oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Identifica o das Síndromes Coronarianas Agudas (SCA) na Medicina Tradicional Chinesa e utiliza o de acupuntura como terapia coadjuvante à preven o de agravos
Silene Celerino da Fonseca,Luiz Leonelli
Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade , 2012, DOI: 10.5712/rbmfc7(1)599
Abstract: Introdu o: As doen as cardiovasculares constituem a principal causa de morbimortalidade em homens emulheres no Brasil e no mundo. Incluem?se neste grupo de doen as, segundo o Ministério da Saúde: a AnginaEstável, Angina Instável e o Infarto Agudo do Miocárdio denominado de maneira global em SíndromesCoronarianas Agudas. O tratamento das SCA requer cuidado amplo e contínuo na busca da estabilidade clínicae melhora da qualidade de vida do paciente. Com o advento das práticas integrativas, a acupuntura tem?setornado mais evidente e tem estimulado os profissionais da Saúde a aplicá?la em diversas patologias. Estudoscientíficos demonstram que a a o no organismo induz à libera o de neurotransmissores que atuam no t nusvascular e na angina. A acupuntura também atua na redu o do estresse, da ansiedade e melhora o bem estarfísico e emocional. Objetivo: O objetivo deste estudo foi identificar as síndromes energéticas envolvidas nosquadros de Síndromes Coronarianas Agudas e verificar a aplicabilidade da acupuntura como métodoterapêutico preventivo. Metodologia: Trata?se de uma revis o teórica realizada em bancos de dados da BVS,LILACS, SCIELO, BIREME e MEDLINE, com dezoito artigos, dezesseis livros, dois manuais, duas teses e umaresolu o. Conclus o: A pesquisa permitiu identificar as rela es da Síndrome Coronariana Aguda com asSíndromes energéticas descritas na Medicina Tradicional Chinesa. Essa associa o é uma possibilidade para apresta o da assistência ao paciente com doen a coronariana.
Síndrome metabólica na doen?a arterial coronariana e vascular oclusiva: uma revis?o sistemática
Farias, Daniela Reis Elbert;Pereira, Avany Fernandes;Rosa, Glorimar;
Arquivos Brasileiros de Cardiologia , 2010, DOI: 10.1590/S0066-782X2010000600024
Abstract: atualmente, a síndrome metabólica (sm) se mostra altamente prevalente, sendo associada a fatores de risco para doen?as cr?nicas n?o transmissíveis, tais como diabetes mellitus tipo 2, doen?as ateroscleróticas e coronarianas. o objetivo desta revis?o sistemática foi descrever os resultados de estudos que investigaram a associa??o da sm com a doen?a arterial coronariana e doen?as vasculares oclusivas. foi realizada a revis?o sistemática com dados de estudos originais publicados entre 1999 e 2008, escritos em inglês ou português, utilizando-se as bases de dados medline, pubmed, highwire press e science direct. foram incluídos artigos que fizeram o diagnóstico da sm através do critério do national cholesterol education program - adult treatment panel iii (ncep atp iii, 2001). foram excluídos estudos realizados com animais, de suplementa??o e que realizaram administra??o oral ou endovenosa de qualquer substancia, assim como aqueles de baixa qualidade metodológica e com amostra inicialmente heterogênea. apesar da heterogeneidade entre os estudos, observou-se que indivíduos com sm apresentam maior probabilidade (risco = 2,13) de desenvolverem as doen?as vasculares oclusivas, doen?a coronariana, diabetes mellitus e acidente vascular encefálico. mudan?as no estilo de vida, como práticas alimentares saudáveis, atividade física regular e a cessa??o do tabagismo devem ser incentivadas pelos profissionais da saúde a fim de minimizar as complica??es e a morbimortalidade associada à sm.
