oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Produ o de forragem e valor nutritivo de espécies forrageiras sob condi es de pastejo, em solo de várzea baixa do Rio Guamá
Abreu Eliana Maria Acioli de,Fernandes Antonio Rodrigues,Martins Ana Regina Araújo,Rodrigues Tarcisio Ewerton
Acta Amazonica , 2006,
Abstract: Este estudo teve os objetivos avaliar a produ o de forragem, o valor nutritivo através de proteína bruta e da composi o de macro e micronutrientes na canarana de Paramaribo (Echinochloa polystachya H.B.K) e na canarana erecta lisa (Echinochloa pyramidalis Lam), introduzidas em áreas inundáveis de várzea baixa do rio Guamá, Campus da Universidade Federal Rural da Amaz nia, em Belém (PA). As forrageiras haviam sido formadas há três anos e mantidas sob pastejo rotativo, antes e durante o experimento. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente ao acaso, em um esquema fatorial 2x4 (duas espécies e quatro períodos), com seis repeti es. As amostras de forragem foram cortadas a 10 cm do solo e utilizou-se uma área de 0,25 m2 como unidade amostral. As épocas de coleta foram: maio (época1), agosto (época2) e novembro/2002 (época3) e fevereiro/2003 (época4). As características analisadas foram: massa fresca, massa seca, teores de nitrogênio, proteína bruta, fósforo, potássio, sódio, cálcio, magnésio, enxofre, ferro, manganês, zinco, cobre e boro. A disponibilidade de forragem diminuiu com o tempo de uso da pastagem. Os teores médios de proteína bruta, N, P, K e Na, Fe, Zn e Cu foram maiores nas épocas mais chuvosas, enquanto que os teores de Ca, Mg, S, Mn e B foram mais elevados nas épocas menos chuvosas. A canarana erecta lisa apresentou menor decréscimo de matéria seca durante os períodos estudados e maior valor nutritivo, no entanto, a canarana de Paramaribo foi a mais produtiva. No entanto, as duas espécies forrageiras apresentaram uma redu o expressiva da produ o, sugerindo que o tempo de pastejo de 12 dias e/ou o retorno a cada 40 dias constituíram um manejo inadequado.
Height of grazing of oats and rye grass crops and physical quality of an Oxisol under farming-livestock integration / Altura de pastejo de aveia e azevém e qualidade física de um Latossolo Vermelho distroférrico sob integra o lavoura-pecuária  [cached]
Leonardo Pim Petean,Cássio Antonio Tormena,Jonez Fidalski,Sérgio José Alves
Semina : Ciências Agrárias , 2009,
Abstract: The intensity of animal trampling during forage-plant grazing can promote deleterious modifications in the physical quality of soils in farming-livestock integrated systems. The objective of this study was to evaluate the influence of height of grazing of oats and rye grass crops on the physical quality of the soil under farming-livestock integrated systems. The experiment was carried in 2002 in the county of Campo Mour o, Paraná State, Brazil in an Oxisol (Typic Paleudult), with very clayey texture, with the direct sowing of soy bean in the summer and of oats and rye grass crops in the winter. The treatments of grazing of oats and rye grass crops were maintained to 7, 14, 21 and 28cm, compared to a control treatment without grazing. In November of 2005, undisturbed soil samples were collected in the layers of 0-7.5 and 7.5-15cm of depth. Ten indicators of physical quality of the soil were evaluated. To maintain the physical quality of a very clayey Oxisol, in the depth of 0-15 cm, under grazing of oats and rye grass crops in the winter, the grazing height should be maintained to 21cm. A intensidade do pisoteio dos animais durante o pastejo das forrageiras pode comprometer a qualidade física do solo no sistema de integra o lavoura-pecuária. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência da altura de pastejo de aveia e azevém na qualidade física do solo sob integra o lavoura-pecuária. O experimento foi implantado em 2002, no município de Campo Mour o (PR), em um Latossolo Vermelho distroférrico textura muito argilosa, com a semeadura direta de soja no ver o e de aveia e azevém no inverno. Foram avaliados os tratamentos de alturas de pastejo de aveia e azevém mantidos a 7, 14, 21 e 28cm, comparados a um tratamento testemunha sem pastejo de aveia e azevém. Em novembro de 2005, foram coletadas amostras indeformadas de solo nas camadas de 0-7,5 e 7,5-15cm de profundidade. Determinaram-se 10 indicadores de qualidade física do solo. Para manter a qualidade física de um Latossolo Vermelho distroférrico textura muito argilosa, na profundidade de 0-15 cm, sob pastejo da aveia e azevém no inverno, a altura de pastejo deve ser mantida a 21cm.
