oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

4 ( 1 )

2020 ( 2 )

2019 ( 15 )

2018 ( 39 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 73821 matches for " reguladores de crescimento "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /73821
Display every page Item
EFEITOS DO BAP E DO TDZ NA PRODU O DE MUDAS DE BANANEIRA - 'MA ' ATRAVéS DA PROPAGA O RáPIDA "IN VIVO"
PEREIRA LAIR VICTOR,SILVA CARLOS RAMIREZ DE REZENDE E,PINTO JOSé EDUARDO BRASIL PEREIRA,ALVARENGA ?NGELO ALBéRICO
Revista Brasileira de Fruticultura , 2001,
Abstract: O 6-benzilaminapurina (BAP) a 0,0 e 10,0 mg/l e o tidiazuron (TDZ) a 0,0; 10,0 e 20,0 mg/l foram testados quanto aos seus efeitos indutores de brota es visando à produ o de mudas de bananeira-'Ma ', através da técnica de propaga o rápida "in vivo". O trabalho foi conduzido na Fazenda Experimental da EPAMIG, em Lavras, MG, no período de abril a novembro de 1995. Os rizomas com 16,0 a 20,0 cm de diametro, previamente preparados, foram plantados em bancadas contendo substrato de areia e casca de arroz (1:1), sob cobertura plástica transparente, a 1,3 m de altura, em condi es de telado. Os resultados obtidos mostraram que nenhum dos reguladores de crescimento testados aumentaram significativamente a quantidade de mudas produzidas em rela o à testemunha. O máximo que se conseguiu, foi 2,99 mudas/broto tratado com 10,0 mg/l de BAP mais 20,0 mg/l de TDZ. Entretanto, os tratamentos contendo somente BAP a 10,0 mg/l reduziram o período de brota o (do tratamento dos brotos ao início da brota o) de 32,0 para 24,2 dias (24,4%), em rela o à testemunha e de 30,6 para 24,2 dias (17,6%), em rela o aos tratamentos contendo somente TDZ. Por outro lado, o período ou ciclo total de produ o de mudas foi reduzido de 200,0 para 188,1 dias (6,95%) e de 198,4 para 188,1 dias (5,2%) em rela o à testemunha e aos tratamentos contendo somente TDZ, respetivamente.
Explantes de cupua uzeiro submetidos a diferentes condi es de cultura in vitro
Ledo Ana da Silva,Lameira Osmar Alves,Benbadis Abdellatif Kemaleddine
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: Este trabalho objetivou avaliar as respostas morfogenéticas de diferentes explantes de cupua uzeiro (Theobroma grandiflorum Schum.) submetidos a várias condi es de cultura in vitro. A utiliza o de 2,4-D nas concentra es de 4,52; 6,78 e 9,05 mM promoveu a forma o de calos friáveis em eixos embrionários e o TDZ nas concentra es de 2,0 e 3,0 mM induziu uma alta frequência de calos friáveis e menor oxida o em segmentos de folhas jovens. O 2,4-D combinado com KIN, promoveu a inicia o de calos friáveis e o ANA combinado com KIN, a rizogênese em segmentos cotiledonares. Na presen a de 2,26 mM de 2,4-D e 13,94 mM de KIN, houve a forma o de calos friáveis em segmentos caulinares. A adi o de água de coco, 2iP e ANA estimulou o rápido crescimento e a progress o de culturas de calo em eixo embrionário, segmentos caulinares e segmentos de folhas jovens clorofiladas.
