oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
UTILIZA O TECNOLóGICA DA FARINHA DE BOCAIUVA NA ELABORA O DE BISCOITOS TIPO COOKIE  [cached]
Angela Cristina KOPPER,Ana Paola Kin SARAVIA,Rosemary Hoffmann RIBANI,Gisele Maria Amim Caldas LORENZI
Alimentos e Nutri??o , 2010,
Abstract: A Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. Ex Mart. popularmente conhecida como macauba ou bocaiuva, é uma palmeira encontrada em quase todo território brasileiro. Seu fruto pode ser consumido tanto na forma in natura quanto na forma processada de farinha. O presente trabalho teve como objetivos caracterizar a farinha de bocaiuva (FB), bem como estudar a utiliza o desta no desenvolvimento de biscoitos tipo cookie avaliando sua composi o centesimal e características sensoriais. Foram elaboradas seis formula es de biscoito onde a FB substituiu a farinha de trigo nos níveis de 10% e 15%. A FB mostrou-se uma excelente fonte de calorias, rica em lipídios, fibras, carboidratos e vitamina A. A substitui o da farinha por 15% de FB nas formula es, resultou em biscoitos classificados como alimentos fontes de fibras (3,46 a 3,88 g fibras em 100 g de produto). O conteúdo de vitamina A dos biscoitos adicionados de FB variou de 13,20 a 23,40 RAE/100g. Os resultados obtidos na avalia o sensorial demonstraram que os biscoitos formulados com diferentes níveis de FB foram bem aceitos pelos julgadores.
Caracteriza??o biométrica, física e química de frutos da palmeira bocaiuva Acrocomia aculeata (Jacq) Lodd
Sanjinez-Argando?a, Eliana Janet;Chuba, Carlos Alberto Machado;
Revista Brasileira de Fruticultura , 2011, DOI: 10.1590/S0100-29452011000300040
Abstract: fruits of the bocaiuva palm - acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. - collected at dourados (ms) and presidente epitácio (sp), were analyzed in relation to the biometric characteristics chemical composition and physical characteristics, in order to evaluate the food potential. the bocaiuva fruits showed no significant differences in the biometric characteristics. the average yield of pulp was 42% compared to the whole fruit, higher than found in the literature for other fruits of palm trees. the physical and chemical characteristics of the fruit pulps from ms and sp regions showed that the pulp was little acid (ph 5.70 to 6.29). samples from dourados were sweeter (14.53% of total reducing sugars) and had higher content of vitamin c (34.57 mg.100g-1) than samples from presidente epitácio (11.46 mg.100g-1). however, the intensity of the yellow-orange was higher in the pulp from presidente epitácio indicating higher content of carotenoids in the later.
Cultivo de embri es de tomate in vitro visando a introgress o de genes de Lycopersicon peruvianum em L. esculentum  [cached]
Arag?o Fernando A. S.,Ribeiro Cláudia S. da C.,Casali Vicente Wagner D.,Giordano Leonardo de B.
Horticultura Brasileira , 2002,
Abstract: Estudou-se diferentes protocolos de germina o e manuten o de híbridos interespecíficos (Lycopersicon esculentum X L. peruvianum) pela melhoria das condi es de cultura in vitro bem como da aclimata o das plantas germinadas. Quanto à regenera o dos embri es, três formula es de meios de cultura para resgate de embri o foram avaliadas, em combina o com distintos períodos de tempo. A recupera o de híbridos interespecíficos foi influenciada pelo meio de cultura utilizado para o plaqueamento das sementes e pelo intervalo entre a poliniza o artificial e o plaqueamento. O meio HLH proporcionou os melhores resultados. O intervalo entre 25 e 35 dias após a poliniza o foi determinado como sendo o período ideal para recupera o. Para aclimatiza o, foram avaliadas plantas de L. esculentum, L. peruvianum, híbridos interespecíficos (F1) e das gera es RC1 e RC2. O processo de aclimatiza o foi influenciado pelo tamanho das gemas utilizadas na repicagem anterior à aclimatiza o, pelos materiais genéticos utilizados e pelo tempo de manutenc o das plantulas em tubo de ensaio. A gerac o F1 apresentou a melhor capacidade de aclimatiza o. O período ideal para aclimatiza o variou entre 26 e 35 dias após a repicagem em tubo de ensaio. As aclimatiza es realizadas sob condi es ambientais amenas, alcan aram êxito total quanto à sobrevivência das plantulas.
