oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Causalidade, propriedade diferencial e constru o de domínios nocionais
Leticia Marcondes Rezende
Alfa : Revista de Linguística , 2003,
Abstract: Este texto apresenta um recorte de um estudo mais amplo que teve como preocupa o inicial a rela o entre nominaliza o e transitividade em língua portuguesa. Tendo como suporte teórico a Teoria das Opera es Enunciativas de A. Culioli (1990, 1999a, 1999b), caminhamos de uma análise estática e descritiva de língua, na qual essas quest es têm visibilidade, para um estudo que levasse em considera o a articula o entre linguagem e línguas naturais. Esse segundo enfoque diluiu a especificidade dessas duas quest es gramaticais e as direcionou para espa os de reflex o mais abstratos e comuns a qualquer problema gramatical tais como causalidade, propriedade diferencial e constru o de domínios nocionais.
O corpo como sintoma da cultura  [cached]
Lúcia Santaella
Comunica??o, Mídia e Consumo , 2004,
Abstract: Este artigo busca refletir sobre a contemporanea onipresen a do corpo em todas as esferas da cultura. Para alguns autores, o corpo virou uma verdadeira obsess o. Está perturbadoramente em todas as partes. Indo além da mera constata o, o argumento que desenvolvo neste artigo é o de que o corpo está obsessivamente onipresente porque se tornou um dos sintomas da cultura do nosso tempo. Diferentemente dos sintomas histéricos do século XIX, que se davam no corpo, que marcavam o corpo, gradativamente esses sintomas foram crescendo até tomar o corpo ele mesmo como sintoma da cultura. Como o conceito de sintoma exige, o tratamento teórico da discuss o que aqui se desenvolverá está baseado na psicanálise, especialmente de Freud e Lacan. Abstrat: This paper discusses the contemporary omnipresence of the body in every cultural sphere. For some authors, the body has become a real obsession. It is disturbingly everywhere. Going beyond the mere recognition of the problem, this article argues that the body is obsessively present because it has become a symptom of our cultural era. Different from the nineteenth century hysterical symptoms that occurred in the body, that marked the body, gradually these symptoms grew to the extent of turning the body itself into a symptom of the culture. As the concept of symptom demands, the theoretical treatment of this discussion is based on psychoanalysis, especially on Freudian and Lacanian discourses. Palavras-chave: Cultura, sintoma, corpo, psicanálise, real, imaginário, simbólico. Key-words: Culture, symptom, body, psychoanalysis, the real, the imaginary, the symbolic.
A causalidade: análise de enunciados produzidos em uma reuni o de imobiliária
Almiro Dottori Filho,Sumiko Nishitani Ikeda
Linguagem em (Dis)curso , 2006,
Abstract: O objetivo deste trabalho é examinar a causalidade, as formas de sua express o, os diferentes significados de ‘porque’ e suas fun es discursivas, em turnos conversacionais de uma reuni o de uma imobiliária. A pesquisa apontou para os seguintes resultados: (a) muitas ora es introduzidas por ‘conjun o subordinativa’ n o s o realmente subordinadas; por outro lado, a rela o causa-efeito nem sempre é sinalizada por meios tradicionais e, além disso, podendo ocorrer implicitamente, caso em que o ouvinte precisa deduzir a conex o através do contexto; (b) existem três tipos de causalidade: de conteúdo, epistêmica e de ato de fala; e (c) a constru o causal envolve outras fun es discursivas: dentro da perspectiva dialógica da linguagem, ela emerge em geral depois de rela es retóricas de contraste e nega o ou, mais genericamente, depois de proposi es que v o contra as expectativas partilhadas. Baseamo-nos especialmente em Jordan (1998), Sweetser (1990) e Ford (1994; 2000), que estudaram as essas quest es no inglês, para compará-las na língua portuguesa.