Regenera o de brota es de macieira (Malus domestica, Borkh.) cv. Gala
SCHUCH MáRCIA WULFF,PETERS JOSé ANTONIO
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: Por meio deste trabalho, foi desenvolvido um protocolo de regenera o de brota es em explantes de macieira, cultivar Gala, visando a sua utiliza o em programas de transforma o genética. Para tanto, testaram-se diferentes tipos de explante (folha escarificada, segmento foliar e entrenós), em diferentes meios de cultura, com Benzilaminopurina (BAP) e Thidiazuron (TDZ), em concentra es de 0; 3,0; 4,0 e 5,0mg.L-1, e a exposi o ou n o das brota es, de onde foram retirados os explantes, a uma semana de escuro antes da retirada dos mesmos. As variáveis avaliadas foram percentagem de explantes regenerados, número de brota es por explante e presen a de vitrifica o. Concluiu-se que a folha escarificada e os segmentos foliares foram os melhores tipos de explantes; a coloca o das brota es no escuro durante uma semana aumentou a taxa de regenera o e o número de brota es e diminuiu a necessidade de BAP para formar o mesmo número de brota es do que naqueles mantidos na luz; as melhores concentra es de BAP foram de 4,0 a 5,0mg.L-1 e o TDZ, nas maiores concentra es, causou vitrifica o.
The effect of maturators on technological characterists of sugar cane on soils with and without water stress/ Efeitos de maturadores nas características tecnológicas da cana-de-a úcar com e sem estresse hídrico
José Carlos Vieira de Almeida,Célio Roberto F. Leite,José Roberto Pinto de Souza
Semina : Ciências Agrárias , 2005,
Abstract: The sugar cane is one of the most important crop in Brazil. Many areas cultivated with this crop is subjected to flowering, which is not wanted once it reduces sucrose. The objetive of the present trial was to evaluate the effect of maturators on technological characterists of sugar cane on soils with and without water stress. The experimental design was a 2x4 factorial (two water conditions in the soil, three maturators and control) replicated four times. The maturators were sulfometuron-methil (15 g ha-1) aplied with and whithout adjuvants and ethephon (480 g ha-1). The evaluated area was arranged by three lines of sugar cane of the reagent cultivar SP 813250, with 8 meter long spaced in 1,4 m between rows. The evaluated characteristics were Pol%, fibre and Brix at 0, 21, 30, 45, 60 and 75 days after aplication. The maturator action increased significant with the soil water at 0 and 21 days after aplication. The increases in Pol%, fiber and Brix were not significant with the application of sulfometuron-methil and ethephon. The application of sulfometuron-methil antecipated the harvest of sugar in 15 days. A cana-de-a úcar é uma das principais plantas cultivadas no Brasil. A maioria das áreas plantadas com cana-de-a úcar na regi o Centro-Sul do Brasil está sujeita à ocorrência do florescimento, o que n o é desejado uma vez que este reduz o teor de sacarose. O objetivo do experimento foi avaliar o uso de maturadores nas características tecnológicas da cana soca em solo com e sem estresse hídrico. O delineamento experimental utilizado foi fatorial 2x4 (duas condi es de umidade do solo e três tratamentos com maturadores mais uma testemunha) em blocos casualizados com 4 repeti es. Os maturadores utilizados foram sulfometuron-methyl (15g ha-1) aplicado com e sem surfactante e o ethephon (480g ha-1). As áreas úteis foram compostas por 3 linhas de cana da variedade reagente SP 813250 com 8 m de comprimento espa adas de 1,40 m entre elas. As características avaliadas foram: Pol%, fibra e Brix aos 0, 21, 30, 45, 60 e 75 dias após aplica es (DAA). A a o dos maturadores aumentou significativamente com a umidade do solo a 0 e 21 dias após a aplica o. Os aumentos de Pol% teor de fibra e Brix n o foram significativos com a aplica o de sulfometuron-methyl e ethephon. A aplica o de sulfometuron-methyl antecipou a colheita da cana soca em 15 dias.