Gravidade da les?o angiográfica coronariana e polimorfismo da APOE nas síndromes coronarianas agudas
Dias, Arlisa Monteiro de Castro;Reis, Amália Faria dos;Saud, Claudia Guerra Murad;Chilinque, Maria das Gra?as Leit?o;Leite, Rafaela Ferreira;Abdalah, Rosemery Nunes Cardoso;Fiqueiredo, Mariana Ferreira;Ribeiro, Georgina Severo;Faria, Carlos Augusto Cardozo de;
Arquivos Brasileiros de Cardiologia , 2009, DOI: 10.1590/S0066-782X2009000900005
Abstract: background: there is evidence of the association between the apolipoprotein e (apoe) and coronary disease; however, there are controversies. objective: to evaluate the association between the number of coronary vessels with significant obstruction defined by angiography, the apoe polymorphism and clinical variables. methods: this was a cross-sectional, multicenter study with 207 patients (138 men), with acute coronary syndrome (acs), in the city of niteroi, state of rio de janeiro, brazil, who underwent coronary angiography and genotype determination for the apoe *2*3*4 polymorphism by the restriction fragment length polymorphism (rflp) method. results: the frequency of the alleles was apoe *2 - 6.8%, *3 - 82.5%, *4 - 10.7%. regarding the number of affected vessels, 27% of patients presented monoarterial obstruction, 33.8% biarterial and 39.1% triarterial and/or left coronary trunk. the degree of multivascular lesion did not correlate with the presence of the *4 allele (p= 0.78), but with age > 55 years (p=0.025), being an ex-smoker (p=0.004) and dyslipidemia (p=0.05) at the multivariate analysis and also with previous coronary artery disease (cad) (p=0.05), diabetes (p=0.038) and metabolic syndrome (p=0.021) at the univariate analysis. the prevalence of dyslipidemia, diabetes and systemic arterial hypertension (sah) was elevated regarding similar studies, with progressive increases in the prevalence of sah (p=0.59) and diabetes (p=0.06), according to the number of affected vessels. conclusion: the apoe polymorphism was not associated with the number of coronary vessels with significant obstruction at any age range. on the other hand, age > 55 years, being an ex-smoker and dyslipidemia associated with the multivascular lesion.
Avalia o de coagula o, fibrinólise e proteína C em pacientes de risco e com doen as coronarianas
Reis Christiane Vieira,Vieira Lauro Mello,Dusse Luci Maria Sant'Anna,Coelho Eduardo Ferraz
Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial , 2003,
Abstract: A hemostasia é resultante do equilíbrio entre pró-coagulantes e anticoagulantes, envolvendo vasos, plaquetas, proteínas da coagula o e da fibrinólise e anticoagulantes naturais. Todos estes componentes est o inter-relacionados, constituindo os sistemas de coagula o, anticoagula o e fibrinólise. Muitos fatores, genéticos ou adquiridos, podem contribuir para romper este equilíbrio, levando a estados de hipo ou hipercoagulabilidade. Em doen as coronarianas como a angina e o infarto, há uma maior ativa o das plaquetas e das proteínas da coagula o, favorecendo a forma o de trombos. Na tentativa de restaurar a hemostasia, ocorre a interven o do sistema fibrinolítico, o qual promove a lise do coágulo e desobstrui o vaso. Neste trabalho foram avaliados os mecanismos da coagula o e da fibrinólise e a proteína C, um anticoagulante natural. Foram estudados 20 pacientes com doen as coronarianas, notadamente angina de peito (n = 8) e infarto agudo do miocárdio (n = 12), além de pacientes potencialmente em risco de desenvolver doen a cardiovascular (n = 17). O grupo infarto foi pareado com indivíduos sadios do ponto de vista clinicolaboratorial (grupo-controle, n = 12). Os resultados revelaram uma diferen a significativa nos níveis de fibrinogênio nos grupos de angina e infarto quando comparados ao grupo-controle. Níveis de proteína C ativada também mostraram diferen a significativa entre os grupos de risco e infarto. Os demais parametros hemostáticos avaliados n o diferiram significativamente entre os grupos estudados, porém foi observada uma tendência à hipercoagulabilidade nos grupos de pacientes quando comparados ao grupo-controle.
Avalia o das press es sistólica, diastólica e press o de pulso como fator de risco para doen a aterosclerótica coronariana grave em mulheres com angina instável ou infarto agudo do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST
Sousa José Marconi Almeida de,Hermann Jo?o L. V.,Guimar?es Jo?o B.,Menezes Pedro Paulo O.