A quest o da relevancia nos estudos dos movimentos sociais The question of relevance in social movement studies La question de l’impact dans les études des mouvements sociaux  [cached]
Dick Flacks
Revista Crítica de Ciências Sociais , 2012, DOI: 10.4000/rccs.980
Abstract: A colabora o entre Charles Tilly, Sidney Tarrow e Doug McAdam traduziu-se num quadro conceptual que hoje domina os estudos dos movimentos sociais. O trabalho destes autores teve a utilidade de dirigir a aten o para as determina es estruturais das ac es de protesto, ao acentuar as oportunidades externas, as amea as e os constrangimentos que explicam a emergência e evolu o dos movimentos. Sucede, no entanto, que os estudos dos movimentos sociais se foram tornando cada vez mais “académicos”, apontando sobretudo para o apuramento dos conceitos e o testar das hipóteses. Nesse sentido, o trabalho realizado nesta área n o só tem perdido relevancia social como tem vindo a descurar quest es intelectuais que s o fundamentais. Entre estas contam-se os esfor os no sentido de compreender as origens do poder dos movimentos e da motiva o dos activistas. Uma forma de restaurar aquilo que é relevante e substancial será fazer com que os académicos vocacionados para a quest o dos movimentos retomem o diálogo com os activistas desses mesmos movimentos. The collaboration between Charles Tilly, Sidney Tarrow, and Doug McAdam has resulted in a conceptual scheme that now defines the main thrust of social movement studies. Their work has been useful insofar as it directed attention to the structural determinants of protest actions, by stressing the external opportunities, threats, and constraints that explain the emergence and development of movements. However, social movement studies have become increasingly “academic”, aiming especially at the refining of concepts and the testing of hypotheses. In this sense, work in this field has not only lost social relevance, but has also been neglecting fundamental intellectual questions, which include the sources of the power of movements and the motivations of activists. One way of recovering what is relevant and substantial is for scholars in the field to re-establish the dialogue with movement activists. La collaboration entre Tilly, Sidney Tarrow et Doug McAdam a débouché sur un cadre conceptuel qui domine aujourd’hui les études des mouvements sociaux. Le travail de ces auteurs a eu l’utilité d’attirer l’attention sur les déterminations structurales des actions de contestation, en accentuant les opportunités externes, les menaces et les contraintes qui expliquent l’émergence et l’évolution des mouvements. Il se trouve, cependant, que les études des mouvements sociaux sont devenues de plus en plus académiques , se vouant surtout à examiner les concepts et à tester les hypothèses. Dans ce sens, le travail réalisé dans ce domain
Leitura e diagnóstico do sintoma organico  [cached]
Eisenbruch Renata Volich
Psicologia USP , 2000,
Abstract: A psicanálise sublinha a subjetividade do corpo, dos afetos que o habitam, particularmente a angústia. Angústia enquanto afeto que participa das flutua es do nosso corpo. Afeto que mobiliza o corpo. O diagnóstico de certas patologias organicas n o se faz pelo scanner mas pelo discurso. Referir-se à linguagem ao tratar da psicopatologia e do tratamento psicanalítico é essencial pois o sintoma n o é indiferente ao discurso, o sintoma pode ser abordado pelo discurso. Se escolhermos falar do corpo que é atingido pela patologia organica nos reportamos ao fato que o corpo vivente n o existe sem as incidências do inconsciente sobre ele. Isso nos conduz n o somente às coordenadas do gozo do corpo mas também do desejo inconsciente enquanto vetor que parte do Outro materno e pode irromper no real do corpo da crian a. A patologia da crian a nos permite verificar o que está em quest o no infantil. O sintoma é também o elemento que para cada ser, na sua singularidade, se subtrai da homeostase que o simbólico pode oferecer. O mistério da doen a organica indica que o modelo resultante da estatística, como demonstram manuais de diagnóstico, é um certo resultado de cálculos do qual os indivíduos que encontramos numa clínica psicanalitica se afastam. é nisso que consiste sua subjetividade. A infelicidade estatística de cada patologia nunca fornece a soma das tragédias individuais.
