oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Diversidade alfa e beta no cerrado sensu strictu da Chapada Pratinha, Brasil
Felfili Maria Cristina,Felfili Jeanine Maria
Acta Botanica Brasilica , 2001,
Abstract: O bioma cerrado possui uma das mais ricas floras dentre as savanas mundiais com mais de 6000 espécies, abrange uma vasta extens o territorial, contém as três maiores bacias hidrográficas sul americanas, e se destaca pela elevada biodiversidade. O objetivo deste trabalho, que faz parte do Projeto Biogeografia do Bioma Cerrado, foi analisar as diversidades alfa e beta em comunidades de cerrado sensu stricto. Foram amostrados o Parque Nacional de Brasília, a Esta o Ecológica de águas Emendadas, a Area de Prote o Ambiental (APA) Gama-Cabe a de Veado, Silvania-GO, Paracatu-MG e Patrocínio-MG. A amostragem foi aleatória com 10 parcelas de 20x50m em cada área de estudo. Foram incluídas plantas lenhosas, exceto lianas, que tivessem no mínimo 5cm de diametro. Foi calculada a diversidade alfa pelo teste de Shannon & Wienner e o de Simpson. A diversidade beta foi calculada pelo índice de Whittaker que mede a mudan a ou taxa de substitui o na composi o de espécies de um local para outro. Foi efetuada a curva espécie-área para as 60 parcelas amostradas e efetuada a classifica o por TWINSPAN. O cerrado sensu stricto da Chapada Pratinha pode ser diferenciado em duas zonas fitogeográficas: Distrito Federal-Silvania e Paracatu-Patrocínio. Estas coincidem com um zoneamento por sistemas de terra que classifica a primeira zona como terras altas em contraposi o à segunda.
Composi o florística e fitossociologia do cerrado sentido restrito no município de água Boa - MT  [cached]
Felfili Jeanine Maria,Nogueira Paulo Ernane,Silva Júnior Manoel Cláudio da,Marimon Beatriz Schwantes
Acta Botanica Brasilica , 2002,
Abstract: O estudo foi conduzido no município de água Boa , no Vale do Araguaia, área de ecótono entre o Cerrado e Amaz nia, que apresenta um complexo vegetacional com o predomínio do cerrado. O objetivo deste trabalho foi estudar a composi o florística e a fitossociologia do cerrado sentido restrito na regi o. Foram alocadas dez parcelas de 20x50m (1000m2). Entraram na amostragem todos os indivíduos lenhosos com diametro no nível do solo igual ou superior a 5cm. Além da amostragem com identifica o in loco das espécies, foram efetuadas incurs es de coleta em áreas próximas, para ampliar o levantamento da composi o florística. Foram encontradas 34 famílias botanicas, contendo 60 gêneros e 80 espécies. A família Leguminosae apresentou o maior número de espécies (10), seguida por Myrtaceae (7), Vochysiaceae (6) e Malpighiaceae (5). Outras 19 famílias foram representadas por uma única espécie. As espécies com maior índice de Valor de Importancia foram Curatella americana L., Qualea parviflora Mart., Callisthene fasciculata Mart., Mezilaurus crassiramea (Meiss) Taub. e Byrsonima crassa Nied. Treze espécies estiveram representadas por um único indivíduo. A densidade foi de 995 indivíduos/ha e a área basal de 7,5 m2 /ha. O índice de Shannon encontrado (H') foi de 3,69, evidenciando a alta diversidade da área.
