oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

2019 ( 7 )

2018 ( 121 )

2017 ( 153 )

2016 ( 165 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 11644 matches for " Hérnia "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /11644
Display every page Item
Tratamento das hérnias inguinais: Bassani ainda atual? Estudo randomizado, prospectivo e comparativo entre três técnicas operatórias: Bassini, Shouldice, McVay
Mittelstaedt, W.E.M.;Rodrigues Jr., A.J.;Duprat, J.;Bevilaqua, R.G.;Birolini, D.;
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 1999, DOI: 10.1590/S0104-42301999000200004
Abstract: objective: to compare late results (recurrence) of three different techniques for treatment of inguinal hernias in the adult: bassini, shouldice and mcvay. patients and methods: the operative late results of three surgical techniques: bassini, shouldice and mcvay in 119 adult patients with inguinal hernias (some with bilateral pathology, totalizing 136 hernias) were analyzed. the majority of patients were males (93.3%). the analysis was prospective, randomized, with uniform distribution of all three types of inguinal hernia (direct, indirect and combined) among the three groups of operative techniques.the number of recurrences was submitted to an actuarial analysis for a period of 4 years. the results underwent statistical analysis by the kaplan-mayer test with actuarial survival curves. results: eight hernia operations by the bassini technique recurred in this time span, 3 in the shouldice group and 2 in mcvay. among the bassini recurrences, the worst results were observed with direct hernias (29% recurrence) when compared with indirect ones (16% recurrence). overall recurrence rates plotted in an actuarial survival curve for 4 years , revealed statistically significant differences between bassini and shouldice: 35.7% versus 23.7%; the same happened when comparing bassini to mcvay: 35.7% versus 8.5%. the differences between shouldice and mcvay were not significant. conclusion: a recurrence rate of 35,7% for inguinal herniorraphy with the bassini technique in a general surgery university clinic was surprising and obliged us to interrupt the trial. our observations point to a prohibitive high failure rate when dealing with the bassini technique, which was, over a century, the most popular treatment of inguinal hernia all over the world. shouldice and mcvay techniques, even though more complex, should be preferred whenever one makes the choice for "conventional" hernia treatment.
Tratamento das hérnias inguinais: Bassani ainda atual? Estudo randomizado, prospectivo e comparativo entre três técnicas operatórias: Bassini, Shouldice, McVay
Mittelstaedt W.E.M.,Rodrigues Jr. A.J.,Duprat J.,Bevilaqua R.G.
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 1999,
Abstract: OBJETIVO: Comparar os resultados tardios (recidivas) obtidos com o emprego de três técnicas operatórias para corre o das Hérnias Inguinais no adulto: Bassini, Shouldice e Mc Vay. CASUíSTICA E MéTODO: Foram analisados os resultados obtidos em 119 pacientes adultos portadores de hérnias inguinais, alguns com hérnias bilaterais (totalizando 136 hérnias), operados por uma das três técnicas seguintes: Bassini, Shouldice e McVay. A maioria dos pacientes foi do sexo masculino (93,3%). O estudo foi prospectivo, randomizado, com distribui o uniforme dos três tipos de hérnias (indireta, direta e mista) entre os três grupos de técnicas operatórias. Foi avaliado o número de recidivas observadas durante um período de quatro anos. Estes resultados foram submetidos à análise estatística através de curvas de sobrevida de Kaplan-Mayer . RESULTADOS: Oito hérnias operadas pela técnica de Bassini recidivaram neste período, três no grupo Shouldice e duas operadas a McVay. Dentre os operados a Bassini, os piores resultados foram observados nas hérnias diretas (29% de recorrência) quando comparados aos obtidos com as hérnias indiretas (16%). Os resultados gerais projetados para quatro anos de seguimento, mostram diferen as estatisticamente significantes entre Bassini e Shouldice: 35,7% vs 23,7% O mesmo foi observado na compara o entre Bassini e McVay: 35,7% vs 8,5%. As diferen as entre os grupos Shouldice e McVay n o foram significantes. CONCLUS O: O índice de recidiva de 35,7% para as hérnias operadas pela técnica de Bassini foi surpreendente, obrigando-nos a suspender o estudo. Há um índice excessivamente alto de insucesso após a utiliza o da técnica de Bassini, que foi durante um século o método mais usado para corre o de hérnias inguinais no mundo inteiro. Os métodos de Shouldice e de McVay, embora de execu o técnica mais complexa, devem ser as preferidos quando se opta pela utiliza o de técnicas convencionais de herniorrafia.
