oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Esporos e toxinas de Clostridium botulinum dos tipos C e D em cacimbas no Vale do Araguaia, Goiás  [cached]
Souza Aires M.,Marques Dercino F.,D?bereiner Jürgen,Dutra Iveraldo S.
Pesquisa Veterinária Brasileira , 2006,
Abstract: Foram avaliadas a ocorrência e distribui o de esporos e toxinas de Clostridium botulinum tipos C e D em 300 cacimbas empregadas como bebedouro de bovinos em 130 propriedades rurais localizadas em 12 municípios do Vale do Araguaia, Estado de Goiás. A presen a de esporos foi determinada indiretamente pelo cultivo em meio de cultura, seguido da inocula o e neutraliza o em camundongo das amostras de sedimento do interior das cacimbas, e do solo superficial e fezes de bovinos, coletadas ao seu redor. A presen a de toxina foi avaliada diretamente pela inocula o em camundongo do sedimento filtrado das cacimbas, também seguida da neutraliza o em camundongo com antitoxinas C e D. A presen a de esporos de C. botulinum foi significativamente maior (p<0,05) nas fezes de bovinos (31%), quando comparadas com os resultados das amostras de solo superficial (19%) e dos sedimentos (10%). Foram detectadas toxinas botulínicas dos tipos C, D, ou classificadas como pertencentes ao complexo CD, em seis amostras (2%) das 300 cacimbas. Das 130 propriedades trabalhadas, em 122(93,85%) foram encontrados esporos ou toxinas de Clostridium botulinum em pelo menos uma das variáveis pesquisadas, enquanto somente 8(6,15%) n o apresentaram qualquer contamina o A idade e profundidade das cacimbas estiveram associadas com a freqüência de detec o de esporos e toxinas. Assim, quanto mais velhas e rasas, maior a freqüência do isolamento de esporos e toxinas. A contamina o das cacimbas do Vale do Araguaia goiano com esporos e toxinas do Clostridium botulinum tipos C e D demonstra o risco potencial permanente e crescente para a ocorrência da intoxica o botulínica de origem hídrica nos bovinos.
Candida albicans bucais de crian as com síndrome de Down: comportamento de tubos germinativos, exoenzimas e sensibilidade a toxinas"killer"  [PDF]
Ribeiro, Evandro Le?o et al.
Revista Odonto Ciência , 2007,
Abstract: Baseado na necessidade de melhor compreens o dos mecanismos de coloniza o e patogenicidade por leveduras de Candida provenientes da cavidade bucal de crian as com Síndrome de Down, o objetivo deste estudo de caso controle foi avaliar a capacidade de produ o de tubos germinativos e exoenzimas (aspartil proteinases e fosfolipases) por C. albicans bucais e o comportamento frente a toxinas “killer”. Foram empregadas 35 (87,5%) cepas de C. albicans bucais de crian as com Síndrome de Down e 10 (12,5%) de crian as sem síndrome. A produ o de tubos germinativos e a detec o de exoenzimas e sensibilidade a toxinas por isolados de Candida foram realizadas segundo as técnicas de Reynolds-Braude, Ruchel, Prince e Polonelli et al. respectivamente. O teste de Reynolds-Braude mostrou melhor capacidade indutora de forma o de tubos germinativos no grupo de crian as com Síndrome de Down. Em ambos grupos teste e controle houve a detec o de exoenzimas, entretanto cepas de C. albicans de crian as com altera o cromoss mica apresentaram-se mais aspartil proteolíticas e fosfolipidolítipas. Diferen as estatísticas foram significativas em rela o ambas capacidades biológicas anteriormente descritas (teste de Reynolds-Braude e atividade exoenzimática das cepas de Candida) (p < 0,05). Biotipagem por toxinas “killer” mostrou maior diversidade de biotipos em crian as com síndrome de Down. Conclui-se que as cepas de C. albicans oriundas da mucosa bucal de crian as com Síndrome de Down apresentaram in vitro uma maior predisposi o a coloniza o e a patogenicidade, além de uma melhor expressividade fenotípica em rela o às toxinas “killer”.
