oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Inclus?o de fontes de óleo na dieta de cabras em lacta??o: produ??o, composi??o e perfil dos ácidos graxos do leite
Maia, Fábio José;Branco, Antonio Ferriani;Mouro, Gisele Fernanda;Coneglian, Sabrina Marcantonio;Santos, Geraldo Tadeu dos;Minella, Tathiane Fernanda;Guimar?es, Kátia Cylene;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2006, DOI: 10.1590/S1516-35982006000500033
Abstract: the objectives of this trial were to evaluate the effect of dietary oil supplementation on milk yield, milk composition and milk fatty acids profile of lactating saanen goats. four ruminally cannulated multiparous goats averaging 54±1.02 kg bw and 80 days in milking were used. goats were fed a control diet or a diet supplemented with one the following oil sources: canola, rice or soybean. the statistical design was a 4 x 4 latin square and data were analyzed using the mixed procedure of sas (2001). mean comparisons were done by orthogonal contrasts with significance level at 10%. except for content of milk total solids, no significant differences were observed for milk yield and milk composition by feeding different oil sources to lactating goats. oil supplementation increased milk fat concentration of 18:0, 18:1n-9 and 18:2 (cla) and decreased that of saturated fatty acids (sfa), short chain fatty acids (scfa) and medium chain fatty acids (mcfa). oil supplementation also increased milk concentration of monounsaturated (mufa) and polyunsaturated fatty acids (pufa), long chain fatty acids (lcfa), n-3, n-6 and the pufa/sfa ratio. feeding soybean oil to lactating goats increased milk content of pufa, n-6, and the ratios of n-6/n-3 and pufa/sfa and decreased concentration of 22:6n-4 compared to canola oil. inclusion of vegetable oils in diet of lactating goats improved milk nutritional quality due to increased concentration of desirable fatty acids.
Inclus?o de fontes de óleo na dieta de cabras em lacta??o: digestibilidade dos nutrientes e parametros ruminais e sangüíneos
Maia, Fábio José;Branco, Antonio Ferriani;Mouro, Gisele Fernanda;Coneglian, Sabrina Marcantonio;Santos, Geraldo Tadeu dos;Minella, Tathiane Fernanda;Macedo, Francisco de Assis Fonseca de;
Revista Brasileira de Zootecnia , 2006, DOI: 10.1590/S1516-35982006000500032
Abstract: the objectives of this trial were to evaluate the effect of dietary oil supplementation on intake, apparent total tract digestibility of nutrients, and ruminal metabolism in lactating saanen goats. four ruminally cannulated multiparous goats averaging 54±1.02 kg bw and 80 days in milk were used. goats were fed a control diet (no oil supplementation) or diets supplemented with one of the following oil sources: canola, rice or soybean. a 4 x 4 latin square design was used and data were analyzed using the mixed procedure of sas (2001) with means compared through orthogonal contrasts at 5% of significance. dietary oil supplementation reduced apparent total tract digestibility of both neutral detergent fiber and nonstructural carbohydrates but contents of tdn did not differ among diets. oil supplementation did not change the concentration of ruminal ammonia n and plasma urea n but increased ruminal ph and decreased milk urea nitrogen concentration (mun). the inclusion of 5.1% of vegetable oils in the diet of lactating goat did not significantly affect nutrient digestibility and ruminal fermentation parameters.
Fatores que influenciam os parametros das curvas de lacta o em cabras no Distrito Federal  [cached]
McManus Concepta,Soares Filho Guilherme,Mariante Arthur da Silva,Louvandini Helder
Revista Brasileira de Zootecnia , 2003,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de fatores ambientais sobre a forma de curvas de lacta o (Quadrática, Gama, Linear Hiperbólica e Jenkins e Ferrel) de cabras das ra as Saanen, Parda Alpina, Toggenburg e seus mesti os. Foram usados registros de 299 lacta es de 215 cabras criadas em dois criatórios localizados no Distrito Federal no período de 1995 a 1997. Os parametros das curvas de lacta o (produ o no início da lacta o - a, taxa média de ascen o - b e taxa média de declínio após o pico - c) foram estimados pelo programa "Table Curve" da companhia de Jandel Scientific. Estes parametros foram analisados usando o programa SAS com os procedimentos Corr e GLM. O modelo estatístico incluiu como fatores fixos o capril, a ra a, o mês e o ano de parto, tipo de parto, sexo do cabrito, e o peso de cobertura foi utilizado como covariável. Os parametros a e c foram influenciados pela ra a, pelo mês do parto e pelo tipo do parto. As curvas Quadrática e Linear Hiperbólica tiveram os maiores R2. As correla es entre os parametros das curvas e os índices zootécnicos, no geral, foram altas e positivas. Este estudo mostra que qualquer uma das fun es estudadas poderia representar a curva de lacta o individual do rebanho, no entanto, a que melhor expressou os parametros na forma o da curva foi a fun o Quadrática, enquanto aquelas que melhor descreveram a produtividade foram o Linear Hiperbólica e Jenkins e Ferrel.