Refor?o do triangulo inguinal com enxerto de fáscia transversal: técnica
Silva, Alcino Lázaro da;
ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (S?o Paulo) , 2010, DOI: 10.1590/S0102-67202010000100013
Abstract: background: the physician's greatest effort at the inguinal hernia surgery is to prevent its recurrence. aim: to communicate the use of free flap of "fascia transversalis" added to a triangular inguinal reinforcement. methods: it was proceeded a surgery on a patient who carried a direct inguinal hernia, whose "fascia transversalis" was wide, thick and strechful. it was extracted one central round part of the fascia which was replaced as one free graft after the classical reinforcement of the triangular "fascia transversalis" inguinal. result: in follow-up of two years there is no recurrence. conclusion: a free graft from "fascia transversalis" when abundant may be used in surgery of inguinal hernia.
Um modelo de hérnia incisional em coelhos
Aydos Ricardo Dutra,Silveira Iandara Silva,Magalh?es Ana Maria,Goldenberg Saul
Acta Cirurgica Brasileira , 1997,
Abstract: Apresenta-se um modelo de confec o de hérnia incisional em coelhos. Foram utilizados 15 animais nos quais produziu-se hérnia incisional mediante sec o completa da parede abdominal e da realiza o de sutura do plano músculo-aponeurótico à tela subcutanea e à derme seguido do fechamento da pele. Foram obtidas incisionais em todos os animais.
Resultados imediatos da herniorrafia inguinal com anestesia local associada com seda o
Lima Neto Edgar Valente de,Goldenberg Alberto,Jucá Mário Jorge
Acta Cirurgica Brasileira , 2003,
Abstract: OBJETIVO: Avaliar os resultados imediatos da herniorrafia inguinal com anestesia local associada com seda o. MéTODOS: Foram operados 30 pacientes portadores de hérnia inguinal, sendo 26 (86,6%) do sexo masculino e 4 (13,4) do sexo feminino. Os anestésicos utilizados foram lidocaína a 1% e bupivacaína a 0,5% sem adrenalina, tendo sido adicionado 1mL de bicarbonato de sódio para cada 9mL da solu o anestésica. A seda o foi realizada com midazolan. As hérnias mais freqüentes, de acordo com a classifica o de Nyhus, foram as do tipo I, encontradas em 16 (53,3%) pacientes. Praticou-se o reparo da parede posterior a em 17 (56,6%) e em 13 (43,2%) o reparo com prótese. Para a análise estatística utilizou-se o teste de McNemar para avaliar a correla o entre os escores de dor na escala E.V.A. agrupada. RESULTADOS: Em nenhum paciente houve necessidade de mudan a da técnica anestésica. Entre as complica es, observaram-se: 1 (3,3%) hematoma; 1 (3,3%) sangramento e 1 (3,3%) infec o da ferida operatória. A deambula o foi precoce em 28 (93,3%) pacientes, assim como a alimenta o oral. O tempo de interna o médio foi 18 horas, e o escore de dor na escala visual analógica (E.V.A.) foi menor ou igual a 3 em 80% dos pacientes. CONCLUS O: A anestesia local com seda o é um método seguro, eficaz, com baixos índices de complica es imediatas, e alto índice de satisfa o para pacientes selecionados, portadores de hérnia inguinal.
Perineal hernia in sheep containing pregnancy uterus / Hérnia perineal em ovino com útero gravídico como conteúdo
Roberta Garbelini Gomes,Mariana Cosenza,Júlio Augusto Naylor Lisb?a,Augusto José Savioli de Almeida Sampaio
Semina : Ciências Agrárias , 2010,
Abstract: Herniations and eventrations are ordinary events of buiatric clinic. Umbilical and inguinal hernias are well described, but perineal hernias in small ruminant animals are not so mentioned. Even though being the perineal hernia more common in cats and dogs, it might be occasionally observed in pregnant sheep close to delivery, being the gravid uterus rarely as content. The present study describes the event of perineal hernia with gravid uterus as content in a sheep of approximately one year old with no breed defined with a pregnancy period about 120 days. The adopted procedure included surgical reduction of the hernia, but without the closure of the hernial ring. The animal presented excellent recovery without post-surgery complications. Hernia es e eventra es s o ocorrências comuns na clinica buiátrica. Hérnia umbilical e inguino-escrotal s o bem descritas, porém hérnias perineais em pequenos ruminantes s o pouco relatadas. Apesar de a hérnia perineal ser mais comum em c es e gatos, pode ser ocasionalmente observada em ovelhas gestantes próximas ao parto sendo que raramente apresenta o útero como conteúdo. O presente relato descreve a ocorrência de hérnia perineal com útero gravídico como conteúdo em uma ovelha de aproximadamente um ano de idade sem ra a definida com tempo de gesta o aproximado de 120 dias. A terapêutica adotada incluiu a redu o cirúrgica da hérnia, porém, sem a síntese do anel herniário. O animal apresentou excelente recupera o sem complica es pós-operatórias.