COMPOSI O E FRAGMENTA O DO CERRADO EM GOIáS USANDO SISTEMA DE INFORMA O GEOGRáFICA (SIG)  [cached]
Hélida Ferreira da Cunha,Anamaria Achtschin Ferreira,Divino Brand?o
Boletim Goiano de Geografia , 2007,
Abstract: Foram analisadas seis cartas contínuas do Estado deGoiás (Brasília, Iaciara, Goianésia, Goiania, Morrinhos eCampos Belos) a partir de imagens georreferenciadas, afim de se conhecer o status da composi o e fragmenta odo bioma cerrado em Goiás. Em cada carta, háunidades de conserva o que atuam como área controlepara compara o com a matriz remanescente. Essasimagens foram submetidas a classifica es supervisionadase re-classifica o para a separa o em ambientesdegradados (estrada, área urbana, queimada, pastagem,planta o etc.) e em preservados (campo, cerrado emata). A diversidade dessa paisagem, pelo índice deShannon Wienner é de 1,6, tendo uma equitabilidadede apenas 0,09. Verificamos que há cerca de 124 fragmentos.ha-1 nessa parcela de apenas 21,43% da áreade Goiás. O ambiente de Cerrado apresentou a maiordensidade de fragmentos (141,74.ha-1), encabe adopelo Cerrado de Campos Belos (227,04 fragmentos.ha-1), comparado com as outras cartas. O tamanho médiode fragmentos variou de 0,0625 ha até 65536 ha, sendoque cerca de 38,48% dos fragmentos s o de tamanhoigual ou inferior a 1,0 ha. De acordo com a rela o variancia/média e com o índice de Morisita, os fragmentosencontram-se agregados.
Varia es da fisionomia, diversidade e composi o de guildas da comunidade arbórea em um fragmento de floresta semidecidual em Lavras, MG  [cached]
Nunes Yule Roberta Ferreira,Mendon?a Andrea Vita Reis,Botezelli Luciana,Machado Evandro Luiz Mendon?a
Acta Botanica Brasilica , 2003,
Abstract: Este estudo teve como objetivo analisar diferen as na estrutura fision mica, na diversidade de espécies e na composi o de guildas da comunidade arbórea de setores de um fragmento de floresta semidecidual que se encontram em diferentes fases de regenera o e graus de exposi o à borda. O fragmento, que possui 5,8ha de área e está situado no município de Lavras, MG (21°13'40''S, 44°57'50''W), foi dividido em quatro setores e submetido a um censo das árvores com DAP > 5cm. Os setores foram comparados quanto à densidade, área basal, distribui o de alturas e de diametros, diversidade de espécies e freqüência de árvores por guildas de regenera o, estratifica o e dispers o. Os setores menos perturbados no passado, Interior Alto e Borda Alta, apresentaram maiores áreas basais e menores densidades de árvores (sobretudo das de menor tamanho), maiores propor es de árvores de espécies clímax tolerantes à sombra e de espécies de grande porte que os mais perturbados, Interior Baixo e Borda Baixa. Estas diferen as real am que os setores Altos est o em uma fase mais avan ada do processo de regenera o. Os setores de Borda tiveram maior freqüência de indivíduos de espécies com dispers o anemocórica que os de Interior. Cada setor de Borda teve maior diversidade de espécies que seu parceiro de Interior. Concluiu-se que os parametros analisados podem, em conjunto, servir como bons avaliadores da severidade da perturba o sofrida no passado, da fase regenerativa atual e do efeito borda.
Diversidade, estrutura e distribui o espacial de palmeiras em um cerrado sensu stricto no Brasil Central - DF  [cached]
Lima Edson S.,Felfili Jeanine M.,Marimon Beatriz S.,Scariot Aldicir
Brazilian Journal of Botany , 2003,
Abstract: A diversidade, estrutura e distribui o espacial de palmeiras em um cerrado sensu stricto foi estudada. Os dados foram coletados em 21 parcelas de 20 × 50 m distribuídas aleatoriamente em 152 ha (400 × 3800 m). Os diametros foram adquiridos a 0,10 m acima do nível do solo. Registraram-se o estágio reprodutivo e a altura dos indivíduos. Foram identificadas seis espécies de palmeiras, totalizando 1671 indivíduos em 2,1 ha. A densidade total das espécies foi de 795,7 palmeiras.ha-1, destacando-se Syagrus flexuosa (Mart.) Becc. (41,2%), S. petraea (Mart.) Becc. (21,7%) e S. comosa (Mart.) Mart. (11,2%). As mais freqüentes foram S. flexuosa e Allagoptera leucocalyx (Drude) O. Kuntze. A área basal total foi de 0,51 m2.ha-1. S. flexuosa teve o maior VI. A distribui o de alturas e diametros foi quase unimodal para todas as espécies. O coeficiente de correla o entre diametro e altura foi baixo (r = 0,0002 a 0,1247). Syagrus comosa apresentou a maior altura (380 cm). Butia archeri destacou-se em diametro (6,8-21 cm). Todas as espécies apresentaram-se férteis, destacando-se B. archeri (100%). Todas as espécies tiveram padr o de dispers o agregado. Uma classifica o por TWINSPAN (autovalor 0,501), separou dois grupos: B. archeri, S. comosa e S. petraea, como preferenciais para um grupo de parcelas, e A. campestris, A. leucocalyx e S. flexuosa, como menos agregada. Conclui-se que o cerrado apresenta uma rica e abundante flora de palmeiras com diferen as morfológicas e estruturais que precisam ser melhor conhecidas para se determinarem padr es da diversidade e estrutura de palmeiras para o bioma.
