oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Desempenho reprodutivo de porcas submetidas a infus es uterinas no início do estro
BORTOLOZZO FERNANDO PANDOLFO,WENTZ IVO,BRANDT GUILHERME,GUIDONI ANT?NIO LOUREN?O
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho reprodutivo de porcas multíparas submetidas à infus o uterina de diferentes solu es, realizada no início do estro. Um total de 1.019 fêmeas foram controladas no período de ver o (n=570) e inverno (n=449). Os animais foram submetidos a cinco tratamentos, que consistiram em infus o de plasma seminal (PS), sêmen morto (SM), solu o de 17beta-estradiol (SE), solu o fisiológica (SS) e um grupo-controle (CO). As fêmeas receberam três insemina es: a primeira, 8-12 horas após a detec o do estro, e as demais, nos turnos subseqüentes. Com rela o à taxa de retorno ao estro e taxa de parto ajustada, n o ocorreram diferen as entre os tratamentos (p>0,05). Na análise do modelo de regress o adotado para determinar o tamanho da leitegada, foi observada uma intera o entre época do ano e tratamento (p<=0,01). No ver o, as fêmeas que receberam infus o de PS apresentaram 0,89, 1,20, 1,34 e 2,31 leit es a mais, em rela o aos tratamentos SE, SM, SS e CO (p<0,05), respectivamente. No inverno, o grupo submetido ao tratamento SS aumentou a produ o em 1,25 e 0,91 leit es, respectivamente, em rela o aos tratamentos SM e CO (p<0,05). Este trabalho demonstrou que a infus o uterina de PS foi eficiente somente no ver o, para aumentar o número de leit es nascidos. Entretanto, s o necessários estudos complementares esclarecendo o efeito deste tratamento em épocas do ano distintas e em diferentes ordens de parto.
EFEITO DA SINCRONIZA O DO ESTRO COM DUPLA APLICA O DE D-CLOPROSTENOL ASSOCIADA OU N O à eCG SOBRE O DESEMPENHO REPRODUTIVO DE CABRAS BOER/SRD EXPLORADAS NA REGI O SEMIáRIDA DO NORDESTE DO BRASIL EFFECT OF ESTRUS SYNCHRONIZATION WITH DOUBLE INJECTION OF D-CLOPROSTENOL ASSOCIATED OR NOT WITH eCG ON THE REPRODUCTIVE PERFORMANCE OF BOER/SRD GOATS RAIZED IN THE SEMI-ARID ZONE OF NORTHEASTERN BRAZIL  [cached]
Daniel Maia Nogueira,Edilson Soares Lopes Júnior,Pedro Humberto Felix de Sousa,Geraldo Miranda de Carvalho Júnior
Ciência Animal Brasileira , 2009,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da dupla aplica o de d-cloprostenol associada ou n o à gonadotrofina cori nica equina (eCG) sobre o desempenho reprodutivo de cabras Boer/SRD exploradas na regi o semiárida do Nordeste do Brasil. Utilizaram-se quarenta cabras distribuídas em dois protocolos de sincroniza o do estro, como a seguir: T1 (n = 20), duas aplica es de 75 μg de d-cloprostenol intervaladas de sete dias; T2 (n = 20), semelhante ao protocolo anterior, diferindo apenas pela adi o de 300 UI de eCG na última aplica o de d-cloprostenol. A porcentagem de animais em estro (65% vs. 85%), bem como o intervalo entre o fim do tratamento e o início do estro (22,8 ± 13,4 h vs. 17,2 ± 7,6 h) n o diferiram (P>0,05) entre T1 e T2, respectivamente. Todavia, o T2 apresentou maior dura o do estro que o T1 (P<0,05), sendo de 47,3 ± 12,3 h e 32,9 ± 11,9 h, respectivamente. Observaram-se fertilidade e prolificidade, respectivamente, de 61,5% e 1,4 para o T1 e de 41,2% e 1,8 para o T2, n o havendo diferen a significativa entre os tratamentos. As aplica es de d-closprotenol em duas doses intercaladas de sete dias mostraram-se tecnicamente viáveis na sincroniza o do estro. Nas condi es deste experimento, a adi o de 300 UI de eCG n o melhorou as taxas de fertilidade nem de prolificidade. PALAVRAS-CHAVES: Caprino, desempenho produtivo, gonadotrofina, prostaglandina, sincroniza o do estro. he aim of this study was to evaluate the effect of double injection of d-cloprostenol associated or not with equine chorionic gonadotrophin (eCG) over the reproduction performance of Boer/non-genotype goats raised in the semi-arid region of North-eastern Brazil. Forty goats were distributed into two estrus synchronization protocols, as following: T1 (n = 20) two injections of 75 μg d-cloprostenol at seven days interval; T2 (n = 20), similar to the previous protocol, differing only by the addition of 300 IU eCG at the last d-cloprostenol injection. Percentage of animals in estrus (65% vs. 85%) and interval from the end of treatment to estrus onset (22.8 ± 13.4 h vs. 17.2 ± 7.6 h) did not differ (P>0.05) between T1 and T2, respectively. However, T2 showed a larger estrus length (P<0.05) than T1; 47.3 ± 12.3 h and 32.9 ± 11.9 h, respectively. It was observed a fertility and prolificity rate, respectively, of 61.5% and 1.4 for T1 and 41.2% and 1.8 for the T2, not having significant difference between treatments. Double injections of d-cloprostenol at seven days interval showed technically viable. In the present study, the addition of 300 IU eCG did not improve fer