Tratamento cirúrgico das distrofias da parede abdominal no adulto
Athias, Fortunato Jayme;Franco, Glaucilene Arag?o;Silva, Alexandre Augusto Mekdec da;Neves, Mauro Santos;Souza, Sádia Martins de Paula;Pereira, Sérgio Alexandre da Costa;
Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgi?es , 1998, DOI: 10.1590/S0100-69911998000200010
Abstract: the authors present a retrospective study of 79 patients with abdominal dystrophies, both with and without hernias, operated on from june 1st, 1994 to december,31,1996. their average age was 47 years. the incisional hernia it self and the dystrophic abdomen were principal objects of the study. the authors show the importance of abdominal dermolipectomy for the complete recovery of the patient as well as demonstrate how it facilitates the technical manipulation of hernias. the technique of bilateral, longitudinal peritonio-aponeurotic transposition (the technique of alcino lázaro da silva) was used for large incisional hernias. this technique has been approved by its good results (5% of relapses in five years of follow up according the author). in this technique we use three levels of suture without superposing each other. the great advantage of the technique is that we use the herniary sac itself to close the ring and to strengthen. it avoids the use of meshes and the its complications (rejections, fistulas, etc.). a variation of this technique, for hernias with a hernial ring up to 10cm, is proposed by the authors, which consists in the closure of the ring and the reinforcement of the suture with the hernial sac overlapping its edge. the advantage is the facility of performing, reductions in the operative time and to avoid large dissections of the aponeurotic layer. when the herniary ring is 10cm or bigger it is possible to slack the tension by making a relaxing incision over on the anterior rectum abdominal aponeurosis and covering the wide area with the hernial sac. a review is made of the results of these procedures done associated with abdominal dermolipectomy isolated. the results are: 63 patients recovered without complications (81.66%), three relapsed (3.8%), one of extensive hematoma (1.26%), one necrosis of the midline with respiratory failure (1%), one little stitch gap (1.26%), two umbilical stenosis (3.33%), two wound abscess (2.5%), one cutaneous fistu
FECHAMENTO DA PAREDE ABDOMINAL COM AFASTAMENTO PARCIAL DAS BORDAS DA APONEUROSE UTILIZANDO SOBREPOSI O COM TELAS DE VICRYL OU MARLEX EM RATOS
Mazzini Décio Luiz,Mantovani Mario
Acta Cirurgica Brasileira , 1999,
Abstract: O presente experimento tem por finalidade estudar o efeito da aplica o de telas absorvíveis e inabsorvíveis, como refor o no fechamento de incis es medianas abdominais em ratos, na situa o de aproxima o parcial das bordas das aponeuroses. Para isto, foram estudados 45 ratos machos da ra a Wistar, divididos em três grupos, nos quais se procedeu da seguinte maneira: Grupo "controle" - incis o mediana abdominal atingindo a cavidade peritoneal, seguida por fechamento apenas da pele; Grupo "vicryl" - incis o mediana abdominal atingindo a cavidade peritoneal, seguida por refor o com tela de vicryl, sobreposta em forma de ponte sobre a aponeurose, mantendo os lábios da aponeurose distantes entre si por 1,0 cm; Grupo "marlex" - procedimento idêntico ao grupo "vicryl", substituindo-se a tela de vicryl por marlex. Após um ano, os animais foram sacrificados e submetidos à avalia o macroscópica quanto à presen a de hérnias e aderências às telas; aferi o da resistência tênsil da cicatriz cirúrgica através da tra o por dinam metro e estudo histológico dos seguintes fen menos da cicatriza o: rea o inflamatória cr nica, inflama o granulomatosa tipo corpo estranho, tecido de granula o, hiperplasia fibroblástica e fibrose. Apenas os animais do grupo "controle" desenvolveram hérnias ao final do experimento. N o houve forma o de aderências intestinais significativas em nenhum dos grupos estudados. A resistência tênsil foi significativamente maior nos animais em que se aplicaram telas para refor o. A rea o inflamatória cr nica e a inflama o granulomatosa tipo corpo estranho foram muito mais intensas no grupo em que se utilizou marlex, que nos demais grupos. Quanto ao tecido de granula o e hiperplasia fibroblástica, estavam ausentes em todos os grupos. A fibrose foi mais intensa nos grupos em que as telas foram empregadas. Conclui-se que a utiliza o de telas nesta situa o evita o desenvolvimento de hérnias, no prazo de seguimento de um ano, porque confere maior resistência tênsil à parede abdominal e a aplica o de tela de vicryl, além de proporcionar esta resistência, ainda o faz com menor rea o inflamatória cr nica e granulomatosa tipo corpo estranho.