Fontes de amido e proteína para vacas leiteiras em dietas à base de capim elefante  [cached]
Lima Laísse Garcia de,Nussio Luiz Gustavo,Gon?alves José Renato Silva,Simas José Manuel Correia de
Scientia Agricola , 2002,
Abstract: A correta associa o de fontes concentradas de energia e/ou proteína ao volumoso da ra o de bovinos, poderá maximizar o desempenho dos animais, como efeito da complementariedade das taxas de degrada o de nutrientes. Avaliou-se o efeito de diferentes formas de processamento de milho, níveis de inclus o na dieta e fontes de proteína sobre a digestibilidade dos nutrientes na dieta, parametros de fermenta o ruminal, bem como o desempenho de vacas leiteiras. Foram utilizadas cinco vacas da ra a holandesa em lacta o, distribuídas ao acaso em um delineamento experimental do tipo quadrado latino 5 x 5. Os tratamentos utilizados foram: silagem de milho, farelo de soja e milho moído (quirera fino) em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível alto; capim elefante, farelo de soja, milho moído em nível baixo; capim elefante, farelo de soja, milho floculado (360 g L-1) em nível alto; capim elefante, farinha de peixe, milho floculado em nível alto. A dieta contendo capim elefante, milho floculado e farelo de soja em alto nível foi a que mais se aproximou da dieta de silagem de milho nos diversos parametros avaliados. A fonte de proteína n o degradável no rúmen (PNDR) n o apresentou vantagens em rela o à fonte convencional de proteína. O fornecimento de baixo nível de concentrado n o supriu as deficiências energéticas do capim elefante. A maior eficiência de produ o de vacas leiteiras que receberam ra es com base em capim elefante simulando pastejo foi observada quando a energia estava disponível no rúmen, seja através do processamento, ou seja da maior inclus o de concentrado na dieta.
PRODU O DE LEITE DE CABRAS PURAS NO CURIMATAú PARAIBANO DURANTE A LACTA O  [cached]
Ferreira M.C.C.,TRIGUEIRO I.N.S.
Ciência e Tecnologia de Alimentos , 1998,
Abstract: A presente pesquisa teve como objetivo determinar a produ o de leite de cabras puras das ra as Anglo Nubiana, Parda Alem e British Alpine, durante 195 dias de lacta o, na microrregi o do Curimataú paraibano. Foram utilizados 6 animais puros de cada ra a, de 2a e 3a ordem de pari o. O controle leiteiro teve início 30 dias após a pari o, com uma periodicidade de 15 dias, durante 195 dias, nas ordenhas matutina e vespertina, perfazendo um total de 72 coletas. A produ o obtida para as ra as Anglo Nubiana, Parda Alem e British Alpine, correspondeu a 873,6, 1.162,0 e 2.069,0g, respectivamente. Foi evidenciada influência significativa (P<0,05) dos parametros ra a, período de lacta o e período de ordenha sobre a produ o, n o sendo observado para a ra a British Alpine o efeito da lacta o sobre a produ o.
