oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
As Contribui es da Psicologia Cognitiva e a Atua o do Psicólogo no Contexto Escolar  [cached]
Correia M?nica F. B.,Lima Anna Paula Brito,Araújo Claudia Roberta de
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2001,
Abstract: Este artigo prop e uma discuss o acerca do papel do psicólogo no contexto escolar, a partir da análise das principais teorias que hoje permeiam o debate em educa o. Os psicólogos escolares têm, ao longo do seu tempo de inser o nesse contexto, centrado suas preocupa es principalmente nas dificuldades de aprendizagem dos alunos, numa atua o individualizada e setorizada. Contudo, este papel necessita ser redimensionado, uma vez que aquele deveria ter forma o teórica que instrumentalizasse a sua participa o ativa nas discuss es acerca do processo ensino-aprendizagem, atuando na "situa o didática" - com alunos, com professores; enfim, com toda a comunidade escolar, dentro de um tempo historicamente determinado.
A gest o escolar: um campo minado... Análise das propostas de 11 municípios brasileiros
Krawczyk Nora
Educa??o & Sociedade , 1999,
Abstract: A tendência atual das reformas educacionais, em curso nas últimas décadas, em vários países do mundo, inclusive no Brasil, tem na gest o da educa o e da escola um de seus pilares de transforma o. A posi o hegem nica nessas reformas defende o início de uma mudan a radical na maneira de pensar e implementar a gest o dos sistemas educativos concentrada, principalmente, na institui o escolar e sua autonomia. Nesse sentido, uma das principais políticas educacionais no Brasil é a descentraliza o educativa e a descentraliza o escolar. Esta última promove a autogest o institucional. Pesquisas sobre as reformas educacionais feitas em vários países indicam uma tendência à fragmenta o do sistema educativo das políticas de gest o em curso, sustentadas pelos conceitos de autonomia, descentraliza o, flexibilidade, individualiza o, poder local etc. Nesse sentido, a constru o de uma nova institucionaliza o democrática da escola n o se perfila como desafio ao novo modelo de gest o educacional hegem nico. Pelo contrário, o desafio desse novo modelo define-se como a constru o de uma nova governabilidade - entendida de forma instrumental e, portanto, como um conteúdo eminentemente normativo e pragmático (Fiori 1995) - no interior do sistema educativo e a contribui o da escola para a governabilidade de toda a sociedade. Este artigo prop e-se analisar as propostas de política educacional em gest o escolar dos governos de 11 municípios de diferentes regi es do país; e discutir a racionalidade dessas novas formas de organiza o e gest o. A análise das propostas de reforma da gest o escolar foi pautada pelo questionamento que fazem à democracia, ao centralismo, à qualidade do ensino e ao papel dos professores e dos outros atores educativos.
Atua o dos conselhos municipais de alimenta o escolar na gest o do programa nacional de alimenta o escolar  [cached]
Pipitone Maria Angélica Penatti,Ometto Ana Maria Holland,Silva Marina Vieira da,Sturion Gilma Lucazechi
Revista de Nutri??o , 2003,
Abstract: Este trabalho avaliou a atua o dos Conselhos Municipais de Alimenta o Escolar, criados para assessorar e fiscalizar o programa de alimenta o escolar. Analisando-se informa es obtidas entre setembro de 1997 e abril de 1998, em 1.378 municípios brasileiros, verificou-se que a atribui o principal dos Conselhos é a fiscaliza o da aplica o dos recursos destinados ao Programa Nacional de Alimenta o Escolar (76,90% dos municípios), seguida pelo acompanhamento do Programa nas escolas (63,45%), pela participa o na elabora o do cardápio (50,41%) e pela assessoria na programa o, execu o e avalia o do Programa (38,90%). O ajuste de modelos próbites multivariados identificou variáveis relevantes para a participa o dos Conselhos em diferentes atribui es e mostrou que a descentraliza o do gerenciamento do Programa aumentou a efetividade da atua o dos Conselhos. Contudo, o conjunto dos resultados evidencia a necessidade de uma atua o mais efetiva dos Conselhos Municipais de Alimenta o Escolar como espa o de participa o popular e de promo o do Programa Nacional de Alimenta o Escolar.