Tratamento videolaparoscópico da hérnia inguinal em meninos =Laparoscopic treatment of inguinal hernia in boys
Faria, Adyr Eduardo Virmond,Trindade, Manoel Roberto Maciel,Motta, Ubirajara índio Carvalho da
Scientia Medica , 2008,
Abstract: Objetivos: analisar os resultados do tratamento das hérnias inguinais por videolaparoscopia em meninos acima de 6 meses de idade. Métodos: foram incluídos em um estudo prospectivo todos os pacientes masculinos acima de seis meses de idade que chegaram ao ambulatório de Cirurgia Pediátrica do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas e/ou da clínica privada dos autores, com diagnóstico de hérnia inguinal n o recidivada, de julho de 1999 até novembro de 2001. Empregou-se a mesma técnica cirúrgica videolaparoscópica em todos os pacientes. Resultados: foram estudados 51 pacientes, tendo sido efetuadas 68 herniorrafias inguinais por videolaparoscopia. A idade média dos pacientes foi de 40 meses, variando de 6 meses a 10 anos e 8 meses. Nos 49 pacientes que apresentavam evidência clínica de hérnia unilateral, o exame laparoscópico mostrou que 32 (65,3%) tinham apenas a hérnia unilateral, com explora o do lado contralateral normal. O achado de espessamento do cord o inguinal como critério para diagnosticar hérnia ou persistência do conduto perit nio-vaginal contralateral apresentou sensibilidade de 52,9% e especificidade de 53,1%. Um caso de moderado sangramento dos vasos espermáticos foi a única complica o transoperatória (2%). Em nenhuma cirurgia foi necessária a convers o para a técnica aberta. N o houve atrofia dos testículos nem criptorquia iatrogênica. Dois pacientes apresentaram recidiva da hérnia (4%). Conclus es: a técnica videolaparoscópica mostrou-se efetiva, segura e com baixa incidência de complica es no tratamento cirúrgico da hérnia inguinal em meninos. Acredita-se que o tratamento videolaparoscópico das hérnias inguinais em meninos seja um método alternativo válido em rela o à cirurgia tradicional. Aims: To analyze the results of treatment of inguinal hernias through videolaparoscopy in boys over six months of age. Methods: All male patients over six months of age that arrived to the Surgical Outpatient Clinic of Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, or to the author’s private clinic, between July 1999 and November 2001, with diagnosis of inguinal hernia, were included in this prospective non randomized study. The same videaolaparoscopic surgical technique was used in all patients. Results: A total of 51 patients were studied, and 68 inguinal herniorraphies were made through videolaparoscopy. The patients’ mean age was 40 months, ranging from 6 months to 10 years and 8 months. From 49 patients who had clinical evidence of unilateral hernia, laparoscopic examination showed that 32 (65. 3%) had only unilateral hernia, with a normal c
Hérnia perineal em c es
Mortari Ana Carolina,Rahal Sheila Canevese
Ciência Rural , 2005,
Abstract: A hérnia perineal acomete mais freqüentemente c es machos de meia idade e idosos, sexualmente intactos, podendo ser uni ou bilateral. Por tratar-se de afec o com altos índices de recidiva e complica es pós-operatórias, o trabalho tem por objetivo abordar os sinais clínicos, métodos diagnósticos, com ênfase aos tratamentos cirúrgicos. Entre as técnicas mais efetivas de reconstru o do diafragma pélvico, est o as transposi es musculares únicas ou combinadas, tais como as do músculo obturador interno ou músculo glúteo superficial. Em casos de recidivas, podem ser utilizados métodos complementares como a colopexia e cistopexia por fixa o dos ductos deferentes, ou procedimentos mais complexos como a transposi o do músculo semitendinoso.
Page 1 /11644
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.