oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
O SISTEMA DE AVALIA O DE RENDIMENTO ESCOLAR DO ESTADO DE S O PAULO - SARESP: UMA ANáLISE DAS PROVAS DE LEITURA E ESCRITA DA 4a SéRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL  [cached]
Roseli Helena Ferreira
Nuances : Estudos sobre Educa??o , 2010,
Abstract: O SISTEMA DE AVALIA O DE RENDIMENTO ESCOLAR DO ESTADO DE S O PAULO - SARESP: UMA ANáLISE DAS PROVAS DE LEITURA E ESCRITA DA 4a SéRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL
Estudo de valida o da bateria de provas de raciocínio (BPR-5)
Primi Ricardo,Almeida Leandro S.
Psicologia: Teoria e Pesquisa , 2000,
Abstract: Esse estudo investiga a validade e precis o da BPR-5, vers o reduzida da Bateria de Provas de Raciocínio Diferencial (BPRD) de Almeida (1988), composta por cinco subtestes: Raciocínio Abstrato, Raciocínio Verbal, Raciocínio Numérico, Raciocínio Espacial e Raciocínio Mecanico. A BPR-5 foi aplicada em 1243 alunos brasileiros (N=771) e portugueses (N=472) da sexta série do ensino fundamental até a terceira série do ensino médio. Os coeficientes de consistência interna variaram de 0,62 a 0,84 e os de precis o pelo método das metades de 0,65 a 0,87. Encontrou-se um único fator explicando aproximadamente 55% da variancia representando uma medida composta de inteligência fluida, cristalizada, processamento visual e habilidade quantitativa e conhecimento prático de mecanica. As correla es da BPR-5 com as notas escolares foram, no geral, positivas chegando a atingir 0,54 (p < 0,01). Conclui-se que a BPR-5 constitui um instrumento eficiente e rápido para avalia o simultanea do raciocínio geral e das aptid es podendo ser útil aos profissionais em suas diversas áreas de atua o.
PROVAS PROIBIDAS NO PROCESSO PENAL  [cached]
Fabiane Barchet,Camila Furini Sulzbach,Adriane Damian Pereira
Revista Eletr?nica do Curso de Direito da UFSM , 2010, DOI: 10.5902/198136947060
Abstract: O presente artigo tem por escopo o estudo das provas no processo penal brasileiro, tendo como enfoque principal a utiliza o das provas obtidas por meio ilícito, quest o que gera uma discuss o extremamente polêmica no sistema processual atual. De primeiro momento ser o apresentados conceitos gerais de provas, bem como sua utiliza o na instru o processual; logo, no que tange ao foco central do referido trabalho, ser o abordadas quest es relacionadas às provas ilícitas, sua admissibilidade e inadmissibilidade, o que descreve a Constitui o Federal brasileira e a aplica o dos princípios da proporcionalidade e razoabilidade.
Do nistagmo às provas calóricas com ar e com água From nystagmus to the air and water caloric tests  [cached]
Anna Carolina Marques Perrella de Barros,Heloisa Helena Caovilla
Brazilian Journal of Otorhinolaryngology , 2012, DOI: 10.1590/s1808-86942012000400022
Abstract: A prova calórica é uma importante ferramenta na avalia o da fun o labiríntica. OBJETIVO: Comparar o nistagmo pós-calórico da prova com ar a 50oC e 24oC com o da prova com água a 44oC e 30oC. Desenho científico: Estudo clínico cruzado randomizado. MATERIAL E MéTODO: 40 indivíduos hígidos submetidos à avalia o da fun o vestibular incluindo a prova calórica com ar a 50oC e 24oC e com água a 44oC e 30oC. RESULTADOS: à compara o das provas com ar e com água, n o houve diferen a significante entre os valores da velocidade angular da componente lenta (VACL) do nistagmo pós-calórico quanto à ordem de realiza o das estimula es, entre as orelhas e entre os valores de predomínio labiríntico e de preponderancia direcional. Os valores da VACL foram maiores nas estimula es com água (p = 0,008; p < 0,001) e a temperatura fria evocou respostas mais intensas (p < 0,001). CONCLUS O: à compara o entre as provas com ar a 50oC e 24oC e com água a 44oC e 30oC, observam-se valores de velocidade da componente lenta similares em ambas as orelhas, maiores na temperatura fria e na prova com água e resultados semelhantes de predomínio labiríntico ou de preponderancia direcional do nistagmo pós-calórico em ambas as provas. The caloric test is an important tool for the assessment of labyrinthine function. OBJECTIVE: To compare the nystagmus response in the caloric tests with air at 50oC and 24oC and with water at 44oC and 30oC. Study Design: Randomized crossover clinical trial. MATERIALS AND METHODS: 40 healthy individuals were submitted to a neurotological evaluation, including caloric tests with air at 50oC and 24oC and water at 44oC and 30oC. RESULTS: Comparing the air and water caloric tests, there were no significant differences among the post-caloric nystagmus slow-phase velocity in relation to the stimulation order, between ears and between the values of unilateral weakness and directional preponderance. The slow-phase velocity values were higher with water (p = 0.008, p < 0.001), and cold stimulation produced stronger responses (p < 0.001). CONCLUSION: Comparing 50oC and 24oC air caloric test and 44oC and 30oC water caloric test, we observed similar slow-phase velocity values for both ears, higher responses in the cold temperature and in the test with water, and similar results of unilateral weakness or directional preponderance for post-caloric nystagmus in both tests.