TRATAMENTOS PRé-GERMINATIVOS EM SEMENTES DE Didymopanax morototoni (Aubl.) Dcne. et Planch
Elci Terezinha Henz Franco,Alfredo Guí Ferreira
Ciência Florestal , 2002,
Abstract: Didymopanax morototoni (Aubl.) Dcne. et Planch, (caixeta), é uma espécie nativa com vasta distribui o natural, rápido crescimento, grande porte e ainda pela sua rusticidade, é considerada uma espécie pioneira de potencial florestal para o Brasil. Porém, as suas sementes apresentam baixa germinabilidade. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de tratamentos pré-germinativos que pudessem maximizar o processo de germina o desta espécie. Foram testados os seguintes tratamentos: pré- -embebi o em H20 por 8 h; escarifica o química (HCl e H2SO4 a 70%); escarifica o mecanica (por picotes no tegumento e com lixamento); lavagem com água destilada e lavagem em água + álcool (1:1) por 15, 30 e 45 min. As sementes foram colocadas para germinar em diferentes substratos. Realizou-se ainda teste de germina o in vitro. Sementes foram inoculadas em meio WPM, solidificado com ágar na presen a de cinetina e ácido giberélico nas concentra es (0; 0,1; 0,5; 1,0 mg/l), e caseína hidrolisada na concentra o 250 mg/l. A incuba o foi a 25°C 1°C em camara de germina o sob fotoperíodo de 16 horas luz, numa intensidade de 14,3 μE.m-2.s-1 ou no escuro. A germina o foi favorecida pelos pré-tratamentos de lavagens com água e água + álcool, sendo o tempo mais eficaz o de 45 min. A adi o de cinetina e ácido giberélico provocou um aumento na germinabilidade de 40 a 70 %. Estes resultados confirmam a dormência tegumentar parcial e indicam a presen a provável de substancias inibidoras nos tegumentos, removidas pelas lavagens.
Multiplica o in vitro da ameixeira 'Santa Rosa': efeito da citocinina BAP
Rogalski Marcelo,Guerra Miguel Pedro,Silva Aparecido Lima da
Revista Brasileira de Fruticultura , 2003,
Abstract: A ameixeira 'Santa Rosa' apresenta alta produtividade, ótimo sabor e aparência dos frutos para a comercializa o. No entanto, por ser altamente suscetível à escaldadura das folhas (Xylella fastidiosa Wells), esta variedade apresenta problemas de cultivo no sul do Brasil. As técnicas de cultura in vitro permitem propagar e rapidamente espécies de interesse, além de permitir a limpeza de patógenos e a produ o de matrizes com qualidade genética e sanitária comprovada. Porém, o uso prático da propaga o in vitro requer a otimiza o das condi es de cultura para cada espécie e/ou variedade. Dentre os fatores que mais influenciam a micropropaga o, est o as citocininas, com destaque para o BAP. O objetivo principal deste trabalho foi avaliar o potencial de multiplica o in vitro da ameixeira 'Santa Rosa' sob diferentes concentra es de BAP. Após três subculturas em meio MA1, segmentos nodais com 0,5-1,0 cm foram submetidos a diferentes concentra es de BAP (0,5; 1,0; 2,0 e 3,0 mg.L-1). Os resultados mostraram que n o ocorreram diferen as significativas no número de brotos para as diferentes concentra es de BAP testadas. No entanto, o maior número de brotos por explante (3,6) obteve-se na concentra o de 2,0 mg.L-1 e a maior altura média dos brotos foi obtido na concentra o de 0,5 mg.L-1 de BAP. Concentra es maiores que a 0,5 mg.L-1 de BAP inibiram o crescimento dos brotos. A micropropaga o da ameixeira 'Santa Rosa' a partir de ápices caulinares e gemas laterais em meio de cultura MA1 mostrou-se eficaz.
