oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Características produtivas da melancia em diferentes espa amentos de plantio
Resende Geraldo M. de,Costa Nivaldo D.
Horticultura Brasileira , 2003,
Abstract: Diferentes espa amentos de plantio foram avaliados na produ o de melancia em experimento da Embrapa Semi-árido em Petrolina, de outubro a dezembro de 1998. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso em esquema fatorial 2 x 3, consistindo de dois espa amentos entre linhas (2,50 e 3,00 m) e três espa amentos entre plantas (0,40; 0,60 e 0,80 m) e 3 repeti es, sendo utilizada a cultivar Crimson Sweet. O espa amento entre linhas de 3,00 m apresentou maior produ o (42,46 t/ha), sendo que entre plantas os espa amentos de 0,60 e 0,80 m alcan aram as maiores produ es com 42,50 e 45,29 t/ha, respectivamente, n o mostrando diferen as entre si. N o foram verificadas diferen as significativas para produ o de frutos refugo nos espa amentos entre linhas. No entanto, o menor espa amento entre plantas proporcionou maior produ o com 20,21 t/ha, seguido pelos espa amentos de 0,60 m (12,86 t/ha) e 0,80 m (8,62 t/ha). O incremento dos espa amentos, tanto entre linhas como entre plantas, resultou em frutos de maior tamanho, tendo o espa amento 3,00 x 0,80 m apresentado a maior massa fresca do fruto (8,83 kg/fruto). O maior número de frutos por planta (1,35 frutos) foi obtido com o espa amento de 3,00 x 0,80 m.
Variabilidade genética em batata-doce com base em marcadores isoenzimáticos
Oliveira Antonio Carlos B. de,Sediyama Maria Aparecida N.,Sediyama Tocio,Finger Fernando Luiz
Horticultura Brasileira , 2002,
Abstract: A variabilidade genética de 55 clones de batata-doce, compreendendo cultivares comerciais e acessos obtidos de coletas, foi avaliada por meio de padr es isoenzimáticos, utilizando-se técnicas de análise multivariada. Cultivou-se uma planta por vaso, com 2 litros de capacidade, preenchido com terra, esterco e areia lavada na propor o de 3:2:1, com três repeti es. As coletas das folhas e raízes novas para análises iniciaram-se aos 45 dias após o plantio. Foram utilizados, para folhas, os sistemas enzimáticos: GOT, alfaEST, betaEST, PGI, PGM e IDH e, para as raízes: PRX, alfaEST, betaEST, PGI, PGM e IDH. A combina o dos diferentes padr es enzimáticos e tecidos analisados possibilitou a discrimina o individual de 32 dos 55 clones analisados. Os 23 clones restantes foram incluídos em sete grupos distintos, com base nos fenótipos isoenzimáticos exibidos. Os clones, dentro de cada um desses grupos, foram considerados materiais de mesmo genótipo, devido, também, às suas características morfológicas semelhantes. A aEST de raízes foi o sistema que apresentou maior número de bandas polimórficas, proporcionando a discrimina o individual de 32 clones. O método de agrupamento de Tocher reuniu os 39 clones em nove grupos e, a análise pelo método das médias das distancias, revelou a forma o de onze grupos de similaridade. O clone 46 formou um grupo individual pelo método de Tocher e foi o mais divergente pelo método das médias das distancias. Por apresentar boas características comerciais e produtivas, seria um dos clones eleitos para se iniciar programas de cruzamentos.
