oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

2013 ( 9 )

2012 ( 40 )

2011 ( 20 )

2010 ( 19 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 232 matches for " Mulheres "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /232
Display every page Item
Mecanismos de exclus o em duas empresas em processo de reestrutura o
Rodrigues, Lea Carvalho,Muniz, Catia Regina
Civitas , 2003,
Abstract: O presente trabalho aborda os mecanismos de exclus o constatados no estudo dos processos de mudan a ocorridos em duas empresas: uma fábrica localizada no interior do estado de S o Paulo, com filial em Recife (PE), ligada a um grupo anglo-holandês; e uma empresa do setor financeiro nacional, uma sociedade de economia mista com participa o acionária majoritária da uni o. No primeiro caso, a enfase recai sobre as formas de exclus o do trabalho feminino praticadas na área produtiva da referida fábrica: no processo seletivo, nas ocasi es de afastamento e retorno ao trabalho, por motivos de gravidez ou doen a, quando as operárias s o postas na categoria de alocados. No segundo caso, aborda as formas de exclus o no processo de escolha dos denominados excedentes durante o processo de mudan as ocorrido no período 1995-2000. Em ambos os casos, independentemente das diferen as entre as empresas, as formas de exclus o apresentam semelhan as e s o analisadas com ênfase na dimens o simbólica de sua efetiva o.
Novas regula??es do trabalho docente: o caso da reforma Argentina
Birgin, Alejandra;
Cadernos de Pesquisa , 2000, DOI: 10.1590/S0100-15742000000300005
Abstract: this study looks at the new modes of regulations for teaching that have been constructed in the context of the argentine reform, affected by the changes in the world of work and the role of the state. in the conceptualization of teaching, there are various elements today that for a long time were considered to be antithetical to vocational traditions and feminine work are permeated by pressures deriving from the position of workers, who are facing threats to their employment and precarious job conditions. at the same time, based on the egalitarian traditions, they face resistance to the mechanisms of market competition and inclusion in the realm of public education. thus there have been profound ruptures in the conceptualization of teaching which based in a republican ethic had meant a common project.
A experiência com contraceptivos no Brasil: uma quest o de gera o
Pedro Joana Maria
Revista Brasileira de História , 2003,
Abstract: Através da memória de duas gera es de mulheres, este texto pretende focalizar a maneira como foi vivida no Brasil a experiência com métodos contraceptivos, e a grande mudan a que ocorreu, a partir dos anos 60, com o início do comércio das pílulas anticoncepcionais. Pretendo também fazer compara es com o mesmo acontecimento ocorrido na Fran a.
Perfil sócio-epidemiológico demográfico das mulheres idosas da Universidade Aberta à Terceira Idade no estado de Pernambuco
Barreto Kátia Magdala Lima,Carvalho Eduardo Maia Freese de,Falc?o Ilka Veras,Lessa Fábio José Delgado
Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil , 2003,
Abstract: OBJETIVOS: identificar o perfil sócio-epidemiológico demográfico das mulheres idosas que freqüentam o Programa Universidade Aberta à Terceira Idade, da Universidade Federal de Pernambuco (UnATI/UFPE), comparando com determinados estudos sobre universidades da terceira idade. MéTODOS: estudo epidemiológico descritivo de corte transversal e censitário com 308 idosas, a partir dos 60 anos, do UnATI/UFPE. Foi utilizado um instrumento multidimensional, o Brazil Old Age Schedule composto por um questionário estruturado, através do qual investigou-se a situa o pessoal e familiar, a condi o econ mico-social e os aspectos relativos à autonomia e independência funcional para o desempenho das atividades de vida diária e à ocupa o do tempo livre. RESULTADOS: em rela o à situa o pessoal e familiar, predominam as idosas jovens (60 a 69 anos), com escolaridade de segundo grau completo, cuja maioria é viúva; referem satisfa o com a vida; apresentam importantes níveis de autonomia e independência funcional; s o capazes de realizar sozinhas as atividades de vida diária e as atividades instrumentais vida diária. A maior parte oferece a seus familiares ajuda financeira e de moradia. CONCLUS ES: os perfis sócio-epidemiológico e demográfico s o bastante semelhantes aos de experiências análogas, aproximando-se da realidade de mulheres idosas que participam de outros programas do tipo Universidades Abertas à Terceira Idade.
MULHERES PORTADORAS DE TRANSTORNOS MENTAIS: UM ESTIGMA SOCIAL?
Ana Flávia Lautenschlager Moré,Wendy Ann Carswell
Perspectivas Online : Biológicas e Saúde , 2012,
Abstract: Apesar da emancipa o da mulher brasileira, ela permanece sobre a ótica cerrada dos homens e dasociedade. Desse modo, ser mulher e portadora de um transtorno mental acarretaria frequentemente atitudesnegativas. Assim, resolveu-se realizar um estudo descritivo, com uma análise quantitativa de dados. Oobjetivo foi identificar junto às mulheres portadoras de transtornos mentais evidências de estigma social. Foirealizado em uma institui o de ensino superior no interior paulista e todos os preceitos éticos da resolu o196/96 foram acatados. A amostra foi de 100 mulheres de 17 a 61 anos e destas, 38 sofreram de algumtranstorno mental. O diagnóstico do transtorno em 23 mulheres foi realizado por médicos clínicos e apenas 5por psiquiatras, com uma prevalência maior 56%, de transtornos ansiosos. Em rela o ao preconceito, 89%afirmaram que existe, enquanto apenas 11% negaram. Sobre as altera es comportamentais decorrentes dadoen a, 40% confirmaram ter ocasionalmente algumas, enquanto 27% apresentaram altera esfrequentemente. Quanto ao tratamento medicamentoso somente 18% usaram e apenas 3% participam dealgum grupo de saúde da mulher na rede básica. Portanto, 85%, acreditam que ter um transtorno mental érelevante para que a mulher n o seja respeitada. Concluiu-se que a baixa ades o das mulheres nestesprogramas pode ser devido à incompreens o quanto à doen a mental e a imagem estigmatizada. No entanto,mais preocupante ainda s o os diagnósticos feitos por clínicos ao invés de médicos psiquiatras culminandoem dosagens de psicotrópicos e tratamentos ineficazes.
