oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

2019 ( 49 )

2018 ( 66 )

2017 ( 73 )

2016 ( 64 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 30952 matches for " Geraldo Tadeu dos;Ribeiro "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /30952
Display every page Item
Monitoring the nutritional and reproductive state of dairy cows through the presence of urea in milk
Grande, Paula Adriana;Santos, Geraldo Tadeu dos;Ribeiro, Hilton;Damasceno, Júlio César;Alcalde, Claudete Regina;Barbosa, Orlando Rus;Horst, José Augusto;Santos, Fabio Seiji dos;
Brazilian Archives of Biology and Technology , 2009, DOI: 10.1590/S1516-89132009000700032
Abstract: the effects of farm, parity (po) and month of parturition on milk production, percentage of fat and protein, somatic cell count (scc), and milk urea nitrogen (mun) concentration were assessed on four specialized dairy farms using 120 cows. also, the effects of mun on gestation rate (gr) and artificial insemination rate (air) in early lactation were studied. the parameters of production and milk quality were similar among farms and were not influenced by the month of parturition. farm d presented the highest mun concentration. concentration of mun, percentages of fat and protein and scc were not influenced by po. cows with a value of mun between 10.1 and 13.0 mg/dl had the highest air and gr between days 55 and 70 postpartum and after 70 days in milk. these data suggested that mun concentration was a useful parameter to predict the nutritional and reproductive stages of dairy cows.
Physical-chemical characteristics and fatty acids composition in dairy goat milk in response to roughage diet
Torii, Marcelo Shizuo;Damasceno, Júlio César;Ribeiro, Luciano da Rocha;Sakaguti, Eduardo Shiguero;Santos, Geraldo Tadeu dos;Matsushita, Makoto;Fukumoto, Nelson Massaru;
Brazilian Archives of Biology and Technology , 2004, DOI: 10.1590/S1516-89132004000600010
Abstract: the objective of the present work was to evaluate the physical-chemical characteristics (density, ph, acidity, fat, protein, lactose and total of solids contents) and milk fatty acids composition (c: 4 to c: 20) in response to roughage sources (alfalfa hay t1; oat hay t2 and maize silage t3). nine saanen lactating goats were used, in a triple youden square design (3 animals x 2 periods). there was no treatment effects in the physical-chemical variables in the univariate analyses; by multivariate analyses three distinct patterns of fatty acids could be defined: milk with greater quantity of short chain fatty acids and acids c17:1w7 e c18:2w6 (t1); milk with equivalent amounts of short, medium and long chain fatty acids (t2); and milk with greater amounts of acids c16:1w7, c17:0, c18:1w9 and c20:0 (t3). these results indicated that the roughage sources used in the diet of lactating dairy goats affected the fatty acids composition, without altering the milk physical-chemical characteristics. the acids more sensitive to the treatment effects were: c10:0, c12:0, c14:0, c16:0, c16:1w7, c18:0 and c18:3w6.
Morphogenetic and tillering dynamics in Tanzania grass fertilized and non-fertilized with nitrogen according to season
Roma, Cláudio Fabrício da Cruz;Cecato, Ulysses;Soares Filho, Cecílio Viega;Santos, Geraldo Tadeu dos;Ribeiro, Ossival Lolato;Iwamoto, Bruno Shigueo;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2012, DOI: 10.1590/S1516-35982012000300013
Abstract: the objectives of this study were to evaluate morphogenetic characteristics and tillering dynamics in tanzania grass fertilized and non-fertilized with nitrogen, under intermittent grazing, in the spring and the summer. the main plots were composed of four nitrogen rates (0, 100, 200 and 300 kg/ha) and the subplots were growth seasons: spring (october, november and december) and summer (january, february and march). the experimental design was of randomized block with plots subdivided by time (seasons of the year) and four replications. urea was used as nitrogen supply and was divided into two applications: one in the spring and another in the summer. the experimental units fertilized with n rates of 200 and 300 kg/ha showed six cycles of pasture, with an average of 27 days of pasture interval, while the treatments with no fertilization and 100 kg/ha of n showed only four and five cycles of pasture, respectively. leaf elongation rate (ler) and the leaf appearance rate (lar) increased linearly with increasing of n rates. the greatest population density occurred in summer with the higher nitrogen rates. the treatment without n fertilization showed the lowest growth of tiller population, while the other treatments exhibited growth rates above 50% when compared with non-fertilized samples. nitrogen rates significantly affect the leaf appearance rate and the leaf elongation rate, as well as the number of live leaves in plants of tanzania grass in both spring and summer.
