oalib

Publish in OALib Journal

ISSN: 2333-9721

APC: Only $99

Submit

Any time

2013 ( 4 )

2012 ( 10 )

2011 ( 3 )

2010 ( 6 )

Custom range...

Search Results: 1 - 10 of 40 matches for " Arranjos colaborativos "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /40
Display every page Item
Colabora o nas atividades de pesquisa desenvolvimento e inova o: o que nos ensina o modelo de centros e redes de excelência Petrobrás / Coppe UFRJ?
Ana Maria de Britto Pires,Francisco Lima Cruz Teixeira,Horacio Nelson Hastenreiter Filho
Organiza??es & Sociedade , 2012,
Abstract: A complexidade do processo de inova o tecnológica em atividades intensivas em conhecimento vem provocando o surgimento de novos arranjos colaborativos e novos modelos de negócio para as atividades de pesquisa, desenvolvimento e inova o (PD&I). Este artigo apresenta uma avalia o da Prática Centros e Redes de Excelência Petrobras/Coppe (PCREX) à luz dos referenciais teóricos da Hélice Tríplice, Inova o Aberta, Rela o Universidade-Empresa e Redes de Inova o. O modelo PCREX prop e a constru o de novos organismos interorganizacionais permanentes, voltados ao desenvolvimento de áreas específicas do conhecimento. A análise da PCREX é aprofundada pelo estudo de caso do Centro de Excelência em Geoquímica da Petrobras (Cegeq), protótipo da aplica o da PCREX, institucionalizado em 1996. A pesquisa revelou o total alinhamento da PCREX com as abordagens da Hélice Tríplice e da Inova o Aberta, o que confirma seu potencial dinamizador do processo de inova o; porém, apontou dificuldades na realiza o desse potencial no caso Cegeq. O estudo de caso evidenciou a necessidade de se avan ar no desenvolvimento da capacidade de atuar em redes de colabora o e na constru o de ambientes institucionais favoráveis ao exercício da colabora o nos moldes PCREX. A pesquisa revelou, ainda, que a ado o do modelo PCREX para a gest o das atividades de PD&I é uma decis o estratégica que precisa estar alinhada com a estratégia corporativa. ----- Collaboration on Research, Development and Innovation Activities: what can be learnt from the Petrobras/Coppe UFRJ model of Centers and Networks of Excellence? ----- ABSTRACT ----- The complexity of the technological innovation process in knowledge intensive activities has led to the emergence of new collaborative arrangements and new business models to deal with research, development and innovation (RD&I) activities. This article presents an evaluation of the Prática Centros e Redes de Excelência Petrobras/Coppe (PCREX) in the light of the following research topics: Triple Helix, Open Innovation, University-Industry Relations and Innovation Networks. The PCREX model proposes the establishment of new permanent interorganizational agencies aimed at the development of specific knowledge areas. The study of the method is based on the case study of the Petrobras Center of Excellence in Geochemistry (Cegeq), the prototype of the application of the method set up in 1996. The research revealed the fine alignment of the PCREX with the Triple Helix and the Open Innovation models of innovation, which confi rms its high potential to leverage the
Composición de la nota final de un curso colaborativo utilizando notas electivas
Augusta Osorio Gonzales
En Blanco y Negro : Revista sobre Docencia Universitaria , 2012,
Abstract: Un curso dise ado mediante actividades colaborativas y estrategias de ense anza, como el ABP, puede estar compuesto de diferentes tareas y actividades no siempre obligatorias para el alumno. Lo que se quiere mostrar es cómo estas notas continuas pueden llegar a formar parte de la nota final del curso y ser un medio para una evaluación final más justa.
Editorial
Jane Gelinski
Evidência : Ciência e Biotecnologia - Interdisciplinar , 2012,
