oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

4 ( 1 )

2019 ( 71 )

2018 ( 257 )

2017 ( 313 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 109069 matches for " Servi os substitutivos de aten o à saúde mental "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /109069
Display every page Item
Saúde mental na rede pública: possibilidade de inser o psicanalítica?
Márcia Goidanich
Psicologia: Ciência e Profiss?o , 2001, DOI: 10.1590/s1414-98932001000400004
Abstract: O presente estudo foi elaborado a partir de quest es que surgiram da experiência de trabalho em um Centro de Aten o Integral à Saúde Mental da rede pública. S o analisadas as particularidades técnicas do trabalho clínico neste ambulatório. Questiona-se sobre a possibilidade da psicanálise inserir-se em um meio t o distinto daquele em que tradicionalmente atua. O estudo conclui que a inser o psicanalítica neste meio parece ser uma via possível e mesmo necessária, mas que para isso é preciso interesse tanto por parte das políticas públicas de saúde, como dos psicanalistas, que precisam vencer suas próprias resistências. This study was elaborated based on the work experience in a Mental Health Integral Attention Center from the public health service. It analyses the technical peculiarities from the clinical work in this out-patient clinic. The article questions about the possibility of psychoanalysis insertion in the public health, a milieu very different from its traditional acting place. The study concludes that the psychoanalytical insertion in this milieu seems to be possible and even necessary, but needs interest both from the public health politics and from the psychoanalysts, that have to overcome their own resistances.
A produ o de servi os de saúde mental: a concep o de trabalhadores
Campos Célia Maria Sivalli,Soares Cássia Baldini
Ciência & Saúde Coletiva , 2003,
Abstract: Este artigo trata da produ o de servi os de saúde mental. O objetivo foi descrever as concep es de servi os de saúde mental de trabalhadores de diferentes servi os de saúde mental do município de S o Paulo, que fizeram o curso de especializa o em tecnologias em saúde mental. No ambito hospitalar, ambulatorial e da unidade básica de saúde, a concep o de saúde-doen a é multifatorial e centrada no indivíduo. Já no centro de aten o em saúde mental (CAPS), a concep o aproximou-se da teoria da determina o social. Quanto ao processo de trabalho, o objeto recortado foi predominantemente o indivíduo doente e até mesmo o sintoma da doen a, distinguindo-se no CAPS uma concep o que relaciona o usuário à sua "rede social". O desafio é avan ar o entendimento da concep o do processo saúde-doen a e redefinir processos de trabalho, pautados no ambito dos determinantes e n o somente no dos resultados do processo saúde-doen a.
Servi os residenciais terapêuticos: novos desafios para a organiza o das práticas de saúde mental em Cuiabá-MT
Alice Guimar?es Bottaro de Oliveira,Marta Ester Conciani
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2008,
Abstract: Com a Reforma Psiquiátrica tornou-se visível uma demanda de cuidados até ent o inexistente de pessoas que após muito tempo de interna o haviam se tornado “pacientes moradores” de hospitais psiquiátricos. Em Cuiabá-MT o descredenciamento de um hospital resultou na cria o de 10 Residências Terapêuticas (SRT), atendendo 82 pessoas. Analisar a experiência de implanta o e seus determinantes locais e nacionais, na sua rela o com o movimento de Reforma Psiquiátrica foi o objetivo dessa investiga o. Estudo documental, realizado a partir de documentos oficiais dos três níveis de gest o, informa es da mídia local e trabalhos acadêmicos, no período 2000 a 2005. A análise dos dados resultou em duas categorias: o processo de gest o e a autonomia dos moradores. O descredenciamento do hospital e cria o de SRT ocorreu por decis o de gest o municipal centralizada e a autonomia dos moradores é influenciada pelos mesmos instrumentos centralizadores. Os SRT podem representar, por um lado, um importante passo em dire o à Reforma Psiquiátrica, por outro, na ausência de participa o social, podem ser reduzidos à racionaliza o de custos e pouco efetivos para a reabilita o psicossocial dos moradores.