Sincroniza o do estro, indu o da ovula o e fertilidade de ovelhas deslanadas após tratamento hormonal com gonadotrofina cori nica eqüina  [cached]
Dias F.E.F.,Lopes Junior E.S.,Villaroel A.B.S.,Rondina D.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2001,
Abstract: Utilizou-se a sincroniza o do estro com esponjas vaginais de 30mg de acetato de fluorogestona durante 12 dias para avaliar o efeito de diferentes doses de eCG sobre o desempenho reprodutivo de ovelhas. Na retirada das esponjas as ovelhas foram divididas em três grupos para receberem 0 (n=26), 200 (n=30) ou 400UI (n=30) de eCG. O estro foi detectado a cada 12h utilizando-se um rufi o. As fêmeas foram inseminadas por laparoscopia 60h após a retirada das esponjas. Realizaram-se colheitas de sangue aos 5 e 18 dias pós-insemina o para dosagem de progesterona e determina o do número de ovula es e prenhezes, respectivamente. A fertilidade foi verificada por ecografia aos 60 dias e ao parto. Das 86 ovelhas 70,9% apresentaram estro. Essa porcentagem foi maior (P<0,05) nas fêmeas tratadas com eCG: 96,7% (400UI) e 76,7% (200UI) versus 34,6% (0 UI). O intervalo entre o final do tratamento e o início do estro foi maior (P<0,05) no grupo sem eCG, 54,7±6,3h versus 45,9±7,8h para 200UI e 40,4±10,3h para 400UI. Verificou-se menor (P<0,05) número de ovula es e prenhezes no grupo sem eCG. A n o aplica o de eCG influiu negativamente no desempenho reprodutivo de ovelhas deslanadas.
Hipertermia maligna  [cached]
Carlos Vilaplana Santaló,Oscar Duménigo Arias,Adis del Carmens Rodríguez Gregorich
Revista Cubana de Cirugía , 2002,
Abstract: La hipertermia maligna es un desorden hipermetabólico de los músculos esqueléticos, caracterizado por hipercalcemia intracelular y consumo rápido de adenosín trifosfato; esta condición se desencadena por la exposición a 1 o más agentes anestésicos precipitantes incluidos halotano, enflurano, isoflurano, desflurano, sevoflurano y el succinilcolina. Los síntomas de esta afección pueden presentarse en el quirófano o en la Unidad de Cuidados Posanestésicos y se caracteriza por aparición súbita de taquicardia, taquipnea, hipertensión, hipercapnia, hipertermia, acidosis y rigidez musculoesquelética. El dantroleno atenúa la elevación del calcio intracelular y puede ser administrado de forma profiláctica o inmediatamente que se sospeche el diagnóstico. Con el objetivo de conocer las bases fisiopatológicas de este síndrome y las pautas de tratamiento más empleadas se realizó una exhaustiva revisión bibliográfica Malignant hyperthermia is a hypermetabolic disorder of the skeletal muscles, characterized by intracellular hypercalcemia and rapid consumption of adenosine triphosphate. This condition appears as a result of the exposure to 1 or more precipitating anesthetic agents, including halothane, enflurane, isoflurane, desflurane, sevoflurane and succinylcholine. The symptoms of this affection may be present in the operating room or in the Unit of Postanesthetic Care and it is characterized by the sudden appearance of thachycardia, tachypnea, hypertensiion, hypercapnia, hyperthermia, acidosis and muscoloskeletal rigidity. Dantrolene attenuates the elevation of intracellular calcium and may be prophylactically administered or as soon as the diagnosis is suspected. In order to know the physiopathological basis of this syndrome and the most used treatment patterns, an exhaustive bibliographic review was made
Fatores de risco associados ao desempenho reprodutivo da fêmea suína
Amaral A.L.,Morés N.,Barioni Júnior W.,Wentz I.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2000,
