oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Bachelard e a experiência poética como dimens o educativa da arte  [cached]
Sandra Richter
Educa??o : Revista do Centro de Educa??o UFSM , 2006,
Abstract: Para interrogar que “imagina o” é essa que promove a propalada “criatividade” enquanto fen meno que especifica – e justifica – a inser o da arte na educa o, o estudo detém-se na fenomenologia bachelardiana da forma o das imagens na leitura poética a qual promove a abertura para o estudo da imagina o – a partir do ponto de vista da imagina o material – em seu poder de metamorfosear imagens que engendram o acontecimento da linguagem. Aprofundar estudos sobre a complexa rela o entre corpo, imagem e palavra torna-se estratégia para pensar a especificidade que envolve processos de cria o plástica e o dilema da dimens o educativa da arte: o que afinal aprende-se em arte? A importancia do pensamento de Gaston Bachelard para o campo de estudos da Educa o e Arte emerge da afirma o que a aprendizagem em arte se caracteriza por viabilizar, a partir da diversidade das manifesta es do tempo nos processos de cria o, a experiência da metamorfose. A experiência poética ensina ao pensamento – e à pedagogia – a lidar com as temporalidades simultaneas que exigem a tomada de decis o de iniciar um gesto no mundo. é da dimens o poética da arte arriscar-se a configurar instantes que revivificam entusiasmos que duram no corpo porque promovem a confian a que engendra a determina o do agir em linguagens para configurá-los. Palavras-chave: Tempo. Devaneio Operante. Gaston Bachelard.
Empenos em substratos durante o processo de encapsulamento de memórias  [cached]
Elsa Wellenkamp de Sequeiros
Ciência & Tecnologia dos Materiais , 2009,
Abstract: Na produ o de memórias, os empenos (warpage) devem-se sobretudo a diferen as no coeficiente de expans o térmica dos materiais que constituem as memórias: die, substrato, adesivo, fios de ouro, epoxy mold compound (EMC) e bolas de solda. Contudo, os empenos (tipicamente com valores de décimas de milímetro) variam com uma diversidade de factores: design do produto, dimens es dos materiais utilizados na montagem de memórias, etapas do processo, equipamentos, etc. Considerando o processo de Assembly da Qimonda PT, foram efectuadas diversas experiências num produto (512M T80 84) de forma a atingir os objectivos propostos. As medi es do nível de empenos nos substratos foram efectuadas recorrendo ao perfilómetro 3D NanoFocus. Após as medi es ao longo de todo o processo de Assembly, aferiu-se que as etapas críticas, isto é, com mais influência no nível de empenos e mais impacto em produ o, eram: Mold, Mold Cure e Solder Ball Attach (SBA). Esta foi primeira e a mais demorada fase do estudo. Todas as avalia es seguintes, relacionadas com a identifica o de outros factores que pudessem influenciar o nível de empenos, puderam assim ser restringidas às medi es efectuadas apenas a seguir às etapas mais críticas. Identificaram-se, assim, alguns factores que influenciam o nível de empenos: tempo e condi es de armazenamento (armários de nitrogénio ou condi es normais da sala limpa) entre as etapas críticas do processo: sistema anti-warpage e altera es na formula o de EMC. O aumento de tempo entre as etapas críticas do processo conduziu a um aumento do nível de empenos (em condi es ambientais de sala limpa). O armazenamento dos lotes (entre etapas) em armário de nitrogénio reduziu o nível de empenos. A n o activa o (falha) do sistema de anti-warpage pode levar a um incremento do nível de empenos na ordem dos 200μm. Altera es no módulo de contrac o do EMC (induzidas por uma varia o da dimens o média das fibras) alteram o nível de empenos. Para 3 produtos de diferente ocupa o média de silício (%SOR), a utiliza o da formula o de EMC com menor módulo de contrac o induziu melhorias expressivas no nível de empenos, durante as etapas críticas. Outros factores testados n o demonstraram impacto significativo no nível de empenos: fornecedores de substratos e arrefecimento for ado após a etapa de Mold Cure. No entanto, o arrefecimento for ado mostrou ter impacto positivo na produ o (por redu o do cycle time). Warpage of electronic memories during manufacture may be caused by differences in the coefficient of thermal expansion of the materials used: die, substrat
Editorial
José Edson Lara
Revista Gest?o & Tecnologia , 2010,
Abstract: No contexto da economia e da sociedade contemporaneas, mais que qualquer outra dimens o, face ou aspecto, reconhece-se como necessário pensar e atuar na realidade da trajetória evolutiva de constru o do conhecimento. Neste sentido, a premissa é que o conhecimento evolui em ciclos de natureza, diversidade e intensidade variáveis em rela o ao tempo.