Organogênese do caquizeiro a partir de segmentos radiculares
Carvalho Dayse Cristina de,Biasi Luiz Antonio
Ciência Rural , 2004,
Abstract: A produ o de mudas de caquizeiro (Diospyros kaki) pelo processo da enxertia sobre porta-enxertos provenientes de sementes, ocasiona problemas de desuniformidade vegetativa. O objetivo do trabalho foi contribuir para o desenvolvimento de um protocolo para a regenera o de brota es de caquizeiro do tipo café, a partir de raízes por organogênese indireta. Segmentos radiculares obtidos de embri es germinados in vitro foram isolados de sementes de frutos maduros em meio MSfraction one-halfNO3. As sementes receberam assepsia pela imers o em etanol 70% por um minuto, em solu o de hipoclorito de sódio 2,5% por 20 minutos e quatro lavagens em água esterilizada. No primeiro experimento, os segmentos radiculares de 2cm foram isolados em meio de cultura MSfraction one-halfNO3 acrescido de 0,01mM de ácido indolacético e quatro tipos de citocininas nas concentra es 1 e 10mM: zeatina, 6-benzilaminopurina, 2-isopenteniladenina e thidiazuron. No segundo experimento, para o enraizamento das brota es, foram testados quatro períodos de permanência em meio com 10mM de ácido indolbutírico: 0, 5 10 e 15 dias. A maior regenera o de brotos (1,2 brotos por explante) ocorreu na combina o 1mM de zeatina com 0,01mM de ácido indolacético. As brota es juvenis obtidas possuem potencial natural para o enraizamento, sendo necessário novos estudos para confirmar o efeito da aplica o de auxinas.
6-Benzilaminopurina e ácido indolbutírico na multiplica o in vitro da amoreira - preta (Rubus idaeus L.), cv. Tupy
Erig Alan Cristiano,De Rossi Andrea,Fortes Gerson Renan de Luces
Ciência Rural , 2002,
Abstract: O presente trabalho avaliou o efeito de diferentes níveis de BAP (0; 2; 4; 6; 8 e 10miM) e de AIB (0; 0,5 e 1miM) na multiplica o in vitro da amoreira-preta cv. Tupy. O meio utilizado foi o MS suplementado com 100mg.-1 de mio-inositol, 30g.-1 de sacarose e 6g.-1 de ágar. Após a inocula o, as culturas foram mantidas em sala de cultura com 16 horas de fotoperíodo, temperatura de 25 ± 2oC e radia o de 25μmoles.m-2.s-1. O número de gemas e o número de brota es foram avaliados com intervalo semanal, num total de quatro avalia es, e, na última avalia o, considerou-se a altura da brota o, bem como foi determinada a taxa de multiplica o. O maior número de gemas foi obtido com 2miM de BAP e, na ausência de AIB, enquanto o maior número de brota es foi atingido, até a terceira semana de cultivo, com 2 e 4miM de BAP. Para altura das brota es, tanto na ausência como no nível de 1miM de AIB, o aumento nas concentra es de BAP resultou na diminui o do comprimento das brota es linearmente. Observou-se, de modo geral, com o aumento dos níveis de BAP, para todas as doses de AIB, uma redu o na altura das brota es. A concentra o de 1miM de AIB associado com BAP influenciou negativamente a taxa de multiplica o, até a concentra o de 5,9miM de BAP. Quando utilizado isoladamente, o BAP promoveu aumento na taxa de multiplica o até o nível de 5,1miM. O AIB a 0,5miM, em todos os níveis de BAP, n o influenciou significativamente na taxa de multiplica o.
Estabelecimento de protocolo para multiplica o in vitro de Bast odo- imperador (Etlingera elatior) Jack RM Sm. = Establishing a protocol for in vitro multiplication of philippine wax flower (Etlingera elatior) Jack RM Sm.