Abstract: Durante um ano foi realizado um estudo epidemiológico em 10 sistemas de produ o de suínos (produtores de leit es ou ciclo completo), com o objetivo de investigar os fatores de risco que melhor explicam as varia es na produtividade da fêmea suína. Foi aplicado um questionário para obten o de informa es relacionadas a genética, sanidade, nutri o, instala es e manejo. As respostas envolveram 271 fêmeas. Elas foram submetidas a procedimentos estatísticos de análise descritiva, análise de correspondência múltipla e classifica o hierárquica ascendente das fêmeas. Dessas, 236 (87,1%) pariram em média 11,4± 2,8 leit es, 31 (11,4%) apresentaram retorno ao estro, 3 (1,1%) abortaram e 1 (0,4%) apresentou falsa gesta o. As variáveis explicativas que melhor discriminaram as fêmeas quanto ao número total de leit es nascidos (variável objetiva) foram: antecedentes reprodutivos, infec o urinária, temperatura retal no dia da cobri o e até quatro dias após, tempo de cobri o, método de cobri o e soroconvers o para parvovírus. Os resultados sugerem que é possível melhorar o desempenho reprodutivo dos rebanhos suínos pela identifica o e corre o dos fatores de risco identificados neste estudo.
Efeito da restri o alimentar sobre o desempenho reprodutivo de galos de corte da linhagem Avian = Effects of feed restriction on reproductive performance of breeder broilers males of lineage Avian
Ana Luísa Neves Alvarenga,Luis David Solis Murgas,Sara Zardini de Sousa,Pedro Crosara Gustin
Acta Scientiarum : Animal Sciences , 2006,
Abstract: Nos reprodutores de frangos de corte, a restri o alimentar é usada para limitar o ganho de peso corporal e otimizar o desempenho reprodutivo. é necessário moderar a taxa de crescimento precoce por meio de programas de restri o alimentar. Este trabalho teve comoobjetivo avaliar o efeito da utiliza o da restri o alimentar sobre o desempenho reprodutivo em galos reprodutores de corte. Neste trabalho, foram avaliados os seguintes tratamentos: T1= controle; T2= 6 dias com alimenta o e 1 dia sem alimenta o; T3 = 5 dias com alimenta o e 2 sem alimenta o. Foram utilizados 18 animais da linhagem Avian Farm, avaliando-se o peso corporal, o peso gonadal e as características seminais de 6 animais por tratamento aos 219 dias de idade. O delineamento usado foi o de blocos casualizados (DBC). N o foram observadas diferen as (p>0,05) entre os tratamentos sobre pesos corporal e gonadal, motilidade e vigor espermáticos e número total de células. As concentra es espermáticas foram menores (p<0,10) nos animais que receberam os tratamentos T1 e T3. Os animais do T2 apresentaram maior (p<0,05) volume seminal. Entre as altera es morfológicas, apenas o número de altera es de cauda apresentou diferen as significativas entre os tratamentos, sendo o maior número observado nos animais que receberam 5 dias com alimenta o e 2 diassem alimenta o. A restri o alimentar do tipo 6 dias de alimenta o e 1 dia sem alimenta o p de ser utilizada em reprodutores de frangos de corte da linhagem Avian Farm sem afetar o desempenho reprodutivo. Feeding restriction is used for breeder broilers in order to limit thegain of corporal weight and to optimize their reproductive performance. It is necessary to moderate the rate of precocious growth through programs of feed restriction. This work aimed to evaluate the effects of feed restriction on the reproductive performance in breeder broilers males. The following treatments were evaluated: T1 = control; T2 = 6 days feeding and 1 day without feeding; T3 = 5 days of feeding and 2 day without feeding. 18 animals of the lineage Avian Farm were used. The parameters evaluated were: corporal weight, testicular weight, seminal characteristics of 6 animals per treatment at the age of 219 days. Randomized complete blocks were used to test the treatments effects. Significant differences were not observed (p>0.05) among the treatments for corporal weight, testicular weight, mean weight gain, spermatic motility and vigor and total cells number. Spermatic concentrations were lower (p<0.10) in the animals that received the treatments T1 and T3. The an
Reproductive performance of woolly and hairless crossbred ewes treated with an exogenous progestagen and eCG hormone during the non-breeding season Desempenho reprodutivo de ovelhas mesti as lanadas e deslanadas submetidas a protocolo hormonal a base de progestágeno e eCG, durante a contraesta o reprodutiva  [cached]
Gustavo Martins Gomes dos Santos,Katia Cristina Silva-Santos,Fabiana Andrade Melo-Sterza,Ivone Yurika Mizubuti
