oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
A CONCEP O HUSSERLIANA DE CORPOREIDADE: A DISTIN O FENOMENOLóGICA ENTRE CORPO PRóPRIO E CORPOS INANIMADOS THE HUSSERLIAN CONCEPTION OF CORPORALITY: A PHENOMENOLOGICAL DISTINCTION BETWEEN PERSONAL BODY AND INANIMATE BODIES  [cached]
ARON PILOTTO BARCO
Synesis , 2012,
Abstract: Resumo: Ao contrário do que as diversas aproxima es entre Husserl e Descartes podem sugerir, Husserl foi um severo crítico do dualismo mente-corpo, de origem cartesiana. Esse texto tem por objetivo explicar o conceito husserliano de corporeidade para assim expor como o autor defende uma concep o n o dualista da corporeidade. Para Husserl n o se trata de propor ‘eu tenho um corpo’ – o que pressup e um componente anímico possuidor –, mas sim ‘eu sou um corpo’.Abstract: Contrary to what may suggest the many comparisons between Husserl and Descartes, Husserl were a severe critic of the Cartesian mind-body dualism. This text aims at explain the Husserlian concept of corporeality in order to expose how well the author argues for a non-dualistic conception of corporeality. For Husserl is not about propose ‘I have a body’ – which implies a component possessor soul – but ‘I am a body’.
Perder e recuperar a alma: tendências recentes na psicologia social da religi o norte-americana e européia  [cached]
Paiva Geraldo José de
Psicologia: Teoria e Pesquisa , 2002,
Abstract: A palavra alma, do vocabulário religioso e psicológico, desapareceu da linha-mestra da psicologia. Com ela desapareceu o conceito de uma instancia essencial da realidade humana. Ao contrário das denota es que identificam alma, espírito e mente e contrap em alma a corpo, parece possível restituir a articula o originária dessas palavras nas fontes hebraicas da Bíblia, nas express es idiomáticas das línguas ocidentais e no vocabulário psicológico fundador. N o é o uso da palavra alma, mas a recusa de seu desemprego, que torna interessante para o psicoterapeuta a servi o da alma, a aten o para estudos recentes, norte-americanos e europeus, que tentam restituir à alma sua posi o estrutural e dinamica na psique.
REFLEX ES SOBRE O CONHECIMENTO MODERNO FRENTE AOS AVAN OS CIENTíFICOS E TECNOLóGICOS CONTEMPOR NEOS
Carlos Alvim,Elemar Kleber Favreto
Griot : Revista de Filosofia , 2011,
Abstract: A partir de uma analise da rela o entre o conhecimento e o conceito de corpo, este artigo percorre o caminho que se iniciou com o filósofo que marcou a modernidade, René Descartes. Tendo em vista a perspectiva de refletir sobre as mudan as consideráveis que ocorreram na concep o desse filósofo em rela o ao que ele entendia por corpo, buscamos na realidade contemporanea da inteligência artificial meios de explicar a nova perspectiva de homem. Os avan os científicos e tecnológicos produzem instrumentos capazes de expandir cada vez mais os sentidos humanos, além disso a inteligência artificial pode também render ao homem uma nova concep o de mente e de consciência.
SENTIDO FILOSóFICO NO BRASIL DOS PRIMEIROS DEBATES ACERCA DA RELA O ENTRE MENTE E CORPO PHILOSOPHICAL MEANING OF THE EARLIER DISCUSSIONS ON MIND AND BODY RELATIONSHIP IN BRAZIL  [cached]
Leonardo Ferreira Almada,Luiz Alberto Cerqueira
Philósophos : Revista de Filosofia , 2010, DOI: 10.5216/phi.v14i1.8313
Abstract: Nosso objetivo é destacar o sentido filosófico no Brasil dos primeiros debates suscitados pela ideia de uma psicologia científica. Para tanto, trabalharemos com os textos de dois autores em especial, Gon alves de Magalh es e Tobias Barreto. Nosso interesse é o de demonstrar em que sentido estes filósofos foram capazes de oferecer oposi o a uma tendência positiva vigente na Psicologia e, ao mesmo tempo, superar o caráter contemplativo da consciência de si inerente à Psicologia sob a égide dos Jesuítas, e em vista da necessidade de moderniza o filosófica no Brasil. Ao mesmo tempo, pretendemos mostrar que, a despeito da crítica de Tobias a Magalh es, ambos souberam reconhecer a significa o do naturalismo em Psicologia, especialmente no que diz respeito à tarefa de inserir o pensamento brasileiro nos rumos da filosofia ocidental. Our aim is to point out the philosophical meaning in Brazil of the earlier discussions about the nature of Scientific Psychology. Therefore, we will work in particular with texts of two authors, Gon alves de Magalh es and Tobias Barreto. Our interest it to demonstrate in what sense these philosophers were able to offer opposition to a current positive trend in Psychology and the same time, overcome the contemplative character of self-consciousness inherent in Psychology under the aegis of the Jesuits, in view of need for philosophical modernization in Brazil. At the same time, we intend to show that, despite the criticism of Tobias to Magalh es, both know recognize the significance of the naturalism in Psychology, especially with regard to the task of entering the Brazilian thought in the course of Western Philosophy.
