oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

2020 ( 17 )

2019 ( 143 )

2018 ( 179 )

2017 ( 175 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 134678 matches for " Véras Antonia Sherlanea Chaves "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /134678
Display every page Item
Balan o de nitrogênio e perdas endógenas em bovinos e bubalinos alimentados com níveis crescentes de concentrado = Nitrogen balance and endogenous losses in cattle and buffaloes fed with increasing levels of concentrate
Kedes Paulo Pereira,Antonia Sherlanea Chaves Véras,Marcelo de Andrade Ferreira,?ngela Maria Vieira Batista
Acta Scientiarum : Animal Sciences , 2007,
Abstract: O trabalho objetivou avaliar as concentra es de uréia plasmática e urinária; o balan o dos compostos nitrogenados e estimar as exigências de proteína para manten a por equa es preconizadas pelos sistemas americano e britanico, em quatro bovinos e quatrobubalinos, com peso médio inicial de 461,19 ± 7,59 e 455,44 ± 7,85 kg para os bovinos e búfalos, respectivamente, distribuídos em dois quadrados latinos 4 x 4. Os tratamentos consistiram em diferentes níveis de concentrado (0,0; 24,0; 48,0; 72,0%) à base de milhomoído, farelo de soja e sal mineral, e feno de capim-tifton. Cada período durou 21 dias, sendo 14 de adapta o e sete para coleta. Foram coletadas amostras de fezes e urina (spot) para estimativa da produ o de matéria seca fecal e volume urinário. Houve intera o entre as espécies para nitrogênio (N) consumido (NC), urinário (NU) g kg-0,75 e uréia urinária (UU); n o ocorrendo para N fecal (NF), N absorvido (NABS), NU (g d-1), balan o de N (BN) e uréia plasmática (UP). Independente do efeito observado entre as espécies, asvariáveis aumentaram linearmente em fun o dos níveis crescente de concentrado que proporcionou BN positivo. Os requerimentos de proteína metabolizável para manten a de bovinos e bubalinos, quando estimados por meio dos sistemas americano e britanico, s odiferentes. The work aimed to evaluate the concentrations of plasmatic and urine urea, the balance of nitrogen compounds, and to estimate the proteinrequirements for maintenance. Equations recommended by the American and British systems were used in four bovine and four bubaline steers, with initial average weight of 461.19 ± 7.59 and 455.44 ± 7.85 kg for cattle and buffaloes, respectively, distributed intotwo 4 x 4 Latin squares. The treatments consisted of different levels of concentrate (0.0; 24.0; 48.0; and 72.0%) composed of cracked corn, soybean meal, mineral salt, and Tiftongrass hay. Each period lasted 21 days, being 14 for adaptation and seven for collection. Samples of feces and urine (spot) were taken to estimate the production of fecal dry matter and urine volume. Interactions were observed between the species for N intake (NC), urine-N (UN) g kg-0.75 and urinary urea (UU); no interactions occurred for fecal-N (NF), absorbed-N (NABS), UN (g d-1), balance of N (BN) and plasmatic urea (UP). Regardlessof the difference observed between the species, the response variables increased linearly as functions of the growing levels of concentrate that resulted in positive BN. The estimate of metabolizable protein maintenance requirements for cattle and buffaloes differs betwee
Palma forrageira (Opuntia ficus indica Mill) associada a diferentes volumosos em dietas para vacas da ra a Holandesa em lacta o = Addition of spineless cactus (Opuntia ficus indica Mill) to different types of roughage in the diet of lactating Holstein cows
Renata Rodrigues da Silva,Marcelo de Andrade Ferreira,Antonia Sherlanea Chaves Véras,Alenice Ozino Ramos
Acta Scientiarum : Animal Sciences , 2007,
