oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

4 ( 1 )

2019 ( 42 )

2018 ( 179 )

2017 ( 224 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 103101 matches for " estratégias de regionaliza o "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /103101
Display every page Item
A INFLUêNCIA DO AMBIENTE COMPETITIVO NAS ESTRATéGIAS DAS SUBSIDIáRIAS ESTRANGEIRAS DE MULTINACIONAIS BRASILEIRAS
Felipe Mendes Borini,Edson Renel da Costa Filho,Moacir de Miranda Oliveira Júnior
Gest?o & Regionalidade , 2008,
Abstract: O problema a ser tratado no artigo é “como as subsidiárias estrangeiras de empresas multinacionais brasileiras avaliam o ambiente externo nos países em que atuam? ”Além disso, qual a influência do ambiente competitivo na cria o de valor das subsidiárias de multinacionais brasileiras? O objetivo é diagnosticar os atributos da perspectiva ambiental, identificar quais s o importantes e sugerir estratégias para as empresas. Foram analisadas por survey 66 subsidiárias em 22 países, divididos entre membros da OCDE (42%) e, posteriormente, regionais (45%). O Modelo Diamante, de Porter, e a Teoria das Multinacionais Regionais, de Rugman, foram usados como referencial teórico. As inferências estatísticas embasaramos seguintes resultados: existe uma avalia o diferenciada e mais positiva do ambiente competitivo para as subsidiárias localizadas em países da OCDE e em países distantes geograficamente do Brasil; existe associa o entre o ambiente externo e a cria o de valor no exterior, sendo que o dos países-membros da OCDE é mais forte e positivo para as competências de inova o (P&D), ao passo que o ambiente externo de subsidiárias regionais ou em países n o-membros da OCDE é mais fraco, o que n o sustenta a forma o de cria o de valor.
Estratégias emergentes e deliberadas: o processo de forma o de estratégias sob o prisma do método do estudo de caso
Adilson Caldeira,Sergio Lex,Claudio Alberto De Moraes,Luciano Augusto Toledo
Sistemas & Gest?o , 2010,
Abstract:
Os efeitos de uma "educa??o total": um colégio jesuíta, 1960
Faguer, Jean-Pierre;
Educa??o & Sociedade , 1997, DOI: 10.1590/S0101-73301997000100002
Abstract: this article is based on a monographic study of a school founded by the jesuits in the 16th arrondissement of paris, whose clientele is drawn mainly from the business bourgeoisie and the aristocracy. in particular it studies the teaching methods applied and the professional and family trajectories, the matrimonial strategies, and the division of family work between spouses of those graduating from the school with the baccalauréat in 1961. it also seeks to show how certain private schools can be seen as substitutes for family authority, charged with transmitting a model of education that is made more homogeneous by the fact that the parents share with the teachers the same conception of the role of the family and the school; and that these schools keep their pupils away from all contact with children from other social classes, not only during teaching time but also (it is one of the "specialities" of this kind of school) during most of the leisure activities for which they are responsible.
Os efeitos de uma "educa o total": um colégio jesuíta, 1960
Faguer Jean-Pierre
Educa??o & Sociedade , 1997,
