oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Diminui o da humifica o da matéria organica de um Cambissolo Húmico em plantio direto  [cached]
Bayer C.,Martin-Neto L.,Saab S. C.
Revista Brasileira de Ciência do Solo , 2003,
Abstract: O ambiente menos oxidativo do solo em plantio direto diminui o grau de humifica o da matéria organica. Para testar esta hipótese, avaliou-se a concentra o de radicais livres semiquinona (RLS) na matéria organica da camada superficial (0-25 mm) de um Cambissolo Húmico, cultivado por 8 anos nos sistemas preparo convencional (PC), preparo reduzido (PR) e plantio direto (PD), em Lages (SC). A concentra o de RLS na matéria organica foi determinada por ressonancia paramagnética eletr nica (EPR) nas fra es granulométricas > 53, 53-20, 20-2 e < 2 μm. Na média das fra es granulométricas, a concentra o de RLS na matéria organica do solo foi menor em PD (15,83 x 10(17) spins g-1 C) do que em PC (18,33 x 10(17) spins g-1 C) e PR (18,39 x 10(17) spins g-1 C). A matéria organica na fra o 20-2 μm apresentou a maior concentra o de RLS e a menor largura de linha do sinal de EPR, o que é consistente com um maior grau de humifica o e, ou, maior intera o com a fra o mineral, em compara o às fra es > 53 e < 2 μm. Na fra o 53-20 μm, os baixos teores de carbono organico n o permitiram a detec o do sinal de EPR do RLS. Em adi o ao efeito nos estoques de matéria organica, o PD resulta no decréscimo do grau de humifica o, o que pode ter importante implica o na qualidade do solo.
Diminui??o da humifica??o da matéria organica de um Cambissolo Húmico em plantio direto
Bayer, C.;Martin-Neto, L.;Saab, S. C.;
Revista Brasileira de Ciência do Solo , 2003, DOI: 10.1590/S0100-06832003000300015
Abstract: the less oxidative environment in soils of no-tillage systems decreases the humification degree of organic matter. to test this hypothesis, the concentration of semiquinone free radicals (sfr) of organic matter from the surface layer (0 to 25 mm) of a humic cambisol (lages, santa catarina state) was evaluated. the soil had been cultivated for 8 yrs under conventional tillage (ct), reduced tillage (rt), and no-tillage (nt). the sfr concentration in organic matter was assessed by electron spin resonance (esr) in the granulometric fractions (> 53, 53-20, 20-2, and < 2 μm). among the tillage systems, the lowest concentration of sfr in the whole soil organic matter was observed in no-tilled soil (15.83 x 1017 'spins' g-1 c), in comparison with ct (18.33 x 1017 'spins' g-1 c) and rt (18.39 x 1017 'spins' g-1 c). organic matter of the 20-2 μm size fraction showed a higher concentration of sfr and a smaller line width, which is consistent with a higher humification degree and/or higher interaction with soil minerals, in comparison with the size fractions > 53 and < 2 μm. the esr signal of sfr was not detected in the 53-20 μm granulometric fraction due to the low organic c contents. in addition to the effect on soil c and n stocks, no-tillage decreases the humification degree of organic matter which may have an important influence on the soil quality.
Variáveis relacionadas à estabilidade de complexos organo-minerais em solos tropicais e subtropicais brasileiros
Inda Junior, Alberto Vasconcellos;Bayer, Cimélio;Concei??o, Paulo Cesar;Boeni, Madalena;Salton, Júlio César;Tonin, Alano Tiago;
Ciência Rural , 2007, DOI: 10.1590/S0103-84782007000500013
Abstract: the stability of organo-mineral complexes is an important characteristic related to the soil chemistry and physics of tropical and subtropical soils. this study was aimed at identifing the variables related to the stability of organo-mineral complexes, evaluated by ultrasonic energy necessary to complete soil dispersion, of six soils from south and west-center regions of brazil with distint texture and mineralogy. the ultrasonic energy to complete soil dispersion varied from 239 a 2389j ml-1, and was positively related to the soil organic carbon concentrations (r2=0.799, p<0.05). the clay mineralogy had an important role to the stability of organo-mineral complexes, which were related to the content of low cristalinity iron oxides (r2=0.586, p<0.10), but did not had relationship with the total pedogenic iron oxides. the qualitative analysis of the clay mineralogy, by x-ray diffraction, evidenced that gibbsite and goethite are the main clay minerals related to the stability of organo-mineral complexes, reinforcing the importance of these minerals on the physical protection and coloidal stability of the soil organic matter in the tropical and subtropical soils.
