oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Gasto privado com saúde por classes de renda  [cached]
KILSZTAJN SAMUEL,CAMARA MARCELO BOZZINI DA,CARMO MANUELA SANTOS NUNES DO
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 2002,
Abstract: OBJETIVO: O artigo analisa a participa o do gasto privado com saúde das famílias no PIB e no total da renda familiar per capita e a distribui o do gasto privado com saúde das famílias por classes de renda. MéTODOS: A pesquisa utilizou os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 1998, com a divis o da popula o em quatro classes de renda familiar per capita e a distribui o dos gastos em planos de saúde, consultas médicas, consultas com outros profissionais de saúde, exames, medicamentos, artigos ortopédicos e aparelhos médicos, óculos e lentes, odontologia, hospitais, enfermagem domiciliar e outros gastos com saúde. RESULTADOS: Apenas 7,2% da popula o com renda familiar per capita até 1 salário mínimo em 1998 tinha direito a algum plano de saúde, e o gasto privado com saúde das famílias desta classe, que representava 52,5% da popula o, era em média de R$ 5,36 por pessoa. Para as pessoas com renda familiar per capita acima de 9 salários mínimos, os planos de saúde atingiam 83,2% da popula o e o gasto privado com saúde das famílias R$ 133,04. CONCLUS ES: A implanta o do Sistema único de Saúde foi acompanhada pelo crescimento expressivo dos planos de saúde nos anos 90. Mesmo se todo o gasto público com saúde fosse destinado à popula o sem planos de saúde, ainda assim o gasto destas pessoas em 1998 só alcan aria R$ 352,62, ou seja, 43% do gasto com saúde das pessoas com planos, R$ 819,08.
PERCEP ES ACERCA DO INVESTIMENTO SOCIAL EMPRESARIAL  [cached]
Djair Pereira,Antonio Carlos Gil
Revista PRETEXTO , 2009,
Abstract: Esta pesquisa tem como objetivo verificar percep es de dirigentes de organiza es sem fins lucrativos, da Regi o do Grande ABC Paulista, acerca do investimento social empresarial. Trata-se de um levantamento de cunho exploratório, realizado com 25 dirigentes. Para esses dirigentes, as empresas da regi o est o se envolvendo com projetos de responsabilidade social, motivadas pela oportunidade de divulga o da sua imagem e do fortalecimento da marca dos seus produtos e servi os. Por essa raz o, tendem a realizar investimentos de responsabilidade social, preferencialmente em projetos que lhes deem visibilidade no mercado. Daí a necessidade do estabelecimento de alian as estratégicas entre as Organiza es Sem Fins Lucrativos e as empresas.
Gasto público social en Venezuela: una historia de ganadores o perdedores?
José Manuel Puente
Revista Venezolana de Análisis de Coyuntura , 2001,
Abstract: Venezuela, al igual que otros países de América Latina, ha sufrido una severa contracción fiscal durante el último cuarto de siglo. El gasto público venezolano ha caído de 35 % en 1974 a 24 % del PIB en el a o 2000, una magnitud equivalente a los porcentajes de los a os setenta previos al shock petrolero de 1973-74. El declive en términos per cápita ha sido aun mas sorprendente: 23 por ciento sólo en la última década. Como pudo haber afectado esta contracción fiscal las asignaciones presupuestarias en el área social? Quiénes fueron los ganadores y perdedores de este proceso? Por qué algunos programas presupuestarios fueron mas protegidos que otros? El propósito de este articulo es responder a estas interrogantes y derribar algunos de los mitos existentes en torno al comportamiento del gasto social en Venezuela.