Abstract: Este artigo se baseia em um estudo sobre um colégio fundado pelos jesuítas no 16e arrondissement de Paris, cuja clientela se origina principalmente da burguesia e da aristocracia. Em particular, este artigo aborda os métodos aplicados de ensino, as trajetórias familiares e profissionais, as estratégias matrimoniais e a divis o de trabalho familiar entre as esposas dos formandos com o baccalauréat por este colégio em 1961. Visa também mostrar como certos colégios particulares podem ser vistos como substitutos da autoridade familiar, encarregados de transmitir um modelo de educa o que se torna mais homogêneo pelo fato de pais e professores compartilharem a mesma concep o dos papéis da escola e da família, além de manterem seus alunos isolados de crian as de outras classes sociais, n o somente durante o horário de aula, mas também (e esta é uma das "especialidades" deste tipo de colégio) durante a maioria das atividades de lazer, pelas quais s o responsáveis.
Atividades de monitoramento em empresas de Startup de base tecnológica na indústria do turismo
Xavier, Wlamir Gon?alves,Cancellier, éverton Luis Pellizzaro de Lorenzi
Análise , 2008,
Abstract: O monitoramento estratégico do ambiente de empresas startup da área de tecnologia é abordado nesse trabalho. Apesar de existir diversificada literatura sobre monitoramento em empresas de grande e pequeno porte, n o foram identificados estudos sobre empresas nascentes de base tecnológica. Essa investiga o descreve o processo de monitoramento ambiental segundo um modelo adaptado de Aaker (1983) e Cancellier. Almeida e Estrada (2005). As dimens es utilizadas s o: variáveis monitoradas e necessidades de informa o, responsabilidade pelo monitoramento, frequência de monitoramento, fontes utilizadas, armazenamento, análise e dissemina o da informa o. Foi utilizada metodologia de estudo de caso único desenvolvido um uma empresa brasileira de tecnologia em fase pré-operacional. Os resultados indicam que a atividade é desenvolvida de forma desestruturada e há pouca aderência às recomenda es da literatura.
Novas estratégias em educa o: avalia o da técnica Tribunal do Júri na capacita o de conselheiros na área de saúde da mulher em Santa Catarina, Brasil
Conill Eleonor Minho,Scherer Magda Duarte dos Anjos
Cadernos de Saúde Pública , 2003,
Abstract: Descreve-se e avalia-se a técnica Tribunal do Júri, instrumento educativo inovador utilizado em uma oficina piloto sobre Controle Social e Gênero para conselheiros de saúde da Grande Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Estudaram-se sua confiabilidade e validade utilizando a opini o dos participantes complementado com observa o qualitativa dos trabalhos. Houve unanimidade na aceita o da técnica por parte dos conselheiros pela "aquisi o de conhecimentos" e "por ser participativa, democrática e dinamica". A avalia o positiva coincide com trabalho anterior feito com secretários municipais, notando-se menor preferência por atividades cognitivas formais que também compunham a oficina. Conclui-se refor ando a importancia do uso dessa inova o em capacita es, por ser aceita por públicos distintos, permitir o mapeamento de conteúdo programático e ser útil face a temáticas novas e polêmicas ao favorecer vivências práticas e reflexivas.
THE STRATEGY FORMULATION PROCESS IN THE "LEITE" RESTAURANT: A STUDY BETWEEN 1882 AND 2009
http://dx.doi.org/10.5585/riae.v9i2.1664 PROCESO DE FORMACIóN DE LAS ESTRATEGIAS EN EL RESTAURANTE LEITE: UN ESTUDIO ENTRE 1882 Y 2009 PROCESSO DE FORMA O DAS ESTRATéGIAS NO RESTAURANTE LEITE: UM ESTUDO ENTRE 1882 E 2009
http://dx.doi.org/10.5585/riae.v9i2.1664

