oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Um estudo sobre as formas de preconceito contra homossexuais na perspectiva das representa es sociais  [cached]
Lacerda Marcos,Pereira Cícero,Camino Leoncio
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2002,
Abstract: Este artigo analisa, na perspectiva das representa es sociais, as formas como estudantes universitários expressam o preconceito contra homossexuais e a rela o desse preconceito com as explica es da homossexualidade. Para tanto, aplicaram-se questionários a 220 alunos de uma universidade pública da cidade de Jo o Pessoa. Os resultados permitiram classificar os estudantes em uma tipologia composta por três grupos de indivíduos: preconceituosos flagrantes, preconceituosos sutis e n o preconceituosos. A análise da ancoragem social do tipo de preconceito apresentado pelos estudantes mostrou que os preconceituosos flagrantes se opuseram às explica es psicossociais (próprias das mulheres e dos estudantes de psicologia) e aderiram mais fortemente às explica es ético-morais e religiosas (próprias dos estudantes de engenharia). Os n o preconceituosos estudam psicologia e aderem às explica es psicossociológicas. Já os preconceituosos sutis explicaram a homossexualidade a partir de causas biológicas e psicológicas, próprias dos estudantes de medicina e das mulheres.
O debate sobre a homossexualidade mediado por representa??es sociais: perspectivas homossexuais e heterossexuais
Scardua, Anderson;Souza Filho, Edson Alves de;
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2006, DOI: 10.1590/S0102-79722006000300017
Abstract: the objective of this work was to study the social representations of homosexuality among college students, according to sexual orientation and sex. one free association question about the word homosexuality and another about is possible causes were answered. the data was analyzed according to the principles of content analysis. there were significant differences among the groups, allowing us to find out different ways of understanding/dealing with homosexuality and facing prejudice/discrimination. the homosexual men publicly justified/legitimated (rights, freedom) homosexuality with the argument/representation that it is uncontrollable/natural, while the homosexual women preferred to build and improve interaction agreements on the interpersonal level (family, love affair) to obtain social recognition. yet the heterosexual men and women, with many references to normality and others contents that reinforce the social conventions, pointed out less possibility of recognition towards homosexuality.
Um estudo sobre as formas de preconceito contra homossexuais na perspectiva das representa??es sociais
Lacerda, Marcos;Pereira, Cícero;Camino, Leoncio;
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2002, DOI: 10.1590/S0102-79722002000100018
Abstract: this paper analyses, in terms of social representations, the way university students express their prejudice against homosexuals and how this prejudice relates to explanations concerning homosexuality. questionnaires were used with 220 students of a public university in jo?o pessoa city. the results led to a classification of the students into three different groups: flagrantly-prejudiced, subtly-prejudiced and non-prejudiced. the analysis of the social anchorage of the students' type of prejudice revealed that the flagrantly-prejudiced group opposed the psycho-social explanations (typical of women and psychology students), more strongly adhering to ethical-moral and religious explanations (characteristic of engineer students). the non-prejudiced were students of psychology and adhered to psycho-sociological explanations, whereas the subtly-prejudiced explained homosexuality in terms of biological and psychological causes (explanations typical of medical students and women).
Representa es sociais da homossexualidade entre professores do ensino público: continuidades e rupturas
Jeolás, Leila Sollberger,Paulilo, Maria Angela Silveira
Textos & Contextos (Porto Alegre) , 2008,
Abstract: Este texto apresenta resultados de pesquisa sobre a percep o da homossexualidade, a partir da análise das respostas a um questionário, com quest es abertas, aplicado a 67 participantes do Grupo de Estudos sobre Educa o Sexual (GEES) da Universidade Estadual de Londrina, constituído por professores/as da rede pública de ensino. A análise do conteúdo se deu a partir da organiza o do material em núcleos de sentido que denotavam valores de referência e modelos de comportamento acerca da homossexualidade. As categorias temáticas utilizadas foram o inato e o adquirido. A primeira inclui a percep o da homossexualidade como algo a priori, de natureza biológica, pulsional ou comportamental; a segunda implica perceber a homossexualidade como decorrente do “meio ambiente”, da “educa o familiar” ou como “op o” do indivíduo. Além dessas categorias, utilizamos também os conceitos de tempo longo, vivido e curto para analisar a constru o histórica dos significados sociais atribuídos à homossexualidade.