Brassinosteróide e substratos na aclimatiza o do abacaxizeiro ‘Imperial’ = Brassinosteroid and substrates in acclimatization of ‘Imperial’ pineapple
Paulo Henrique Arag?o Catunda,Claudia Sales Marinho,Mara Menezes de Assis Gomes,Almy Junior Cordeiro de Carvalho
Acta Scientiarum : Agronomy , 2008,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da aplica o de diferentes concentra es de um análogo de brassinosteróide (BIOBRAS – 16) e de dois substratos sobre o crescimento de mudas micropropagadas do abacaxizeiro ‘Imperial’. O experimento foi conduzido em DBC, em esquema fatorial 2 x 5 x 4, no qual foram avaliadas cincoconcentra es do BIOBRAS - 16 (0; 0,1; 0,3; 0,5 e 1 mg L-1), dois tipos de substratos e quatro épocas de amostragem (60, 90, 120 e 150 dias após transplantio). Os substratos utilizados foram o Plantmax e outro substrato obtido pela compostagem de uma mistura entre o baga o-de-cana e torta de filtro (BT). As plantulas foram transplantadas para tubetes c nicos em casa-de-vegeta o equipada com nebulizadores intermitentes. As plantas cultivadas no substrato BT e pulverizadas com 0,1 mg L-1 do BIOBRAS - 16 apresentaram maior crescimento da parte aérea, com maior número de folhas, diametro de roseta, largurade folha, massa fresca e massa seca, aos 150 dias após transplantio. Nas plantas cultivadas no substrato BT as pulveriza es com o BIOBRAS-16 a 0,1 mg L-1 proporcionaram acúmulo de matéria seca 2,8 vezes superior ao valor da testemunha cultivada no substrato Plantmax . A massa fresca e seca de raízes foram superiores no substrato Plantmax em rela o ao BT, nas últimas épocas de amostragem. This work aimed to evaluate the effects of different concentrations of a brassinoesteroid analogue (BIOBRAS-16) and two substrates on the growth of micropropagated seedlings of ‘Imperial’ pineapple. A randomized block design was used in a 2 x 5 x 4 factorial scheme, evaluating five concentrations of BIOBRAS-16 (0; 0.1; 0.3; 0.5and 1 mg L-1), two types of substrates and four sampling periods (60, 90, 120 and 150 day safter planting). The substrates used were Plantmax and another obtained from a mix of composting sugar-cane bagasse and filter cake (CC). The seedlings were transplanted tosmall conic tubes and allocated in a greenhouse equipped with an intermittent mist. The plants cultivated in CC substrate and sprayed with 0.1 mg L-1 of BIOBRAS-16 showed higher growth of shoots with greater numbers of leaves, rosette diameter, leaf width, freshand dry matter production at 150 days after planting. The plants that were cultivated on CC substrate and sprayed with BIOBRAS-16 at a 0.1 mg L-1 produced 2.8 times more dry matter than the control cultivated in Plantmax substrate. The fresh and dry matter of roots were superior in Plantmax when compared to CC at late sampling periods.