Larissa Abgariani Colombo,Adriane Marinho de Assis,Ricardo Tadeu de Faria,Sérgio Ruffo Roberto
Acta Scientiarum : Agronomy , 2010,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi estabelecer um protocolo para a multiplica o in vitro de Bast o-do-imperador (Etlingera elatior). Brotos axilares foram inoculados em meio MS contendo as seguintes concentra es de reguladores de crescimento durante a fase deisolamento: testemunha; BAP 2,25 mg L-1; BAP 2,25 mg L-1 + ANA 0,93 mgL-1; BAP 2,25 mg L-1 + AIA 0,87 mg L-1; BAP 4,95 mg L-1; BAP 4,95 mg L-1 + ANA 0,93 mg L-1; BAP 4,95 mg L-1 + AIA 0,87 mg L-1. As brota es provenientes desta fase foram subcultivadas em um novo meio de cultura MS: testemunha; BAP 2,25 mg L-1; BAP 3,37 mg L-1; BAP 4,50 mg L-1; BAP 2,25 mg L-1 + ANA 1,12 mg L-1; BAP 3,37 mg L-1 + ANA 2,25 mg L-1; BAP 4,50 mg L-1 + ANA 3,37 mg L-1 e avaliou-se a taxa de multiplica o dos brotos por repeti o. Durante a fase de isolamento, o melhor tratamento foi BAP 4,95 mg L-1+ AIA 0,87 mg L-1. Durante a fase de multiplica o, ocorreram em média três a quatro brota es por repeti o, independentemente das concentra es e combina es de reguladores de crescimento utilizadas. As plantulas enraizaram e formaram touceiras no meio MS sem reguladores de crescimento, resultando em oito a dez plantulas por touceira. The objective of the present paper was to establish a protocol for in vitro multiplication of the Philippine wax flower. Axillary shoots were inoculated in MS medium, holding the following concentrations of plant growth regulators during the isolation stage: without plant growth regulator; benzylaminopurine(BAP) 2.25 mg L-1; BAP 2.25 mg L-1 + naphthaleneacetic acid (NAA) 0.93 mg L-1; BAP 2.25 mg L-1 + indoleacetic acid (IAA) 0.87 mg L-1; BAP 4.95 mg L-1; BAP 4.95 mg L-1 + NAA 0.93 mg L-1; BAP 4.95 mg L-1 + IAA 0.87 mg L-1 and shootings from this stage were cultivated in a new MS medium following different combinations of plant growth regulators: without plantgrowth regulator; BAP 2.25 mg L-1; BAP 3.37 mg L-1; BAP 4.50 mg L-1; BAP 2.25 mg L-1 + NAA 1.12 mg L-1; BAP 3.37 mg L-1 + NAA 2.25 mg L-1; BAP 4.50 mg L-1 + NAA 3.37 mg L-1 and shooting multiplication rate per replicate was evaluated. The best treatment, during the isolation stage, was BAP 4.95 mg L-1 + IAA 0.87 mg L-1. During the multiplication stage, there were three to four shootings per replicate, regardless of the concentrations and combinations of plant growth regulators used. The seedlings rooted, forming clusters on MS medium without plants growth regulators, resulting in eight to ten seedlings per cluster.
Micropropaga o do jaborandi
Sabá Renata Tuma,Lameira Osmar Alves,Luz José Magno Queiroz,Gomes Ana Paula do Rosário
Horticultura Brasileira , 2002,
Abstract: O jaborandi (Pilocarpus microphyllus Stapf) é uma árvore da família Rutaceae destacando-se por intensivo uso na indústria farmacêutica através de um dos seus princípios ativos, pilocarpina, utilizado no controle do glaucoma. O objetivo do presente trabalho foi desenvolver um protocolo de micropropaga o de jaborandi. Os ápices e segmentos caulinares utilizados na micropropaga o foram retiradas das plantulas germinadas in vitro cultivadas em meio MS com diferentes concentra es e combina es de reguladores de crescimento. O tratamento com 3% de NaOCl (hipoclorito de sódio) e na ausência de AG3 (ácido giberélico) promoveu maior percentagem de germina o e menor índice de contamina o. O segmento apical foi o mais eficiente na emiss o e comprimento médio de brotos de jaborandi sob diferentes concentra es de BAP (6-benzilaminopurina) e diferentes combina es de zeatina e cinetina.
Page 1 /73821
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.