Forma o e atua o em psicologia escolar: análise das modalidades de comunica es nos congressos nacionais de psicologia escolar e educacional  [cached]
Marisa M. Brito da J. Neves,Sandra Francesca C. de Almeida,M?nica C. L. Chaperman,Beatriz de P. Batista
Psicologia: Ciência e Profiss?o , 2002, DOI: 10.1590/s1414-98932002000200002
Abstract: O presente estudo teve como objetivo caracterizar a evolu o das discuss es sobre a forma o e a atua o na área de Psicologia Escolar no Brasil. Foram analisados 102 trabalhos publicados nos Anais dos quatro Congressos Nacionais de Psicologia Escolar, promovidos pela ABRAPEE, entre os anos de 1991 e 1998. Os trabalhos foram agrupados em três categorias: Reflex es Teóricas, Relatos de Experiência e Relatos de Pesquisa. Os dados evidenciaram diversifica o na produ o do conhecimento na área de Psicologia Escolar; orienta o de experiências de estágio numa dire o mais preventiva e práticas profissionais que se referiram significativamente à atua o junto à comunidade escolar e aos professores. The following study aims to characterize the evolution of the discussions about the underground education and performance in the area of School Psychology in Brazil. There had been analized 102 works published in Annals of the four National Congresses of School Psychology, promoted for the ABRAPEE, between the years of 1991 and 1998. The works had been grouped in three categories: Theoretical reflections, Reports of Experience and Reports of Research. The data had evidenced a diversification in the production of knowledge in the area of School Psychology, that the period of training experiences are oriented in a more preventive route and that the professional practicals had mentioned themselves, significantly, to the performance with the school community and to the professors.
A atua o do psicólogo escolar: multirreferencialidade, implica o e escuta clínica  [cached]
Martins Jo?o Batista
Psicologia em Estudo , 2003,
Abstract: Este artigo discute a no o de clínica no contexto da psicologia escolar. Na medida em que nós sugerimos como metodologia de pesquisa e de interven o para o psicólogo escolar a observa o participante, entendemos que tal discuss o também se refere a quest es epistemológicas - uma vez que a produ o de conhecimento se dá na ordem da implica o, pois é constru o intersubjetiva. Além disso, considerando a complexidade do cotidiano escolar, apresentamos a abordagem multirreferencial e a escuta clínica como perspectivas para a compreens o dos fen menos que ali se desenrolam.
Um novo olhar sobre a produ o didática da EJA: as produ es do meio escolar  [cached]
Paulo Eduardo Dias de Mello
Revista Brasileira de Educa??o de Jovens e Adultos , 2013,
Abstract: O tema dos materiais didáticos que circulam no ambiente escolar, e servem como subsídio ou instrumento de apoio ao processo de ensino e aprendizagem, tem despertado o interesse de pesquisadores de várias áreas de estudos. No campo da EJA, os estudos produzidos têm-se dedicado, em especial, à análise dos materiais impressos e, com maior ênfase, ao livro didático, elaborados como produto de alguma a o ou programa de governo, ou movimentos sociais e organiza es da sociedade civil. S o escassos, no entanto, os estudos dedicados aos materiais didáticos produzidos diretamente por educadores e educandos da EJA no ambito das escolas. Para este trabalho, tomamos como referência o material didático disponível no Acervo EJA do MEC, produzidos no meio escolar, ou seja, elaborados por professores que atuam em sala de aula, nas redes públicas de ensino, entre a década de 1990 e início dos anos 2000. Nosso objetivo é caracterizar essa produ o didática e identificar a diversidade das práticas de produ o e formas de constru o de saberes no meio escolar.
