oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Suscetibilidade de larvas de Aedes aegypti ao inseticida temefós no Distrito Federal  [cached]
Carvalho Maria do Socorro Laurentino de,Caldas Eloísa Dutra,Degallier Nicolas,Vilarinhos Paulo de Tarso Ribeiro
Revista de Saúde Pública , 2004,
Abstract: OBJETIVO: Estudar o padr o de suscetibilidade do Aedes aegypti ao inseticida organofosforado temefós. MéTODOS: Amostras de larvas de Ae. aegypti foram obtidas com armadilhas para oviposi o, em oito cidades do Distrito Federal, nos anos 2000 e 2001. As larvas foram submetidas à dose diagnóstica de 0,012 mg/l de temefós, segundo metodologia padronizada pela Organiza o Mundial da Saúde. As popula es de campo foram testadas em paralelo com a cepa de referência Rockefeller e a cepa DIVAL, do insetário da Diretoria de Vigilancia Ambiental. A concentra o e a pureza das solu es de temefós foram analisadas por cromatografia gasosa. Os cálculos de correla o foram determinados pelo programa StatView - SAS Institute Inc., vers o 5. Utilizou-se o teste t de Student para verificar diferen as de suscetibilidade, com níveis de significancia, alfa=0,05. RESULTADOS: Em 2000, as popula es de larvas de Ae. aegypti nas cidades de Taguatinga, Guará e Núcleo Bandeirante apresentaram-se resistentes ao temefós, com mortalidade de larvas entre 54,1 e 63,4%. As popula es do Gama, Planaltina e Sobradinho apresentaram altera es nos níveis de suscetibilidade (mortalidade de 83,6 a 92,8%). A popula o de Ceilandia foi a única suscetível, com 98% de mortalidade. Em 2001, todas as popula es testadas mostraram-se resistentes (44,4 a 66,4% de mortalidade). Nenhuma correla o significativa foi encontrada entre a suscetibilidade das popula es e a distancia entre essas cidades ou a quantidade de inseticida aplicado nos anos anteriores ao estudo. CONCLUS ES: Os níveis de suscetibilidade do Ae. aegypti ao temefós vêm se alterando no Distrito Federal. é essencial a continuidade de programas de monitoramento da resistência desse vetor aos inseticidas para se garantir a eficiência dos programas de controle e a prote o da saúde humana.
Suscetibilidade de popula es de Brevipalpus phoenicis (Geijskes, 1939) (Acari: Tenuipalpidae) a acaricidas organoestanicos em citros  [cached]
Konno Roberto Hiroyuki,Franco Claudio Roberto,Omoto Celso
Scientia Agricola , 2001,
Abstract: Brevipalpus phoenicis (Geijskes, 1939) é uma das principais pragas da cultura de citros no Brasil. Os acaricidas organoestanicos representam mais 40% da área tratada de citros para o controle de B. phoenicis. O objetivo do presente trabalho foi o de coletar informa es básicas para a implementa o de um programa de manejo da resistência de B. phoenicis a acaricidas organoestanicos em pomares de citros do Estado de S o Paulo preservando, dessa forma, a vida útil dos acaricidas deste grupo químico. Inicialmente, as linhas básicas de suscetibilidade aos acaricidas óxido de fenbutatin e cihexatin foram obtidas para uma popula o suscetível de referência de B. phoenicis através de um bioensaio de contato residual. Baseado na curva de concentra o-resposta dessa popula o para os dois acaricidas, a concentra o diagnóstica de 180 mg de [IA] L-1 de água destilada foi definida para ser utilizada em programas de monitoramento da suscetibilidade de popula es de B. phoenicis a esses acaricidas. Posteriormente, foi realizado um levantamento da suscetibilidade aos acaricidas óxido de fenbutatin e cihexatin em 26 popula es de B. phoenicis coletadas em pomares comerciais com diferentes regimes de uso de acaricidas organoestanicos nos últimos cinco anos. Todas as popula es apresentaram suscetibilidade a óxido de fenbutatin e cihexatin semelhante ao da popula o suscetível de referência, com exce o de uma popula o que apresentou uma porcentagem de sobrevivência a cihexatin (10,7%) significativamente maior do que a da popula o suscetível (1,92%) na concentra o diagnóstica. Portanto, apesar do intenso uso de acaricidas organoestanicos para controle de B. phoenicis em citros no Estado de S o Paulo, as popula es desse ácaro ainda apresentam uma alta suscetibilidade aos acaricidas óxido de fenbutatin e cihexatin.