Efeitos da suplementa o e da fortifica o de alimentos sobre a biodisponibilidade de minerais  [cached]
Lobo Adriana Soares,Tramonte Vera Lúcia Cardoso
Revista de Nutri??o , 2004,
Abstract: Estratégias de preven o e combate a algumas deficiências nutricionais, como a anemia e a osteoporose, incluem a fortifica o de alimentos e o uso de suplementa o com minerais em popula es de risco. Entretanto, intera es com outros minerais podem ocorrer e comprometer o estado de saúde do indivíduo. Este artigo teve por objetivo rever algumas das intera es que podem ocorrer entre minerais quando da suplementa o ou fortifica o de alimentos. A suplementa o de cálcio parece estar relacionada a uma diminui o da absor o do zinco, fósforo e ferro. Por sua vez, o excesso de ferro pode comprometer a absor o e utiliza o do zinco, especialmente quando em formula es antianêmicas. Apesar dos resultados de alguns estudos serem controversos, a suplementa o de minerais ou a fortifica o de alimentos devem ser cuidadosas a fim de n o ocasionar outras deficiências nutricionais.
Fra es da matéria organica em seis solos de uma toposseqüência no Estado do Rio de Janeiro  [cached]
Canellas Luciano Pasqualoto,Berner Paulo Guilherme,Silva Saulo Guilherme da,Silva Marlem Barros e
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: O relevo é um importante fator de forma o dos solos, condicionando o fluxo de água na paisagem. Com o objetivo de avaliar a influência desse fator sobre a distribui o da matéria organica, analisou-se uma toposseqüência de solos localizada no campus da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ. Os seis perfis estudados, Podzólico Vermelho-Amarelo (perfis 1 e 2) localizados no ter o superior da encosta, Podzólico Amarelo (perfil 3) situado no ter o médio, Planossolo (perfis 4 e 5) no ter o inferior e Glei Pouco Húmico (perfil 6) situado ao pé da encosta, apresentaram baixos teores de carbono organico total. O fluxo de água condicionou a distribui o das fra es da matéria organica, principalmente as fra es ácidos fúlvicos livres e ácidos fúlvicos. A matéria organica apresentou correla o significativa com o valor da cor do solo, com a densidade, porosidade total, conteúdo de Ca2+, K+, Na+, H+, soma de bases e valor T. A via de humifica o identificada nos perfis 1, 2, 3, 4 e 5 foi a da insolubiliza o. No perfil 6, situado ao pé da encosta, a humifica o dos compostos organicos ocorre pela lenta transforma o dos restos vegetais, caracterizando a via de heran a como a principal rota de humifica o.
Importancia das espécies minerais no potássio total da fra o argila de solos do Triangulo Mineiro
Melo V. F.,Corrêa G. F.,Maschio P. A.,Ribeiro A. N.
Revista Brasileira de Ciência do Solo , 2003,
Abstract: Poucos trabalhos relacionam a reserva de K em solos desenvolvidos sob clima tropical úmido com os minerais presentes na fra o argila. Com esse propósito, coletaram-se amostras de 19 solos no Triangulo Mineiro, originados de diferentes materiais de origem e estádios de desenvolvimento. Dada a significativa ocorrência, tomou-se maior número de amostras no Grupo Bauru, abrangendo todas as forma es geológicas encontradas na regi o. Os teores totais de K foram determinados após digest o das amostras de terra fina e das fra es areia, silte e argila com ácidos concentrados (HF, HNO3 e H2SO4). Para avaliar a contribui o de cada espécie mineral nos teores totais de K, amostras da fra o argila saturadas por Na foram submetidas a extra es seqüenciais e seletivas de minerais, na seguinte ordem: extra o de Al e óxidos de Fe de baixa cristalinidade; extra o de óxidos de Fe mais cristalinos; extra o de gibbsita e caulinita; extra o de minerais do tipo 2:1; extra o de feldspatos e minerais resistentes. A composi o mineralógica da fra o argila refletiu o intenso grau de intemperismo e lixivia o dos solos do Triangulo Mineiro, com baixos teores de minerais de baixa cristalinidade, predomínio de caulinita e presen a de outros minerais secundários resistentes. Mesmo com essa mineralogia, a fra o argila apresentou o maior teor de K total, principalmente para os solos mais intemperizados. Considerando a abundancia de caulinita na fra o argila, este mineral foi uma importante fonte de formas n o-trocáveis do nutriente. Por outro lado, a contribui o dos óxidos de Fe e de Al de baixa cristalinidade e dos óxidos de Fe mais cristalinos nos teores totais de K da fra o argila foi inexpressiva. Em geral, os minerais primários facilmente intemperizáveis (mica e feldspato) contribuíram em grande propor o para o K total da fra o argila, principalmente para os solos mais jovens desenvolvidos de arenito da Forma o Uberaba, migmatito/micaxisto do Grupo Araxá e basalto da Forma o Serra Geral.