A atua o de profissionais da educa o na inclus o escolar do aluno com deficiência intelectual  [cached]
Anaí Cristina da Luz Stelmachuk,Marcos José da Silveira Mazzotta
Revista Educa??o Especial , 2012, DOI: 10.5902/1984686x5245
Abstract: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X5245 A pesquisa investigou como professores regentes e supervisores escolares têm atuado em rela o aos alunos com deficiência intelectual, tendo em sala de aula um auxiliar. A fundamenta o teórica baseou-se em literatura especializada e pesquisa documental referente à legisla o brasileira e publica es oficiais sobre Educa o Especial. A pesquisa de campo seguiu a abordagem qualitativa, tendo como sujeitos 10 supervisores escolares e 16 professoras regentes de classes dos anos iniciais do Ensino Fundamental da Rede Pública Municipal de Uni o da Vitória - PR. Para a coleta de dados, os sujeitos responderam a questionários e 30% dos supervisores e 31,25% das professoras foram entrevistadas. As respostas foram categorizadas em: significado de inclus o escolar, conceito de deficiência intelectual e objetivo educacional em rela o ao aluno com deficiência intelectual, facilidades e dificuldades da inclus o desse aluno nas escolas e condi es de apoio à inclus o. Após análise dos dados constatou-se que: os auxiliares s o solicitados à Secretaria Municipal da Educa o pelas escolas; 88,46% dos sujeitos da pesquisa orientam os auxiliares. 69,23% sentem-se parcialmente preparados e 23,07% sentem-se preparados para tal fun o. Professoras consideram que seus alunos com deficiência intelectual apresentam maior necessidade de apoio na área acadêmica. Supervisores e professoras consideram que o apoio do auxiliar em sala de aula reflete positivamente no desenvolvimento acadêmico e social dos alunos, evidenciando ressalvas em rela o ao desenvolvimento da autonomia. Os sujeitos questionam o perfil e a forma o dos auxiliares e sugerem forma o continuada para estes e para si. Palavras-chave: Profissionais da Educa o; Inclus o Escolar; Deficiência Intelectual.
Psicologia escolar na educa o infantil: atua o e preven o em saúde mental  [cached]
Viviane Vieira,Janete Hansen,Mauro Luis Vieira
Barbarói , 2009,
Abstract: A psicologia no contexto escolar sofreu diversas modifica es durante sua história. Compreendida somente como ligada á psicometria, hoje a psicologia escolar vem ao encontro da política de preven o em saúde mental. O psicólogo necessita se inserir no contexto e tornar-se próximo tanto dos profissionais do local como das crian as e de suas famílias. Este artigo relata uma experiência de estágio em psicologia na educa o infantil em uma creche em Santa Catarina. Com esse relato objetiva-se enriquecer as práticas da psicologia escolar, especialmente na educa o infantil, e transmitir a experiência positiva vivenciada pelas estagiárias. Os focos de interven o foram diversos, envolvendo a adapta o dos bebês, a prontid o para a alfabetiza o e os grupos com crian as. Além das a es específicas, também é relatado como foi realizada a inser o no contexto e quais atividades faziam parte da rotina das estagiárias de psicologia. Durante o período do estágio foi possível perceber que a posi o do estagiário necessita ser rotineira, colocando-se à disposi o das necessidades da institui o e focada na preven o. As diversas interven es resultaram em melhoras no relacionamento da creche-família e contribuíram para explicitar o papel do psicólogo no contexto escolar, principalmente relacionado à preven o em saúde mental. Abstract Psychology in the school context has been under several changes during its history. Understood only as related to psychometrics, educational psychology today is in favor of the policy of prevention in mental health. The psychologist needs to insert within and become near both local professionals, and children, and their families. This article reports an internship in psychology at childhood education in a nursery in Santa Catarina. With this report aims to enrich the practice of school psychology, especially in early childhood education and forward positive experience experienced by the trainees. Focuses intervention were diverse, involving the adaptation of the babies, the readiness for literacy and groups with children. In addition to specific actions, the insertion in the context and what activities were parts of routine of interns in psychology was reported. During the period of probation was possible to understand that the position of the trainee needs to be routine by placing the provision of institution's needs and focused on prevention. The various interventions resulted in improvements in the relationship of family-care center and contributed to clarify the role of the psychologist in the school context, especially related to p