TOXINAS PARALISANTES EM MEXILH O Perna perna EM REAS DE CULTIVO DA COSTA SUL DO BRASIL: ESTUDO DE CASO  [cached]
M. A. SCHRAMM,M. S. TAMANAHA,L. H. BEIR??O,L. A. O. PROEN??A
Alimentos e Nutri??o , 2009,
Abstract: Santa Catarina respons vel por aproximadamente 93% da produ § £o de mexilh μes (Perna perna) e ostras (Crassostrea gigas) cultivados no pa -s. Embora possuam grande valor nutricional, eventualmente podem representar risco para a sa ode do consumidor quando contaminados por agentes t 3xicos, como por exemplo, toxinas produzidas por algas, ou ficotoxinas. Algumas ficotoxinas nocivas aos seres humanos t am como vetores os moluscos filtradores que podem acumular essas subst ¢ncias nos tecidos quando esp cies de microalgas produtoras de toxinas est £o presentes na gua. A saxitoxina, produzida por alguns dinoflagelados, provoca a S -ndrome do Envenenamento Paralisante pelo consumo de Moluscos, do ingl as, Paralytic Shellfish Poison - PSP, que um s rio problema para a aq icultura. Este estudo descreve a contamina § £o de mexilh μes Perna perna por ficotoxinas da PSP com origem na ocorr ancia da microalga Gymnodinium catenatum em guas marinhas do litoral norte de Santa Catarina nos meses de abril e maio de 2006. Foram coletadas 22 amostras de gua do mar e mexilh μes em 10 pontos do litoral abrangendo 175Km da costa do Estado. As an lises envolveram contagem de algas nocivas na gua por microscopia 3ptica e a quantifica § £o de ficotoxinas da PSP na carne de mexilh μes atrav s de bioensaios com camundongos e de cromatografia l -quida de alta efici ancia - HPLC. Os resultados comprovam a ocorr ancia, em baixas concentra § μes, destas ficotoxinas na carne de mexilh μes cultivados e mostram a necessidade da inclus £o desses contaminantes como par ¢metro para a certifica § £o da qualidade de moluscos bivalves destinados ao consumo humano.
Toxinas killer e produ o de enzimas por Candida albicans isoladas da mucosa bucal de pacientes com cancer
Oliveira Elida Elias de,Silva Soraya Cristina,Soares Ailton José,Attux Cecília
Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical , 1998,
Abstract: Infec es oportunistas da cavidade bucal s o primariamente causadas por fungos do gênero Candida e freqüentemente ocorrem em pacientes com cancer que est o sobtratamento quimioterápico e antibacteriano. De 44 amostras coletadas da mucosa oral de pacientes com cancer, observou-se o isolamento de 25 leveduras do gênero Candida em cultivo realizado em ágar Sabouraud-dextrose. Foram identificados Candida albicans em 24 (96%) isolados e C. krusei em 1 (4%). As características fenotípicas das amostras de Candida albicans mostraram que todos os isolados foram fortemente proteolíticos, capazes de produzir fosfolipases e possuíam os biotipos caracterizados como 811(95,8%) e 511 (4,2%) em rela o a susceptibilidade às toxinas killer.
Sensibilidade e especificidade do perímetro de dupla freqüência
Freitas Telma Gondim,Freitas Francisco Valter da Justa
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia , 2003,
Abstract: OBJETIVO: Avaliar a sensibilidade e especificidade do perímetro de dupla frequência (FDP) quando comparada ao perímetro Humphrey (padr o- ouro). MéTODOS: Quarenta e cinco pacientes glaucomatosos (90 olhos) e 31 pacientes (62 olhos) normais foram submetidos, por meio de estudo prospectivo, a perimetria de dupla freqüência (FDP programa N-30) e perimetria Humphrey (programa "all threshold"). Os olhos glaucomatosos foram classificados quanto ao dano glaucomatoso em dano leve (desvio médio < -6dB), dano moderado (desvio médio > -6dB e < -12dB) e dano avan ado (desvio médio > -12dB). Sensibilidade e especificidade foram calculadas. RESULTADOS: Cento e cinqüenta e dois olhos foram submetidos aos dois testes. A média de tempo para a realiza o do perímetro de dupla freqüência foi de 5,33 minutos ± D.P. e para o Humphrey de 16,53minutos ± D.P. A sensibilidade e especificidade encontrada para o perímetro de dupla freqüência quando n o foi levado em considera o o dano glaucomatoso foi de 92% e 71%. Quando os pacientes foram classificados quanto ao dano glaucomatoso, obteve-se sensibilidade e especificidade de 76% e74% para dano leve, 86% e 79% para dano moderado e 93% e 80% para dano avan ado. CONCLUS O: O perímetro de dupla freqüência apresentou alta sensibilidade e especificidade na detec o de defeitos perimétricos, especialmente em olhos com dano glaucomatoso avan ado.