A causalidade em Pedro da Fonseca  [PDF]
Martins, António Manuel
Veritas , 2009,
Abstract: Neste pequeno artigo pretendemos fazer uma primeira apresenta o sumária da reflex o de Fonseca sobre as causas nos seus Comentários à Metafísica de Aristóteles. Come aremos pelo mapa das quest es em torno da causalidade (I) para analisarmos, em seguida, a posi o de Fonseca sobre a própria no o de causa (II), a rela o entre princípio e causa (III) e a sua defesa do esquema causal quadripartido, a partir do texto de Aristóteles (IV). In this paper we intend to present briefly the way Fonseca deals with the doctrine of causation in his Commentaries on the Metaphysics of Aristotle. We shall begin with the presentation of the map of the disputations on causation in that work (I), then will refer to the position of Fonseca on the definition of cause (II), the relation between cause and principle (III) and, finally, his defense of the Aristotelian four causes (IV).
Quest es metodológicas da pesquisa no campo da saúde
Collet Neusa,Rozendo Célia Alves
Revista Latino-Americana de Enfermagem , 2001,
Abstract: Este trabalho tem por objetivo apresentar reflex o sobre o método de pesquisa no campo da saúde. Algumas quest es que envolvem o emprego do método das ciências naturais e o método das ciências sociais s o apresentadas, buscando compreender alguns problemas metodológicos de um e de outro. Problemas relacionados às quest es metodológicas na elabora o de um projeto de investiga o s o pontuados: diferencia o da natureza do objeto de investiga o; contexto em que determinado problema é identificado; tipo de pergunta ao problematizá-lo; procedimentos técnicos, teoria e esquema interpretativo; dicotomia sujeito/objeto do conhecimento; neutralidade do pesquisador; conceito de causalidade.
Les Ma?tres Fous, de Jean Rouch: quest?es epistemológicas da rela??o entre cinema documental e produ??o de conhecimento
Menezes, Paulo;
Revista Brasileira de Ciências Sociais , 2007, DOI: 10.1590/S0102-69092007000100007
Abstract: this paper analyses the icon of the documental cinema les ma?tres fous, by jean rouch, from the theoretical questioning discussed by foucault in what is an author, having as reference the typology of analysis of documentaries proposed by bill nichols. we aim at understanding the film primarily as a discourse on the world and not as a film of jean rouch. this forces the scholar to take some epistemological deviation, which consists in not performing the analysis based on its evident information, the "description" of a ritual, but by the search of the fundamental concepts of the filmic narrative, dialectical unity of form and content. the paper proposes an analysis in which the film emerges as the least one of a conservative tradition, whose repercussions were decisive for the essential filmic and epistemological rupture towards the rich and meaningful unfoldings the works of rouch unveiled afterwards.
A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa quest o  [cached]
Charlot Bernard
Sociologias , 2002,
Abstract: A violência na escola é um fen meno social. Para tornar-se objeto de pesquisa, esse fen meno deve ser definido pelo pesquisador. Ademais, uma boa parte do esfor o de pesquisa consiste em definir do que se fala. Este artigo analisa a maneira como os sociólogos franceses abordam a quest o da violência e as distin es conceituais que eles prop em: a violência na escola, à escola e da escola; a violência, a agress o, a agressividade; a violência, a transgress o, a incivilidade, etc. Por baixo da violência como sintoma, é necessário estudar a tens o engendrada, ao mesmo tempo, pelas rela es sociais e pelas práticas quotidianas da escola.
Os problemas epistemológicos da realidade, da compreensibilidade e da causalidade na teoria quantica
Bastos Filho Jenner Barretto
Revista Brasileira de Ensino de Física , 2003,
Abstract: No presente trabalho apresentamos uma discuss o epistemológica sobre os problemas da Realidade, da Compreensibilidade e da Causalidade no contexto de algumas das quest es suscitadas pela teoria quantica, discuss o essa que se reflete também num combate à concep o positivista de ciência. Argumentamos em prol de uma maior aproxima o entre a epistemologia complexa de Bachelard, a filosofia popperiana do racionalismo crítico e a concep o lakatosiana de programas científicos de pesquisa. Argumentamos, outrossim, em prol de ambas: da necessidade de se levar mais a sério a complexidade do diálogo teoria/experimento e da cautela redobrada em rela o à idéia de 'experimentos cruciais' notadamente quando esses s o lidos tanto na ótica do positivismo quanto na do realismo ingênuo.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.