Composi o e digestibilidade aparente da silagem de baga o de laranja
ítavo Luís Carlos Vinhas,Santos Geraldo Tadeu dos,Jobim Clóves Cabreira,Voltolini Tadeu Vinhas
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Avaliou-se a silagem de baga o de laranja, com ou sem aditivo enzimático microbiano e ácido fórmico ou acético, com o objetivo de determinar a digestibilidade aparente da matéria seca (MS), matéria organica (MO), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA), extrato etéreo (EE) e carboidratos n o-estruturais (CNE). O baga o de laranja foi ensilado por 70 dias, em tubos de concreto com capacidade de 700 kg, em um ensaio com ovinos, machos, alojados em gaiolas metabólicas. O alimento fornecido foi feno de aveia (70%) e silagem (30%) com base na MS. N o houve diferen a entre os tratamentos para os coeficientes de digestibilidade da silagem. Os aditivos n o alteraram o valor nutricional do alimento. A silagem demonstrou ter alta digestibilidade aparente.
Avalia o da silagem de baga o de laranja com diferentes aditivos por intermédio dos parametros de fermenta o ruminal de ovinos e contribui o energética dos ácidos graxos voláteis
ítavo Luís Carlos Vinhas,Santos Geraldo Tadeu dos,Jobim Clóves Cabreira,Voltolini Tadeu Vinhas
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: O baga o de laranja, com aditivo enzimático microbiano, ácidos fórmico e acético, ensilado por 70 dias, em tubos de concreto com capacidade de 700 kg, foi avaliado por intermédio dos parametros de fermenta o ruminal, em ensaio experimental realizado com ovinos, machos, alojados em gaiolas metabólicas. O alimento fornecido foi feno de aveia (70%) e silagem de baga o de laranja (30%), com base na MS. O fluido ruminal foi coletado por sonda esofagiana nos tempos 2, 5 e 8 horas após o fornecimento do alimento e antes da alimenta o, tomado como tempo zero (0). Foram avaliados pH, N amoniacal, ácidos graxos voláteis (acético, propi nico e butírico) e contribui o energética desses ácidos em kcal. N o houve diferen a entre os tratamentos para os parametros avaliados. As equa es de regress o apresentaram comportamento quadrático para todas as características estudadas e as médias dos parametros foram: pH, 6,97; N amoniacal, 6,78 mg/100 mL de fluido ruminal e dos AGV; e acético, propi nico e butírico, 45,99; 11,16; e 5,50 mM/mL de fluido ruminal, respectivamente. Os aditivos n o alteraram o valor nutricional do alimento, quando avaliados os parametros de fermenta o ruminais. Entretanto, para a produ o de AGV, houve melhor eficiência de transforma o (kcal de AGV/kcal de glicose), 72,92% para o tratamento sem aditivo (controle).