Arquivos Brasileiros de Cardiologia , 2004,
Abstract: OBJETIVO: Avaliar se as press es, medidas na raiz da aorta, s o fatores de risco para doen a aterosclerótica coronariana grave em mulheres com angina instável ou infarto agudo do miocárdio sem supradesnivelamento do segmento ST (AI/IAMSS). MéTODO:As press es, assim como os fatores de risco para doen a arterial coronariana (DAC) foram prospectivamente coletados de mar o/1993 a agosto/2001 em 593 mulheres com diagnóstico de AI/IAMSS submetidas à cinecoronariografia. Les es coronarianas definidas como graves estenoses > 70%. RESULTADOS: Idade média de 59,2±11,2 anos, significantemente mais alta nas pacientes com DAC: 61,9 ± 10,8 anos vs 56.4 ± 10,8 anos; tabagismo, diabetes e climatério foram mais freqüentes nas pacientes com DAC. As médias das press es sistólica e arterial média foram iguais nos dois grupos, entretanto as médias das press es diastólicas do ventrículo esquerdo (17.6 ± 8.7 x 15.1 ± 8.1, p=0.001) e da press o de pulso aórtica foram significantemente maiores nas pacientes com DAC (75.5 ± 22 x 70 ± 19, p=0.002), enquanto a média da press o diastólica aórtica foi significantemente mais alta nas pacientes sem DAC (75.3 ± 17.5 x 79.8 ± 16, p=0.003). Na análise multivariada a press o de pulso > 80 mmHg e press o sistólica > 165 foram independentemente associadas a DAC com raz o de chance de 2.12 e 2.09, p<0.05, respectivamente. CONCLUS O: A doen a arterial coronariana está associada à press o de pulso mais elevada e press o diastólica mais baixa em mulheres com AI/IAMSS. Embora a média da press o sistólica n o tenha se associado com DAC, valores dicotomisados de press o de pulso > 80 mmHg e press o sistólica > 165 mmHg determinaram risco duas vezes maior de les o coronariana grave.
Doen?a periodontal como potencial fator de risco para síndromes coronarianas agudas
Accarini, Renata;Godoy, Moacir Fernandes de;
Arquivos Brasileiros de Cardiologia , 2006, DOI: 10.1590/S0066-782X2006001800007
Abstract: objective: to investigate whether there is a relationship between active periodontal disease (pd) and acute coronary syndromes (acs). methods: three hundred and sixty-one patients (57,3% male), ages ranging from 27 to 89 (mean ± dp = 60.5 ± 12.2), were admitted to the intensive care unit of a teaching hospital with symptoms and complementary examinations consistent with acute coronary syndrome. all the patients had a complete periodontal examination in the icu setting, and 325 (90.9%) underwent coronary angiography for diagnostic confirmation and/or treatment planning. periodontal examination included evaluation of all the teeth in the oral cavity and the following parameters: probing depth, clinical attachment level, plaque index, and gingival index. results: of the 325 patients, 91 (28%) had coronary arteries free of obstruction or with mild obstructions (< 50% diameter stenosis), and the remaining 72% had severe obstructions. fisher's exact text yielded a p value of 0.0245 with an odds ratio of 2.571 (95% ci 1.192 to 5.547), meaning that the group with acs and significant obstructive coronary artery disease was 2.5-fold more likely to have active pd. conclusion: a significant association was found between active periodontal disease and severe obstructive coronary artery in patients with acute coronary syndrome, underscoring the importance of prevention and adequate treatment of periodontal disease, which should be considered as a potential risk factor in the etiology and instability of the atherosclerotic plaque.