Altura de capins e cobertura do solo sob aduba o nitrogenada, irriga o e pastejo nas esta es do ano = Grass height and soil cover under nitrogen fertilization, irrigation and grazing during the seasons of the year
Carlos Augusto Brasileiro de Alencar,Ant?nio Carlos Cóser,Carlos Eugênio Martins,Rubens Alves de Oliveira
Acta Scientiarum : Agronomy , 2010,
Abstract: Objetivou-se avaliar a altura de planta e a cobertura do solo de seis capins irrigados manejados por pastejo sob efeito de diferentes aduba es nitrogenadas e esta es do ano. O experimento foi conduzido em esquema de parcelas subdivididas, tendo nas parcelas um esquema fatorial 4 x 6 (doses de nitrogênio e forrageiras) e nas subparcelas as esta es do ano (outono/inverno e primavera/ver o) no delineamento em blocos casualizados, com quatro repeti es. As doses nitrogenadas foram de 100, 300, 500 e 700 kg ha-1 ano-1, e as forrageiras foram: Xaraés, Momba a, Tanzania, Pioneiro, Marandu e Estrela. A altura foi medida desde o solo até as extremidades das folhas e a cobertura estimada visualmente por três observadores. Observou-se efeito dos capins, aduba o nitrogenada e esta es do ano nas característicasavaliadas. Os capins Estrela e Tanzania proporcionaram maior e menor cobertura, respectivamente. Os capins Pioneiro e Marandu apresentaram maior e menor altura, respectivamente. As maiores temperaturas ocorridas nas esta es primavera/ver o proporcionaram maior altura de planta, porém n o afetaram a cobertura. O aumento da aduba o nitrogenada pouco influenciou as características avaliadas nas esta es outono/inverno: houve redu o da cobertura e aumento da altura do capim-Xaraés. Nas esta es primavera/ver o, houve redu o da cobertura e da altura do capim-Pioneiro e somente da altura do capim-Estrela. This study aimed to evaluate the soil cover and plant height of six irrigated grasses under different levels of nitrogen fertilization over the seasons of the year. The experiment was carried out in a split-plot design, with a 4 x 6 factorial scheme (nitrogen and grasses) in the sub-plots and the seasons (autumn/winter and spring/summer), in randomized blocks, with four repetitions. The nitrogen doses were 100, 300, 500 and 700 kg ha-1 year-1 and the grasses were: Xaraes, Momba a, Tanzania, Pioneiro, Marandu and Estrela. The height was measured from the soil to the extremities of the leaves, and the soil cover was visually estimated by three observers. Effects of the grasses, nitrogen and seasons of the year were observed on the two evaluated characteristics. The Estrela and Tanzania grasses provided the largest and smallest soil cover, respectively. Pioneiro and Marandu presented the highest and lowest height, respectively. The highest temperatures in the spring/summer season caused higher plant height, but they did not affect soil cover. The increase in nitrogen dosages had little influence on the appraised characteristics in the autumn/winter season: th
Varia o anual da composi o bromatológica de duas forrageiras cultivadas nas baixadas litoraneas do Estado do Rio de Janeiro, Brasil  [cached]
Lacerda Paulo Drude de,Malafaia Pedro,Vieira Ricardo Augusto Mendon?a,Henrique Douglas Sampaio
Ciência Rural , 2004,
Abstract: Análises de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN), lignina (LIG), fra es de carboidratos e de compostos nitrogenados foram realizadas em capins provenientes de três propriedades rurais da regi o das baixadas litoraneas do Estado do Rio de Janeiro. Amostras do capim hemártria (HEM) (Hemarthria altissima) e do capim elefante (Pennisetum purpureum), utilizado como capineira (CEC) e sob pastejo rotacionado (CEP) foram coletadas mensalmente, ao longo das esta es do ano agrícola de 1997 e 1998. Foram observados efeitos da esta o do ano sobre a forrageira e entre forrageiras dentro de uma esta o do ano. A quantidade de PB variou de 37,2g kg-1 de MS no CEC a 131,5g kg-1 de MS no CEP. O capim hemártria apresentou valores de PB que variaram de 69,8g kg-1 de MS no ver o à 99,7g kg-1 de MS no inverno. A quantidade de FDN variou de 702,9 até 811,6 g kg-1 de MS ao longo do ano; os valores mais baixos foram verificados no CEP. Os valores de lignina no CEC foram os maiores entre os capins (55,3 a 81,3g kg-1 de MS). A fra o de carboidratos n o estruturais variou de 20,9 a 85,5g kg-1 de MS. A quantidade de FDNcp variou de 673,6 até 794,5g kg-1 de MS. O capim hemártria teve os maiores valores da fra o B2 e os menores valores da fra o C de carboidratos durante todo o ano. Os valores da fra o C de carboidratos variaram de 126,2 a 135,3g kg-1 de MS para o CEP, 149,2 a 177,7g kg-1 de MS para o CEC e 84,0 a 107,8g kg-1 de MS para o capim hemártria. As fra es nitrogenadas A, B1, B2, B3 e C tiveram valores entre 9,8 e 36,4; 0,73 e 12,6; 11,1 e 44,1; 2,2 e 34,5 e 6,7 e 12,8g kg-1 de MS, respectivamente.
