oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Método bootstrap aplicados em níveis de reamostragem na estima o de parametros genéticos populacionais  [cached]
Carlini-Garcia Luciana Aparecida,Vencovsky Roland,Coelho Alexandre Siqueira Guedes
Scientia Agricola , 2001,
Abstract: Marcadores isoenzimáticos ou moleculares têm sido empregados em estudos da estrutura genética e do sistema reprodutivo de popula es naturais. Parametros genéticos populacionais de interesse s o estimados, porém, há pouca informa o sobre o erro associado a essas estimativas em fun o dos diferentes níveis de amostragem. Neste trabalho, o método de reamostragem bootstrap foi aplicado sobre locos, indivíduos, popula es e indivíduos e popula es concomitantemente, em dados de popula es naturais. Para os parametros índice de fixa o total (F ), índice de fixa o intrapopulacional ( f ), diversidade entre popula es (teta) e taxa aparente de cruzamento (t a) foram obtidos, em fun o das fontes de reamostragem, os erros associados às estimativas desses parametros, a distribui o de empírica dessas estimativas e intervalos de confian a para tais parametros. Geralmente, os menores erros est o associados a , e verificou-se que apenas as distribui es empíricas de e tendem à normalidade quando indivíduos est o envolvidos na reamostragem. Foram feitas reamostragens com tamanho variável de amostras bootstrap, visando obter o número necessário de locos, indivíduos e popula es para atingir um dado nível de precis o na estima o de F, f e teta. Em geral, os tamanhos amostrais utilizados nas pesquisas com popula es naturais foram suficientes apenas para estimar teta, com a precis o estabelecida. A fonte de varia o de locos foi responsável pelos maiores erros associados a e , sendo recomendável aumentar o número de locos em pesquisas dessa natureza. A amostragem de popula es também deverá merecer aten o no planejamento de pesquisas futuras.
Medidas de intensidade luminosa: polariza o  [cached]
Costa Eden V.
Revista Brasileira de Ensino de Física , 2002,
Abstract: Neste artigo vamos determinar os estados de polariza o da luz por meio de medidas da intensidade luminosa. O aparato experimental utilizado é simples, possível de ser realizado em laboratório didático. Os resultados mostram ser viável a utiliza o deste experimento nos cursos de óptica básica, na demonstra o experimental de alguns tópicos vistos teoricamente em classe e no aprofundamento dos conceitos de polariza o
As medidas protetivas na perspectiva de famílias em situa o de violência sexual  [PDF]
Santos, Viviane Amaral dos,Costa, Liana Fortunato,Silva, Aline Xavier da
Psico , 2011,
Abstract: Este texto apresenta os resultados de uma pesquisa realizada com cinco famílias que vivenciaram situa o de violência sexual contra crian as e adolescentes, decorrido um ano ou mais de terem recebido aplica o de medidas protetivas provenientes do Estatuto da Crian a e do Adolescente. O instrumento utilizado foi uma entrevista semiestruturada com seis mulheres, familiares das vítimas. Os resultados revelaram que decorrido um ano da aplica o das medidas protetivas, quatro das cinco famílias ainda n o haviam recebido qualquer interven o e uma delas vinha sendo exposta a repetidas avalia es por várias institui es da rede de prote o. As famílias expressaram sofrimento emocional pela falta de apoio, desconhecimento e aliena o em rela o ao processo, e decep o em rela o às institui es legais e de atendimento. Também evidenciaram que sua expectativa em rela o ao sistema de prote o envolve a forma o de vínculo que possibilite o devido acolhimento de sua dor e a sua express o como sujeitos aut nomos.
Normatiza o de medidas acústicas da voz normal
Araújo Simone Adad,Grellet Marcos,Pereira José Carlos,Rosa Marcelo Oliveira
Revista Brasileira de Otorrinolaringologia , 2002,
Abstract: Introdu o: A análise acústica da voz com o avan o da tecnologia digital surge como um exame complementar promissor para aumentar a precis o diagnóstica em laringologia. Objetivo: Normatiza o das medidas acústicas de freqüência fundamental, perturba o e ruído na voz normal de brasileiros dos sexos masculino e feminino. Forma de estudo: Clínico prospectivo. Material e Método: Pesquisa no período de mar o a agosto de 1997, no Ambulatório de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeir o Preto da Universidade de S o Paulo, com 80 voluntários da cidade de Ribeir o Preto e regi o, sendo 40 do sexo masculino e 40 do feminino, selecionados por meio de triagem, foram realizadas grava es digitais dos fonemas /a/, /e/ e /i/, originando uma amostra de 240 sinais acústicos submetidos ao Programa de Análise Acústica da Voz, desenvolvido na Escola de Engenharia de S o Carlos da Universidade de S o Paulo com obten o das medidas acústicas. Resultados: Foram obtidos valores médios em rela o a sexo e fonemas das medidas de: Freqüência fundamental, Jitter (Directional Perturbation Factor, Perturbation Variation Index, Jitter Ratio, Jitter Factor, Period Perturbation Quotient), Shimmer (Directional Perturbation Factor, Amplitude Variation Index, Amplitude Perturbation Quotient), Spectral Noise Level, Harmonic-to-noise ratio, Harmonic-to-noise ratio cepstrum, Normalized Noise Energy e Breathiness ratio. Conclus o: A normatiza o das medidas acústicas é necessária para conhecer melhor a voz normal. Os valores obtidos s o compatíveis em sua grande maioria com à literatura existente.