Gasto privado com saúde por classes de renda
KILSZTAJN, SAMUEL;CAMARA, MARCELO BOZZINI DA;CARMO, MANUELA SANTOS NUNES DO;
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 2002, DOI: 10.1590/S0104-42302002000300041
Abstract: background: this paper analyses the share of the family private health expenditures in the brazilian gdp and in personal income; and the distribution of the family private health expenditures among social groups. methods: the research utilized the 1998 brazilian home sample survey (pesquisa nacional por amostra de domicilios) with the division of the population into four social groups according to the family income per capita; and the distribution of the family private health expenditures among health insurance, physicians, other health professionals, medical tests, drugs, orthopedic and other medical durables, vision products, dental services, hospital care, nursing home care and other health spending. results: in 1998, only 7.2% of the population with family income per capita up to 1 minimum wage had health insurance and the health expenditures of this group, that represented 52.5% of the population, was us$ 4.62 per capita. for the people with 9 and more minimum wages per capita the health insurance coverage was 83.2% and the health expenditures was us$ 114.66 per capita. conclusions: the implementation of the brazilian public universal health care system in 1988 denominated "sistema unico de saude" was followed by an expressive expansion of private insurance coverage in the 1990's. even if all public health expenditures had been exclusively directed to the population without any private insurance, these people's health expenditures would only reach 43% of the health expenditures of those with private insurance.
Es equitativo el gasto social en salud?  [cached]
Vargas Yara Gustavo
Cuadernos de Economía , 2004,
Abstract: En este artículo se hace un análisis de la equidad en el gasto público en salud a partir de la información de la Encuesta Nacional de Hogares de marzo de 2000. Se encontró que luego de siete a os de promulgada la Ley 100 de 1993, existen avances importantes en materia de seguramiento en salud y distribución de subsidios en el régimen subsidiado. No obstante, se presentan algunas iniquidades relacionadas con la focalización y la demanda de servicios. También se mide el impacto de los subsidios a la salud sobre el ingreso de los hogares mediante el efecto redistributivo, cálculo que muestra un resultado importante pero limitado.
Notas preliminares de uma crítica feminista aos programas de transferência direta de renda: o caso do Bolsa Família no Brasil = Preliminary notes of a feminist critique to income transference programs: the case of “Bolsa Familia” in Brazil
Gomes, Simone da Silva Ribeiro
Textos & Contextos (Porto Alegre) , 2011,
Abstract: Nos últimos anos, os programas de “luta contra a pobreza” e transferência direta de renda est o presentes na maioria dos países latino-americanos. A partir do primeiro ano de governo do presidente Lula (2003), o Brasil enfatiza esta forma de política social, ao unificar diferentes modelos de transferência do governo anterior (1995-2002) em um só programa: o Bolsa Família. O artigo em quest o busca expor a crítica da regula o da pobreza e o impacto das condicionalidades referentes a esta lógica de interven o na reprodu o social de um grupo específico. A rela o entre o Estado e as mulheres – responsáveis únicas pelo sustento financeiro de suas casas e, majoritariamente, as maiores beneficiárias destes programas – é caracterizada por atravessamentos em termos de classe social, gênero e ra a. Ao apresentar a perspectiva feminista, o artigo procura abrir uma série de quest es ao analisar como as condicionalidades impostas pelo Programa Bolsa Família tendem a naturalizar o papel reprodutivo das mulheres na sociedade brasileira, limitando seu espa o de agenciamento e emancipa o.
O risco e as estratégias de avalia o dos fundos de investimento de renda variável / El riesgo y las estrategias en la evaluación de los fondos de inversión de renta variable  [cached]
Silvia Bou Ysás
Revista Organiza??es em Contexto , 2006,
Abstract: O objetivo deste trabalho em consiste prop r uma medida de desempenho adaptada para os fundos de investimento de renda variável. As características específicas desse tipo de portfólios induzem a fazer por meio de uma aproxima o baseada no L.M.C., raz o por que o risco total do portfólio é escolhido como medida de risco . Introduz o passivo e as estratégias ativas na análise, o que pode desenvolver uma medida de desempenho, que, além de medir o rendimento pela gerência efetiva, ainda busca-se medir o grau de suposta atividade pelo portfólio a avaliar.