Substitui o do Milho pela Farinha de Mandioca de Varredura em Dietas de Cabras em Lacta o: Produ o e Composi o do Leite e Digestibilidade dos Nutrientes
Mouro Gisele Fernanda,Branco Antonio Ferriani,Macedo Francisco Assis Fonseca de,Rigolon Luiz Paulo
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da substitui o do milho pela farinha de mandioca de varredura, em dietas de cabras Saanen em lacta o, sobre o desempenho, a composi o do leite (sólidos totais e proteína bruta), a digestibilidade da matéria seca (MS), matéria organica (MO), proteína bruta (PB), extrato etéreo (EE), fibra insolúvel em detergente neutro (FDN), e amido e a concentra o dos nutrientes digestíveis totais (NDT) das dietas. Foram utilizadas quatro cabras há 100 dias em lacta o. O delineamento utilizado foi o quadrado latino 4 x 4, em que os tratamentos consistiram em níveis de 0, 33, 67 e 100% de substitui o do milho pela farinha de varredura. Os tratamentos n o influenciaram a ingest o, excre o fecal, digest o total e a digestibilidade total da MS, MO, PB, FDN e carboidratos n o-fibrosos (CNF). Houve diminui o linear na excre o fecal e aumento na digestibilidade do amido, com a inclus o da farinha de mandioca de varredura. O NDT n o diferiu entre as dietas estudadas, com média de 71,59%. Houve correla o positiva entre a digestibilidade da matéria organica (DIGMO) e o NDT (r = 0,9472), permitindo estimativas do NDT a partir da equa o NDT (%) = 0,8897DIGMO (%) + 10,9940 (R2=0,8972). A substitui o da farinha da mandioca de varredura n o alterou a produ o, bem como a composi o do leite. Recomenda-se a utiliza o da farinha de mandioca de varredura em dietas de cabras em lacta o, em total substitui o ao milho, sem prejuízos na digestibilidade dos nutrientes e na produ o.
Substitui o do Milho pela Farinha de Mandioca de Varredura em Dietas de Cabras em Lacta o: Fermenta o Ruminal e Concentra es de Uréia Plasmática e no Leite  [cached]
Mouro Gisele Fernanda,Branco Antonio Ferriani,Macedo Francisco Assis Fonseca de,Guimar?es Kátia Cilene
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da substitui o do milho pela farinha de mandioca de varredura, em dietas de cabras Saanen em lacta o, sobre a degradabilidade potencial, efetiva e efetiva corrigida das ra es, bem como sobre o pH ruminal e as concentra es de am nia ruminal, uréia plasmática e uréia no leite em cabras em lacta o. Foram utilizadas quatro cabras há 100 dias em lacta o. O delineamento utilizado foi o quadrado latino 4 x4, em que os tratamentos consistiram em níveis de 0, 33, 67 e 100% de substitui o do milho pela farinha de mandiocade varredura. A degradabilidade das ra es experimentais foi determinada em bovinos pela técnica in situ. Apesar de a degradabilidade potencial das dietas experimentais ter tido pequena varia o para MS, PB e amido, a degradabilidade efetiva e a degradabilidade efetiva corrigida da MS, da PB e do amido aumentaram com a substitui o do milho pela farinha de varredura de mandioca. Os tratamentos n o influenciaram o pH ruminal, bem como as concentra es de NH3-ruminal, uréia plasmática e uréia do leite. Houve correla o positiva (P<0,05; r = 0,9288) entre as concentra es de uréia plasmática e a uréia do leite, permitindo estimativas da uréia plasmática a partir da equa o UP(mg/dL) = 0,7672UL (mg/dL) + 7,4894 (R2=0,8628). Conclui-se que a farinha de mandioca de varredura pode substituir totalmente o milho e ser utilizada em ra es de cabras em lacta o, em nível de até 30% da ingest o de MS, sem prejuízos para parametros ruminais e metabolismo do nitrogênio.