Aleatoriza o e composi o de medidas de preferência
Sant'Anna Annibal Parracho
Pesquisa Operacional , 2002,
Abstract: Modelos para a forma o das preferências combinando preferências estabelecidas através da ordena o das op es possíveis segundo fatores isolados s o aqui desenvolvidos. é, também, proposta uma sistemática de aleatoriza o dos postos para permitir o cálculo da probabilidade de cada op o ocupar o primeiro posto. Aplicando esta sistemática a apostas em corridas de cavalos, verifica-se que a medida da preferência pela chance relativa de a op o ocupar o primeiro posto segundo um critério qualquer, ou segundo uma combina o dos critérios, é mais correlacionada com a medida de preferência dada pela distribui o final das apostas que a medida dada diretamente pelo vetor de postos. A transforma o dos postos em chances relativas permite detectar a alta correla o com as apostas de uma medida de preferência agregada que envolve a proje o sobre uma op o selecionada como a de maior preferência segundo critério dominante.
Fatores contextuais na emergência do comportamento de cuidado entre crian as  [cached]
Carvalho Alysson Massote
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2000,
Abstract: A partir de um referencial etológico, este estudo teve como objetivo investigar uma modalidade de comportamento pró-social, o comportamento de cuidado, entre crian as em diferentes ambientes institucionais. Foram sujeitos 30 crian as, provenientes de três institui es, distribuídas igualmente quanto ao sexo e na faixa etária de dois anos. Essas crian as foram acompanhadas por dois anos através de sess es observacionais com registro em vídeo, utilizando-se a técnica de observa o do sujeito focal. Para a análise estatística foram utilizadas as técnicas CHAID (Detetor Automático de Intera o Baseado em Qui-Quadrado) e ANOVA para medidas repetidas. Os resultados evidenciam a influência do contexto sócio-afetivo e dos arranjos ambientais sobre as varia es do comportamento de cuidado entre as crian as. O tipo de estrutura o das atividades assim como o nível de fatores de risco constituem elementos da organiza o ambiental que repercutem diretamente na freqüência e varia es desse comportamento, indicando sua dependência dos fatores contextuais do ambiente.
Medidas de ades o entre agregado e ligante asfáltico
Kamilla Lima Vasconcelos,Amit Bhasin,Dallas N. Little,Jorge Barbosa Soares
Transportes , 2009,
Abstract: A ades o entre agregado e ligante asfáltico vem sendo apontada como uma propriedade de grande importancia para a causa de defeitos encontrados em pavimentos asfálticos, tais como trincas por fadiga, e dano por umidade. Diferentes mecanismos existem na literatura para explicar a ades o entre os dois materiais, porém, estes mecanismos podem ser resumidos em três grandes grupos: inter- travamento mecanico, ades o física, e intera o química. A ocorrência de mais de um mecanismo simultaneamente parece ser o fen - meno mais provável, sendo a relevancia de cada um dependente das características físicas e químicas do agregado e do ligante asfálti- co. No presente trabalho, dois procedimentos foram utilizados para acessar a ades o entre agregado e ligante. O primeiro constou do cálculo do trabalho de ades o através da energia livre de superfície dos materiais envolvidos e o segundo, da determina o da entalpia de imers o quando solu es de asfalto s o postas em contato com o agregado. Todos os materiais usados foram provenientes da biblio- teca de referência do SHRP sendo um pedregulho como agregado, e três diferentes ligantes asfálticos. Os resultados mostraram a capa- cidade do microcalorímetro em detectar possíveis intera es químicas na ades o entre agregado e ligante asfáltico, em conjunto com ades o física. A presen a de grupos funcionais mais fortemente adsorvidos pela superfície dos agregados justificou os maiores valores de entalpia de imers o para as combina es onde esses grupos se encontravam presentes. Abstract Adhesion between the asphalt binder and the aggregate is critical to the performance and durability of asphalt mixtures. According to the literature, distresses mechanisms such as fatigue cracking and moisture induced damage are correlated to the nature and quality of adhesion between these two materials. Different mechanisms already exist to explain adhesion, but they can be summa- rized in three main groups: mechanical interlocking, physical adhesion and chemical interaction. Although discussions of isolated theo- ries and mechanisms help to clarify the understanding of adhesion, they can rarely be separated completely to each other. The physical and chemical characteristics of asphalt and aggregate will in fact determine the relevance of each of these mechanisms. This study presents the results of two procedures for adhesion measurement: (i) an indirect method based on the surface free energy components of asphalt binder and aggregate; and (ii) the determination of the enthalpy of immersion through the use of a microcalorimeter. The mater