Carbon nanotube array vias for interconnect applications  [PDF]
J. -H. Ting,C. -C. Chiu,F. -Y. Huang
Physics , 2007,
Abstract: The material and electrical properties of the CNT single vias and array vias grown by microwave plasma-enhanced chemical vapor deposition were investigated. The diameters of multiwall carbon nanotubes (MWNTs) grown on the bottom electrode of Ta decrease with increasing pretreatment power and substrate temperature while the effects of the growth power and methane flow ratio are insignificant The decrease of CNT diameters leads to the decrease of the CNT via diode devices. The increase of growth power enhances the CNT graphitization degree and thue the conductivity of CNT via diode devices. In the same via region, the MWNT diode resistances of the array vias are lower than those of the single vias. The MWNT diode resistances on the bottom electrode of titanium are lower than those on the bottom electrode of tantalum. It may be attributed to the smaller tube diameters on the bottom electrode of Ti and the work function difference between Ta and Ti films with respect to the work function of CNTs.
Dacriocistorrinostomia endoscópica endonasal em casos de epífora com vias lacrimais pérvias  [cached]
Knijnik Denis,Uebel Viviane Neutzling,Santos Roberta Silveira
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia , 2003,
Abstract: OBJETIVOS: Epífora em pacientes nos quais a dacriocistografia mostra vias lacrimais permeáveis constitui ainda desafio ao especialista, especialmente quando n o há lacrimejamento reflexo, nem altera es oculares externas, palpebrais ou de pontos lacrimais. Nestes pacientes, com provável obstru o incompleta, quisemos verificar o resultado da dacriocistorrinostomia endonasal endoscópica. MéTODOS: Doze pacientes com epífora e vias lacrimais permeáveis à dacriocistografia foram submetidos a dacriocistorrinostomia endonasal, utilizando-se a uncinectomia no meato médio. RESULTADOS: Sete pacientes ficaram livres da epífora e três obtiveram melhora significativa após seguimento de 3 meses. CONCLUS O: A dacriocistorrinostomia endonasal é alternativa de tratamento válida para o tratamento de epífora em pacientes com vias lacrimais pérvias à dacriocistografia e sem altera es palpebrais.
Suscetibilidade de genótipos de feij o ao vírus-do-mosaico-dourado
Lemos Leandro Borges,Fornasieri Filho Domingos,Silva Tiago Roque Benetoli da,Soratto Rogério Peres
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2003,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a suscetibilidade de diversos genótipos de feij o ao vírus-do-mosaico-dourado (VMDF), transmitido pela mosca branca (Bemisia tabaci). A semeadura foi realizada na época da seca e das águas, com e sem aplica o do inseticida granulado Aldicarb (3,0 kg ha-1 do i.a.) no sulco de semeadura. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados disposto em esquema fatorial 14x2, representado por genótipos e inseticida, respectivamente, com quatro repeti es. A maior infesta o de mosca-branca e incidência do vírus ocorreu na época da seca, causando prejuízos à produ o do feijoeiro. Os genótipos apresentaram diferentes graus de suscetibilidade ao vírus e ao inseto vetor. Os genótipos mais tolerantes foram IAPAR 57, IAPAR 65, IAPAR 72, nix, Aporé e 606 (5)(214-17). A aplica o do inseticida sistêmico controla o vetor em ambas as épocas de cultivo, proporcionando aumentos da produtividade.
Resposta in vitro e suscetibilidade ao Agrobacterium de duas cultivares de Stylosanthes guianensis
HOFFMANN, LUCIA VIEIRA;VIEIRA, MARIA LUCIA CARNEIRO;
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000, DOI: 10.1590/S0100-204X2000000400009
Abstract: as cultivares bandeirantes e mineir?o de stylosanthes guianensis (leguminosae) foram avaliadas quanto à capacidade de forma??o de brotos adventícios in vitro e quanto à suscetibilidade ao agrobacterium. para obter regenera??o, foram utilizados vários tipos de explantes, e o meio basal ms foi suplementado com diferentes concentra??es de ácido naftalenoacético (naa) e 6-benzilanimopurina (bap). observou-se regenera??o de brotos a partir de explantes cotiledonares e hipocotiledonares, nas duas cultivares. o stylosanthes mostrou-se suscetível ao agrobacterium selvagem, pois a forma??o de tumores foi induzida. express?o transiente do gene uida foi observada em tecidos infectados de stylosanthes. experimentos sobre a a??o dos antibióticos cefotaxima e tetraciclina, usados em ensaios de transforma??o para elimina??o do agrobacterium, mostraram que a cefotaxima (250 μg ml-1) tende a reduzir a regenera??o de brotos em explantes da cv. bandeirantes.
Resposta in vitro e suscetibilidade ao Agrobacterium de duas cultivares de Stylosanthes guianensis  [cached]
HOFFMANN LUCIA VIEIRA,VIEIRA MARIA LUCIA CARNEIRO
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: As cultivares Bandeirantes e Mineir o de Stylosanthes guianensis (Leguminosae) foram avaliadas quanto à capacidade de forma o de brotos adventícios in vitro e quanto à suscetibilidade ao Agrobacterium. Para obter regenera o, foram utilizados vários tipos de explantes, e o meio basal MS foi suplementado com diferentes concentra es de ácido naftalenoacético (NAA) e 6-benzilanimopurina (BAP). Observou-se regenera o de brotos a partir de explantes cotiledonares e hipocotiledonares, nas duas cultivares. O Stylosanthes mostrou-se suscetível ao Agrobacterium selvagem, pois a forma o de tumores foi induzida. Express o transiente do gene uidA foi observada em tecidos infectados de Stylosanthes. Experimentos sobre a a o dos antibióticos cefotaxima e tetraciclina, usados em ensaios de transforma o para elimina o do Agrobacterium, mostraram que a cefotaxima (250 μg mL-1) tende a reduzir a regenera o de brotos em explantes da cv. Bandeirantes.