Insensatos afetos: homossexualidade e homofobia na telenovela brasileira
Fabio Scorsolini-Comin,Manoel Ant?nio dos Santos
Barbarói , 2012,
Abstract: Este estudo investiga o modo como a temática homossexual tem sido retratada na telenovela brasileira Insensato Cora o, veiculada em 2011. Por meio de um núcleo constituído por personagens gays, os autores da trama descrevem a diversidade das quest es homoafetivas, desde o processo de reconhecimento da homossexualidade pelo sujeito, a “saída do armário”, passando pelo preconceito, pela homofobia e busca do reconhecimento dos direitos civis. Fato inédito na teledramaturgia brasileira, os personagens com orienta o divergente da heteronormatividade n o apenas s o destaques na arquitetura da trama, como os seus dramas acabam sendo expressos de modo a explicitar uma visibilidade anteriormente negligenciada ou interdita. Para além desse movimento diferenciado de inclus o da temática homoafetiva na telenovela, destacam-se os efeitos formadores de opini o pública da televis o, como mecanismo de comunica o de massa. Embora alguns personagens ainda retratem movimentos que em nada contribuam efetivamente para a mudan a de posicionamentos, favorecendo vis es unívocas dos homossexuais como pessoas libertinas e em risco psicossocial, identificamos outros movimentos, que trazem para o domínio familiar dramas anteriormente escamoteados pela teledramaturgia. Abstract This study investigates how the theme of homosexuality has been portrayed in the Brazilian soap opera Foolish Heart, aired in 2011. Through a core made up of gay characters, the authors describe the plot homosexual the diversity of issues, from the recognition process by the subject of homosexuality, the "coming out", through prejudice, homophobia and demanding the recognition of rights civilians. Unprecedented in Brazilian soap operas, the characters with divergent orientation of heteronormativity, are not only highlights the architecture of the plot, as his plays end up being expressed in order to explain a previously neglected or forbidden visibility. In addition to this movement for the inclusion of different thematic homosexual in the soap opera, the highlights are the shapers of public opinion effects of television, as a means of mass communication. While some characters will portray movements at all contribute effectively to the changing positions, favoring unambiguous views of homosexuals as people libertine and psychosocial risk, identify other movements they bring to the area earlier family dramas unsuccessful.
The debate on homosexuality mediated by social representations: homosexual and heterosexual perspectives / O debate sobre a homossexualidade mediado por representa es sociais: perspectivas homossexuais e heterossexuais  [cached]
Anderson Scardua,Edson Alves de Souza Filho
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2006,
Abstract: The objective of this work was to study the social representations of homosexuality among college students, according to sexual orientation and sex. One free association question about the word homosexuality and another about is possible causes were answered. The data was analyzed according to the principles of content analysis. There were significant differences among the groups, allowing us to find out different ways of understanding/dealing with homosexuality and facing prejudice/discrimination. The homosexual men publicly justified/legitimated (rights, freedom) homosexuality with the argument/representation that it is uncontrollable/natural, while the homosexual women preferred to build and improve interaction agreements on the interpersonal level (family, love affair) to obtain social recognition. Yet the heterosexual men and women, with many references to normality and others contents that reinforce the social conventions, pointed out less possibility of recognition towards homosexuality.
Direitos e reconhecimento dos homossexuais no município de Fortaleza durante a gest o Fortaleza Bela 2005-2008  [cached]
Rodrigo Vieira Costa
Espa?o Jurídico : Journal of Law , 2010,
Abstract: Este artigo analisa de que forma a legisla o do município de Fortaleza e as políticas públicas cujo enfoque seja a diversidade sexual, durante a gest o Fortaleza Bela 2005-2008, contribuíram para conferir, do ponto de vista local, prote o jurídica e reconhecimento aos homossexuais como minoria dentro de um cenário de exclus o muito mais amplo. Para tanto, buscou-se tra ar um breve perfil histórico da homossexualidade no Brasil e no mundo para, logo em seguida, situar o grupo heterogêneo formado por gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e transgêneros como minoria ou grupo vulnerável, independente da distin o teórica que se queira adotar, no sentido de constatar a viola o dos seus direitos sexuais e demais direitos de liberdade e igualdade, sua rela o de inferioridade aos padr es sociais heteronormativos, resistência contra-hegem nica por meio da cidadania e o delineamento de estratégias discursivas contra o homofobismo. Nesse sentido, a dignidade do igual respeito n o é suficiente para dirimir os conflitos por discrimina o de orienta o sexual, sendo necessário que haja diferencia o quando a igualdade de tratamento os inferiorizar. Dessa feita, o município de Fortaleza, nesse período, teve papel importante na formula o de políticas públicas de visibilidade da cidadania LGBTT e na aplica o de normas jurídicas que sancionassem administrativamente condutas homofóbicas e garantissem os benefícios previdenciários aos parceiros e parceiras de servidores municipais que s o do mesmo gênero do segurado. Porém, a ades o da sociedade civil n o foi unanime e, mediante dois exemplos, foi possível demonstrar a intolerancia com a qual os homossexuais s o tratados. Palavras-chave: Homossexuais. Minorias. Multiculturalismo. Reconhecimento. Fortaleza Bela.
Sexo, gênero e homossexualidade: o que diz o povo-de-santo paulista?