Produ o, composi o do leite e exigências nutricionais de cabras Saanen em diferentes ordens de lacta o = Production, milk composition and nutrient requirements of Saanen goats in different lactation order
Luciana Rodrigues,Jaqueline Roberta Spina,Izabelle Auxiliadora Molina de Almeida Teixeira,?ngela Cristina Dias
Acta Scientiarum : Animal Sciences , 2006,
Abstract: Foram utilizadas 20 cabras da ra a Saanen, 10 de primeira lacta o (P1) e 10 de lacta es posteriores, por um período de lacta o de 150 dias. Foram feitas duas ordenhas diárias e o controle leiteiro foi realizado diariamente. Para avalia o da composi o e contagem de células somáticas, foram realizadas colheitas quinzenalmente. As exigências líquidas em proteína basearam -se na produ o e na composi o em proteína do leite e as exigências líquidas em energia basearam -se na produ o e na composi o em gordura, proteína e lactose. O pico de lacta o foi mais tardio para as cabras P1 e a persistência da lacta o foi maior para as de lacta es posteriores. A ordem de lacta o influenciou as concentra es de nutrientes no leite, sendo que cabras P1 apresentaram maiores porcentagens destes em rela o às demais, exce o feita à porcentagem de proteína quepermaneceu inalterada. As exigências líquidas em proteína e em energia foram diferentes para cabras em ordens de lacta o diferentes. 20 Saanen goats, 10 first-lactation (P1) and 10 of posterior lactations were examined for a period of 150 d ays lactation. There were two daily milking and a daily milk control. In order to evaluate the chemical composition and somatic cell counts, samples were collected biweekly. Net protein requirements were based on milk production and protein composition of milk, and net energy requirements were based on milk production and fat, protein and lactose composition. The lactation peak was later for P1 goats and persistence of lactation was higher for the posterior lactation ones. Lactation order influenced milk nu trient concentrations, while P1 goats presented greater percentages of this parameter in comparison tothe others. The protein percentage remained unchanged. Net protein and energy requirements were different for goats in different orders of lactation.
Comportamento da Curva de Lacta o de Cabras Mesti as Saanen em Fun o da Suplementa o de Concentrado e do Sistema de Produ o  [cached]
Macedo Vicente de Paulo,Damasceno Júlio Cesar,Santos Geraldo Tadeu dos,Martins Elias Nunes
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Estudaram-se o comportamento da curva de lacta o em 31 cabras mesti as Saanen e o efeito de duas estratégias de suplementa o de concentrado: 30% das exigências em energia líquida da 3a semana até o final da lacta o (ESC.1); 60% das exigências em energia líquida diária da 3a à 13a semana, e 15% da 14a semana até o final da lacta o (ESC.2), em sistemas de produ o semi-confinamento e pastagem. Os seguintes modelos foram avaliados: Wood linear e n o-linear, Morant linear e n o-linear, D-set e Grossman. O modelo Wood n o linear foi o que melhor descreveu o comportamento da curva de lacta o. A resposta da estratégia de suplementa o com concentrado variou em fun o do sistema de produ o. A estratégia de suplementa o com concentrado afetou mais intensamente o comportamento da curva de lacta o no sistema de produ o semi-confinamento. A estratégia ESC.2, de suplementa o com concentrado, resultou em mais dias para atingir o pico de produ o, no sistema semi-confinamento, e maior produ o no pico em ambos sistemas.
Efeito de dois regimes de suplementa o alimentar e dois sistemas de produ o, nos constituintes sangüíneos de cabras Saanen durante a lacta o
Nunes Adriana Sampaio,Barbosa Orlando Rus,Sakaguti Eduardo Shiguero,Sakuno Marlene Leiko Doi
Revista Brasileira de Zootecnia , 2002,
Abstract: Foram analisados os constituintes sangüíneos de oito cabras leiteiras cruza Saanen lactantes, entre novembro (1997) e maio (1998), submetidas a dois sistemas de produ o fraction three-quarters pastagem (S1) e semiconfinamento (S2) fraction three-quarters e dois regimes alimentares: 30% das exigências em energia líquida ao longo de toda a lacta o (R1) e 60% das exigências diárias em energia líquida da 3a a 13a semana de lacta o e 15% das exigências em energia líquida da 14a semana até o final da lacta o (R2). Amostras de sangue foram coletadas quinzenalmente de dois animais de cada tratamento para a análise de glicose (Gl), hemoglobina (Hb) e hematócrito (Ht). N o foram encontradas diferen as na concentra o de GL e Hb e no hematócrito, nos diferentes regimes alimentares. Os animais do sistema de produ o S1 apresentaram maiores valores de Hb (7,60 g/100 mL) e Ht (22,42%) em rela o aos animais do sistema de produ o S2 (Hb = 6,05 g/100 mL e Ht = 17,71%), n o havendo diferen a entre os dois sistemas de produ o em rela o à Gl.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.