Padr es espaciais e conserva o da diversidade de serpentes do bioma cerrado = Spatial patterns and biodiversity conservation of snakes from Cerrado biome  [cached]
Larice de Fátima Couto,Levi Carina Terribile,José Alexandre Felizola Diniz-Filho
Acta Scientiarum : Biological Sciences , 2007,
Abstract: Em geral, as tentativas para estabelecer áreas prioritárias para conserva o no Cerrado têm sido baseadas em critérios subjetivos. No presente trabalho, foram utilizados dados macroecológicos de distribui o de 129 espécies de serpentes distribuídas em 181 células com 1o de latitude/longitude do Cerrado para analisar padr es espaciais na riqueza e propor uma estratégia de conserva o para essas espécies. Verificou-se que as cinco variáveis ambientaisanalisadas explicaram apenas 34,65% da varia o na riqueza de serpentes do Cerrado. Para sele o de áreas prioritárias utilizando-se procedimentos de otimiza o, estabeleceu-se que 14 células s o necessárias para representar todas as espécies pelo menos uma vez. Também foram incorporados ao modelo os padr es de ocupa o humana no Cerrado, visando minimizar conflitos entre desenvolvimento e conserva o, e neste caso as células concentram-se principalmente nosudoeste do bioma. Em fun o da falta geral de conhecimento sobre os padr es mais locais de distribui o de espécies no Cerrado, esses resultados devem ser considerados preliminares. De qualquer modo, o presente estudo, em escala biogeográfica, é importante para estabelecer estratégias metodológicas e para fornecer uma vis o ampla dos padr es de diversidade e de que regi es seriam mais importantes para sua conserva o. Until recently, the conservation of Cerrado has been neglected andattempts to establish conservation priorities were usually based on subjective criteria. In this paper, macroecological data of distribution of 129 species of snakes in the Cerrado were used to evaluate spatial patterns in species richness and to establish a system of potential areas that preserves all snake species in the region. The five environment variables used as predictors explained only 34.65% of the variance in species richness. In order to establishconservation priorities, optimization procedures were used. These procedures showed that 14 cells must be selected to represent all species at least once. Incorporating in the model the human occupation in Cerrado, a northward shift in selected cells is observed, allowing minimizing potential conservation-human development conflicts. These results must be considered preliminary and more detailed studies are necessary to evaluate the spatialpatterns in snakes’ richness of Cerrado, considering the lack of knowledge on distribution and taxonomy of these species at local scales. However, the conservation biogeography approach used here is a first step towards understanding the overall diversity patterns and to establish the be
Composi??o e caracteriza??o da fauna de mamíferos de médio e grande porte em uma pequena reserva de cerrado em Mato Grosso, Brasil
Rocha, Ednaldo Candido;Dalponte, Julio César;
Revista árvore , 2006, DOI: 10.1590/S0100-67622006000400021
Abstract: this study was carried out at the 'mario viana' municipal biological reserve in nova xavantina, mt, aiming to make an inventory and evaluate the abundance and diversity of terrestrial mammals of medium and large size. thus, two monthly visits were made to a 2.820 m long transect throughout 2001 to assess tracking and other evidences of mammals. twenty-nine species were recorded in the study area, with 22 in the transect and two individual tracking sequences being quantified for calculation of the shannon-wiener (h') abundance and diversity indices. according to the abundance indices, the species were classified as rare, common and abundant. among other species, on?a-parda (puma concolor (linnaeus, 1771)) and tatu-canastra (priodontes maximus (keer, 1792) were classified as rare; jaguatirica (leopardus pardalis (linnaeus, 1758)) and tamanduá-bandeira (myrmecophaga tridactyla linnaeus, 1758) as common; and cutia (dasyprocta azarae (lichtenstein, 1823)) and tapetí (sylvilagus brasiliensis (linnaeus, 1758)) as abundant species. the h' index found was 2.40, which was considered significant. this work shows that despite being small (470 ha), the area studied plays an important role in the preservation of the mammalian fauna in the region of nova xavantina, mt.