Políticas compensatórias versus emancipatórias: desafios para implementa o de programas de gera o de renda às famílias em situa o de risco Compensatory versus emancipatory policies: challenges for implementing an income generating program for families at risk
Elisiane Sartori,Carlos Henrique Menezes Garcia
Revista de Administra??o Pública , 2012, DOI: 10.1590/s0034-76122012000200005
Abstract: A partir de uma ampla pesquisa de campo, junto a famílias pertencentes ao Programa de Erradica o do Trabalho Infantil na cidade de Campinas, buscou-se compreender como vivem e a influência do programa em suas vidas. Para tanto, a argumenta o movimentou-se em torno de dois eixos analíticos: em primeiro lugar, mostrou que programas de transferência direta de renda às famílias mais pobres que possuem como contrapartida a inser o e permanência da crian a e do adolescente na escola conseguem realmente garantir maior e melhor nível de desempenho escolar. Em segundo lugar, mostrou que programas sociais com vieses mais compensatórios do que emancipatórios n o propiciam a autonomia das famílias, o que as deixa numa situa o crítica de dependência permanente, podendo até afetar suas próximas gera es. This research aims to understand how families attended by the Childlike Work Eradication Program live and how they are influenced by it. The research is based on an extensive field work. For that, the argumentation moved around two analytical approaches. In first place, it is showed the effectiveness of direct income transfer programs for the poorest families. In exchange these families have to keep their children and teenagers in school, resulting in higher school attendance. In second place, it is showed that social programs focused on compensatory tendencies do not favor the families' autonomy, in comparison to emancipator tendencies. Compensatory tendencies programs actually insert the families into a critical permanent dependency, which can affect future generations.
A forma o do capital social em uma comunidade de baixa renda.  [cached]
Souto-Maior Fontes, Breno Augusto,Eichner, Klaus
REDES : Revista Hispana para el Análisis de Redes Sociales , 2004,
Abstract: Este artigo objetiva analisar as inser es em redes egocentradas de indivíduos de uma comunidade de baixa renda na cidade do Recife. A partir de algumas considera es iniciais sobre redes egocentradas, ensaiamos uma análise de redes construídas em uma comunidade de baixa renda. Os dados de que dispomos para análise foram extraídos de uma pesquisa empírica em uma comunidade de baixa renda na cidade do Recife. O nosso objetivo é verificar o qu o de particular existe nessas popula es de baixa renda, e o que se pode extrair de regularidades em redes egocentradas, e também observar, a partir de índices de capital social construídos, que posi es diferenciadas na estrutura social podem existir quando se introduz a variável "rede social". Interessa-nos particularmente discutir as hipóteses de FLAP sobre rela es sociais como recursos ou como capital. Os índices construídos nos remeter o a três grandes blocos de quest es: (a) o número de rela es onde se inscrevem capacidades potenciais para ajudas; (b) a extens o das redes de ajuda, fun o da intensidade das rela es; e (c) os recursos que podem ser alocados a partir dessas rela es. As bases empíricas desse artigo dizem respeito a informa es extraídas de redes egocentradas da comunidade de Ch o de Estrelas, Recife. Foram aplicados 295 questionários, a partir de amostra aleatória simples em um universo de 1.131 domicílios (sendo escolhida uma pessoa adulta por domicílio).
La Vulnerabilidad Fiscal del Gasto Social: ?Es Diferente America Latina?
Lora,Eduardo;
Revista de análisis económico , 2009, DOI: 10.4067/S0718-88702009000100001
Abstract: an unbalanced panel data of around fifty countries between 1985 and 2003 is used to estimate the vulnerability of public social expenditures (health and education) to other fiscal variables. the database allows comparisons between latin america and the rest of developing countries. public social expenditure is significantly lower in latin america as share of gdp, although it has a higher share in primary expenditure. public social expenditures in latin america are more vulnerable to debt service, but are less sensible to changes in other types of public expenditure. as in other regions in the developing world, public social expenditure in latin america shrinks when public debt stock increases. this effect is higher with multilateral debt obligations. in latin america, debt defaults reduce the share of public social expenditures in total primary public expenditure.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.