Especificidade e sensibilidade de rastreamento para les es cutaneas pré-malignas e malignas  [cached]
Rocha Fernando Passos da,Menezes Ana M B,Almeida Junior Hiram Larangeira de,Tomasi Elaine
Revista de Saúde Pública , 2002,
Abstract: OBJETIVO: O melanoma tem incidência crescente, sendo que a prevalência dos tumores malignos epiteliais é alta, e o diagnóstico precoce contribui significativamente para a redu o da morbimortalidade dessas doen as. O objetivo da pesquisa é medir a prevalência das les es cutaneas pré-malignas e malignas e determinar a sensibilidade e a especificidade de um rastreamento para essas les es. MéTODOS: Foi realizado um estudo transversal de base populacional com escolha aleatória de 48 setores censitários da zona urbana de Pelotas, RS, Brasil. Um total de 2.112 domicílios foram visitados, sendo entrevistadas 1.292 pessoas de 50 anos de idade ou mais. O rastreamento possuía quest es específicas sobre o surgimento de les es de pele nos últimos seis meses e/ou a presen a de les es em áreas expostas. Os que responderam afirmativamente foram encaminhados ao exame médico. Também foi examinada uma subamostra daqueles que haviam respondido negativamente às quest es do rastreamento. RESULTADOS: A prevalência corrigida das les es cutaneas pré-malignas e malignas foi de 20,7%. A sensibilidade do rastreamento foi de 20,1%, a especificidade, de 86,9%, o valor preditivo positivo, de 29%, o valor preditivo negativo, de 80,4%, e acurácia, de 72,9%. Com diferentes pontos de corte, o valor máximo da sensibilidade atingiu 38,8%, e a especificidade n o se alterou significativamente. CONCLUS ES: O estudo demonstrou alta prevalência de les es cutaneas pré-malignas e malignas em adultos. O rastreamento para essas les es mostrou baixa sensibilidade e especificidade inferior ao desejado, independentemente dos pontos de corte.
Sensibilidade e especificidade de classifica o de sobrepeso em adolescentes, Rio de Janeiro  [cached]
Chiara Vera,Sichieri Rosely,Martins Patrícia D
Revista de Saúde Pública , 2003,
Abstract: OBJETIVO: Avaliar a prevalência, sensibilidade e especificidade em detectar adolescentes em risco de obesidade, baseada no índice de Massa Corporal (IMC). MéTODOS: Foram avaliados 502 adolescentes de 12 a 18 anos, participantes da pesquisa Nutri o e Saúde do Município do Rio de Janeiro, desenvolvida em 1996. As variáveis do estudo foram: peso, estatura, IMC e dobra subescapular, de acordo com sexo e idade. As classifica es para IMC foram comparadas com a classifica o pela dobra subescapular no percentil 90 (excesso de adiposidade) da popula o de adolescentes americanos. RESULTADOS: A prevalência de excesso de adiposidade foi mais elevada com a dobra subescapular (P<0,0001) comparada com as classifica es do IMC que apresentaram valores aproximados. A especificidade foi superior à sensibilidade com as duas propostas do IMC. O ponto de equilíbrio entre sensibilidade e especificidade foi próximo ao percentil 70 para meninas e meninos menores de 14 anos. Em meninos maiores de 15 anos, o ponto de corte aproximou-se do percentil 50 do IMC. CONCLUS O: Ambas classifica es do IMC foram mais adequadas para identificar adolescentes sem obesidade, n o sendo sensíveis para rastrear excesso de adiposidade.
Especificidade de Pyrenophora avenae aos tecidos da semente de Avena sativa e sua atividade enzimática
BOCCHESE CARLA A.C.,MARTINELLI JOSé A.,MATSUMURA AIDA T.S.,FEDERIZZI LUIZ C.
Fitopatologia Brasileira , 2001,
Abstract: Manchas nos gr os de aveia (Avena sativa) é limitante à sua comercializa o por tornar o produto escuro e n o permitir seu uso pela indústria alimentícia. A localiza o do micélio de Pyrenophora avenae nos gr os de aveia e sua atividade enzimática podem esclarecer a causa das manchas. O objetivo deste trabalho foi determinar a localiza o de P. avenae, na cariopse de aveia, avaliar a sua atividade enzimática e seu efeito sobre proteínas e lipídios dos gr os de aveia. A localiza o do micélio nos tecidos da cariopse foi determinada após hidrata o e cortes da mesma, seguido da análise dos tecidos sob lupa e microscópio. Para avalia o da atividade enzimática foram utilizados 18 isolados de P. avenae obtidos das principais regi es produtoras de aveia do Brasil, avaliando-os quanto às suas atividades amilolítica, proteolítica e lipolítica, sendo realizada por plaqueamento das estruturas vegetativas em meio sólido específico para as enzimas testadas. As determina es do percentual de proteínas e lipídios foram obtidas pelos métodos de Kjeldahl e Bligh & Dyer, respectivamente. O micélio de P. avenae é a principal causa da mancha nos gr os de aveia, localizando-se nos três tecidos do pericarpo. O fitopatógeno apresenta boa atividade enzimática para lipase e protease porém insignificante para a amilase. Os gr os de aveia manchados e sadios n o diferiram nos teores de proteínas e de lipídios. Esses teores foram mais elevados nos tecidos superficiais do pericarpo e aleurona independente da presen a ou n o de manchas, justificando o crescimento superficial de P. avenae sobre os gr os de aveia.