Abstract: EDITORIALArranjos Produtivos Locais (APLs) têm sido caracterizados e avaliados em diferentes estudos. Nesta edi o, é apresentada uma avalia o sobre o caso do APL dos vinhos da Regi o do Alto Vale do Rio do Peixe. Analisa-se que este ainda n o apresenta características típicas de um APL bem estabelecido, sendo considerado um aglomerado de empresas que têm seus produtos voltados essencialmente para o mercado interno, com algumas exce es. Necessitando, portanto, de uma estrutura que eleve o status do aglomerado com vistas ao desenvolvimento sustentável e que se absorva efetivamente a ideia de uma marca regional com denomina o de origem territorial dos vinhos, promovendo aquela regi o e o aglomerado com um todo.Na temática, ainda, do vinho é realizada uma revis o sobre a forma o de aminas biogênicas nos vinhos, as quais têm sido um grave problema enfrentado pela maioria das vinícolas. Refor a-se que, além dos prejuízos à saúde humana e às características organolépticas dos vinhos, concentra es elevadas de aminas biogênicas também podem gerar prejuízos econ micos, considerando que existe a possibilidade de embargos comerciais por parte desses países, quando concentra es dessas substancias que estejam acima dos limites preestabelecidos forem detectadas nesses produtos.Na linha de compostos com propriedades funcionais importantes, avaliou-se a presen a de compostos fenólicos totais e sua correla o com a atividade antioxidante em méis produzidos por Apis mellifera L. no Pantanal mato-grossense. Este estudo contribui para potencializar o comércio de méis diferenciados da Regi o Pantaneira com elevado potencial antioxidante, garantindo uma maior rentabilidade aos produtores.Também nesta edi o, mas relacionado diretamente à saúde humana, avaliou-se a ocorrência de infec es da corrente sanguínea causadas por micro-organismos Klebsiella spp. e a produ o de -lactamases de espectro ampliado, bem como os fatores de risco associados à bacteremia em pacientes internados em um Hospital Universitário na Regi o de Mato Grosso do Sul. Salienta-se a importancia de tais pesquisas para a obten o de dados importantes para a racionaliza o da terapia antimicrobiana, redu o das taxas de mortalidade e auxílio no controle de infec es.Um estudo de caso analisa o monitoramento microbiológico rápido realizado em uma indústria de alimentos e a importancia da eficiência de solu es desinfetantes na assepsia de manipuladores de alimentos. Relacionado ainda ao estudo de microrganismos, mas com uma abordagem voltada ao potencial na produ o de compostos antimicrobianos na pro
Uso de wikis para la realización de trabajos colaborativos en el aula
González Pareja, A.,Calderón Montero, S,Galache Laza, T.,Torrico González, A.
Rect@ , 2006,
Abstract: Habitualmente, la evaluación del alumnado que realizamos en la Universidad se basa únicamente en uno o varios exámenes individuales. Este hecho contrasta con su vida laboral posterior, donde se potenciará el trabajo en equipo, obteniendo la mayoría de los resultados a través de trabajos colaborativos. Con esta idea hemos realizado una experiencia docente en una asignatura optativa de la Diplomatura en Ciencias Empresariales, Investigación Operativa. Los alumnos de esta asignatura están distribuidos en tres grupos homogéneos de unos 20 alumnos. En cada uno de ellos hemos dedicado una parte importante de la calificación final a la realización de trabajos programados por los profesores, consistentes en realizar dentro de una plataforma Moodle, Wikis en los que cada grupo desarrolla un material predeterminado y conocido desde la programación del curso. Para cada grupo, cada uno de sus alumnos, deberá evaluar los Wikis realizados por los alumnos de los otros grupos, evaluación que ha de ser justificada y razonada, pudiendo cada profesor a su vez evaluarla de forma negativa o positiva. Con todo ello, los alumnos deben formar equipos para trabajar con sus compa eros en una tarea común a todos ellos y a su vez deben evaluar, de forma razonada, los trabajos realizados por sus compa eros de los otros grupos. Los resultados que hemos obtenido en cuanto a participación de los alumnos y rendimiento académico de los mismos son muy interesantes y nos llevan a la realización de importantes consideraciones de tipo práctico en trabajos colaborativos.
Comportamento organizacional de Arranjos Produtivos Locais: um estudo aplicativo no setor de confec es
Elisabeth de Oliveira Andrade,Maria de Fátima Martins,Ana Cecília Feitosa de Vasconcelos,Patrícia Trindade Caldas
Sistemas & Gest?o , 2010,