The Optimal Number and Location of Grounded Vias to Reduce Crosstalk
Wen-Tzeng Huang;Chi-Hao Lu;Ding-Bing Lin
PIER , 2009, DOI: 10.2528/PIER09071709
Abstract: Modern electronic products are increasingly based on high-speed, high-density circuitry operating at lower voltages. With such designs, the signal integrity (SI) in a poor printed circuit board layout is affected by noise and may become unstable. Crosstalk is a major source of noise that interferes with SI. Generally, crosstalk can be reduced by adding a guard trace between the victim and aggressor areas of the circuit. In addition, grounded vias can be added to the guard trace to help reduce crosstalk. Since a large number of grounded vias degrade the SI and reduce the flexibility of the circuit routing, we propose a method to calculate the optimal distance between grounded vias in the guard trace and determine the smallest number of vias required to achieve optimal performance in reducing crosstalk. We show by time-domain simulation that our method reduces the near-end crosstalk by 27.65% and the far-end crosstalk by more than 31.63% compared to the three-width rule. This is backed up by experimental results that show not only reductions of 34.49% and 37.55% for the near- and far-end crosstalk over time-domain, respectively, but also reductions of 2.1 dB and 3.3 dB for the near- and far-end crosstalk over the frequency-domain, respectively. Our results indicate that our method of optimal grounded vias has better performance than other methods.
SUSCETIBILIDADE A ANTIMICROBIANOS DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS ISOLADOS DE MANIPULADORES DE IND STRIA DE LATIC NIOS  [cached]
WILLIANI FAB?-OLA GRANDO,DIANE SCAPIN,PATR?-CIA DA SILVA MALHEIROS,ELIANDRA MIRLEI ROSSI
Alimentos e Nutri??o , 2009,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi isolar Staphylococcus aureus de manipuladores de alimentos de um lactic -nio e determinar sua suscetibilidade a diversos antimicrobianos. Para tal, coletaram-se amostras a partir das m £os e cavidade nasal de 29 manipuladores. Foram obtidos 58 cultivos suspeitos, os quais foram submetidos a testes bioqu -micos e ao teste de suscetibilidade aos antimicrobianos cipro oxacina, oxacilina, penicilina G, clindamicina, tetraciclina, eritromicina, nitrofuranto -na, sulfazotrim, rifampicina e vancomicina atrav s da t cnica de difus £o em disco. Foram isoladas 19 cepas de S. aureus, sendo 42,10% provenientes das m £os e 57,90% da cavidade nasal dos indiv -duos avaliados. O maior -ndice de resist ancia foi encontrado para penicilina G (78,95%), seguido pela tetraciclina (26,31%), enquanto que o maior -ndice de sensibilidade foi observado para nitrofuranto -na, sulfazotrim, rifampicina e vancomicina (100%), seguido da oxacilina (94,73%) e cipro oxacina (89,47%). De modo geral, as cepas apresentaram baixos n -veis de resist ancia, entretanto, a presen §a de S. aureus nas m £os e cavidades nasais dos manipuladores desempenham papel importante na dissemina § £o do micro-organismo.
Suscetibilidade da linhagem de células Vero a cepas vacinais do vírus do sarampo  [cached]
Takata Célia Sayoko,Kubrusly Flávia Saldanha,Miyaki Cosue,Mendes Inácio Fran?a
Revista de Saúde Pública , 1994,
Abstract: A suscetibilidade da linhagem de células Vero ao vírus do sarampo é bem conhecida e sua utiliza o no controle da potência da vacina contra o sarampo é amplamente difundida. Com o objetivo de comparar a suscetibilidade de células Vero empregadas em titula es, amostras provenientes de dois laboratórios controladores (Vero IB e Vero INCQS), foram testadas frente a três cepas vacinais: Moraten, Schwarz e Biken CAM-70. Foram titulados 72 lotes de vacinas contra o sarampo, sendo 25 produzidos com a cepa Moraten, 24 com a cepa Schwarz e 23 com a cepa Biken CAM-70. A análise estatística dos resultados obtidos nas titula es, feita através dos testes Limites para uma Média e "t" de Student, mostrou que para as cepas Moraten e Biken CAM-70, as diferen as de títulos n o foram estatisticamente significantes, o mesmo n o ocorrendo com a cepa Schwarz, para a qual as células Vero IB se mostraram mais sensíveis.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.