Fatores de risco para aterosclerose em crian as e adolescentes com história familiar de doen a arterial coronariana prematura  [cached]
Romaldini Ceres C.,Issler Hugo,Cardoso Ary L.,Diament Jayme
Jornal de Pediatria , 2004,
Abstract: OBJETIVOS: Analisar a prevalência de dislipidemia em 109 crian as e adolescentes com história familiar de doen a arterial coronariana prematura e a associa o com outros fatores de risco para aterosclerose. MéTODOS: Foram determinados valores séricos de colesterol total, de lipoproteínas de baixa densidade (LDL-C), alta densidade (HDL-C), triglicérides, índice de massa corpórea e press o arterial. Foram também avaliados: prática de atividade física, tabagismo, renda familiar e escolaridade da m e. RESULTADOS: Do total, 27,5 e 19,3% apresentaram, respectivamente, valores de colesterol total e LDL-C acima do normal, 13,8% valores de HDL-C diminuídos e 13,0% trigliceridemia elevada. Excesso de peso (obesidade e sobrepeso) foi detectado em 25,7% dos casos; destes, 57,1% apresentavam valores anormais de lipídios. A prevalência de dislipidemia, isolada ou concomitante com outros fatores de risco, foi de 38,5%. Hábito de fumar ocorreu em 3,6% dos casos, hipertens o arterial em 2,7%, e 72,5% n o praticavam atividade física. N o houve associa o entre as variáveis renda familiar, escolaridade da m e e prática de atividade física e dislipidemia. Entretanto, observou-se associa o significativa entre dislipidemia e excesso de peso (p = 0,02; odds ratio = 2,82; IC 95% = 1,16-6,81). CONCLUS O: Fatores de risco para aterosclerose em crian as e adolescentes com história familiar de doen a arterial coronariana prematura devem ser identificados o mais cedo possível para que sejam adotados programas preventivos de saúde.
Exercício para pacientes com doen?a arterial coronariana
Revista Brasileira de Medicina do Esporte , 1998, DOI: 10.1590/S1517-86921998000400006
Abstract: o treinamento físico aumenta a capacidade funcional e reduz os sintomas nos pacientes coronariopatas. entretanto, tais pacientes têm um risco maior de complica??es durante a prática de exercícios; portanto, devem-se seguir orienta??es adequadas para minimizar esses riscos. com base nos benefícios e nos riscos documentados do exercício físico para pacientes com doen?a arterial coronariana, é posicionamento oficial do colégio americano de medicina do esporte que a maior parte dos pacientes coronariopatas deve participar de um programa de exercícios individualmente prescritos para atingir uma saúde ideal dos pontos de vista físico e emocional.
Doen as coronarianas
Arquivos Brasileiros de Cardiologia , 2003,
Abstract:
Associa o entre doen a arterial coronariana e as pregas lobular diagonal e anterotragal em homens  [cached]
Miot Hélio Amante,Medeiros Luciana Molina de,Siqueira Caio Roberto Shwafaty de,Cardoso Letícia de Chiara
Anais Brasileiros de Dermatologia , 2006,
Abstract: FUNDAMENTOS: Diversas altera es dermatológicas foram associadas à doen a arterial coronariana, representando achados de fácil constata o que podem contribuir na estratifica o n o invasiva do risco cardíaco. OBJETIVOS: Avaliar comparativamente a prevalência de certos achados dermatológicos em pacientes com ou sem doen a arterial coronariana. MéTODOS: Estudo caso/controle envolvendo pacientes do sexo masculino submetidos à cineangiocoronariografia. Foram considerados aqueles casos com obstru o de mais de 50% em pelo menos uma coronária. Avaliou-se a presen a da prega lobular diagonal, prega anterotragal, alopecia e presen a de pêlos no tórax nos dois grupos. Os resultados foram ajustados para os fatores de risco: tabagismo, hipertens o, diabetes, idade, dislipidemia e índice de massa corporal. RESULTADOS: Analisaram-se 110 pacientes (80 casos e 30 controles). A prevalência da prega lobular diagonal nos casos (60,0%) foi maior do que no grupo controle (30,0%) (p<0,05). Alopecia androgenética e distribui o de pêlos no tórax n o demonstraram associa o positiva com coronariopatia neste estudo. O Odds Ratio (IC 95%), da prega lobular diagonal foi de 3,1 (1,2-8,3) e para prega anterotragal foi de 5,5 (1,9-16,3). A verifica o simultanea da prega lobular diagonal e prega anterotragal representou valor preditivo positivo de 90%. CONCLUS ES: Detectou-se associa o positiva entre a presen a da prega lobular diagonal bilateral e prega anterotragal bilateral com doen a arterial coronariana, sendo que a presen a simultanea das duas pregas apresenta alta preditividade para doen a arterial coronariana.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.