Abstract: Objetivou-se avaliar o efeito da associa o da palma forrageira com diferentes volumosos sobre o consumo, produ o de leite e digestibilidade aparente de vacas em lacta o com peso médio de 560 ± 50 kg e produ o de 20 kg dia-1. Os tratamentos foram os diferentesvolumosos: baga o de cana-de-a úcar (BC), feno de capim-tifton, feno de capim elefante, silagem de sorgo e mistura de baga o de cana + silagem de sorgo. Foram avaliados os consumos de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra em detergente neutro(FDN), carboidratos n o-fibrosos (CNF), carboidratos totais (CHT), matéria organica (MO) e nutrientes digestíveis totais (NDT); os coeficientes de digestibilidade aparente de MS, PB, EE, FDN, CNF, CHT, MO e a produ o e teor de gordura do leite. Os volumoso associados à palma forrageira n o influenciaram o consumo e digestibilidade da maioria dos nutrientes, n o influenciando também a produ o de leite, a produ o de leite corrigido para 3,5% de gordura e o teor de gordura do leite, com médias de 16,92 kg dia-1, 17,57 kg dia-1 e 3,76%, respectivamente. A palma forrageira pode ser associada a diferentes volumosos em dietas para vacas em lacta o, sem alterar o consumo, o desempenho e a digestibilidade da matéria seca e dos nutrientes. The experiment was carried out to evaluate the association of spineless cactus with different roughage sources on the apparentdigestibility, intake and milk yield of lactating cows (average 560 ± 50 kg LW and 20 kg of daily milk yield). The treatments contained different roughage sources with spineless cactus: sugar cane bagasse, tifton hay, elephant grass hay, sorghum silage and a mixture of sugar cane bagasse + sorghum silage. The voluntary intake of dry matter (DM), crude protein (CP), ether extract (EE), neutral detergent fiber (NDF), non-fiber carbohydrates (NFC), total carbohydrates (TCH), organic matter (OM) and total digestible nutrients (TDN) was evaluated. In addition, the apparent digestibility coefficient for DM, CP, EE, NDF, NFC, TCH, OM, milk production, and milk fat concentration of lactating Holstein cows were also evaluated. The different types of roughage in association with the spineless cactus did not affect the digestibility coeficients and the intake of most nutrients. The roughage sources also did not affect milk production, fat-corrected milk production and milk fat concentration, with averages of 16.92 kg day-1, 17.57 kg day-1 and 3.76%, respectively. The spineless cactus could be added to different roughage sources in diets for lactating cows without altering the intake, per
Desempenho e digestibilidade aparente em ovinos confinados alimentados com dietas contendo níveis crescentes de caro?o de algod?o integral
Cunha, Maria das Gra?as Gomes;Carvalho, Francisco Fernando Ramos de;Véras, Antonia Sherlanea Chaves;Batista, ?ngela Maria Vieira;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2008, DOI: 10.1590/S1516-35982008000600022
Abstract: this work was carried out with the objective to evaluate the effects of different levels (0.0 20.0, 30.0 and 40.0%) of whole cottonseed (gossypium hirsutum l.) of the diet (% dm) on performance and nutrient digestibilities of feedlot santa inez sheep. twenty-four sheep with average initial and final body weight of 19.0 and 32.2 kg, respectively, and allotted to a completely randomized design, with four diets and six replications. the dry matter intake in kg/day, %bw and g/kg0.75 was not influenced by the inclusion of the whole cottonseed (wcs), with averages of 1.195, 4.61, and 104.07, respectively. the total and daily weight gains decreased, while the feed conversion ration showed increasing linear effect with the inclusion of wcs, except for the level of 20% wcs that showed similar performance to the control diet. the intakes of dry matter (dm), organic matter (om), crude protein (cp), total carbohydrates (tc) and total digestible nutrients (tdn), in g/day were not affected, while the neutral detergent fiber (ndf), acid detergent fiber (adf), ether extract (ee) presented increasing linear effect with the inclusion of wcs. the inclusion of whole cottonseed in the feeding provided quadratic effect for digestible coefficients of cp, adf and increasing linear effect for ndf and ee, however did not affect dm, om, tc and tdn intake of the diets. the whole cottonseed in the used levels does not alter the intake and the digestibility of the dm, ndf and tnd, but reduced the weight gain and feed conversion ratio of feedlot of the santa inez lambs, and could be included in termination diets.