Rede de aten o em saúde mental na perspectiva dos coordenadores de servi os de saúde Mental health care network from the view of health service coordinators
Lucilene Gama Paes,Maria Denise Schimith,Tatiane Muniz Barbosa,Liane Beatriz Righi
Trabalho, Educa??o e Saúde , 2013,
Abstract: Trata-se de um estudo descritivo exploratório com abordagem qualitativa, que teve como objetivo compreender como coordenadores de servi os de saúde, envolvidos no cuidado dos sujeitos em sofrimento psíquico, percebem a organiza o da rede de aten o em saúde mental de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada e de vinhetas nos meses de abril e maio de 2008. Participaram da pesquisa dez coordenadores de servi os de saúde. Os dados foram trabalhados mediante análise temática e, posteriormente, agrupados em três núcleos de sentido: o entendimento dos fluxos assistenciais; o funcionamento da rede; e as dificuldades e potencialidades vislumbradas. Evidenciou-se uma rede em processo de constru o, destacando-se a existência de movimentos que visam à melhoria da articula o entre os servi os e consequente qualifica o da assistência para os usuários da rede de cuidado em saúde mental. Prop e-se um estreitamento das rela es entre os servi os, intensificando a articula o entre a aten o primária, os servi os substitutivos e a aten o hospitalar. Destaca-se o papel da gest o nesse processo, considerando a necessidade de envolvimento de diferentes setores para a efetiva o de um servi o de aten o à saúde mental mais qualificado. This is an exploratory descriptive study based on a qualitative approach which purpose was to understand how health service coordinators involved in providing care to individuals in psychological distress perceive the organization of the mental health care network in Santa Maria, state of Rio Grande do Sul, southern Brazil. Data were collected through semi-structured interviews and vignettes in the months of April and May 2008. Ten health service coordinators participated in the study. The data were processed through thematic analyses and, subsequently, grouped into three clusters of meaning: The understanding of care flows, network operation, and of the difficulties and potential envisioned. The results showed a network under construction, highlighting the existence of movements aimed at improving coordination between the services and the resulting quality of care provided to the users of the mental health care network. The authors propose a reinforcement of the relations between the services, heightening the relationship between primary care, substitutive services, and hospital care. Emphasis is put on the role played by management in the process, considering the need for the involvement of different sectors in order to attain a more qualified mental health care service.
Apoio matricial em saúde mental entre CAPS e Saúde da Família: trilhando caminhos possíveis Apoyo matricial de salud mental entre CAPS y Salud de la Familia: trillando caminos posibles Matrix support in mental health between Psychosocial Attention Center (CAPS) and Family Health Teams: analyzing possible paths
Ileno Izídio da Costa,Fabiane Minozzo
Psico-USF , 2013,
Abstract: Neste artigo discute-se a experiência de implanta o do apoio matricial em saúde mental, prática que visa ampliar a resolubilidade e produzir maior responsabiliza o pelas situa es de saúde mental na Saúde da Família (SF). Objetiva-se analisar a implanta o do apoio matricial entre CAPS III e equipes de SF. Trata-se de uma pesquisa-a o cujos instrumentos foram os grupos operativos de reflex o e a resposta a questionários. Realizaram-se grupos com profissionais da SF, do CAPS e dos dois servi os conjuntamente. No que tange à SF, os resultados apontaram dificuldades na abordagem dos casos de saúde mental e a coexistência dos modos asilar e psicossocial nas práticas de cuidado. Em rela o ao CAPS, indicaram a importancia do fortalecimento do trabalho em equipe. Conclui-se que há necessidade de fortalecer a saúde mental na aten o primária à saúde, com investimentos na educa o permanente, no estabelecimento de indicadores e na integra o entre CAPS e SF. En este trabajo se analiza la experiencia de la aplicación de la matriz de soporte en la práctica de salud mental que tiene como objetivo producir una resolución más alta y la responsabilidad de la salud mental en situaciones de Salud de la Familia. El objetivo es analizar la aplicación de la matriz de soporte en salud mental entre los CAPS III y los Equipos de Salud de la Familia (SF). Ese es un grupo de investigación-acción cuyos instrumentos estaban operando la reflexión y la respuesta a los cuestionarios. Había grupos con los profesionales de ciencia ficción, los CAPS y de los dos servicios juntos. En cuanto a la SF, los resultados indicaron dificultades para hacer frente a los casos de salud mental y la convivencia del asilo y de los modelos psicosociales de las prácticas de cuidado. En relación a los CAPS, se alaron la importancia de fortalecer el trabajo