Filocrono em diferentes densidades de plantas de batata  [cached]
Dellai Jacso,Trentin Gustavo,Bisognin Dilson Ant?nio,Streck Nereu Augusto
Ciência Rural , 2005,
Abstract: O conceito do filocrono, ou seja, o intervalo de tempo necessário para a emiss o de duas folhas consecutivas, pode ser usado para simular o aparecimento de folhas em plantas. O número de folhas, além de afetar o índice de área foliar da planta, é considerado uma excelente medida de tempo fisiológico. O objetivo do trabalho foi estimar o filocrono em batata cultivada num sistema hidrop nico com substrato em diferentes densidades de plantas. O experimento foi conduzido em ambiente protegido, no Departamento de Fitotecnia da UFSM, RS, no período de 03/09/2004 a 26/10/2004. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com três repeti es. Os tratamentos foram os espa amentos de 5x5, 10x10, 15x15 e 20x20cm entre covas. Os valores de filocrono para cada densidade foram relacionados com o número de covas m-2 e de hastes m-2. Os valores de filocrono estimados variaram em fun o da densidade de plantas. As maiores densidades promoveram aumentos no filocrono, indicando que a densidade de plantas afeta a velocidade de surgimento de folhas em batata, e esta resposta deve ser contemplada em modelos de simula o do número de folhas nesta cultura.
Produtividade simulada de tubérculos de batata em cenários de mudan?as climáticas
Fagundes, Joelma Dutra;Streck, Nereu Augusto;Bisognin, Dilson Ant?nio;Schwantes, Ana Paula;Alberto, Cleber Maus;
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2010, DOI: 10.1590/S0100-204X2010000400002
Abstract: o objetivo deste trabalho foi simular a produtividade de tubérculos de batata (solanum tuberosum) em diferentes cenários climáticos de aumento da concentra??o de dióxido de carbono [co2] e da temperatura do ar, considerando aumentos simétricos e assimétricos nas temperaturas mínimas e máximas diárias do ar. utilizou-se o modelo de spitters para simular a produtividade de tubérculos da cultivar asterix, em duas épocas de cultivo (primavera e outono), recomendadas para a regi?o de santa maria, rs. em cada época, cinco datas de plantio foram avaliadas, em cenários climáticos de cem anos sem aumentos na [co2] e na temperatura (cenário atual), e em cenários com o dobro da [co2] atual e aumentos de 0, 1, 2, 3, 4, 5 e 6oc na temperatura. no cultivo de primavera, o aumento simétrico de 4oc, nas temperaturas mínimas e máximas diárias do ar, e assimétrico de 5oc é suficiente para anular o efeito benéfico na produtividade do aumento da [co2]. no cultivo de outono, o aumento da temperatura, praticamente, n?o afeta a produtividade de tubérculos de batata. a antecipa??o da data de plantio, no cultivo de primavera, e o atraso, no de outono, diminuem o impacto negativo do aumento da temperatura do ar sobre a produtividade de tubérculos de batata.
EFEITOS DE DIFERENTES ESPA AMENTOS ENTRE SULCOS NA PRODUTIVIDADE AGRíCOLA DA CANA-DE-A úCAR (Saccharum spp.)  [cached]
GALVANI E,BARBIERI V,PEREIRA A.B,VILLA NOVA N.A
Scientia Agricola , 1997,
Abstract: A produtividade final da cana-de-a úcar, dentre outros fatores de produ o, é afetada pela distancia entre linhas de plantio. O rendimento potencial é obtido, para cada genótipo considerado, sob condi es ideais de clima e solo, estando as plantas dispostas em espa amentos ideais. Diversos experimentos revelaram haver aumento de produtividade agrícola da cana-de-a úcar com a utiliza o de menores espa amentos entre sulcos. O presente estudo foi conduzido em esta es experimentais de 5 municípios (Araras/SP, Pirassununga/SP, Pradopólis/SP, Rubiácia/SP e Cristalina/GO), sujeitos às varia es de clima, tipo de solo, espa amento e material genético empregados, e teve por objetivo analisar o comportamento da espécie, em termos de produ o agrícola, e propor equa es de incremento ou deple o da produ o potencial como fun o do espa amento adotado.