Avalia o de diferentes suplementos para vacas mesti as em lacta o alimentadas com cana-de-a úcar: desempenho e digestibilidade
Vilela Márcio da Silva,Ferreira Marcelo de Andrade,Véras Antonia Sherlanea Chaves,Santos Mércia Virginia Ferreira dos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: O objetivo deste estudo foi avaliar o consumo, produ o e composi o do leite, digestibilidade dos nutrientes e eficiência alimentar de vacas mesti as de baixo potencial de produ o, alimentadas com dietas à base de cana-de-a úcar. Foram utilizadas oito vacas mesti as ]! Holandês/Gir com peso vivo médio de 425 kg, após o ter o inicial de lacta o. Os animais foram distribuídos em dois quadrados latinos (4x4), de acordo com a ordem de lacta o e alimentadas com dietas completas à base de cana-de-a úcar, sendo, cana mais uréia (CAU); cana, uréia e farelo de algod o (CFA); cana, uréia e milho (CMM); cana, uréia e farelo de trigo (CFT). Os consumos de matéria seca (MS), fibra em detergente ácido (FDA), fibra em detergente neutro (FDN) e matéria organica (MO) foram superiores para as dietas com farelo de algod o e trigo. O consumo PB foi maior para o CFA em rela o ao CAU. Os consumos de carboidratos totais (CHT), carboidratos n o-fibrosos (CNF) e NDT apresentaram o mesmo comportamento, sendo superior para CFT e CFA em rela o ao CAU. Os coeficientes de digestibilidade da MS e MO foram maiores para a suplementa o com milho, porém a digestibilidade da PB foi superior para o CFA, em rela o aos demais. Os coeficientes de digestibilidade da FDN e CHT foram maiores para o CMM em rela o ao CFA. Porém, o coeficiente de digestibilidade da FDA foi inferior para o CFA. O teor de NDT foi superior para CMM e CAU em rela o aos outros tratamentos, variando de 88,25 a 74,44%. A produ o de leite com corre o para 4,0% de gordura foi inferior para CAU comparada aos demais tratamentos. N o houve altera o nos teores de proteína e gordura do leite. No entanto, o CAU proporcionou as menores produ es de proteína e gordura do leite. O CFA apresentou a menor eficiência alimentar.
Predi o da composi o química corporal de bovinos Nelore e F1 Simental x Nelore a partir da composi o química da se o Hankins e Howe (Se o HH)
Véras Antonia Sherlanea Chaves,Valadares Filho Sebasti?o de Campos,Coelho da Silva José Fernando,Paulino Mário Fonseca
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Utilizaram-se 30 bovinos Nelore, n o-castrados, com peso médio de 330 kg e idade média de 20 meses, para se obterem equa es de predi o da composi o química corporal, a partir da composi o química da se o HH (Hankins e Howe). Após um período de adapta o de 40 dias, cinco animais foram abatidos para servir como referência para a estimativa do peso do corpo vazio e da composi o corporal iniciais dos 25 remanescentes, os quais foram distribuídos em cinco tratamentos com diferentes níveis de concentrado na matéria seca das dietas (25,0; 37,5; 50,0; 62,5; e 75,0%), em delineamento inteiramente casualizado, com cinco repeti es. O peso de abate foi determinado em 450 kg. Foram ajustadas equa es de regress o linear para a predi o da composi o química corporal, a partir da composi o química da se o HH dos animais Nelore (30 observa es), e também foram acrescentados dados relativos a 29 bovinos F1 Simental x Nelore, n o-castrados. Concluiu-se que a composi o química corporal pode ser predita a partir da composi o química da se o HH. Contudo, ressalta-se que as equa es de predi o da composi o física da carca a a partir da se o HH foram utilizadas para a composi o do corpo vazio de ambos animais Nelore e F1 Simental x Nelore.
Predi o da composi o corporal e dos requisitos de energia e proteína para ganho de peso de bovinos, n o-castrados, alimentados com ra es contendo diferentes níveis de concentrado
Véras Antonia Sherlanea Chaves,Valadares Filho Sebasti?o de Campos,Coelho da Silva José Fernando,Paulino Mário Fonseca
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Este trabalho foi conduzido com o objetivo de compilar dados de dois experimentos (I e II) relativos aos requisitos energéticos e protéicos, para ampliar as informa es disponíveis sobre exigências nutricionais de bovinos em nível nacional. No experimento I, foram utilizados 30 bovinos Nelore n o-castrados e no experimento II, 29 bovinos F1 Simental x Nelore, n o-castrados. Nos dois experimentos, os animais foram alimentados com dietas contendo 25; 37,5; 50; 62,5; e 75% de concentrado. As metodologias e os procedimentos foram padronizados e possibilitaram análise conjunta dos dados. Foram ajustadas equa es de regress o do logaritmo do conteúdo de gordura, proteína e energia em fun o do logaritmo do peso de corpo vazio (PCVZ) dos animais. Derivando-se estas equa es, foi obtida a composi o do ganho de PCVZ. Os resultados indicaram que, para convers o do ganho de peso vivo em ganho de peso vazio, deve-se multiplicar o ganho de peso vivo pelo fator 0,964. Os requerimentos líquidos de proteína e energia de um bovino com 400 kg de PV foram de 140,26 g/kg de ganho de peso de corpo vazio (GPCVZ) e 3,19 Mcal/kg GPCVZ, respectivamente. Os requisitos de PMm, PMg e PB foram de 339,88 e 285,08 g/kg GPCVZ e 939,54 g/dia, respectivamente. As exigências de EM e NDT, para ganho de peso, foram de 8,62 Mcal/kg GPCVZ e 2,38 kg/kg GPCVZ, respectivamente, para dietas com teor de EM de 2,4 Mcal/kg de MS. Para dietas com concentra o de EM de 2,6 Mcal/kg de MS, os requisitos foram de 6,38 Mcal/kg GPCVZ e 1,76 kg/kg GPCVZ, respectivamente.