Impacto da Gest o do Conhecimento no Desenvolvimento de Medidas Coletivas para Conserva o Auditiva
André Lage Meira,Jorge Tadeu de Ramos Neves
Revista Gest?o & Tecnologia , 2010,
Abstract: A mineradora Alfa, localizada em Minas Gerais, conta com aproximadamente 10.500 trabalhadores e desenvolve o Programa de Conserva o Auditiva (PCA) tendo como uma das suas atividades o desenvolvimento de Medidas de Controle Coletivo para redu o da exposi o dos trabalhadores ao ruído. Durante o desenvolvimento dessas a es, verificou-se que medidas coletivas implantadas em determinados equipamentos, processos e locais poderiam ser adotadas em situa es equivalentes, e que esse processo poderia ter resultados otimizados por meio de práticas e ferramentas de Gest o do Conhecimento (GC). A presente pesquisa teve como objetivo analisar a interferência da utiliza o de práticas e ferramentas de GC sobre a quantidade de medidas coletivas para conserva o auditiva. Foram utilizadas metodologias qualitativas e quantitativas para desenvolvimento da pesquisa. Os resultados apresentaram um crescimento de 1.270% da média semestral da quantidade de medidas coletivas adotadas para conserva o auditiva, concluindo-se que a utiliza o de práticas e ferramentas de GC proporcionou um impacto positivo estatisticamente significante na quantidade de medidas coletivas para conserva o auditiva na mineradora Alfa.
Impacto da Gest o do Conhecimento no Desenvolvimento de Medidas Coletivas para Conserva o Auditiva  [cached]
André Lage Meira,Jorge Tadeu de Ramos Neves
Revista Gest?o & Tecnologia , 2010,
Abstract: A mineradora Alfa, localizada em Minas Gerais, conta com aproximadamente 10.500 trabalhadores e desenvolve o Programa de Conserva o Auditiva (PCA) tendo como uma das suas atividades o desenvolvimento de Medidas de Controle Coletivo para redu o da exposi o dos trabalhadores ao ruído. Durante o desenvolvimento dessas a es, verificou-se que medidas coletivas implantadas em determinados equipamentos, processos e locais poderiam ser adotadas em situa es equivalentes, e que esse processo poderia ter resultados otimizados por meio de práticas e ferramentas de Gest o do Conhecimento (GC). A presente pesquisa teve como objetivo analisar a interferência da utiliza o de práticas e ferramentas de GC sobre a quantidade de medidas coletivas para conserva o auditiva. Foram utilizadas metodologias qualitativas e quantitativas para desenvolvimento da pesquisa. Os resultados apresentaram um crescimento de 1.270% da média semestral da quantidade de medidas coletivas adotadas para conserva o auditiva, concluindo-se que a utiliza o de práticas e ferramentas de GC proporcionou um impacto positivo estatisticamente significante na quantidade de medidas coletivas para conserva o auditiva na mineradora Alfa.
MEDIDAS DE SUPRESS O DE FATORES QUE RESTRINGEM A OPERA O FERROVIáRIA
Maria Cristina Fogliatti de Sinay,Antonio Ricardo Pereira de Jesus
Transportes , 2010,
Abstract: O presente trabalho procura fazer uma análise das medidas de supress o de fatores que restringem a opera o ferroviária. Em qualquer cenário político - econ mico, o gerenciamento dos transportes é pe a fundamental no desenvolvimento de uma na o, pois a eles competem o escoamento nacional da produ o de seu parque industrial, de sua agricultura e de seus insumos. Por sua vez, o setor de transportes ferroviários que, em termos históricos constitui-se em uma das melhores solu es para o transporte de volumes de cargas de forma econ mica a grandes e medias distancias, tem sofrido nos últimos anos os efeitos negativos do desbalanceamento na distribui o modal, além da gradual redu o de investimentos no sistema como um todo.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.