Abstract: Em decorrência das constantes mudan as ocorridas no ambiente organizacional, asempresas têm adotado múltiplas formas de a es e comportamentos para se adequarem aesse novo contexto e que podem interferir positivamente na sua atua o competitiva. Nestaperspectiva, os arranjos produtivos locais (APLs), constituem-se como novos formatosorganizacionais e representam um tipo específico de redes de empresas, que proporcionauma maior sustentabilidade no mercado, por meio do tipo de comportamento e rela esexistentes entre os agentes do APL. No sentido de proporcionar uma maior compreens oacerca desses novos formatos organizacionais, através dos tipos de comportamentosadotados, o objetivo deste artigo é identificar o comportamento predominante adotado peloAPL de Confec es do Agreste Pernambucano, através da aplica o da Matriz ConFlexproposta por Pinto e Loiola (2007). Tal modelo permite identificar o comportamento-padr o,enquanto resultados de diferentes possibilidades de combina o entre confian a eflexibilidade. A pesquisa realizada pode ser caracterizada como exploratória e descritiva,conduzida sob a forma de estudo de caso, utilizando como técnicas a pesquisa bibliográficae a análise documental, sendo ainda caracterizada como um estudo qualitativo, a partir dautiliza o da técnica análise de conteúdo.Os resultados obtidos com a realiza o dapesquisa constataram que o APL do setor de Confec es do Agreste Pernambucanoapresenta alta competi o como comportamento predominante, identificado a partir do baixonível de confian a, o que evidencia possível resistência à constru o de relacionamentosduradouros no arranjo, assim como ao baixo nível de flexibilidade demonstrado por umaatua o mais reativa frente às transforma es do mercado.
REUNI ENVIRONMENT: AN E-GOV INITIATIVE IN A 3D VIRTUAL WORLD ESPA O REUNI - UMA INICIATIVA DE E-GOV EM MUNDOS VIRTUAIS 3D
Cintia Ramalho Caetano da Silva,Thiago Cortat Tavares,Ana Cristina Bicharra Garcia,Jose Luiz Thomasseli Nogueira
Revista Eletr?nica de Sistemas de Informa??o , 2009,
Abstract: Atualmente verifica-se um aumento crescente da popularidade dos CVEs (Collaborative Virtual Environment ou Ambientes Virtuais Colaborativos). Com isto, diversas iniciativas têm sido propostas por vários países para a implanta o de governo eletr nico dentro destes CVEs. Com base neste contexto, este artigo tem como objetivo o desenvolvimento de um espa o virtual para promover intera o social, dissemina o da informa o e vota o eletr nica, secreta e com voto único. O objetivo proposto é de verificar a viabilidade da transposi o de instancias de Governo Eletr nico aplicado sob o escopo de ambientes virtuais colaborativos. A instancia de Governo Eletr nico abordada neste trabalho é o REUNI, novo decreto de Lei do Governo Federal que visa à reforma das Universidades Federais Brasileiras. O CVE escolhido para este trabalho foi o Second Life, um dos ambientes de realidade virtual mais amplamente difundidos e utilizado em todo o mundo.
A Utiliza o de Software Social em Organiza es: o caso dos wikis
José Lindoval Arag?o Matos
Contextus , 2009,
Abstract: O desenvolvimento da web 2.0. lan ou novas possibilidades para os processos de colabora o nas empresas, mediante a utiliza o dos softwares sociais. Tais aplica es s o ferramentas web-based que permitem a articipa o de um número elevado de pessoas, possibilitando a intera o, a produ o conjunta de conhecimentos e a forma o de redes sociais. Neste ensaio, será explorada a tecnologia dos wikis, aplica o web que permite a qualquer pessoa escrever de forma colaborativa e editar documentos em tempo real. Pode acrescentar conteúdo sem a necessidade de conhecimentos técnicos sofisticados em computa o, o que acarreta profundas implica es em diversas áreas. Ao abordar suas funcionalidades, características e potencialidades, este ensaio centra sua análise na utiliza o dos wikis em cenários corporativos, além de descrever os cuidados a serem observados quando de sua implanta o. N o obstante o fato de este se tratar de um trabalho bibliográfico, nas considera es finais deste artigo s o apontadas oportunidades para trabalhos futuros, os quais visem às empresas como seu campo empírico de investiga o.
Mapas colaborativos digitais e (novas) representa es sociais do território: uma rela o possível
José Carlos Santos Ribeiro,Leonardo Branco Lima
Ciberlegenda , 2011,