Eficiência de utiliza o da energia metabolizável para manten a e ganho de peso e exigências de energia metabolizável e de nutrientes digestíveis totais de bovinos Nelore, n o-castrados
Véras Antonia Sherlanea Chaves,Valadares Filho Sebasti?o de Campos,Silva José Fernando Coelho da,Paulino Mário Fonseca
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Este trabalho foi conduzido para estimar as eficiências de utiliza o da energia metabolizável (EUEM) para manten a (km) e ganho de peso (kf) e as exigências de energia metabolizável (EM) e nutrientes digestíveis totais (NDT) de bovinos Nelore, n o-castrados. Utilizaram-se 35 animais com idade e peso médios de 20 meses e 330 kg. Após período de adapta o (40 dias), cinco animais foram abatidos para servir como referência; os demais foram distribuídos, em delineamento inteiramente casualizado, nos tratamentos (12,5; 25,0; 37,5; 50,0; 62,5; e 75,0% de concentrado) com base na matéria seca. A estimativa das kf foi efetuada a partir da regress o entre os teores de energia líquida para ganho, em fun o da EM da dieta, e também agrupando-se os dados relativos aos animais do presente trabalho e os referentes a 29 bovinos F1 Simental x Nelore. As kf também foram estimadas como o coeficiente da regress o linear entre a energia retida (ER) e o consumo de EM (CEM). A km estimada foi de 0,56. As kf estimadas utilizando-se a primeira metodologia foram de 0,45; 0,35; 0,54; 0,50; e 054, respectivamente, para as concentra es de 2,11; 2,35; 2,51; 2,59; e 2,52 Mcal/kg de MS. As kf estimadas por meio da segunda metodologia foram 0,32; 0,33; 0,44; 0,49; e 0,69, respectivamente. Os requisitos de EM e NDT para manten a de um animal pesando 400 kg de PV foram de 11,94 Mcal/kgGPCVZ e 3,30 kg/kgGPCVZ, respectivamente; enquanto para ganho de peso, os requisitos para dietas com 2,4 Mcal/kg de MS, foram 9,84 Mcal/kg GPCVZ e 2,72 kg/GPCVZ. Para dietas com concentra o de EM de 2,6 Mcal/kg de MS, os requerimentos de EM e NDT foram, respectivamente, 7,28 Mcal/kg GPCVZ e 2,01 kg/GPCVZ.