Inclus o escolar: carências e desafios da forma o e atua o profissional  [cached]
Ricardo Nogueira Terra,Claudia Gomes Gomes
Revista Educa??o Especial , 2013, DOI: 10.5902/1984686x5629
Abstract: Com base nas propostas que possibilitam o acesso e permanência de alunos com necessidades educacionais especiais (NEEs) no ensino regular, promulgadas pelas legisla es nacionais e internacionais, que discuss o das a es educacionais inclusivas, ganha foro, e também deflagra as carências e os desafios ao se considerar a implementa o de uma escola acolhedora a todos os alunos indistintamente. Assim, este estudo interessado nos impasses e desafios que cercam a quest o nas escolas de Alfenas/MG, lan ou como objetivo caracterizar o preparo profissional dos professores, no que se refere aos aspectos de forma o inicial e continuada, assim como o conhecimento dos aspectos legais e jurídicos que cercam as políticas públicas educacionais inclusivas. Este estudo contou com uma amostra de 60 professores, atuantes em duas escolas uma da rede municipal e outra da rede estadual de uma cidade da regi o do Sul de Minas Gerais/MG. Para a coleta de dados junto aos professores, foi utilizado como instrumento de pesquisa um questionário que foi analisado quantitativamente. P de-se considerar que de modo geral, os professores apresentam uma forma o acadêmica adequada quanto aos cursos de gradua o e pos-gradua o, 51,7% da amostra apontam ter realizado cursos específicos de forma o para a inclus o, no entanto, 84,5% da amostra consideram-se despreparados para esse processo, assim como em rela o ao conhecimento das legisla es, podê-se evidenciar que uma parcela significativa aponta n o conhecer as legisla es específicas que cercam a quest o. Assim, conclui-se que existe a necessidade de questionamentos tanto na qualidade e eficácia dos cursos de forma o inicial e continuada oferecida aos professores. Palavras-chaves: Forma o docente; Inclus o; Necessidades educacionais especiais.
O campo de atua o do professor com forma o em Licenciatura Plena em Ciências no Paraná = Professional opportunities for graduates in Science Initial Teacher Training in Paraná
Gelson Biscaia de Souza,Maria Aparecida Rodrigues,Neide Maria Michellan Kiouranis
Acta Scientiarum : Human and Social Sciences , 2006,
Abstract: Um ensino de Ciências de qualidade é reconhecidamente um dos quesitosprimordiais para o Brasil alcan ar maiores índices de desenvolvimento material e cultural. Nessa perspectiva, a Universidade Estadual de Maringá, Estado do Paraná, implantou, em 1992, o Curso de Licenciatura Plena em Ciências, pioneiro como licenciatura plena voltada para a forma o de professores especializados para trabalhar de 5a a 8a séries. Esse profissional atua, por direito, em Ciências e Matemática no Ensino Fundamental e em Metodologia do Ensino de Ciências no Ensino Médio. Entretanto, faz-se necessário verificar se, realmente, os egressos têm encontrado as devidas oportunidades para sua atua o. Analisou-se a situa o dos professores graduados pelo Curso frente aos concursos públicos e às sele es para contrato temporário realizados pelo Governo do Estado do Paraná. A análise indica que, nas circunstancias impostas nos processos de sele o, esses professores de Ciências ainda carecem da devida valoriza o para que possam, de fato, assumir seu papel indispensável na educa o brasileira. Teaching Science with quality is unquestionably one of the principalrequirements for attaining higher material and cultural development indices in Brazil. With this in mind, the State University of Maringá, State of Paraná, established in 1992 the Science Initial Teacher Training course, a pioneer course aiming to develop specialized teachers to work from the 5th to the 8th grades. These professionals act, by rights, in the disciplines of Science and Mathematics in Primary School and in Methodology of the Teaching of Science in Secondary School. However, it is necessary to verify if the graduates have really found proper work opportunities. Here, the situation of the aforementioned teachers competing in public selection exams (for temporary and permanent teaching posts) carried out by the Paraná State Government is analyzed. The analysis indicates that the rules of the selection processes do not give the Science teachers due credit in their indispensable role in Brazilian Education.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.