Editorial  [cached]
José Edson Lara
Revista Gest?o & Tecnologia , 2007,
Abstract: No contexto da economia e da sociedade contemporaneas, mais que qualquer outra dimens o, face ou aspecto, reconhece-se como necessário pensar e atuar na realidade da trajetória evolutiva de constru o do conhecimento. Neste sentido, a premissa é que o conhecimento evolui em ciclos de natureza, diversidade e intensidade variáveis em rela o ao tempo.
Discurso e Cinema: uma análise de LIMITE  [cached]
Tania C. Clemente de Souza
Ciberlegenda , 2001,
Abstract: A primeira vez que vi LIMITE, de Mário Peixoto, ainda n o tinha lido nada a respeito do filme. Três aspectos básicos me surpreenderam: a beleza da fotografia; a no o de tempo, trabalhada em duas dimens es: o cronológico e o psicológico e a narrativa, conduzida por essas duas dimens es do tempo.
Diversidade da recupera o de informa es via internet na pesquisa e ensino
Marli Dias de Souza Pinto,Ursula Blattmann,Márcia Silveira Kroeff,Ana Maria Delazari Trist?o
Revista ACB , 2004,
Abstract: [Portuguese]Argumenta a diversidade de informa es disponibilizadas na Internet tanto para a pesquisa como para o ensino. Apresenta estratégias ao usuário para lidar com o acervo qualitativo on-line com intuito de realizar suas atividades de busca e recupera o da informa o e conseqüentemente ampliando suas competências e habilidades nesse ambiente da informa o on-line. Sugere aspectos práticos no gerenciamento de documentos on-line. Recomenda aplica o de critérios de avalia o de documentos para proporcionar o acesso e evitar o excesso de informa es. Descreve o uso da Internet em cursos de stricto-sensu Mestrado em Engenharia Civil, Educa o Física e Administra o. [English]Argue about the information diversity disposable in the Internet for researching and teaching. Presents strategies for the user to deal with information on-line quantity with intention to reach through activities and increase ability and competencies to recovery and access information. Give some examples about practical steps to deal with on-line document management. It recommends evaluation criteria for documents to provide access and to prevent the information overload. Describes internet use at three masters courses (stricto-sensu) Civil Engineering, Physical Education and Business Administration.
As críticas de Axel Honneth e Nancy Fraser à Filosofia Política de Jürgen Habermas  [PDF]
Lubenow, Jorge Adriano
Veritas , 2010,
Abstract: O artigo apresenta os argumentos centrais da política deliberativa de Jürgen Habermas (1), e as perspectivas críticas de Axel Honneth (2) e Nancy Fraser (3) de forma a conferir à política habermasiana uma dimens o mais realista, um conteúdo político de vínculo mais concreto com a orienta o emancipatória da práxis, e capaz de lidar melhor com a diferen a, a diversidade e o conflito.