Efeitos dos minerais acessórios na geoquímica de elementos terras-raras em granitóides do Complexo Jequitinhonha no Extremo Sul da Bahia  [cached]
Celino Joil José,Botelho Nilson Francisquini
Rem: Revista Escola de Minas , 2002,
Abstract: Objetiva-se comparar e discutir padr es de ETR em rochas e minerais acessórios (monazita, apatita e zirc o) de granitos crustais, de idade neoproterozóica, nas proximidades dos povoados de S o Paulinho (SPL), Santa Luzia do Norte (SLN), S o Jo o do Sul (SJS) e Santo Ant nio do Jacinto (SAJ), denominados de Suíte S o Paulinho (SSP) no extremo sul do Estado da Bahia. Apenas nas rochas muito diferenciadas dessa suíte, pobres em minerais acessórios, ocorrem mudan as significativas nos formatos dos padr es de ETR, sugerindo que, nos estágios iniciais da evolu o magmática, as varia es de formatos, devido ao fracionamento de minerais essenciais, s o, em boa parte, mascaradas pelos minerais acessórios.
Efeito da aplica??o de calcário, matéria organica e adubos minerais em cultura de arroz, em solo de várzea irrigada
Schmidt, Nelson C.;Gargantini, Hermano;
Bragantia , 1970, DOI: 10.1590/S0006-87051970000100027
Abstract: an experiment was carried out in 1964 and 1965 in a clayey soil to determine the influence of lime and organic matter on rice (oryza sativa l.) production, at pindamonhangaba experiment station, paraíba valley. organic matter (cow manure) was applied at the basis of 30 ton/ha/year. lime was applied at the basis of 6 ton/ha in the first year and 2.5 ton/ha in the second year. there were also applications of fertilizer (npk), in presence or absence of organic matter and lime. the results did not show response of rice production to lime or organic matter applications. these was, however, a clear response to the mineral fertilizers applied.
Nutrientes minerais na biomassa da parte aérea em culturas de cobertura de solo
Borkert Clóvis Manuel,Gaudêncio Celso de Almeida,Pereira José Erivaldo,Pereira Leonardo Régis
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2003,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi estimar as quantidades de nutrientes reciclados por cinco espécies vegetais utilizadas como culturas de cobertura do solo e que podem retornar ao solo pela mineraliza o da biomassa. Foram coletadas de vários experimentos amostras da matéria verde de aveia-preta (Avena strigosa Schreb), mucu-napreta (Stizolobium aterrimum Piper & Tracy), guandu (Cajanus cajan (L.) Millsp), tremo o (Lupinus albus L. e L. angustifolius L.) e ervilhaca (Vicia sativa L.). Foi estimado o rendimento de matéria seca e determinados os teores de N, P, K, Ca, Mg, Mn, Zn, Cu, e, a partir dessas concentra es, foram calculadas a média observada, a média estimada e o intervalo de confian a a 95% para cada nutriente dentro de cada classe de rendimento de matéria seca, em cada espécie vegetal. Os dados foram tabulados dentro de intervalos de classe de rendimento de matéria seca e apresentadas as quantidades estimadas de nutrientes minerais. Foram ajustadas equa es para estimar as quantidades desses nutrientes. A aveia-preta e a ervilhaca reciclam grande quantidade de K, e a ervilhaca, a mucu-napreta, o tremo o e o guandu reciclam grande quantidade de N. Todas as espécies reciclam quantidades apreciáveis de Ca, Mg e micronutrientes, porém baixas quantidades de P. A rota o de culturas é um meio de implementar com sucesso o aumento das áreas de lavoura em semeadura direta.
COMPOSI O CENTESIMAL E DE MINERAIS DE MARISCOS CRUS E COZIDOS DA CIDADE DE NATAL/RN  [cached]
PEDROSA Lucia de Fátima Campos,COZZOLINO Silvia Maria Franciscato
Ciência e Tecnologia de Alimentos , 2001,
Abstract: Este estudo teve como objetivo analisar a composi o centesimal e os teores de zinco, cobre e ferro de cinco tipos de mariscos crus e cozidos: Camar o (Penaeus brasiliensis), Caranguejo (Ucides cordatus), Lagosta (Panulirus argus), Ostra (Crassostrea rhizophorae) e Mexilh o (Anomalocardia brasiliana), crus e cozidos, provenientes da cidade de Natal/RN. As amostras da parte comestível de cada alimento foram adquiridas em peixaria do cais do porto. Os mariscos foram considerados fontes expressivas de proteínas e minerais, enquanto as quantidades de lipídeos e calorias foram baixas. Observou-se na maioria das amostras teores de proteínas e de cinzas aumentados após a coc o. A concentra o de zinco foi variada, apresentando-se a ostra como a maior fonte dentre as espécies estudadas. Os maiores teores de ferro e cobre foram verificados no mexilh o e na ostra. A coc o provocou perdas de 50% de cobre no mexilh o e praticamente n o alterou as concentra es do referido nutriente no caranguejo. Esperamos que estes resultados contribuam para bancos de dados que auxiliar o na melhor estimativa de consumo de nutrientes em inquéritos dietéticos.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.