Sacarose e período de cultivo in vitro na aclimatiza o ex vitro de ginseng brasileiro (Pfaffia glomerata Spreng. Pedersen)  [cached]
Skrebsky Etiane Caldeira,Nicoloso Fernando Teixeira,Ferr?o Gregori da Encarna??o
Ciência Rural , 2004,
Abstract: Pfaffia glomerata (Spreng.) Pedersen é uma planta extensivamente usada na medicina popular em decorrência de possuir propriedades fitoterápicas. Devido à sua baixa capacidade fotossintética, as plantas cultivadas in vitro requerem uma fonte extra de carboidratos para suprir suas necessidades metabólicas. O tempo de cultivo in vitro influencia as taxas de crescimento das raízes e da parte aérea de P. glomerata. Este trabalho teve como objetivos avaliar os efeitos da sacarose e do período de cultivo in vitro na aclimatiza o ex vitro de plantulas de P. glomerata. Os tratamentos consistiram de uma combina o bifatorial (5x2) entre cinco concentra es de sacarose (15, 30, 45, 60 e 75g L-1) e dois períodos de cultivo in vitro (25 e 32 dias após a inocula o). No cultivo in vitro, a parcela experimental consistiu de um tubo de ensaio contendo 10mL de meio MS e um segmento nodal, obtidos de plantulas mantidas in vitro, de 1,0cm de comprimento e sem folhas. O procedimento de aclimatiza o consistiu de quatro fases sucessivas de cultivo ex vitro: (i) abertura dos tubos de ensaio e exposi o das plantulas ao ambiente de camara climatizada por três dias; (ii) transplantio para substrato Plantmax e cultivo em condi es de camara climatizada por 21 dias; (iii) transferência das mudas para ambiente natural parcialmente sombreado, com dura o de 24 dias; e (iv) transplantio para solo em condi es de cultivo a campo. O maior crescimento das plantas obtido pelo aumento da disponibilidade de sacarose (concentra es entre 45 e 60g L-1) no cultivo in vitro contribuiu para a aclimatiza o. Independente do período de retirada das plantas do cultivo in vitro, as mudas obtiveram adequada aclimatiza o. O procedimento de aclimatiza o foi 100% eficiente na produ o de mudas de P. glomerata.
Substratos na aclimatiza o de Pfaffia glomerata (Spreng) Pedersen produzida in vitro sob diferentes doses de sacarose  [cached]
Skrebsky Etiane Caldeira,Nicoloso Fernando Teixeira,Maldaner Joseila
Ciência Rural , 2006,
Abstract: Este trabalho teve como objetivo selecionar substratos para a aclimatiza o de plantulas de Pfaffia glomerata produzidas in vitro sob diferentes concentra es de sacarose. Os tratamentos consistiram de uma combina o bifatorial (5x3) entre cinco doses de sacarose (15, 30, 45, 60 e 75g L-1), presentes no meio de cultura in vitro, e três substratos [Plantmax Hortali as, Plantmax + Solo (1:1 v/v) e Vermiculita (granulometria média) + Solo (ARGISSOLO VERMELHO Distrófico arênico) (1:1 v/v)] utilizados na aclimatiza o ex vitro. Foram realizadas determina es das características físicas e químicas dos substratos, bem como avalia es do crescimento e da sobrevivência das plantas tanto durante o cultivo in vitro como no ex vitro. Plantas provenientes do cultivo in vitro na presen a de 45 a 60g L-1 de sacarose apresentaram melhor aclimatiza o ex vitro. As combina es dos substratos Vermiculita + solo (1:1 v/v) e Plantmax + solo (1:1 v/v) proporcionaram maior crescimento às plantas durante a última fase de aclimatiza o (cultivo sob sombrite), provavelmente devido a possuírem maior porosidade total. Entretanto, o uso isolado de Plantmax aumentou a sobrevivência das plantas cultivadas a campo, fato relacionado a esse substrato possuir os maiores valores de capacidade de reten o de água, de água facilmente disponível e de água disponível.