Cis o corpo/mente na escola: uma analise a partir da epistemologia social/Split body and mind in school: a social epistemology analysis  [cached]
Fábio Zaboli,Renato Izidoro da Silva,Miguel Angel Garcia Bordas
ETD : Educa??o Temática Digital , 2006,
Abstract: A proposta aqui foi a de apresentar uma epistemologia social acerca do objeto: cis o corpo e mente na escola e na Educa o Física. A escolha da referida base teórica para a abordagem do objeto em quest o está pautada no interesse de distinguir uma nova interpreta o que module o antagonismo entre as matrizes materialistas e idealistas que há muito discutem o tema. Mais estritamente, nossa abordagem atenta para as determina es epistêmicas que o paradigma moderno da realidade humana cindida em corpo e mente possibilita em rela o às constru es sócio-históricas em torno dos arrolamentos de poder no ambito da escola e da Educa o Física. Para tanto, estabelecemos, dentre outros, um diálogo com Thomas Popkewitz e Michel Foucault, principais autores que versam sobre o tema da epistemologia social e das rela es de poder, respectivamente. Doravante, nosso trabalho discorre especificamente sobre a escola como dispositivo de poder que agencia seus ideais sócio-culturais sobre o solo da cis o entre corpo e mente. Mais ainda, detemo-nos no fato de a escola e a Educa o Física utilizarem os saberes técnicos e tecnológicos desenvolvidos sob o paradigma da cis o, com o fim de incrementarem os agenciamentos de poder em prol de ajustes sócio-culturais concernentes aos modos de pensar (mente) e os modos de agir (corpo) do humano em geral e em particular. Por último, restou-nos f lego para tratarmos o fen meno esporte enquanto palco político e artefato de agenciamento dos saberes e dos poderes, pois tem a capacidade de assegurar opera es diretas sobre os modos de vida da popula o em prol de propostas ideológicas que sobre a sociedade moderna procuram unilateralmente controlar os modos de subjetiva o dos sujeitos individuais e coletivos. The purpose of this article is to present a social epistemology concerning the following object: the split body and mind in the school and in the Physical Education. The choice of the related theoretical basis to approach the object in question is focused in the interest to distinguish a new interpretation that modulates the antagonism between the materialistic and idealistic matrices that has been used to argue this subject for years. Particularly, our approach concerns to epistemic determinations that the modern paradigm of the human reality splited in body and mind enables in relation to the sociohistorical constructions around the power procedures in the scope of the school and the Physical Education. For in such a way, we establish, among others, a dialogue with Thomas Popkewitz and Michel Foucault, authors who turn on the social
O Behaviorismo Radical como filosofia da mente  [cached]
Lopes Carlos Eduardo,Abib José Ant?nio Damásio
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2003,
Abstract: O Behaviorismo Radical de B. F. Skinner é constantemente acusado de eliminar a mente de sua explica o do comportamento humano. Uma análise do livro The Concept of Mind, de Gilbert Ryle, sugere a possibilidade de defender a existência de uma mente relacional, diferente da categoria de existência da mente defendida em interpreta es cartesianas (mente substancial). A análise de alguns textos de Skinner sugere que o conceito de uma mente relacional também pode ser defendido no Behaviorismo Radical. Esse fato, culminaria na possibilidade de que, além de filosofia da Ciência do Comportamento, o Behaviorismo Radical, também pode ser uma filosofia da mente, o que traria conseqüências ao estudo e à aplica o da Análise do Comportamento.