en equipo para lograr el apoyo de la matriz. Se concluyó que hay la necesidad de fortalecer la salud mental en atención primaria, con inversiones en la educación permanente, el establecimiento de indicadores y la integración entre los CAPS y SF. This paper discusses the experience of implementing the matrix support in mental health practice that aims to produce higher resolution and accountability for mental health situations in Family Health. The objective of the present study is to analyze the implementation of the mental health "matrix support" practice among Psychosocial Attention Centers (CAPS III) and Family Health Teams. This is an action-research that had as instruments operational groups of reflection and the response to questionnaires. G
A Psicologia no modelo atual de aten o em saúde mental La Psicología en el modelo actual de atención en salud mental Psychology in the current model of mental health
Juliana Cantele,Dorian Monica Arpini,Adriane Roso
Psicologia: Ciência e Profiss?o , 2012,
Abstract: O presente estudo teve como objetivo conhecer a experiência dos profissionais da Psicologia dentro do atual modelo de aten o em saúde mental. Foi realizado um estudo qualitativo, com a utiliza o da técnica de entrevistas semiestruturadas, tendo como participantes sete psicólogos de três Centros de Aten o Psicossocial de uma cidade de porte médio do Rio Grande do Sul. Os resultados foram analisados através da análise de conteúdo, e revelaram o impacto inicial vivenciado pelos profissionais, manifestado através dos sentimentos de medo, frustra o e impotência. Os participantes evidenciaram a importancia de um constante repensar da a o profissional, destacando a realiza o de capacita o quando da entrada do profissional no servi o e da supervis o clínico-institucional como recurso para qualificar a prática, e ressaltaram a importancia de um trabalho em equipe e do olhar multiprofissional em rela o ao usuário. Pode-se concluir que os profissionais da Psicologia têm um papel preponderante nas equipes que comp em os CAPS. El presente estudio tuvo como objetivo conocer la experiencia de los profesionales de la Psicología dentro del actual modelo de atención en salud mental. Fue realizado un estudio cualitativo, con la utilización de la técnica de entrevistas semiestructuradas, teniendo como participantes siete psicólogos de tres Centros de Atención Psicosocial de una ciudad de mediano porte de Rio Grande do Sul. Los resultados fueron analizados a través del análisis de contenido, y revelaron el impacto inicial vivido por los profesionales, manifestado a través de los sentimientos de miedo, frustración e imposibilidad. Los participantes evidenciaron la importancia de un constante repensar de la acción profesional, destacando la realización de capacitaciones en el momento de la entrada del profesional en el servicio y de la supervisión clínicoinstitucional como recurso para calificar la práctica, y resaltaron la importancia de un trabajo en equipo y de la visión multiprofesional con relación al usuario. Se puede concluir que los profesionales de la Psicología tienen un papel preponderante en los equipos que componen los CAPS. This study had as aim to know the experience of psychology professionals considering the current mental health care model. A qualitative study was carried out, using semi-structured interviews. The participants were seven psychologists of three Psychosocial Assistance Centers of a medium-sized city of Rio Grande do Sul. The results were analyzed through content analysis, and revealed the initial impact experienced by the professionals
A cria o do Centro de Aten o Psicossocial Espa o Vivo The creation of the psychosocial attention center “living space”
Sérgio Luiz Ribeiro
Psicologia: Ciência e Profiss?o , 2004, DOI: 10.1590/s1414-98932004000300012
Abstract: Este artigo trata do processo da reforma psiquiátrica brasileira, a partir dos anos 80, que levou ao surgimento de servi os alternativos em saúde mental. Mais especificamente, aborda a cria o e organiza o do Centro de Aten o Psicossocial Espa o Vivo, de Botucatu-SP, que ocorreu a partir das transforma es no atendimento aos pacientes psicóticos do Hospital Professor Cantídio de Moura Campos. Faz reflex es sobre a importancia do trabalho em equipe e do respeito à singularidade e subjetividade dos envolvidos nesse processo de mudan a da forma de atendimento ao sofrimento mental. This article deals with the process of the Brazilian psychiatric reform, since the 80’s, that led to the implementation of the alternative services in mental health. It discusses more specifically the creation and organization of the Psychosocial Attention Center “Living Space” of Botucatu-SP, Brazil. This was possible due to the transformations in the care of psychotic patients of “Professor Cantídio de Moura Campos” Hospital. It considers the importance of team work and the respect to the singularity and subjectiveness of the ones involved in the process of changing the attendance of mental suffering.
