamentos teóricos e prática clínica
Barbieri, Valéria,Jacquemin, André A.,Alves, Zélia Maria Mendes Biasoli
Psico , 2007,
Abstract: Embora em Psicologia Clínica seja postulada uma clara diferen a entre as atividades de avalia o e interven o, os relatos de melhoras de pacientes após submeterem-se a entrevistas e aplica es de testes sugerem a possibilidade de se extrair efeitos terapêuticos durante o Psicodiagnóstico. Partindo dessa hipótese, esta pesquisa visou organizar uma forma de atendimento clínico, ilustrada pelo estudo de caso de uma crian a apresentando tendência anti-social, em que as entrevistas e aplica es de testes eram acompanhadas de assimilamentos e interpreta es. Os resultados do trabalho, cujo follow-up estendeu-se por seus meses, demonstraram a aquisi o de benefícios que incluíram um maior contato da crian a e da família com as necessidades insatisfeitas que sustentavam o sintoma, bem como a supress o deste. S o realizadas considera es a respeito dos mecanismos presentes no Psicodiagnóstico capazes de mobilizar o processo de cura, bem como o papel dos pais na melhora da crian a.
A desvincula o do TAT do conceito de "proje o" e a amplia o de seu uso
Telles Vera Stela
Psicologia USP , 2000,
Abstract: Crítica à designa o de "projetivo" referente aos fen menos implicados no material do TAT. Procurou-se mostrar que tal designa o levou historicamente o teste a ser amarrado às teorias psicanalíticas, sem que nada, nos fen menos registrados, obrigasse a tal leitura. Ao contrário, a nosso ver, a maior parte da problemática de seu uso em pesquisa e da possibilidade de um consenso geral referente à sua interpreta o, deve-se aos problemas inerentes à próprias teorias psicanalíticas. Sugerimos ent o sua desvincula o desse termo que o remete a um sistema teórico fechado que como tal, impede a verdadeira observa o do material obtido pelo teste. Essa observa o dos fen menos permitiria a supera o dos impasses e consequentemente a amplia o de seu uso, já que o consenso seria procurado no material, para além de qualquer postura teórica prévia do observador.
A inser o do psicólogo no Programa Saúde da Família
Claudia Lins Cardoso
Psicologia: Ciência e Profiss?o , 2002, DOI: 10.1590/s1414-98932002000100002
Abstract: Este artigo descreve o projeto de extens o Inser o do Psicólogo no Programa Saúde da Família, realizado desde agosto de 1998 junto a pacientes diabéticos e hipertensos, numa parceria entre o Departamento de Psicologia da FAFICH da UFMG e a Secretaria Municipal de Saúde de Vespasiano (MG). O PSF desenvolve a es de promo o e prote o à saúde do indivíduo, da família e da comunidade, incentivando a es coletivas e individuais baseadas, principalmente, na área de preven o. A inser o do psicólogo na equipe busca, mediante assistência clínica, melhorar a saúde da popula o atendida através da aten o para com os aspectos psicológicos, tanto em termos de preven o, quanto de tratamento, tendo a gestalt-terapia como referencial teórico. A t nica do trabalho tem sido facilitar a comunica o dos pacientes, ampliar a sua conscientiza o e a sua responsabilidade sobre a doen a e sobre si mesmo. Também tem se configurado numa experiência positiva para os alunos envolvidos, que exercem a prática clínica num contexto comunitário. This article describes the project The Insertion of the Psychologist in the Family Health Program (FHP), which has been carried out since August, 1998, with patients suffering from arterial hypertension and diabetes, in a partnership between the Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais and the Secretaria Municipal de Saúde de Vespasiano, Minas Gerais. The FHP promotes and protects the health of individuals, families and the community, encouraging individual and social actions based especially on prevention. Gestalt-therapy is the clinical approach. Psychologists are included in the team with a view to improving the health of the community through psychological treatment and prevention. The intention has been to make patients’ communication easier, increase their awareness and their responsibility with themselves and their disease. It also has been a positive experience for the students involved, since they gain practice in clinical psychology in the context of a community.
Page 1 /77368
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.