Produtividade do Panicum maximum cv. Momba a irrigado, sob pastejo rotacionado  [cached]
Müller Marcela dos Santos,Fancelli Antonio Luiz,Dourado-Neto Durval,García y García Axel
Scientia Agricola , 2002,
Abstract: O uso da irriga o em pastagens é uma realidade fundamentada na experiência empírica de produtores, devido à falta de bases científicas definidas sobre o assunto. O trabalho visou avaliar a produtividade do capim Momba a (Panicum maximum Jacq. cv. Momba a) manejado em pastejo rotacionado, sob sistema de irriga o e as principais variáveis climáticas responsáveis pelo acúmulo de massa de forragem. O experimento foi conduzido sob irriga o por aspers o tipo piv central, de julho a dezembro de 1998, em regi o de cerrado (Latossolo Vermelho-Amarelo) em S o Desidério, BA. Foi quantificada a massa de forragem da pastagem aos 30 dias de crescimento e antes do pastejo e desenvolvidos modelos matemáticos que relacionam a produ o de forragem a variáveis climáticas. A produ o e a taxa de acúmulo de matéria seca da pastagem, ao longo do período de inverno n o apresentaram diferen as significativas. Na primavera, houve tendência de aumento em ambas, com maiores produ es obtidas no período final de avalia o. As menores taxas de acúmulo durante a primavera foram observadas nos primeiros piquetes, coincidindo com a ocorrência de baixas temperaturas durante o período de descanso. Com a eleva o da temperatura mínima, a produ o forrageira entrou em fase de acúmulo crescente. A produ o de forragem, durante a primavera, foi superior à do inverno, apresentando incrementos em fun o da maior temperatura mínima do ar, do período de descanso e da área foliar inicial. As principais variáveis climáticas responsáveis pela produ o da forragem foram temperatura mínima do ar e disponibilidade de água no solo.
VALOR NUTRITIVO DE GRAMíNEAS FORRAGEIRAS TROPICAIS IRRIGADAS EM DIFERENTES éPOCAS DO ANO NUTRITIVE VALUE OF IRRIGATED TROPICAL FORAGE GRASSES in DIFFERENT SEASONS
Carlos Augusto Brasileiro de Alencar,Rubens Alves de Oliveira,Ant?nio Carlos Cóser,Carlos Eugênio Martins
Pesquisa Agropecuária Tropical , 2009, DOI: 10.5216/pat.v40i1.3994
Abstract: Objetivou-se avaliar a composi o bromatológica e a digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS), em seis capins manejados por pastejo, sob efeito de diferentes laminas de irriga o e esta es do ano. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, no esquema de parcelas subsubdivididas, com duas repeti es, tendo nas parcelas seis gramíneas (Xaraés, Momba a, Tanzania, Pioneiro, Marandu e Estrela), nas subparcelas seis laminas de irriga o (0%, 18%, 45%, 77%, 100% e 120% da referência) e nas subsubparcelas as esta es outono/inverno e primavera/ver o. Para diferenciar a aplica o das laminas de irriga o, utilizou-se o sistema por aspers o em linha. Foram avaliados os teores de proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e a DIVMS. Maiores teores de PB e DIVMS foram encontrados no outono/inverno e maiores teores de FDN na primavera/ver o. As laminas de irriga o influenciaram a DIVMS dos capins Xaraés, Momba a e Estrela e n o alteraram os teores de PB e FDN. O capim Pioneiro apresentou maiores e menores teores de PB e FDN, respectivamente. Os capins Xaraés e Estrela apresentaram maiores e menores DIVMS, respectivamente. PALAVRAS-CHAVE: Aspers o em linha; fibra em detergente neutro; proteína bruta. Bromatological composition and in vitro dry matter digestibility (IVDMD) of six forage grasses, under different irrigation depths and seasons, were evaluated. The experiment was carried out in a completely randomized arrangement, with two replications, in a split-split plot design. Six grass species (Xaraés, Momba a, Tanzania, Pioneiro, Marandu, and Estrela) constituted the plots, six irrigation depths (0%, 18%, 45%, 77%, 100%, and 120% of the reference) the split-plots, and two seasons (autumn/winter and spring/summer) the split-split-plots. In order to vary irrigation depths, a line source sprinkler system was used. Raw protein (RP), neutral detergent fiber (NDF), and IVDMD were evaluated. Higher RP and IVDMD levels were found in autumn/winter and higher NDF in spring/summer. Irrigation depths affected Xaraés, Momba a, and Estrela IVDMD, but did not affect their RP and NDF. Pioneiro presented higher RP and lower NDF, while Xaraés and Estrela presented higher and lower IVDMD, respectively.