Demandas de saúde mental: percep o de enfermeiros de equipes de saúde da família Demandas de salud mental: percepción de enfermeros de equipos de salud de la familia Demands of mental health: nurses' perceptions of family health teams
Jacqueline de Souza,Margarita Antonia Villar Luis
Acta Paulista de Enfermagem , 2012, DOI: 10.1590/s0103-21002012000600005
Abstract: OBJETIVO: Descrever como s o identificadas e acolhidas as necessidades de saúde mental (SM) por equipes de saúde da família, conforme a concep o de enfermeiros. MéTODOS: Estudo exploratório, descritivo de caráter qualitativo. Utilizaram-se entrevistas semiestruturadas junto a cinco enfermeiros e a interpreta o foi norteada pelas preconiza es do Ministério da Saúde Brasileiro sobre a inclus o das a es de SM na aten o básica. RESULTADOS: Identificou-se que a falta de indicadores no Sistema de Informa es da Aten o Básica (SIAB) afeta o planejamento das a es de SM e que outras doen as cr nicas, como diabetes e hipertens o, s o prioritárias para as equipes. As a es de SM vêm sendo incorporadas gradativamente no processo de trabalho das equipes de saúde da família, e a consultoria de psiquiatria exerce importante papel nisso. CONCLUS O: Reconhece-se a necessidade de educa o permanente, revis o do SIAB e, sobretudo, cria o de projetos terapêuticos sistematizados e à disposi o para novos modos de cuidar. OBJETIVO: Describir cómo identifican y acogen las necesidades de salud mental (SM) los equipos de salud de la familia, conforme la concepción de enfermeros. MéTODOS: Estudio exploratorio, descriptivo de carácter cualitativo. Se utilizaron entrevistas semiestructuradas aplicadas a cinco enfermeros y la interpretación fue norteada por lo que preconiza el Ministerio de Salud Brasile o sobre la inclusión de las acciones de SM en la atención básica. RESULTADOS: Se identificó que la falta de indicadores en el Sistema de Informaciones de la Atención Básica (SIAB) afecta a la planificación de las acciones de SM y que otras enfermedades crónicas, como la diabetes e hipertensión, son prioritarias para los equipos. Las acciones de SM vienen siendo incorporadas gradualmente en el proceso de trabajo de los equipos de salud de la familia, y la consultoría de psiquiatría ejerce un papel importante en eso. CONCLUSIóN: Se reconoce la necesidad de educación permanente, revisión del SIAB y, sobre todo, creación de proyectos terapéuticos sistematizados y la disposición para nuevos modos de cuidar. OBJECTIVE: To describe how the needs of mental health (MH) of family health teams are identified and embraced, according to the conception of the nurses. METHODS: This was an exploratory, descriptive study, of qualitative character. We used semi-structured interviews with five nurses, and interpretation was guided by proclaimations of the Brazilian Ministry of Health about the inclusion of the actions of MH in primary care. RESULTS: We identified that the lack of indicators i
Territórios do Sistema único de Saúde: mapeamento das redes de aten o hospitalar
Oliveira Evangelina X. G. de,Carvalho Marilia Sá,Travassos Cláudia
Cadernos de Saúde Pública , 2004,
Abstract: Este trabalho investiga dois tipos de redes estabelecidas pelos fluxos de pacientes para os servi os de saúde: a de aten o hospitalar básica, definida pelos procedimentos com maior freqüência de interna o e as de aten o de alta complexidade. Agregaram-se os dados do Sistema de Informa es Hospitalares do Sistema único de Saúde sobre as interna es realizadas no ano de 2000 em todo o Brasil - segundo o município de interna o e o de residência dos pacientes. Empregou-se o método do fluxo dominante, que define o arcabou o da rede e os níveis hierárquicos dos municípios que constituem os nós. A classifica o dos fluxos avalia o grau de interconex o das redes. As redes de aten o hospitalar básica alcan am quase todo o país; poucos municípios est o fora delas. Nas redes de alta complexidade poucas cidades prestam atendimento e cerca da metade dos municípios brasileiros está desconectada. O objetivo da Normas Operacionais de Aten o à Saúde, de garantir o acesso aos servi os de saúde de uso mais freqüente perto da residência dos cidad os, parece alcan ável em curto prazo. A organiza o das referências para os outros níveis de aten o, entretanto, ainda tem muito que avan ar.
Preven o da deficiência mental: conhecimento e percep o dos profissionais de saúde
Moraes Ana Maria Silveira Machado de,Magna Luís Alberto,Marques-de-Faria Antonia Paula
Cadernos de Saúde Pública , 2006,
Abstract: O objetivo deste artigo foi averiguar o perfil do atendimento preventivo em deficiência mental na rede básica de saúde pública do Município de Maringá, Paraná, Brasil. A amostra foi composta por 90 médicos(as) das áreas de Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria, Clínica Geral, Programa Saúde da Família e 66 enfermeiros(as). Foi aplicado questionário, por autopreenchimento, com respostas de múltipla escolha, entre agosto e dezembro de 2003. As variáveis qualitativas foram comparadas pelo teste do qui-quadrado, com nível de significancia de 5%. S o apresentados dados parciais relacionados à percep o e ao conhecimento de profissionais de saúde sobre deficiência mental: 75% n o foram capazes de assinalar a alternativa correta sobre a prevalência; 25% n o sabem qual a contribui o do genoma para a etiologia; 37% n o sabem se existe preven o para a deficiência mental; 28% n o se sentem seguros para orientar sobre o efeito teratogênico do etanol; 35% referiram inseguran a para orientar sobre amniocentese. Os dados demonstraram que os participantes têm baixa percep o da relevancia da deficiência mental para a morbidade da popula o e necessitam de maiores informa es sobre os aspectos genéticos e ambientais relacionados a tal condi o.
Page 1 /109069
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.