Baixa temperatura para explantes do porta-enxerto de macieira 'Marubakaido' in vitro durante a aclimatiza o  [cached]
Pereira Jonny Everson Scherwinski,Fortes Gerson Renan de Luces,Silva Jo?o Baptista da
Scientia Agricola , 2001,
Abstract: O processo de aclimatiza o da macieira leva a uma parada no crescimento vegetativo das plantas que pode perdurar por alguns meses. Com o objetivo de maximizar o crescimento de plantas durante a aclimatiza o, brota es do porta-enxerto de macieira 'Marubakaido', originárias de cultivo in vitro, com 1,0 a 2,0 cm de comprimento, foram inoculadas e mantidas em meio "MS" por 0; 240; 480; 720; 960; 1200 e 1440 horas, sob temperatura de 4±1°C, fotoperíodo de 16 horas e intensidade luminosa de 4,2 μmoles m-2 s-1. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados com cinco repeti es. Após os tratamentos, as brota es foram enraizadas e transplantadas para casa de vegeta o, onde crescimento, número de gemas e comprimento dos entrenós foram avaliados, quinzenalmente, por um período de 90 dias. A percentagem de sobrevivência também foi avaliada após um mês de aclimatiza o. Brota es submetidas à baixa temperatura por 720 h proporcionaram maior crescimento e comprimento dos entrenós das plantas. Contudo, afetaram negativamente o aspecto das brota es in vitro, causando um decréscimo na percentagem de sobrevivência das plantas, durante o período de aclimatiza o.
Aclimatiza o de porta-enxertos de Prunus sp. micropropagados  [cached]
Rogalski Marcelo,Moraes Liziane Kadine Antunes de,Felisbino Claudia,Crestani Leandro
Revista Brasileira de Fruticultura , 2003,
Abstract: A fase de aclimatiza o é considerada limitante para a maior parte das plantas micropropagadas pelas altas taxas de perdas que podem acarretar. A cultura in vitro tem determinado, para algumas espécies, a altera o de características morfológicas, anat micas e fisiológicas que dificultam a sua aclimatiza o. O objetivo deste trabalho foi avaliar a sobrevivência de plantas dos porta-enxertos de Prunus Capdeboscq e GF677, e das sele es VP411 e VP417 durante o processo de aclimatiza o. Brotos com 2-3 cm foram inoculados em meio de cultura Lepoivre, suplementado com 0,1; 0,5; 1,0 e 2,0 mg.L-1 de AIB. Após 15 dias as plantas foram transferidas para bandejas alveoladas contendo substrato comercial Plantmax , cobertas com uma lamina de vidro transparente e mantidas em sala de aclimatiza o, com temperatura de 27±1oC, fotoperíodo de 16 horas, intensidade luminosa de 60mmol.m-2.s-1 e posteriormente em camara de nebuliza o intermitente. A percentagem de sobrevivência das plantas foi afetada significativamente pela concentra o de AIB, pelo genótipo e pela intera o concentra o de AIB x genótipo. As maiores taxas de sobrevivência foram de 92% para o porta-enxerto Capdeboscq na concentra o de 1,0 mg.L-1 de AIB; 80% para a sele o VP417 com 0,5 mg.L-1; 84% para a sele o VP411 e 64% para o porta-enxerto GF677, ambos com 0,1 mg.L-1 de AIB. A forma o de calos na base dos explantes afetou negativamente a sobrevivência das plantas.