Rendimento e nodula o de soja em diferentes rota es de espécies anuais de inverno sob plantio direto
FONTANELI RENATO SERENA,SANTOS HENRIQUE PEREIRA DOS,VOSS MARCIO,AMBROSI IVO
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: O presente estudo teve como objetivo comparar diferentes culturas antecessoras com o rendimento de gr os e com a nodula o de soja, no campo experimental da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, em Passo Fundo, RS. Os tratamentos consistiram em quatro sucess es com forrageiras anuais de inverno (aveia-branca, aveia-preta pastejada, aveia-preta + ervilhaca pastejada, e trigo), sendo a soja semeada após. As culturas, tanto no inverno como no ver o, foram estabelecidas sob sistema plantio direto. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com três repeti es, e parcelas totalizando 500 m2. Os resultados indicaram que na média dos anos n o houve diferen as significativas entre o tipo de cultura antecessora e o rendimento de gr os de soja. Após cinco anos de sistema plantio direto, observou-se nodula o abundante em soja, em todos os sistemas de produ o. A soja cultivada após aveia-branca, após aveia-preta pastejada, após aveia-preta + ervilhaca pastejada ou após trigo, pode ser incluída, sem prejuízo, nesses diferentes sistemas estudados.
Effect of grazing system and the grass species on the pasture infestation and on the nematode gastrointestinal parasitism in beef cattle Efeito de sistema de pastejo e de espécies forrageiras na contamina o da pastagem e no parasitismo por nematóides gastrintestinais em bovinos de corte  [cached]
Jo?o Batista Catto,Ivo Bianchin
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2007,
Abstract: During two years, the infestation of infecting larvae on grazing grass and the level of gastrointestinal nematodes in beef cattle, in the region of the Brazilian Cerrado, were monitored. In the first study, parasitological variables were investigated on pasture of Panicum maximum cv Momba a, under continuous or rotational grazing, with four (36 resting days and 12 occupation days) and ten paddocks (36 resting days and 4 occupation days). In the second study, these variables were evaluated with different forage species (Panicum maximum cv Momba a, Braquiaria brizantha cv Marandu and Cynodon spp). (Tifton 85), under rotational grazing on eight paddocks (28 resting days and 4 occupation days). In the first study, and only in the first year, the infestation of pasture with infecting larvae was lower (P<0.05) in the rotation system with ten divisions. For the remaining observations of both studies, there were no significant effects of grazing systems and grass species on the fecal egg count and the number of infecting larvae in the pasture. These results indicated that, in the conditions the studies were carried out, the pasture resting for 36 days was insufficient to decrease the EPF and the infestation of pasture. Durante dois anos, acompanhou-se a infesta o das pastagens por larvas infectantes e o nível de parasitismo por nematódeos gastrintestinais em bovinos de corte, na regi o do Cerrado. No primeiro estudo as variáveis parasitológicas foram acompanhadas em pastagens de Panicum maximum cv Momba a, submetidas ao pastejo continuo e ao rotacionado, com 4 (36 dias de descanso e 12 dias de ocupa o) e 10 piquetes (36 dias de descanso e 4 dias de ocupa o). No segundo estudo, essas variáveis foram avaliadas com diferentes espécies forrageiras (Panicum maximum cv Momba a, Braquiaria brizantha cv Marandu e Cynodon spp (Tifton 85), sob pastejo rotacionado em 8 piquetes (28 dias de descanso e 4 dias de ocupa o). No primeiro estudo, e apenas no primeiro ano, a infesta o da pastagem com larvas infectantes foi menor (P<0,05) no sistema rotacionado com 10 divis es. Nas demais observa es e situa es experimentais (primeiro e segundo estudo), n o foram observadas diferen as significativas entre os sistemas de pastejo e as espécies forrageiras. No Brasil o pastejo rotacionado vem sendo recomendado no controle integrado das nematodioses gastrintestinais de bovinos e ovinos, no entanto, o uso desta prática sem o conhecimento da epidemiologia da doen a, pode n o ter efeito ou mesmo agravar o problema