Abstract: A proje o cartográfica do território por dispositivos presentes na internet está inserida em um contexto de transforma o nas formas de representa o gráfica do espa o. Dispositivos como o google maps representam a base capaz de desenvolver e sustentar um mapeamento colaborativo, o que, por sua vez, potencializa novas práticas associativas e novas representa es sociais do espa o geográfico. Ao possibilitar a inser o de registros personalizados de roteiros, temas variados e lugares de preferências, bem como a postagem de textos, vídeos, fotografias e áudios, o modelo de mapa colaborativo potencializa a renova o da imagem-ideia dos territórios. Nesta perspectiva é que discutimos a interse o entre mapeamento colaborativo na internet e representa es sociais do território.
As novas dimens es do rural: territorio e arranjos produtivos locais
Lucas Labigalini Fuini
Geografares , 2011,
Abstract: Esse artigo tem por objetivo enfatizar, na análise o meio rural contemporaneo, a dimens o do território, considerando a supera o de uma vis o de rural associado a atividades agrícolas strictu sensu, e na pior das hipóteses, à decadência sócio-econ mica das áreas rurais ante a urbaniza o. Deste modo, os Arranjos produtivos locais aparecem como instrumentos importantes para a análise territorial do desenvolvimento rural, sobretudo por sua capacidade de associar em meios periurbanos e semi-rurais, o ′empreendedorismo` local com as atividades inovadoras com forte conteúdo em ‘capital social’. A fim de ratificar tais hipóteses, a luz do exemplo bem sucedido de dinamismo econ mico proporcionado pelos distritos industriais marshallianos em regi es italianas semi-rurais, coloca-se como base empírica de análise um estudo de Arranjo produtivo brasileiro voltado a um tipo de atividade tipicamente rural: a produ o de mandioca realizada no Sudeste do Mato Grosso do Sul.
Knowledge management in clusters of companies: value network as a tool to strengthen knowledge exchange Gest o de conhecimento em aglomerados de empresas: rede de valor como instrumento para fortalecer o intercambio de conhecimento
Adriana Valélia Saraceni,Pedro Paulo de Andrade Júnior,Luis Mauricio Resende
Revista Eletr?nica de Estratégia e Negócios , 2013,
Abstract: This study aimed to highlight the value network as a tool for knowledge exchange in Local Clusters. The methodology used in this research was qualitative and exploratory. The concept of information networks and value networks were used in order that the flow of information and knowledge being consolidate between the various agents of company networks, through better knowledge management. It was used a theoretical concept of value networks and concepts of knowledge management, and, the main approaches of Local Clusters. From the conducted research in this study, it was observed how information networks can contribute to the dissemination of information. It was also possible to establish a theoretical analysis on the value network and the value of knowledge, thus, allowing correlating and explaining the role of knowledge as an instrument in the economic and regional development in Local Clusters. Este estudo teve por objetivo central evidenciar a rede de valor como instrumento de intercambio de conhecimento em Arranjos Produtivos Locais (APLs). O trabalho de pesquisa utilizou uma metodologia qualitativa de caráter exploratório. O conceito de redes informacionais e redes de valor foram utilizados com o propósito de que os fluxos de informa o e conhecimento entre os diversos agentes das redes de empresas se consolidassem, por meio de uma melhor gest o do conhecimento. Utilizou-se a concep o teórica sobre as redes de valor e conceitos sobre gest o do conhecimento, além das principais abordagens de Arranjos Produtivos Locais. A partir da pesquisa realizada neste trabalho, foi possível verificar como as redes informacionais podem contribuir para a difus o da informa o. Também foi possível estabelecer uma análise teórica sobre redes de valor e valor do conhecimento, possibilitando, assim, correlacionar e explicar o papel do conhecimento como instrumento no desenvolvimento econ mico e regional em Arranjos Produtivos Locais.
Page 1 /40
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.