DIMENS O GERENCIAL DO TRABALHO DO ENFERMEIRO EM UM SERVI O HOSPITALAR DE EMERGêNCIA  [cached]
José Luís Guedes dos Santos,Maria Alice Dias da Silva Lima
Revista de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria , 2011,
Abstract: RESUMO: Estudo com objetivo de analisar a dimens o gerencial do processo de trabalho do enfermeiro em um servi o hospitalar de emergência. Pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso aprovada pelo Comitê de ética da institui o de referência (09-151). Os dados foram coletados entre junho e setembro de 2009, mediante observa o participante e entrevistas com 22 enfermeiros do Servi o de Emergência de um Hospital Universitário do Rio Grande do Sul – RS, e analisados a partir da técnica de análise de conteúdo temática. O trabalho dos enfermeiros é constantemente influenciado por situa es inesperadas e pela procura por atendimento, que variam em diversidade e complexidade. A dimens o gerencial do trabalho do enfermeiro contempla a realiza o e o planejamento do cuidado, a previs o e provis o de recursos para o bom funcionamento da unidade e a lideran a, supervis o e capacita o da equipe de enfermagem. Os enfermeiros reconhecem a importancia do trabalho em equipe e sua responsabilidade na articula o das a es dos profissionais de saúde. A superlota o e manuten o da qualidade do cuidado s o os principais desafios gerenciais dos enfermeiros. As estratégias para superá-los incluem mudan as no fluxo de atendimento dos pacientes e na estrutura física da unidade e a reorganiza o do sistema de saúde para a aten o às urgências. Esses resultados podem colaborar com o trabalho dos enfermeiros possibilitando que reflitam sobre suas práticas e avancem na compreens o da gerência do cuidado como instrumento para a melhoria das práticas de aten o à saúde nos servi os de emergência.
A riqueza do tempo perdido  [cached]
Garcia Tania Maria F. Braga
Educa??o e Pesquisa , 1999,
Abstract: Este artigo apresenta análises produzidas a partir de investiga o etnográfica realizada em uma escola pública de ensino fundamental, localizada na periferia de Curitiba (PR). O material empírico foi obtido a partir de observa es realizadas durante um período de treze meses em uma sala de aula de terceira série, de entrevistas realizadas com a professora e com os alunos, e pelo exame de documentos. O foco recai sobre as práticas de uma professora bem sucedida e sobre a organiza o do tempo na sala de aula. As análises foram desenvolvidas a partir de três categorias: distribui o do tempo, momento oportuno e ritmo. Os resultados do estudo permitiram ampliar a compreens o sobre as rela es entre o tempo escolar, o ensino e a avalia o. Indicam a necessidade de se pensar a temporalidade da sala de aula a partir de duas dimens es - chronos e kairós - que, no caso em estudo, se coordenam e se ajustam na situa o de ensino, abrindo espa o para uma estratégia de trabalho que privilegia o atendimento individual aos alunos; e mostram, também, formas de uso do tempo que se apresentam como significativos espa os de produ o de rela es no cotidiano escolar.
Os valores dos administradores de empresas mudam ao longo da carreira? Rela es entre prioridades axiológicas e tempo de formado
Germano Glufke Reis,Fábio Alessandro Affonso Ant?nio,André Laizo dos Santos,Bernadete de Lourdes Marinho
Revista de Administra??o Mackenzie , 2010,
Abstract: A hierarquia de valores individuais orienta escolhas, atitudes e comportamentos, inclusive no ambito profissional. Um aspecto que tem merecido aten o de pesquisadores é compreender em que medida os valores (prioridades axiológicas) de uma pessoa sofrem mudan as ao longo do tempo, em diferentes estágios de sua vida e/ou carreira. Este trabalho teve por objetivo identificar a varia o dos valores individuais conforme o tempo de formado de administradores de empresas. Para isso, foi administrado o inventário de valores de Schwartz junto a uma amostra de 179 administradores de empresas, egressos da Faculdade de Economia, Administra o e Contabilidade da Universidade de S o Paulo, formados entre 1967 e 2008. A Anova foi calculada em nível dos tipos motivacionais de valores e das dimens es bipolares. Os resultados indicaram varia es no perfil axiológico dos sujeitos, à medida que aumenta o tempo de formado. Essa varia o avan a da prioriza o dos valores hedonismo e estimula o (abertura à mudan a), nos primeiros anos de formado, para uma ênfase maior nos valores seguran a, tradi o e conformidade (conserva o), em estágios mais avan ados da carreira. Também há um deslocamento da prioriza o de valores que atendem a interesses individuais (no início da carreira) para valores que atendem a interesses coletivos (em estágios posteriores). Outros resultados, bem como implica es e possíveis causas, também s o discutidos.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.