Composi o corporal e requisitos líquidos e dietéticos de macroelementos minerais de bovinos Nelore n o-castrados
Véras Antonia Sherlanea Chaves,Valadares Filho Sebasti?o de Campos,Coelho da Silva José Fernando,Paulino Mário Fonseca
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Utilizaram-se 30 animais Nelore, n o-castrados, com idade e peso médios de 20 meses e 330 kg, para avaliar os efeitos da inclus o de concentrado sobre os requisitos líquidos e dietéticos de cálcio (Ca), fósforo (P), magnésio (Mg) e potássio (K). Após um período de adapta o (40 dias), cinco animais foram abatidos para servir como referência e os 25 restantes, distribuídos em cinco tratamentos (25,0; 37,5; 50,0; 62,5; e 75,0% de concentrado, na MS), em delineamento inteiramente casualizado, com cinco repeti es. O peso de abate foi estabelecido como 450 kg. Ajustaram-se equa es de regress o do logaritmo do conteúdo corporal de Ca, P, Mg ou K, em fun o do logaritmo do peso do corpo vazio (PCVZ), para cada nível de concentrado nas dietas. Derivando-se as referidas equa es, obtiveram-se os requisitos líquidos para ganho de 1 kg de PCVZ (GPCVZ). Para estimativa dos requisitos dietéticos dos elementos inorganicos avaliados, utilizaram-se os coeficientes médios de absor o estimados previamente, de 53,13; 37,33; 39,62; e 65,54%, para Ca, P, Mg e K, respectivamente. Os requerimentos líquidos dos elementos minerais diminuíram com o aumento do PCVZ dos animais. Para um animal de 400 kg de PV, as exigências líquidas foram de 8,18; 7,53; 0,21; e 2,77 g/kgGPCVZ, respectivamente, para Ca, P, Mg e K. Já os requisitos dietéticos para um bovino com este mesmo peso foram de 15,40; 20,17; 0,53; e 4,23 g/kg GPCVZ, respectivamente, para a mesma seqüência de minerais. Os requisitos de Ca, P, Mg e K diferiram dos preconizados pelos sistemas britanico e americano de exigências nutricionais.
Efeito do nível de concentrado sobre o peso dos órg os internos e do conteúdo gastrintestinal de bovinos Nelore n o-castrados
Véras Antonia Sherlanea Chaves,Valadares Filho Sebasti?o de Campos,Coelho da Silva José Fernando,Paulino Mário Fonseca
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: O efeito de cinco níveis de concentrado na dieta foi avaliado sobre o conteúdo do trato gastrintestinal e o peso dos órg os internos e dos compartimentos gastrintestinais de bovinos Nelore n o-castrados. Vinte e cinco animais com peso médio de 330 kg e idade média de 20 meses foram distribuídos, em delineamento inteiramente casualizado, em cinco tratamentos com diferentes níveis de concentrado na matéria seca das dietas (25,0; 37,5; 50,0; 62,5; e 75,0%). Os animais, quando atingiram o peso de abate pré-estabelecido de 450 kg, foram abatidos e os pesos dos órg os e das vísceras, registrados. Foram ajustadas equa es de regress o para verificar o efeito da inclus o de concentrado na dieta sobre os pesos de cada órg o e, ou, víscera. Os pesos, tanto absolutos, quanto relativos, do conteúdo do trato gastrintestinal diminuíram linearmente, enquanto os pesos do fígado, dos rins e do ba o aumentaram linearmente, em fun o dos níveis de concentrado nas dietas. Os pesos do rúmen-retículo foram influenciados quadraticamente pelos níveis de concentrado, com valores mínimos estimados em 6,45 kg e 1,60 kg/100 kg de peso vazio, para os níveis de 51,72 e 55,51% de concentrado nas dietas, em rela o aos pesos absoluto e relativo, respectivamente. A quantidade de gordura interna aumentou linearmente com a inclus o de concentrado nas dietas.
Níveis de baga o de cana e uréia como substituto ao farelo de soja em dietas para bovinos leiteiros em crescimento
Torres Luciana Brand?o,Ferreira Marcelo de Andrade,Véras Antonia Sherlanea Chaves,Melo Airon Aparecido Silva de
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: Com o objetivo de avaliar diferentes níveis de baga o e uréia como substituto ao farelo de soja em dietas para bovinos leiteiros em crescimento, dois experimentos foram realizados. No primeiro, 20 bezerros mesti os Holandês x Zebu foram distribuídos em quatro tratamentos em delineamento inteiramente casualizado. Os animais receberam dietas à base de palma forrageira e baga o de cana em níveis de 5,5; 14,4; 24,4 e 34% da matéria seca total. O ganho de peso diminuiu, enquanto a convers o alimentar, e os consumos de FDN e FDA aumentaram linearmente com a inclus o de baga o. O consumo máximo de MS foi estimado em 2,73% do peso vivo com 30% de baga o de cana. No segundo experimento foi avaliada a substitui o do farelo de soja (FS) por uréia mais milho moído (UM), em dietas à base de palma forrageira, sobre o desempenho de novilhas mesti as Holandês x Zebu. Vinte animais foram alimentados de acordo com os níveis de substitui o do FS por UM (0, 20, 40 e 60%) distribuídos em blocos ao acaso. N o houve efeito da substitui o parcial do farelo de soja por milho e uréia sobre o desempenho de novilhas mesti as.
Page 1 /134678
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.