Diversidade alfa e beta no cerrado sensu strictu da Chapada Pratinha, Brasil
Felfili, Maria Cristina;Felfili, Jeanine Maria;
Acta Botanica Brasilica , 2001, DOI: 10.1590/S0102-33062001000200010
Abstract: the cerrado flora is one of the richest among the world's savannas with more than 6000 species. the cerrado covers a large territory, contains the three most important hydrographycal basins in south america and a high diversity. the objective of this work, that is part of the project biogeography of the cerrado biome, was to analyse alfa and beta diversity in the cerrado sensu stricto. the sampled places were: brasília national park ? df, águas emendadas ecological station ? df, environmentally protected area of gama-cabe?a de veado ? df, silvania ? go, paracatu ? mg and patrocínio ? mg. the sampling was randomized with 10 plots of 20x50m in each study-site. woody plants from 5cm dbh, excluding lianas were sampled. shannon & wienner's and simpson's diversity index were used to calculate alfa diversity and whittaker's index for beta diversity. the latter measures the rate of replacement in species composition from one place to another. a species-area curve was also drawn for the sixty plots sampled. a classification by the twinspan method was also carried out. the cerrado sensu stricto in chapada pratinha can be separated in two phytogeographic zones: distrito federal ? silvania and paracatu ? patrocínio. those coincide with a land system classification which places the first zone in the highlands and the second in the lowlands.
Comunidade local de Coleoptera em cerrado: diversidade de espécies e tamanho do corpo
Pinheiro, Fernanda;Diniz, Ivone R.;Kitayama, Kiniti;
Anais da Sociedade Entomológica do Brasil , 1998, DOI: 10.1590/S0301-80591998000400006
Abstract: coleopteran diversity was studied in three physionomies of cerrado lato sensu in brasília-df: campo de murundum (1), campo sujo (2) and cerrado sensu stricto (3). in each area, insects were collected by sweep sampling on 2,000 m in each vegetation type. a total of 1,044 specimens of 155 species, distributed in 15 families were collected. the abundance varied from 1 to 441 specimens/species, with most species represented by a single specimen. we found a low faunistic similarity between areas, with high percentage of species restricted to only one area. the diversity index (shannon - h'=1,87; h'=4,16; h'=3,17) obtained for the areas 1, 2 and 3, respectively, suggest that the species are not homogeneously distributed. the values obtained for body size (1,0 to 11,0 mm) showed most species and specimens were smaller than 5 mm.
Mudan?as temporais na composi??o florística e na diversidade de um cerrado sensu stricto do Brasil Central em um período de 18 anos (1985-2003)
Libano, Andrea Marilza;Felfili, Jeanine Maria;
Acta Botanica Brasilica , 2006, DOI: 10.1590/S0102-33062006000400016
Abstract: inventories were conducted at three-year intervals in 19 permanent plots of 1000 m2 located at fazenda água limpa (fal) - df. three events of disturbance by fire occurred in the area. a total of 69 species, 54 genera and 35 families were registered. floristic composition was compared using the modified morisita-horn index, a quantitative similarity index, and s?rensen, a qualitative index. both indices showed high similarity between inventories with little change in species composition over time. changes in richness caused differences in the values of simpson's index, and shannon's index according to hutcheson's t-test (p < 0.05). floristic composition has not changed over time under the current fire regime. but diversity increased after a longer interval without fire. in this nine-year period free from fire, new species appeared and others returned to the plots, increasing diversity, but not up to its initial values.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.