Atividades de Consumo como Recursos da Constru o da Identidade Pré-Adolescente em Intera es Verbais Consumption activities as pre-teen identity construction resources in verbal interactions
Isis Rodrigues Chidid,André Luiz Maranh?o de Souza Le?o
Revista Organiza??es em Contexto , 2011,
Abstract: Na pós-modernidade velhas identidades tem se fragmentado, surgindo novas. é neste cenário que a no o de pré-adolescência toma corpo. Com isto em mente, desenvolvemos o presente estudo, com o objetivo de compreender a constru o da identidade pré-adolescente em situa es de consumo mediadas pela linguagem. Neste sentido, assumimos a no o de o que e como dizemos as coisas s o comportamentos sociais (Austin, 1990) e partimos do conceito de “atividades marcárias”, desenvolvido por Le o e Mello (2009), para o de atividades de consumo. Adotando uma abordagem interpretativista, realizamos um estudo qualitativo. A estratégia metodológica adotada foi a etnografia da comunica o. A coleta de dados ocorreu pela observa o n o-participante das intera es entre os pré-adolescentes. Por meio de tal procedimento realizamos 114 observa es. Ao analisarmos tais constru es identificamos nove atividades de consumo, as quais s o descritas. Implica es para o entendimento desta cultura de consumo, bem como indica es para futuras pesquisas s o considera es abordadas. In postmodernity old identities has been fragmented, appearing new. It’s in this scenario that the notion of pre-adolescence takes shape. With this in mind, we developed this study with the aim of understanding the pre-adolescent identity construction in consumption situations mediated by language. In this sense, we take the notion of what and how we say things are social behaviors (AUSTIN, 1990) e went from the Le o e Mello (2009) "brand activities" conception to consumption activities. Adopting an interpretative approach, we conducted a qualitative study. The strategy adopted was the ethnography of communication. Data collection was undertaking through non-participant observation of interactions among pre-teens. Through this procedure we conducted 114 observations. By analyzing these constructions we identified nine consumption activities, which are described. Implications for the understanding such consumption culture, as well as future research directions are considered.
O corpo como sintoma da cultura  [cached]
Lúcia Santaella
Comunica??o, Mídia e Consumo , 2004,
Abstract: Este artigo busca refletir sobre a contemporanea onipresen a do corpo em todas as esferas da cultura. Para alguns autores, o corpo virou uma verdadeira obsess o. Está perturbadoramente em todas as partes. Indo além da mera constata o, o argumento que desenvolvo neste artigo é o de que o corpo está obsessivamente onipresente porque se tornou um dos sintomas da cultura do nosso tempo. Diferentemente dos sintomas histéricos do século XIX, que se davam no corpo, que marcavam o corpo, gradativamente esses sintomas foram crescendo até tomar o corpo ele mesmo como sintoma da cultura. Como o conceito de sintoma exige, o tratamento teórico da discuss o que aqui se desenvolverá está baseado na psicanálise, especialmente de Freud e Lacan. Abstrat: This paper discusses the contemporary omnipresence of the body in every cultural sphere. For some authors, the body has become a real obsession. It is disturbingly everywhere. Going beyond the mere recognition of the problem, this article argues that the body is obsessively present because it has become a symptom of our cultural era. Different from the nineteenth century hysterical symptoms that occurred in the body, that marked the body, gradually these symptoms grew to the extent of turning the body itself into a symptom of the culture. As the concept of symptom demands, the theoretical treatment of this discussion is based on psychoanalysis, especially on Freudian and Lacanian discourses. Palavras-chave: Cultura, sintoma, corpo, psicanálise, real, imaginário, simbólico. Key-words: Culture, symptom, body, psychoanalysis, the real, the imaginary, the symbolic.
Educa??o da mente e do corpo, professor pesquisador reflexivo e a ciência do concreto
Silva, Tania Mara Tavares;Lovisolo, Hugo Rodolfo;
Revista Brasileira de Ciências do Esporte , 2011, DOI: 10.1590/S0101-32892011000300006
Abstract: based on the contributions of lovisolo (1995), using the lévi-strauss bricoleur to think the docent praxis, this article tries to resignify the contributions of the docent formation branch denominated reflexive researcher professor (ppr). its main authors, specially stenhouse, are analyzed in a perspective that interpretation dominates and emphasizes autonomy, creativeness, art, putting in opposition with the position delineated by lovisolo based on understandings of lévi-straus about primitive and scientific thinking forms. it is questioned the education functioning that the romantic formation field of ppr seems to operate refusing both this kind of question as its possible answers.
O “CORPO” E A CRíTICA à MODERNIDADE NO PENSAMENTO DE FRIEDRICH NIETZSCHE
Márcio José S. Lima
Griot : Revista de Filosofia , 2012,
Abstract: O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma abordagem daquilo que o filósofo alem o Friedrich Nietzsche entende por “Corpo”. A partir de uma crítica endere ada ao pensamento moderno, sobretudo pelas no es de sujeito e objeto formuladas por Descartes, Nietzsche elabora sua crítica levando em considera o o conceito do corpo, n o como algo puramente sensível e fisiológico, mas, como um acontecimento originário da vida, uma afec o, um modo particular de percep o, capaz de perceber vida em seu próprio processo de constitui o. A partir da análise dos textos foi possível perceber que Nietzsche se contrap e ao modo como a tradi o filosófica moderna compreendia o corpo. Diferentemente da concep o cartesiana, sua reflex o parte da no o de Corpo como uma “grande raz o”, como uma afec o originária a partir da qual o homem vem a se constituir como um determinado eu.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.