Semina : Ciências Agrárias , 2011,
Abstract: The aim of this study was to evaluate the reproductive performance of woolly and hairless crossbred ewes treated with an exogenous progestagen and eCG hormone during the non-breeding season. Mixed breed ewes (n = 48) were assigned into two treatments considering the presence (G-Woolly, n = 25) or absence of wool (G-Hairless, n = 23). The ewes underwent hormone treatment to induction/synchronization of estrus, which consisted of the insertion of an intravaginal device randomly at the estrous cycle (D0). On Day 7, ewes were injected with eCG and d-cloprostenol. On Day 9, the device was removed and males were introduced into the herd (proportion of 1:6) twelve hours later during days 10, 11 and 12. After Day 12, males were separated from females for ten days and later reintroduced into the herd for 45 days. The rate of onset of estrus and the pregnancy rate from the synchronization was 84.0 and 36.0% vs. 87.0 and 56.6%, G-Woolly vs. G-Hairless (p> 0.05). The total pregnancy rate after male reintroduction was 68.0 vs. 91.3%, G-Woolly vs. G-Hairless (p< 0.05). In conclusion hairless crossbred ewes treated with the exogenous progestagen and eCG hormone during the non-breeding season presented higher reproductive performance compared to woolly crossbred ones. Este trabalho teve como objetivo avaliar o desempenho reprodutivo de ovelhas mesti as lanadas e deslanadas submetidas a um protocolo hormonal a base de progestágeno e eCG durante a contraesta o reprodutiva. Ovelhas mesti as (n=48), sem ra a definida, foram divididas em dois tratamentos, considerando-se a presen a (G-Lanada, n=25) ou ausência de l (G-Deslanada, n=23). As ovelhas foram submetidas a um tratamento hormonal de indu o/sincroniza o de estro, que consistiu na coloca o do dispositivo intravaginal em dia aleatório do ciclo estral (D0). No D7, foi administrado eCG e d-cloprostenol. No D9, o dispositivo foi retirado e após 12 h os machos foram introduzidos no lote (propor o 1:6), nos dias 10, 11 e 12. Posteriormente, os machos foram separados das fêmeas por dez dias e ent o reintroduzidos no lote por mais 45 dias. A taxa de apresenta o de estro e de prenhez resultantes da sincroniza o foi 84,0 e 36,0% vs. 87,0 e 56,6%, G-Lanada vs. G-Deslanada (p>0,05). A taxa de prenhez total, após repasse com os reprodutores foi 68,0 vs. 91,3%, G-Lanada vs. G-Deslanada (p<0,05).Conclui-se que ovelhas mesti as deslanadas tratadas com protocolo hormonal durante a contraesta o apresentaram desempenho reprodutivo superior ao de ovelhas mesti as lanadas.
Desempenho reprodutivo, concentra es de progesterona e metabólitos lipídicos no pós-parto de vacas mesti as H/Z, submetidas a uma dieta hiperlipidêmica  [cached]
Delazari José Antonio,Fonseca Francisco Aloízio,Queiroz Augusto Cézar de,Pereira José Carlos
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Para avaliar o efeito de uma dieta hiperlipidêmica nos níveis séricos de metabólitos lipídicos e progesterona e no desempenho reprodutivo, 42 vacas mesti as foram submetidas a dois tratamentos: T1 (n=21) dieta-controle e T2 (n=21) dieta hiperlipidêmica, tendo como principal fonte de lipídios o gr o de soja integral. Os intervalos médios para a primeira e segunda ovula es pós-parto foram 26,3 e 35,9 dias para os animais do T1 e 21,7 e 37,4 dias para os do T2. Os intervalos médios do parto ao início da atividade luteal, primeiro estro e primeiro ciclo estral normal foram, respectivamente, 29,9; 39,5; e 53,9 dias para T1 e 25,7; 33,3; e 52,3 dias para T2. A dura o média do primeiro ciclo estral foi de 14,7 e 16,9 dias e do segundo de 19,8 e 19,5 dias para T1 e T2, respectivamente. As concentra es de progesterona nos ciclos estrais normais ocorridos durante o período de 90 dias pós-parto variaram de valores mínimos de 0,27 (T1) e 0,31 ng/mL (T2), nos dias 0 e 1 (dia 0 = ovula o), para valores máximos de 6,71 ng/mL (T1), nos dias 10 e 11, e 7,04 ng/mL (T2), nos dias -9 e --8, retornando a níveis basais (<1 ng/mL) nos dias -3 e -2. As concentra es médias de colesterol total e colesterol HDL para T1 e T2 foram, respectivamente, 100,74 e 67,3 mg/dL e 162,25 e 95,8 mg/dL. O efeito de hipercolesterolemia da dieta foi confirmado nesta pesquisa, mas sem nenhum aumento nas concentra es de progesterona e desempenho reprodutivo.