As dimens es do desenvolvimento: um estudo exploratório sob a perspectiva das ferramentas de avalia o
Hans Michael van Bellen
Revista de Ciências da Administra??o : RCA , 2010,
Abstract: Este artigo procura explorar o conceito de desenvolvimento para em seguida abordar algumas ferramentas de avalia o que trabalham esse conceito a partir das diferentes dimens es. Em sua primeira parte, o artigo discute as diferentes dimens es do desenvolvimento para em seguida apresentar algumas ferramentas que trabalham com o conceito de desenvolvimento, sendo que tais ferramentas s o analisadas a partir das diversas dimens es utilizadas no processo de avalia o. Observa-se que a dimens o econ mica ainda é predominante nos sistemas de avalia o, entretanto, avan os significativos têm sido feitos no desenvolvimento e na aplica o de sistemas de mensura o que utilizam a dimens o ambiental e social.
Avalia o cognitiva por provas assistida em crian as com necessidades educativas especiais  [cached]
Tatiane Lebre Dias,Ana Cristina Barros da Cunha,S?nia Regina Fiorim Enumo
Psicologia em Revista , 2010,
Abstract: Uma nova perspectiva baseada na abordagem sociointeracionista, denominada avalia o assistida ou dinamica, trouxe avan os para a área de avalia o cognitiva, oferecendo indicadores do potencial de aprendizagem. Com base nessa concep o, este trabalho verificou a adequa o de provas cognitivas assistidas, que incluem uma fase intermediária de assistência em crian as com dificuldade de aprendizagem (DA) e deficiência visual (DV). Para tanto, utilizou-se do jogo de perguntas de busca com figuras diversas (PBFD) e o jogo de perguntas de busca com figuras geométricas para crian as com deficiência visual (PBFG-DV). Esses jogos investigam as estratégias utilizadas ao se elaborarem quest es de busca de informa o com restri o de alternativa, em situa o de resolu o de problemas. Ao final do jogo, obtém-se um perfil de desempenho cognitivo. As provas assistidas foram sensíveis em identificar a varia o de desempenho das crian as, mostrando-se adequadas para a avalia o de habilidades cognitivas de crian as com diferentes necessidades educativas especiai
Avalia o da Aprendizagem em Ambientes Virtuais: é possível inovar?
?ngela Carrancho da Silva,Ligia Silva Leite,Christina Marília Teixeira da Silva
Meta : Avalia??o , 2009,
Abstract: O presente trabalho é fruto de estudo em andamento vinculado à linha de pesquisa Avalia o das Tecnologias de Informa o e Comunica o, do Curso de Mestrado Profissional em Avalia o da Funda o Cesgranrio. O artigo tem por objetivo discutir a avalia o da aprendizagem em ambientes virtuais. Para isso, apresenta de forma breve as gera es da Educa o a Distancia (EAD), enfatizando os atuais recursos tecnológicos disponibilizados em AVA. Destaca, também, o processo evolutivo da EAD no Brasil, observando-se uma tendência marcante para a cria o de consórcios, principalmente na esfera pública. Percebe-se que os cursos de gradua o oferecidos na modalidade EAD, de forma geral, adotam abordagens avaliativas tradicionais, atribuindo um peso maior às provas finais presenciais, revelando influência dos princípios tecnicistas, mesmo quando os referidos cursos se autodenominam construtivistas. A partir do quadro exposto, discutem-se abordagens alternativas de avalia o em ambientes virtuais. Finaliza-se o artigo reafirmando a necessidade de se reavaliar as políticas públicas do setor, que muito mais obstaculizam do que contribuem para a qualidade da Educa o a Distancia no país.
Estudo das Similaridades dos Modelos de Avalia o de Marcas baseados no Cliente: Uma Análise Bibliográfica
Eduardo de Paula e Silva Chaves
Revista de Administra??o IMED - RAIMED , 2012,
Abstract: Quais os modelos de aplica o e de mensura o do brand equity baseados no cliente? Este trabalho busca indicar uma resposta embasada em métodos científicos, mais especificamente nessa última pergunta, ou seja, medir o brand equity com base nas respostas diferenciais dos clientes a uma marca. Portanto, elabora-se uma pesquisa com diversos temas correlatos (marcas e avalia o de marcas) para inferir conclus es pertinentes sobre o tema: modelos de brand equity baseados nos clientes. Este trabalho visa catalogar as referências básicas e complementares sobre o tema. Utilizando-se de tabelas e de quadros; de resumo com enumera o de cita es e de compara o de modelos teóricos. Deste modo, os objetivos do artigo s o alcan ados através das tabelas apresentadas na análise de conteúdo; na apresenta o das similaridades dos modelos de avalia o de marcas baseados no cliente. Assim, semelhan as e divergências dos modelos de avalia o de marcas, pela ótica do cliente, est o agora mais organizadas e apresentadas ao leitor.