Tangerineira ‘Cleópatra’ submetida a micorriza o e a um análogo de brassinosteróide = ‘Cleópatra’ mandarin submitted to mycorrhization and to a brassinosteroid analogue
Jalille Amim Altoé,Cláudia Sales Marinho,Rodrigo de Almeida Muniz,Luciana Aparecida Rodrigues
Acta Scientiarum : Agronomy , 2008,
Abstract: O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de diferentes concentra es de um análogo de brassinosteróide e a inocula o com o fungo micorrízico Ac aulospora scrobiculata (FMA) sobre o crescimento e estado nutricional da tangerineira ‘Cleópatra’, da semeadura àrepicagem. O experimento foi realizado em condi es de casa de vegeta o na Universidade Estadual do Norte Fluminense. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados, em esquema fatorial 5x2 com quatro repeti es, sendo cinco concentra es de um análogo de brassinosteróide, Biobras-16 (0,0; 0,1; 0,5; 0,75 e 1,00 mg L-1) e com ou sem inocula o com FMA. A inocula o com o FMA promoveu maior crescimento em altura, número de folhas, diametro do caule, área foliar e na massa seca das folhas e do caule. O Biobras-16 promoveu efeito benéfico no diametro do caule. Os conteúdos de P, K, Fe e Mnforam mais elevados nas plantas inoculadas. Os resultados mostraram que a associa o dos dois fatores estudados modificam o crescimento do porta-enxerto. The objective of this study was to evaluate the effects of different concentrations of a brassinosteroid analogue and inoculation of the vesiculararbuscular mycorrhizal fungi (AMF) Acaulospora scrobiculata on the ‘Cleópatra’ mandarin from the sowing until transplant point. The experiment was conducted under greenhouse conditions at Universidade Estadual do Norte Fluminense. The experimental designutilized was a randomized block with a 5x2 factorial scheme with 4 replications, using 5 concentrations of a brassinosteroid analogue, Biobras-16 (0.0; 0.1; 0.5 and 1.00 mg L-1) and with or without AMF inoculation. The AMF inoculation caused increment in height,number of leaves, diameter of the stem, leaf area and dry mass of the leaf and stem. The Biobras-16 promoted an increment of the diameter of the stem. The P, K, Fe and Mn contents were higher in the AMF inoculated plants. Results show that the association of the two factors studied modifies the growth of rootstock.
Enraizamento ex vitro e aclimatiza o do porta-enxerto de macieira marubakaido micropropagado  [cached]
MACIEL SCHEILA DA CONCEI??O,VOLTOLINI JOSé AFONSO,PEDROTTI ENIO LUIZ
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a resposta ao enraizamento e à aclimatiza o do porta-enxerto de macieira Marubakaido micropropagado e submetido a diferentes substratos e condi es de aclimatiza o antes da transferência para o viveiro. A indu o ao enraizamento foi realizada ex vitro, imergindo 1,0 cm das bases das microestacas em uma solu o de 1g.L-1 de AIB (ácido indolbutírico) durante 10 segundos. Os tratamentos utilizados foram de 0; 10; 15; 20 e 30 dias na sala de aclimatiza o, com posterior transferência para a camara de nebuliza o, ali permanecendo até completar 30 dias. Como substratos, foram utilizadas as combina es de Terra Roxa Estruturada e Vermicomposto (TRE:V) e Terra Roxa Estruturada e Casca de Arroz Carbonizada (TRE:CAC), na propor o de 1:1 (v:v). Após 30 dias, foram avaliados o enraizamento, a sobrevivência e o crescimento das mudas, que foram ent o transferidas para casa de vegeta o. Após 60 dias de cultivo na casa de vegeta o, foram avaliados o número de folhas e a altura da parte aérea, e, após 90 dias, foram repetidas as avalia es efetuadas aos 30 dias. Aos 30 dias, a percentagem de enraizamento no substrato TRE:V foi de 78 % e no substrato TRE:CAC foi de 99%. Essa percentagem diminuiu para 64% no substrato TRE:V e 83% no substrato TRE:CAC aos 60 dias, e manteve-se estável aos 90 dias. O número médio de raízes foi maior em mudas que permaneceram 20 dias em sala de aclimatiza o e 10 dias em camara de nebuliza o, com 16 raízes no tratamento que manteve 0 dia na sala de aclimatiza o e 30 dias na camara de nebuliza o com 14 raízes. O maior crescimento médio das raízes (8,2 cm) aos 90 dias foi no substrato TRE:CAC. O substrato TRE:V possibilitou os melhores resultados médios para parte aérea. Os resultados obtidos indicam a possibilidade de enraizar este porta-enxerto ex vitro, em substrato, simultaneamente com a aclimatiza o em camara de nebuliza o.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.