Quebra de dormência de minitubérculos de batata  [cached]
Benedetti Marlova,Bisognin Dilson Ant?nio,Segatto Fernanda Bastos,Costa Liege Camargo da
Ciência Rural , 2005,
Abstract: A quebra de dormência de batata-semente (Solanum tuberosum) é necessária em programas de melhoramento genético, na multiplica o de tubérculos livres de vírus e na produ o comercial de batata quando o período entre a colheita e o próximo plantio é insuficiente para a brota o dos tubérculos. Um experimento foi conduzido com o objetivo de avaliar a eficácia de diferentes tratamentos para a quebra de dormência de minitubérculos de batata dos clones Macaca, de curta dormência, e SMIJ461-1, de longa dormência. Os tratamentos foram: testemunha, aspers o com etanol e ácido giberélico (10mg L-1), abafamento com bissulfureto de carbono (35mm m-3) por 72h, aspers o com ácido giberélico (30mg L-1) seguido de abafamento por 72h, imers o com ácido 2-4 cloroetil fosf nico (840mg L-1) por 5s, e alternancia de temperaturas (ciclos de sete dias a 4masculineC e sete dias a 20masculineC). O delineamento experimental foi um trifatorial (clone x quebra de dormência x safra) no delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro repeti es de dez minitubérculos. A resposta aos tratamentos variou entre clones e safras. A maior resposta dos tratamentos para a quebra de dormência foi com o clone Macaca. Os tratamentos com ácido giberélico foram os mais eficazes para a quebra de dormência de ambos os clones. A percentagem final de minitubérculos brotados do clone SMIJ461-1 foi baixa, necessitando de maiores estudos quanto à concentra o e tempo de aplica o dos tratamentos.
Degenerescência de batata-semente básica após um ou dois períodos de cultivo  [cached]
Daniels Julio,Silva Ant?nio Carlos F.,Souza Zilmar S.,Schons Jurema
Horticultura Brasileira , 2002,
Abstract: A infec o pelo vírus do enrolamento da folha da batata (Potato leafroll virus, PLRV) e pelo vírus Y da batata (Potato virus Y, PVY) constitui-se na principal causa da degenerescência da batata-semente no Brasil. Durante dois períodos de cultivo, setembro a dezembro de 1999 e mar o a junho de 2000, avaliou-se o percentual de infe o de batata-semente básica pelo PLRV e pelo PVY, em regi es produtoras de batata do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. No primeiro período foram avaliadas sorologicamente (DAS-ELISA) 623 amostras de nove regi es, observando-se percentagens de infe o de 17% para PVY e de 3% para PLRV. A percentagem de infe o por PVY e PLRV em cada cultivar foi, respectivamente, Baronesa 7,5 e 0,3%, Catucha 22 e 19%, Elvira 42 e 0% e Monalisa 16 e 4%. No plantio do segundo período usou-se parte dos tubérculos colhidos no primeiro, e foram avaliadas 301 amostras de duas regi es, constatando-se uma percentagem média de infe o de 58% para o PVY e de 11% para PLRV. A percentagem, por cultivar, foi Baronesa 67 e 6%, Catucha 68 e 49%, Elvira 94 e 2% e Monalisa 35 e 0%.
Soma térmica de algumas fases do ciclo de desenvolvimento da batata (Solanum tuberosum L.)  [cached]
Paula Fabiana Luiza Matielo de,Streck Nereu Augusto,Heldwein Arno Bernardo,Bisognin Dilson Ant?nio
Ciência Rural , 2005,
Abstract: O método da soma térmica tem sido usado para representar o efeito da temperatura do ar sobre o crescimento e desenvolvimento das plantas, por ser um método simples e uma melhor medida de tempo biológico do que dias do calendário civil ou dias após a semeadura. O objetivo deste trabalho foi determinar a soma térmica por diferentes métodos de cálculo para as fases de emergência ao início da tuberiza o, do início da tuberiza o ao início da senescência e do início da senescência à colheita da batata cultivar Asterix, cultivada a campo. Experimentos foram conduzidos em Santa Maria, RS, com onze datas de plantio durante 2003 e 2004. O delineamento utilizado foi blocos ao acaso, com 4 repeti es. A soma térmica para as diferentes fases variou com a época de plantio, com o método de cálculo e com as temperaturas cardinais. Estes resultados indicam que a soma térmica deve ser usada com cautela como medida de tempo biológico em batata.