Aditivos na conserva o do baga o de laranja in natura na forma de silagem
ítavo Luís Carlos Vinhas,Santos Geraldo Tadeu dos,Jobim Clóves Cabreira,Voltolini Tadeu Vinhas
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Estudaram-se os efeitos de aditivos na fermenta o e composi o do baga o de laranja, em silos laboratoriais de PVC com capacidade para 15 kg, distribuídos ao acaso com três silos por tratamento: sem aditivo (CT), inoculante enzimático microbiano (IN) e ácidos fórmico (FO), propi nico (PP) e acético (AC). As amostras foram tomadas antes (0) e 2, 8, 16, 32 e 64 dias após a ensilagem. Analisaram-se os teores de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e detergente ácido (FDA), a digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) e da parede celular (DIVPC), o pH, a capacidade tamp o (CATP) e o N amoniacal. A silagem sem aditivo apresentou os menores teores de MS. Os teores de PB, FDN e FDA da silagem tratada com ácido fórmico (FO) foram os menores. As DIVMS e DIVPC foram constantes, com exce o do tratamento com ácido fórmico (FO), que foi linear negativo, em fun o do tempo de ensilado. O comportamento do pH apresentou equa es de regress o cúbicas, com exce o do tratamento com ácido fórmico, que foi linear. A silagem tratada com ácido fórmico apresentou os menores valores de CATP (25,7 a 39,1 mg HCl/100 g MS) e os maiores de N amoniacal (3 a 4% N total). Os aditivos n o melhoraram a qualidade e o valor nutricional da silagem de baga o de laranja
Substitui o da silagem de milho pela silagem do baga o de laranja na alimenta o de vacas leiteiras: Consumo, produ o e qualidade do leite
ítavo Luís Carlos Vinhas,Santos Geraldo Tadeu dos,Jobim Clóves Cabreira,Voltolini Tadeu Vinhas
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Estudaram-se os efeitos da substitui o da silagem de milho pela silagem de baga o de laranja sobre o consumo de nutrientes, a produ o e a qualidade do leite de vacas da ra a holandesa, num experimento em quadrado latino 4 x 4, com quatro níveis de substitui o (0, 25, 50 ou 75% MS) da silagem de milho pela silagem de baga o de laranja, com base na matéria seca, mantendo-se a rela o volumoso:concentrado de 50:50. Os níveis de substitui o n o influenciarram as porcentagens de gordura e proteína do leite, porém o comportamento do consumo de nutrientes e produ o de leite se deu de forma quadrática, em fun o do nível de substitui o. Os resultados sugerem que a silagem de baga o de laranja pode substituir a silagem de milho para vacas em lacta o.
Milk production and quality of Holstein cows in function of the season and calving order Produ o e qualidade do leite de vacas da ra a Holandesa em fun o da esta o do ano e ordem de parto
Rodrigo de Souza,Geraldo Tadeu dos Santos,Altair Ant?nio Valloto,Alexandre Leseur dos Santos
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2010,
Abstract: It was aimed to evaluate the effect of the lactation order and calving season on milk production and quality of Holstein’s cows. The lactation order had a significant effect on milk production and score of somatic cells (SSC), without affecting fat and protein content. Cows of 3rd and 4th lactation were more productive due to the complete development of the mammary gland and corporal growth. SSC rose with the increase of the lactation number due to the contact with pathological agents as the animals had a more advanced age. Lactations that begin in the spring presented the smallest milk production (Kg/cow/day) because of the heat stress that these animals suffered in the lactation pick, with damage of milk production of this lactation. SSC, the fat and protein content did not vary in function of the calving season. Lactation order and calving season caused variation in the milk production, being important the use of strategies to minimize the heat stress mainly in the lactation pick. Larger careful should be taken with cows starting from 4th lactation, because these present a higher SSC, and the heat stress can favor the mastitis occurrence. Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito da ordem de lacta o e esta o do ano ao parto sobre a produ o e qualidade do leite de vacas da ra a Holandesa. A ordem de parto teve efeito significativo sobre a produ o de leite e escore de células somáticas (ECS), sem efeito sobre os teores de gordura e proteína. Vacas de 3a e 4a lacta o foram mais produtivas devido ao completo desenvolvimento da glandula mamária e crescimento corporal. O ECS aumentou com a eleva o do número de lacta es devido ao contato com agentes patogênicos à medida que os animais têm uma idade mais avan ada. Lacta es iniciadas na primavera apresentaram a menor produ o de leite (Kg/vaca/dia) por causa do estresse calórico que os animais sofreram no pico de lacta o, de modo a comprometer a produ o de leite dessa lacta o. ECS e teores de gordura e proteína n o variaram em fun o da época de pari o. Ordem de lacta o e esta o do ano ao parto causam varia o na produ o de leite, e é importante o uso de estratégias para minimizar o estresse calórico, principalmente no pico de lacta o. Maiores cuidados devem ser tomados com vacas a partir da 4a lacta o, pois apresentam maior ECS e o estresse calórico pode favorecer a ocorrência de mastite.