Varia o sazonal da bioquímica clínica de vacas aneloradas sob pastejo contínuo de Brachiaria decumbens
Morais M.G.,Rangel J.M.,Madureira J.S.,Silveira A.C.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2000,
Abstract: Em um esquema de parcela subdividida que incluía dois tratamentos (A= solo arenoso e B= solo argiloso) e 10 subtratamentos (10 épocas de amostragem) a bioquímica clínica de 20 vacas de corte, sob pastejo contínuo de B. decumbens, foi acompanhada durante 13 meses. Os constituintes sangüíneos estudados foram: glicose (GLI), hemoglobina (HB), bilirrubina (BIL), creatinina (CREA), albumina (ALB), aspartatoaminotransferase (AST), fosfatase alcalina (FAS) e creatinoquinase (CK). Foram obtidos valores médios de 98,0 e 110,2 mg/dl para GLI, 13,27 e13,38g/l para HB, 0,718 e 0,661mg/dl para BIL, 1,89 e 1,73mg/dl para CREA e 3,56 e 3,39g/dl para ALB nos tratamentos A e B, respectivamente. Vacas aneloradas apresentaram um perfil bioquímico clínico de animais aparentemente sadios, isto é, ausência de anemia, icterícia e disfun o renal. N o foi possível diagnosticar altera es hepáticas mas ocorreram les es musculares (CK) em algumas épocas, sem afetar clinicamente os animais. GLI, ALB, AST e FAS apresentaram mudan a sazonal com níveis mais altos na primavera-ver o e mais baixos no período de seca, no outono-inverno.
Composi o química e fracionamento do nitrogênio e dos carboidratos do capim- Tanzania irrigado sob três níveis de resíduo pós-pastejo  [cached]
Balsalobre Marco Antonio Alvares,Corsi Moacyr,Santos Patricia Menezes,Vieira Ivan
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: Amostras simulando o pastejo de capim-Tanzania (Panicum maximum Jacq.) irrigado sob três resíduos pós-pastejo (baixo, médio e alto) foram coletadas ao longo de um ano e analisadas para a determina o da composi o protéica e dos carboidratos, e das fra es protéicas e de carboidratos (CNCPS). O teor de NDT foi calculado. N o foi encontrada diferen a entre os tratamentos ao longo do ano. Os maiores teores de fibra em detergente neutro - FDN (68,3 a 64,5%) e fibra em detergente ácido - FDA (34,89 a 33,18%) ocorreram no período de primavera/ver o. A lignina apresentou maiores propor es no inverno (4,68 a 4,10%), o que provocou varia o na fra o C dos carboidratos (14,14 a 23,21% dos carboidratos totais). O NDT variou entre 55,26 e 59,31%. O teor de PB apresentou tendência de aumento ao longo do ano, variando de 11,29 a 14,61%. Os teores de nitrogênio n o-protéico (NnP) variaram entre 18,23 e 28,77%PB, sendo menor para os pastejos de primavera/ver o. O Nsol variou de 24,97 a 35,97 %PB. A fra o de nitrogênio aderido à FDN (nFDN) foi, em média, de 49,11%PB. Para o nitrogênio aderido à FDA (nFDA), a varia o foi de 6,48 e 11,94 %PB. A menor qualidade da planta foi entre julho a setembro, podendo estar relacionada à menor renova o de tecidos durante o período de inverno e ao acúmulo de perfilhos florescidos. A maior propor o do N encontra-se na parede celular (fra o B3) e foi, em média, de 40%PB, indicando que essa fra o deve ter prioridade de estudo no tocante à cinética de degrada o ruminal.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.