Body condition at calving and milk yield on reproductive performance of lactation holstein cows Condi o corporal ao parto e produ o de leite sobre o desempenho reprodutivo de vacas holandesas em lacta o
Anselmo Domingos Ferreira Santos,Francisco Palma Rennó,Nadja Gomes Alves,Ciro Alexrandre Alves Torres
Revista Brasileira de Saúde e Produ??o Animal , 2010,
Abstract: It was aimed to evaluate the effects of the body condition (BCS) at calving and of the change in body condition on the reproductive performance of cows postpartum. Then, 51 holstein cows, at 30 days prepartum to 150 days postpartum, were distributed, randomly, in agreement to the BCS at calving in the classes1 (BCS greater than or equal to 3,25) and 2 (BCS less than or equal to 3,0). Inside of the classes of BCS at calving, the cows were distributed as change in body condition (Category 1, equal or less than -0,50 and Category 2, equal or larger than -0,75) and according to the average of the production of milk adjusted to 3.5% to the 150 days (Group 1 = 22,61 and Group 2 = 31,65kg/day). There were no differences of BCS at calving and of production of milk adjusted to 3.5% on interval parturition first estrus, interval parturition first service, period of service, number of service / conception and gestation rate to 150 days of lactation. Cows that presented average of BCS of 3,40 and 2,79 at calving had equal postpartum reproductive performance. In relation to production of milk adjusted to 3.5%, cows with medium production of 22,61 and 31,65 presented similar results. The change in body condition did not influence the interval parturition first service, period of service and number of service / conception, but presented larger interval parturition first estrus and smaller gestation rate. O objetivo, neste estudo, foi avaliar os efeitos da condi o corporal ao parto e da mudan a de condi o corporal sobre o desempenho reprodutivo de vacas leiteiras após o parto. Para tanto, 51 vacas holandesas, de 30 dias pré-parto até 150 dias após o parto, foram distribuídas aleatoriamente de acordo com a condi o corporal ao parto nas classes 1 (condi o corporal maior ou igual a 3,25) e 2 (condi o corporal menor ou igual a 3,0). Dentro das classes de condi o corporal ao parto, os animais foram distribuídos quanto à mudan a de condi o corporal (Categoria 1, igual ou menor que -0,50 e Categoria 2, igual ou maior que -0,75) e à média da produ o de leite ajustada para 3,5% aos 150 dias (Grupo 1 = 22,61 e Grupo 2 = 31,65 kg/dia). N o houve diferen as da condi o corporal ao parto e da produ o de leite ajustada para 3,5% sobre o intervalo parto primeiro estro, intervalo parto primeiro servi o, período de servi o, número de servi o / concep o e taxa de gesta o aos 150 dias de lacta o. Vacas que ao parto apresentaram média de escore de condi o corporal de 3,40 e 2,79 tiveram semelhante desempenho reprodutivo pós-parto. Em rela o à produ o de leite ajustada para
Susceptibilidade à hipertermia maligna em três pacientes com síndrome maligna por neurolépticos  [cached]
SILVA HELGA C. A.,BAHIA VALéRIA S.,OLIVEIRA ROGéRIO A. A.,MARCHIORI PAULO E.
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2000,
Abstract: A hipertermia maligna caracteriza-se por hipertermia, rigidez muscular, rabdomiólise, acidose e insuficiência de múltiplos órg os. A hipertermia maligna anestésica decorre da exposi o a halogenados e/ou relaxantes musculares despolarizantes. O método padr o para diagnosticar a suscetibilidade à hipertermia maligna é o teste da contratura muscular in vitro em resposta ao halotano e à cafeína. A síndrome maligna por neurolépticos caracteriza-se por hipertermia, síndrome extrapiramidal, acidose, instabilidade neurovegetativa e altera es neurológicas. Descrevemos três pacientes com síndrome maligna por neurolépticos e testes de contratura muscular positivos. Esse achado demonstra que ocasionalmente o músculo de pacientes com síndrome maligna por neurolépticos pode mostrar as altera es encontradas na hipertermia maligna anestésica.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.