Estudo comparativo de três técnicas de palatoplastia em pacientes com fissura labiopalatina por meio das avalia es perceptivo-auditiva e instrumental
Paniagua, Lauren Medeiros,Collares, Marcus Vinícius Martins,Costa, Sady Selaimen da
Arquivos Internacionais de Otorrinolaringologia , 2010,
Abstract: Introdu o: A palatoplastia é o procedimento cirúrgico que visa à reconstru o do palato duro e/ou mole. Atualmente dispomos de diferentes técnicas que buscam o maior alongamento do palato mole junto à parede nasofaríngea para contribuir no funcionamento adequado do esfíncter velofaríngeo. Falhas no seu fechamento ocasionam disfun es na fala. Objetivo: Comparar os achados das avalia es perceptivo-auditiva e instrumental em pacientes com fissura labiopalatina operados mediante três técnicas distintas de palatoplastia. Método: Estudo transversal prospectivo de um grupo de pacientes com fissura labiopalatina unilateral completa. Todos foram submetidos a um ensaio clínico randomizado, por meio de distintas técnicas de palatoplastia realizada por um único cirurgi o, há aproximadamente 8 anos. Os pacientes na época da cirurgia foram divididos em três grupos distintos com 10 participantes em cada um. O presente estudo avaliou: 10 pacientes da Técnica de Furlow, 7 pacientes da Técnica de Veau-Wardill-Kilner+Braithwaite e 9 pacientes da Técnica Veau-Wardill-Kilner +Braithwaite+Zetaplastia; tendo uma amostra total de 26 indivíduos. Todos os pacientes foram submetidos à avalia o perceptivo-auditiva por meio de grava o de fala. Também foi realizada a avalia o instrumental por meio do exame de videonasoendoscopia. Resultados: Os achados foram satisfatórios nas três técnicas, isto é, a maioria dos indivíduos n o apresenta hipernasalidade, distúrbio articulatório compensatório e emiss o de ar nasal audível. Além disso, na avalia o instrumental, a maioria dos indivíduos das três técnicas de palatoplastia apresenta uma adequada fun o velofaríngea. Conclus o: N o foi encontrada diferen a estatisticamente significativa entre as técnicas de palatoplastia nas duas avalia es.
Avalia o do fouling na microfiltra o de cerveja – estudo das resistências = Evaluation of fouling in beer microfiltration: a study of resistances
Tatiana Valesca Rodriguez Alicieo,Elisabete Scolin Mendes,Nehemias Curvelo Pereira,Sueli Teresa Davantel de Barros
Acta Scientiarum : Technology , 2007,
Abstract: A microfiltra o em fluxo cruzado é uma alternativa na clarifica o e esteriliza o de cerveja, em rela o ao processo tradicional, já que elimina a forma o dos resíduos gerados no método convencional, reduz as perdas de cerveja e melhora a qualidade do produto. O desempenho do processo é limitado pelo fouling causado na membrana. O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo de fouling na microfiltra o de cerveja por meio da avalia o das resistências. Os experimentos foram feitos em batelada com cerveja bruta, em uma unidade piloto de ultrafiltra o tangencial. As membranas utilizadas foram do tipo tubulares ceramicas, com tamanhos nominais de poros de 0,2; 0,3; 0,4; 0,6 e 0,8 mm e as press es de trabalho foram de 1,0 a 4,0 bar, na temperatura de 6±1oC. Utilizando o modelo de resistências em série foram determinados os valores da resistência intrínseca da membrana, das resistências devidas à polariza o de concentra o e à colmatagem. Cross-flow microfiltration is an attractive alternative method for fluid clarification and sterilization in the brewing industries. The advantages are: elimination of filter aids, reduced beer losses and better product quality. The performance is still limited in flux terms due to membrane fouling. This work aimed to study the mechanism of fouling in beer microfiltration by means of calculating resistances. The experiments were conducted in batch with raw beer, in a cross flow ultrafiltration pilot unit. The membranes were tubular ceramics, with mean pore diameter of 0.2; 0.3; 0.4; 0.6 and 0.8 mm and the pressures work were from 1.0 to 4.0 bar, at a temperature of 6±1oC. From the model of resistances in series, the values obtained were of membrane intrinsic resistance, resistances due to polarization of concentration and colmatage.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.