A constitui o de identidades camponesa e feminista no Movimento de Mulheres Camponesas
Catiane Cinelli,Elisiane de Fatima Jahn
Revista Espa?o Acadêmico , 2011,
Abstract: O presente artigo é resultado de pesquisa militante das autoras. Tem como objetivo refletir acerca da constitui o ou constru o da identidade camponesa e feminista das mulheres engajadas no Movimento de Mulheres Camponesas (MMC). O Caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa e participante, cuja metodologia se desenvolveu nas atividades realizadas pelo MMC, juntamente com as mulheres, através de observa es militantes e consulta a produ es do Movimento. Concluiu-se que as mulheres, a partir da inser o nessa organiza o, constituem novas identidades, se diferenciando das demais camponesas da sociedade.
Mulher e trabalho: a história de vida de m es trabalhadoras de enfermagem
Spindola Thelma,Santos Rosangela da Silva
Revista Latino-Americana de Enfermagem , 2003,
Abstract: Trata-se de estudo qualitativo utilizando o método de história de vida, tendo como objeto o cotidiano das mulheres-m es-trabalhadoras de enfermagem. Os objetivos foram: descrever o dia-a-dia dessas profissionais, identificar a interferência da profiss o na vida dessa mulher e analisar a percep o dessa realidade tomando como base sua história de vida. A análise parcial dos dados revelou que a profiss o interfere na vida da mulher, especialmente pelo tipo de atividade que realiza e, em muitas situa es, provoca mudan a significativa na rotina familiar. A dupla jornada, vivenciada pela grande maioria, foi apontada como uma das causas de cansa o e estresse. Pode-se concluir que, embora a mulher valorize a atividade profissional, se sente sobrecarregada com o acúmulo de fun es, relevando a participa o do marido compartilhando o dia-a-dia em família.
Um olhar de gênero sobre mulheres no Oriente A gender look on women in the East Um olhar de gênero sobre mulheres no Oriente
Vatsi Danilevicz
Athenea Digital , 2012,
Abstract: Estas fotos s o uma amostra de uma exposi o realizada durante o Seminário Internacional Rotas Críticas III: situa es limite decorrentes da violência de gênero. A ideia da exposi o foi agregar outras possibilidades às problematiza es acerca das rela es de gênero. Estas fotos foram tomadas em uma viagem pelo Oriente e procuraram captar vulnerabilidades/potências nas marcas de gênero. Neste capítulo s o apresentadas catorze fotos, selecionadas a partir da exposi o, que traduzem similaridades e diferen as acerca de comportamentos generificados que atravessam as culturas e sociedades. These photos are a sample of an exhibition held during the third International Seminar Critical Paths: boundary conditions resulting from gender violence. The idea of the exhibition was to add other possibilities on the questions of gender relations. These photos were taken on a tour of the East and sought to capture vulnerabilities and powers in the gender brands. This chapter presents fourteen photos, selected from the exhibition, which reflect similarities and differences about gendered behaviors that cut across cultures and societies. Estas fotos s o uma amostra de uma exposi o realizada durante o Seminário Internacional Rotas Críticas III: situa es limite decorrentes da violência de gênero. A ideia da exposi o foi agregar outras possibilidades às problematiza es acerca das rela es de gênero. Estas fotos foram tomadas em uma viagem pelo Oriente e procuraram captar vulnerabilidades/potências nas marcas de gênero. Neste capítulo s o apresentadas catorze fotos, selecionadas a partir da exposi o, que traduzem similaridades e diferen as acerca de comportamentos generificados que atravessam as culturas e sociedades.
Análise da Figura o Feminina em "O Tempo e o Vento", de érico Veríssimo
Gisele do Rocio Borges
Revista Trías , 2012,
Abstract: O presente artigo busca mostrar as rela es existentes entre o discurso histórico e odiscurso literário, ambos repletos de significa o. A História Nova, ligada à école des Annales, mostraque todo discurso apresenta uma ideologia. é sobre a ideologia presente em O Tempo e o Vento, deérico Veríssimo, que focaremos este trabalho. A obra estabelece uma dialética entre os valores sociais e os valores apresentados, sendo que o narrador deposita sua ideologia na a o das mulheres, que ser o o ponto de permanência e continuidade. é a partir dessa premissa revisionária do discurso oficial que faremos nosso estudo, analisando a matriz feminina na obra, centralizando nosso enfoque às personagens de Ana Terra e Bibiana.
Papéis de gênero e sua influência na forma o acadêmica de mulheres estudantes de biblioteconomia em Santa Catarina p. 77- 95
Francisca Rasche
Revista ACB , 2005,
Abstract: Pesquisa de campo que teve por objetivo conhecer melhor a forma o acadêmica de mulheres estudantes de biblioteconomia do Estado de Santa Catarina e as influências de papéis de gênero na área bibliotecon mica. Nesse sentido, faz uma abordagem teórica a respeito de fatos envolvendo a vis o e papéis ocupados pelas mulheres, conforme a literatura levantada. Ao final da pesquisa faz uma análise detalhada dos dados coletados, que vem apontar evidências de papéis de gênero na área.
Page 1 /232
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.