Milton Silva dos Santos
Horizonte : Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religi?o , 2009, DOI: 10.5752/444
Abstract: Resumo "O candomblé aceita o homossexualismo porque é uma religi o que n o tem pecado. N o interessa se você seja homem, mulher ou gay. N o importa a op o sexual. (...) Você pode ver. é uma religi o de homossexuais". é assim que um filho-de-santo responde a uma pergunta sobre a notável presen a de homossexuais iniciados na religi o dos orixás. Se comparadas a outras denomina es hostis e indiferentes às orienta es n o-heterossexuais, o candomblé e outras devo es afro-brasileiras s o, de fato, mais tolerantes à participa o de homossexuais, permitindo-lhes ocupar todos os postos previstos na hierarquia ritual. Embora estejam entre as express es religiosas que menos discriminam o indivíduo por raz es de preferência sexual, percebemos por meio da literatura especializada e de uma pesquisa de campo, realizada na regi o metropolitana de S o Paulo, que os candomblecistas também empregam em seus discursos argumentos ou narrativas míticas, certos princípios e valores seculares articulados à moralidade crist e que d o sustenta o à hierarquia de sexo/gênero - conforme alguns sacerdotes, as categorias homem/mulher e masculino/feminino devem corresponder às expectativas sociais esperadas para cada ser sexuado. Em virtude disso, tratar de homossexualidade nas comunidades-terreiro, ao contrário do que possa parecer, é um tema delicado, restrito e rodeado de tabus. Palavras-chave: Candomblé; Gênero; Sexualidade; Homossexualidade. Abstract "Candomblé accepts homosexualism because it is a religion where sin does not exist. It does not matter whether you are a man, a woman or gay. Your sexual choice does not matter. [...] You can see it. It is a religion of homosexuals." This is how a filho-de-santo answers a question about the remarkable presence of homosexuals initiated into the orixás' religion. If compared to other denominations, hostile or indifferent to nonheterosexual orientations, candomblé and other Afro-Brazilian religions are indeed more tolerant to the participation of homosexuals, allowing them to hold all positions in the ritual hierarchy. However, based on the literature and on a field research carried out in the S o Paulo metropolitan region, we realized that those affiliated to candomblé, although following one of the religions with the lowest degree of prejudice against individuals due to their sexual preference, also employ in their discourse arguments or mythical narratives, secular principles and values articulated with Christian morality, which support the sex/gender hierarchy: according to some priests, man/woman and male/female catego
Um estudo do preconceito na perspectiva das representa es sociais: análise da influência de um discurso justificador da discrimina o no preconceito racial  [cached]
Pereira Cícero,Torres Ana Raquel Rosas,Almeida Saulo Teles
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2003,
Abstract: Este artigo analisa, na perspectiva das representa es sociais, a influência de um discurso justificador da discrimina o sobre o preconceito racial. Em um experimento (N = 120) que apresenta um cenário onde a gerente de uma loja contrata uma mo a branca, discriminando uma negra, metade dos participantes (grupo experimental) recebeu um discurso justificando a discrimina o. Os resultados mostram a representa o da decis o da gerente organizada por dois princípios: avalia o profissional e percep o de justi a. Os participantes que tiveram acesso ao discurso justificador consideraram que a atua o da gerente foi mais profissional e menos injusta do que os participantes do grupo de controle. Os membros do grupo experimental tendem a contratar a mo a branca, enquanto os membros do grupo de controle n o apresentam preferência pela cor da pele na contrata o. A discuss o apresenta o preconceito moderno como o resultado dos discursos ideológicos produzidos por grupos majoritários para justificar a sua situa o social.
Homossexualidade, direitos humanos e cidadania  [cached]
Anjos Gabriele dos
Sociologias , 2002,
Abstract: O texto apresenta os resultados de uma investiga o sobre como uma organiza o procura redefinir os critérios de percep o da homossexualidade, de forma a torná-la socialmente legítima. Esta redefini o é feita a partir da generaliza o da no o de homossexualidade como "direito humano" e da equipara o do homossexual ao "cidad o", o que envolve o distanciamento frente às concep es usuais de homossexualidade. Com esta mudan a nos critérios de percep o, a organiza o busca participar no espa o político. Argumenta-se que a compreens o da atua o e da defini o de homossexualidade que a organiza o tenta impor requer que se incluam na investiga o as características e recursos sociais de seus integrantes. Considera-se que o nexo entre homossexualidade e "direitos humanos/cidadania" está relacionado com a alta escolariza o dos seus integrantes, que possibilita o rompimento com os critérios dominantes de defini o da homossexualidade, e a participa o em discuss es nas quais est o em pauta a defesa dos "direitos humanos" e da "cidadania". Também está relacionado a engajamentos de seus integrantes em outros espa os de participa o, que forneceram tanto esquemas de percep o da "quest o homossexual" como os canais e recursos para a exposi o daqueles esquemas.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.