Características morfológicas e valor nutritivo da mani oba submetida a diferentes espa amentos de plantio e aduba es Morphological characteristics and nutritional value of cassava under different planting spacing and fertilization  [cached]
Jose Teodorico de Araujo Filho,Reinaldo de Alencar Paes,Philipe Lima Amorim,Thayse da Silva Barros
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2011,
Abstract: Este trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar os efeitos de diferentes espa amentos de plantio e tipos de aduba es sobre as características morfológicas e valor nutritivo da Mani oba. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados com tratamentos distribuídos em esquema fatorial 2 x 3, com cinco repeti es, e os tratamentos foram os diferentes espa amentos de plantio (1,5m x 1,5m e 2m x 2m) e aduba es (esterco bovino, caprino e sem aduba o). As avalia es foram realizadas durante dois cortes, efetuados aos 120 e 240 dias após corte de uniformiza o. Para todas variáveis avaliadas, n o houve intera es significativas entre os espa amentos de plantio e tipos de aduba es. N o houve diferen as dos espa amentos sobre as variáveis, número de folhas, número de bifurca es e diametro de caule em ambos os cortes. Para as variáveis produ es de massa fresca e seca, n o houve diferen as significativas entre os tipos de aduba es em ambas as colheitas. Apenas para os teores fibra em detergente neutro e de potássio observaram-se diferen as entre espa amentos de plantio. A produ o de fitomassa da mani oba pode ser incrementada com a utiliza o de plantios mais densos e aduba es organicas independentemente da fonte utilizada, sem que haja redu o de seu valor nutritivo. This study was conducted to evaluate the effects of different planting spaces and types of fertilization on morphological characteristics and nutritive value of wild cassava. We used a randomized block design with treatments arranged in a 2 x 3 factorial with five replicate, and treatments being the different planting space (1.5m x 1.5m and 2m x 2m) and fertilizer type(bovine manure, Goat manure and without fertilization). Evaluations were performed during two cuts made at 120 and 240 days after regrowth. For all variables, no significant interactions were found between planting spaces and fertilization types. There were no significant differences of the space on the variables number of leaves, number of forks and stem diameter in both cuts. For the variables production of natural and dry matter, there were no significant differences between the types of fertilizer, in both crops. Only variables for neutral detergent fiber and potassium showed significant differences among the planting spaces. The biomass production of wild cassava may be enhanced using denser planting and organic fertilizers regardless of source, without reducing its nutritive value.
Efeito residual da aduba o da batata sobre a produ o do milho-verde em cultivo sucessivo  [cached]
SILVA ERNANI CLARETE DA,SILVA FILHO ADEMAR VIRGOLINO DA,ALVARENGA MARCO ANT?NIO REZENDE
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: Este trabalho foi realizado em áreas da Fazenda Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), no Município de Três Pontas, MG. O objetivo foi analisar o efeito residual da aduba o aplicada no solo, por ocasi o do plantio da batata (Solanum tuberosum L.), em subseqüente cultivo de milho-verde (Zea mays L.). A batata, cv. Achat, plantada no espa amento 0,80 m x 0,40 m, foi adubada nas doses: 0, 2 e 4 t ha-1 da fórmula 4-16-8. Após a colheita da batata, o milho-verde, híbrido AG162, foi semeado no delineamento experimental de blocos casualizados, com quatro repeti es, e no esquema de parcelas subdivididas, a saber: nas parcelas, a aduba o de plantio da batata, e nas subparcelas, a aduba o de plantio do milho-verde (adubado e n o adubado). As características analisadas foram: altura média da planta, número de espigas/parcela, produ o de espiga com e sem palhas, e concentra es P, K+, Ca2+ e Mg2+. O aumento das doses da aduba o mineral da batata aumentou os teores de P, K e Ca trocáveis no solo, os quais podem melhorar a produ o do milho-verde em cultivo subseqüente.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.