Toxins of cyanobacteria and microalgae: a challenge for aquatic ecotoxicology Toxinas de cianobactérias e microalgas marinhas: um desafio para a ecotoxicologia aquática  [cached]
Manildo Marci?o de Oliveira,Moacelio Veranio Silva Filho,Jayme da Cunha Bastos,Maria Helena Campos Baeta Neves
Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego , 2011,
Abstract: The purpose of this review is to draw attention to the growing number of secondary metabolites produced by microorganisms in aquatic environments, specially cyanobacteria and marine microalgae. The first group is a producer of major hepatotoxins, neurotoxins and dermatotoxins. Cyanobacteria are responsible for most poisoning events in epicontinental aquatic environments. Eukaryotic microalgae, in marine environments such as diatoms and dinoflagellates, are great producers of a variety of phycotoxins. These syndromes are caused by consumption of contaminated mussels or ciguatera intoxication by consumption of fish (CFP). The current situation demands attention because many events occur and are not notified for important historical studies on seasonal flower blooms. Methodological issues and skilled labor also hinder more precise diagnosis of the blooms. The cooperation between different professionals with different backgrounds as taxonomists, chemists, biologists and environmental engineers is essential for ecotoxicological studies on the risk assessment of these blooms and suggest changes in environmental legislation. O objetivo desta revis o é de chamar a aten o para o crescente número de metabólitos secundários produzidos por microrganismos em ambientes aquáticos. Em especial pelas cianobactérias e pelas microalgas marinhas. O primeiro grupo é produtor de toxinas que têm por alvo o fígado, os nervos e a pele. As cianobactérias s o as maiores responsáveis por eventos de intoxica o em ambientes aquáticos epicontinentais. Em ambientes marinhos, microalgas eucariotas como as diatomáceas e principalmente os dinoflagelados s o produtores de ampla variedade de ficotoxinas. Ficotoxinas s o causadoras de síndromes após consumo de mexilh o contaminado ou intoxica o ciguatérica por consumo de peixe (CFP). O quadro atual sinaliza aten o, pois muitas flora es ocorrem sem notifica o, o que impede importantes estudos sobre a história de flora es sazonais. Aspectos metodológicos e de m o de obra qualificada também dificultam diagnósticos mais precisos sobre as flora es. A coopera o entre profissionais com distintas forma es como taxonomistas, químicos, biólogos e engenheiros ambientais é a base para estudos ecotoxicológicos que possam avaliar o risco destas flora es e sugerir adapta es na legisla o ambiental.
Sensibilidade e especificidade de critérios de classifica??o do índice de massa corporal em adolescentes
Farias Júnior,José Cazuza de; Konrad,Lisandra Maria; Rabacow,Fabiana Maluf; Grup,Susane; Araújo,Valbério Candido;
Revista de Saúde Pública , 2009, DOI: 10.1590/S0034-89102009000100007
Abstract: objective: to estimate the prevalence of overweight among adolescents using different body mass index (bmi) classification criteria, and to determine sensitivity and specificity values for these criteria. methods: weight, height, and tricipital and subscapular skinfolds in 934 adolescents (462 males and 472 females) aged 14-18 years (mean age 16.2; sd=1.0) of the city of florianópolis, southern brazil, in 2001. percent fat estimated based on skinfold measurements (e"25% in males and e"30% in females) was used as a gold-standard for determining specificity and sensitivity of bmi classification criteria among adolescents. results: the different cutoff points used for classifying bmi in general resulted in similar prevalence of overweight (p>0.05). sensitivity of the evaluated criteria was high for males (85.4% to 91.7%) and low for females (33.8 to 52.8%). specificity of all criteria was high for both sexes (83.6% to 98.8%). conclusions: estimates of prevalence of obesity among adolescents using different bmi classification criteria were similar and highly specific for both sexes, but sensitivity for females was low.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.