Determina o do consumo, digestibilidade e fra es protéicas e de carboidratos do feno de Tifton 85 em diferentes idades de corte
Gon?alves Geane Dias,Santos Geraldo Tadeu dos,Jobim Clóves Cabreira,Damasceno Júlio Cesar
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: Objetivou-se determinar o consumo de matéria seca (MS), a digestibilidade aparente da MS, matéria organica (MO), proteína bruta (PB) e fibra em detergente neutro (FDN) e a digestibilidade in vitro da MS (DIVMS) e, também, quantificar as fra es de proteína e carboidratos do feno de Tifton 85, cortado aos 28, 42, 63 e 84 dias de crescimento. O delineamento experimental utilizado para a análise dos dados referentes ao consumo e digestibilidade aparente foi em Quadrado Latino 4 x 4 e, para o fator idade de corte, foi usada regress o. Houve decréscimo linear, à medida que se aumentou a idade de corte para o consumo de MS e para a digestibilidade aparente da MS, MO, PB e FDN. Os valores encontrados para a digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) foram bastante próximos aos encontrados para digestibilidade aparente. Para as fra es de proteína e carboidratos, observaram-se aumentos para a fra o C, com o aumento na idade de corte, que variaram de 17,4 a 22,8 e de 10,9 a 14,3%, respectivamente. Da mesma forma, a fra o B3 da proteína aumentou e a B2 apresentou pouca varia o, com o aumento da idade de corte, enquanto as fra es A e B1 dos carboidratos totais diminuíram. Os resultados referentes ao consumo de MS e digestibilidade da MS foram de 2,4, 2,2, 2,1 e 1,1% e de 60,5, 58,8, 56,3 e 53,8%, para as idades de crescimento de 28, 42, 63 e 84 dias, respectivamente.
Farinha de penas hidrolisada em dietas de ovinos
Branco Antonio Ferriani,Coneglian Sabrina Marcantonio,Mouro Gisele Fernanda,Santos Geraldo Tadeu dos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a digestibilidade aparente dos nutrientes, o balan o de nitrogênio e a concentra o plasmática da uréia em dietas para ovinos com diferentes níveis de inclus o de farinha de penas hidrolisada. Foram utilizados cinco ovinos machos, castrados, com 50 kg de peso vivo. O delineamento utilizado foi o quadrado latino 5 x 5, em que os tratamentos consistiram em níveis de 0, 25, 50 , 75 e 100% de substitui o do farelo de soja mais uréia pela farinha de penas. O método utilizado para a determina o da digestibilidade e do balan o de nitrogênio foi a colheita total de fezes e urina. A ingest o da proteína bruta sofreu efeito quadrático, enquanto sua digest o sofreu efeito linear negativo, com a substitui o do farelo de soja mais uréia pela farinha de penas hidrolisada. Houve efeito linear positivo na excre o fecal e negativo na digestibilidade de matéria seca (MS), matéria organica (MO), proteína bruta (PB) e fibra em detergente neutro (FDN), com a inclus o da farinha de penas. Essa inclus o também influenciou de forma linear decrescente a ingest o de nutrientes digestíveis totais (NDT) e seu valor para as dietas. A inclus o da farinha de penas influenciou todas as variáveis estudadas no balan o de nitrogênio. Houve efeito linear crescente na excre o de nitrogênio nas fezes e na urina e decrescente na digestibilidade da matéria seca e na concentra o de uréia plasmática. Quanto ao nitrogênio consumido e retido houve efeito quadrático dos níveis de substitui o.
Page 1 /30952
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.