Ana Rita de Melo Oliveira,Eduardo de Aquino Lucena,Yákara Vasconcelos Pereira Leite,Viviane Santos Salazar
Revista Ibero-Americana de Estratégia , 2010, DOI: 10.5585/riae.v9i2.1664
Abstract: The goal prompting this research was to investigate how the process of strategy formulation occurred in the "Leite" Restaurant between the years of 1882 and 2009. To do so, we used a theoretical approach for the strategy formulation process. We sought to discover the respondents' perspectives; hence, a qualitative case study was developed and identified eight key events and phases, having observed that the strategy formulation process occurred primarily through an entrepreneurial perspective with the use of deliberated strategies. Furthermore, despite the long period of existence, the company has adopted an entrepreneurial approach throughout its entire history. El objetivo que motivó esta investigación fue estudiar cómo ocurrió el proceso de formación de las estrategias del Restaurante Leite entre 1882 y 2009. Para alcanzarlo, fue utilizado un enfoque teórico sobre el proceso de formación de estrategias. Buscando descubrir las perspectivas de los entrevistados, fue desarrollado un estudio de caso cualitativo. Fueron identificados eventos marcantes y ocho fases. Se observó que el proceso de formación de las estrategias ocurrió predominantemente por el modo emprendedor y principalmente por estrategias deliberadas. Se notó también que, a pesar del largo período de existencia, la empresa adoptó el modo emprendedor en toda su historia. O objetivo que motivou esta pesquisa foi o de investigar como ocorreu o processo de forma o das estratégias do Restaurante Leite entre 1882 e 2009. Para alcan á-lo, utilizou-se uma abordagem teórica sobre o processo de forma o de estratégias. Buscando descobrir as perspectivas dos respondentes, um estudo de caso qualitativo foi desenvolvido. Foram identificados eventos marcantes e oito fases. Observou-se que o processo de forma o das estratégias ocorreu predominantemente pelo modo empreendedor e por estratégias deliberadas em sua maioria. Notou-se ainda que, apesar do longo período de existência, a empre
Estratégias de Orienta o e Estudos de Campo em Contabilidade
André Carlos Busanelli de Aquino
Contabilidade Vista & Revista , 2009,
Abstract: O artigo discute a aderência da estratégia de orienta o aos desafios do desenho e condu ode estudos de campo. Tal aderência pode potencializar a qualidade desse tipo de pesquisano teste e desenvolvimento de teorias em contabilidade gerencial e financeira. Para tanto,foram identificadas as estratégias de orienta o relatadas na literatura de educa o superior,e analisadas segundo as particularidades da condu o de estudos de campo. Em seguida, aanálise tratou do papel do orientador em uma gama de táticas aplicadas em estudos decampo, destacando a contribui o destas táticas na redu o das amea as às condi es deconfiabilidade e validade. Devido à natureza das tarefas a serem realizadas pelo aluno(menos antecipáveis e padronizadas ex ante), estudos de campo demandam umaparticipa o mais intensa do orientador. Isto se dá tanto na capacita o do aluno nas fasesde desenho da pesquisa e do protocolo, quanto em seu apoio nas defini es ex post à entradaem campo, por exemplo, ajudando a resolver as lacunas e inconsistências identificadas nasinforma es trianguladas por meio de entrevista, arquivos da empresa, questionário eobserva o pessoal.
OS MéTODOS DE PROSPEC O DE CENáRIOS E SUA APLICA AO NAS ORGANIZA ES: UM ESTUDO DE CASO NO PERíODO 1998-2008.
Gilberto de Oliveira Moritz,Rogério Nuner,Maurício Fernandes Pereira
Revista de Administra??o FACES Journal , 2008,
Abstract: O estudo de cenários tem-se mostrado cada vez mais relevante na formula o estratégica das organiza es, e ela requer conhecimento na aplica o de metodologias, que sustentem teoricamente a prospec o e escolha dos futuros possíveis, bem como na defini o das estratégias a serem adotadas. O artigo apresenta as principais metodologias de prospec o de cenários, desenvolvidas por Godet (1993), General Electric (1979), Schwartz (2003), Porter (1992) e Marcial e Grumbach (2002). Discute as principais etapas propostas pelos autores para a prospec o de cenários e, a partir das metodologias, apresenta a experiência de uma organiza o que formulou, em 1998, os cenários que enfrentaria até 2008. Est o descritas as etapas desenvolvidas pela organiza o, desde a sensibiliza o organizacional, e os cenários utópico, realista e de crise previstos. Também est o apresentadas as a es previstas no período 1998-2008, onde se destaca a análise referente à China, vista em um cenário como concorrente e, em outro, como caminho para a expans o. Por fim, está a situa o atual da organiza o, em que a prospec o de cenários desempenhou papel relevante na formula o e implementa o estratégica, com destaque para a atua o consolidada no mercado interno e consistente no mercado internacional.
Estratégias de Coping de Crian as e Adolescentes em Eventos Estressantes com Pares e com Adultos
Dell'Aglio Débora Dalbosco,Hutz Cláudio Simon
Psicologia USP , 2002,
Abstract: Foram investigadas estratégias de coping em 215 crian as e adolescentes de ambos os sexos, de 7 a 15 anos, que freqüentavam escolas públicas de periferia. Metade dos participantes (n=105, M=10,6 anos) estavam abrigados num órg o governamental de prote o e os demais (n=110, M=9,9 anos) freqüentavam as mesmas escolas e moravam com a família. Através de entrevistas os participantes relataram eventos estressantes recentes e a forma como lidaram com a situa o. Os eventos foram classificados considerando se envolviam pares (ou seja, pessoas de mesma idade) ou adultos e foram identificados sete tipos de estratégias de coping: a o agressiva, evita o, busca de apoio, a o direta, ina o, aceita o e express o emocional. Análises demonstraram que crian as de 7 a 10 anos utilizaram mais as estratégias de ina o e busca de apoio, enquanto que o grupo de 11 a 15 anos utilizou mais a estratégia de a o direta. Nos eventos com adultos, foram mais freqüentes as estratégias de evita o, aceita o e express o emocional, enquanto que com pares a a o agressiva e busca de apoio foram mais utilizadas. Estes resultados sugerem que a idade e as pessoas envolvidas na situa o estressante s o fatores determinantes na escolha da estratégia a ser utilizada, entendendo-se coping como um processo situacional.
Page 1 /103101
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.