oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Técnica de prote o cerebral na angioplastia e "stent" de carótida: um procedimento eficaz contra embolia  [cached]
Piske Ronie Leo,Ferreira Marina S.,Campos Christiane M.S.,Teixeira Jr José Aldemir N.
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2003,
Abstract: OBJETIVO: Descrever a técnica de prote o cerebral usada na angioplastia com coloca o de "stent" para tratamento de les es estenóticas da bifurca o carotídea, mostrando sua eficiência em evitar a embolia durante o procedimento. MéTODOS: QUAREnta e dois pacientes (47 artérias) foram tratados com a técnica de prote o cerebral que consistiu na oclus o temporária da carótida interna acima da estenose, fazendo-se aspira o e inje o de solu o de glicose a 5% na carótida interna após a coloca o de "stent" e angioplastia, para remover eventuais fragmentos da placa. RESULTADOS: A angioplastia foi eficiente em todos os casos. N o ocorreu embolia nos pacientes deste estudo nos quais se utilizou a técnica de prote o cerebral na sua vers o completa. Embolia ocorreu em um paciente, durante pré-dilata o da estenose, antes de se usar a técnica de prote o cerebral. CONCLUS O: A técnica de prote o cerebral foi eficiente em evitar a embolia nos procedimentos realizados. Esses dados concordam com os da literatura e o uso desta técnica amplia as indica es da angioplastia carotídea.
Tratamento endovascular de fístula arteriovenosa vertebral espontanea em crian a: relato de caso
Passos Filho Paulo Eloy,Mattana Paulo Ricardo,Pontalti Jo?o Luís,Silva Fabrício Molon da
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2002,
Abstract: Fístulas espontaneas da artéria vertebral s o raras malforma es arteriovenosas entre a artéria vertebral e um vaso circunvizinho. Relatamos um caso de fístula arteriovenosa, n o traumática, em uma crian a de 9 anos de idade, submetida a tratamento por via endovascular. Sob anestesia geral e controle fluoroscópico, empregou-se a técnica endovascular para posicionar um bal o destacável de látex, dessa forma ocluindo totalmente o trajeto fistuloso. Resolu o clínica e angiográfica foi obtida, e n o houve complica es relacionadas com o procedimento de emboliza o. O resultado observado comprova que a emboliza o especialmente oclus o com bal es descartáveis, tornou-se o tratamento padr o para esta enfermidade.
Fístula arteriovenosa dural intracraniana com drenagem perimedular: relato de caso
Seda Jr Lauro de Franco,Pieruccetti Marco Antonio,Freitas José Maria Modenesi de,Listik Sérgio
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2002,
Abstract: Apresentamos um caso típico de fístula arteriovenosa dural intracraniana com drenagem para o plexo venoso peribulbar e veias perimedulares. Discutimos seus aspectos etiológicos e fisiopatológicos, bem como os critérios de diagnóstico e tratamento deste tipo de les o.
Embolia pulmonar decorrente de coriocarcinoma metastático com apresenta o atípica  [cached]
Jhayya Teresa de Jesus,Francisco Andreia Luisa Sim?es,Silva Clystenes Odyr Soares,Ferreira Rimarcs G.
Jornal de Pneumologia , 1999,
Abstract: é apresentado o caso de uma paciente de 36 anos, com coriocarcinoma metastático pulmonar com apresenta o clínica e radiológica atípica. O achado de hipertens o pulmonar indicou a possibilidade de tromboembolia pulmonar; todavia, o diagnóstico definitivo e causa da embolia pulmonar foram dados na autópsia. Discutem-se as formas de apresenta o das metástases do coriocarcinoma, sua repercuss o e o período de latência que pode existir até evidenciar a neoplasia.
Hemorragia intracraniana na gravidez e puerpério: experiência com quinze casos  [cached]
Lynch Jose Carlos,Andrade Ricardo,Pereira Celestino
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2002,
Abstract: A hemorragia intracraniana que acontece na gravidez é um fen meno raro, porém, apresenta mortalidade e morbidades elevadas. Analisamos 15 pacientes com hemorragia intracraniana que ocorreu durante a gravidez ou puerpério. Em cinco casos a hemorragia decorria da ruptura de aneurisma, em 6, de malforma o. A mortalidade materna foi 20%, e a fetal 33%. Quando a causa do sangramento é proveniente de ruptura de um aneurisma, deve-se realizar a oclus o cirúrgica do aneurisma durante a gravidez o que aconteceu em 4 pacientes desta série. Entretanto, se a hemorragia decorre de uma malforma o arteriovenosa, o melhor tratamento ainda n o está estabelecido.
Efeitos hemodinamicos da oclus o da aorta durante anestesia inalatória com isoflurano e sevoflurano: estudo experimental em c es
Udelsmann Artur,Munhoz Derli Concei??o,Cintra álvaro Edmundo Sim?es Ulhoa,Santos José Eduardo Tanus dos
Revista Brasileira de Anestesiologia , 2006,
Abstract: JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A supress o do fluxo aórtico e sua posterior libera o em interven es cirúrgicas da aorta ocasionam importantes distúrbios hemodinamicos. O objetivo deste estudo foi avaliar essas altera es em c es anestesiados com isoflurano ou sevoflurano. MéTODO: Foram estudados 41 c es, divididos em dois grupos segundo o anestésico empregado na manuten o com 1 CAM: GI (n = 21) isoflurano; GS (n = 20) sevoflurano. Foi realizada a oclus o aórtica por insufla o de bal o intra-arterial infradiafragmático por 30 minutos. Os parametros hemodinamicos foram observados nos momentos M1 (controle), M2 e M3, 15 e 30 minutos após a oclus o aórtica, M4 e M5, 15 e 30 minutos após a desinsufla o do bal o. RESULTADOS: Durante a oclus o da aorta, observou-se aumento da press o arterial média (PAM), da press o venosa central (PVC), da press o de artéria pulmonar (PAP), da press o de capilar pulmonar (PCP) e da resistência vascular sistêmica (RVS) sem aumento da resistência vascular pulmonar (RVP) e do débito cardíaco (DC). O DC manteve-se mais estável com o isoflurano comparado com o sevoflurano, com o qual apresentou diminui o após a oclus o. A freqüência cardíaca teve diminui o inicial seguida de aumento durante a oclus o sendo em GS mais expressiva do que em GI, porém sem diferen a significativa entre os grupos. O volume sistólico n o teve grandes altera es; o trabalho sistólico dos ventrículos esquerdo e direito aumentou após a oclus o de forma semelhante nos dois grupos. Com a libera o do fluxo PAM, PVC, PAP, PCP e RVS diminuíram, a RVP aumentou nos dois grupos; o trabalho ventricular diminuiu abruptamente. CONCLUS ES: O estudo demonstrou ser o isoflurano mais bem indicado nessas interven es cirúrgicas por causar menores altera es hemodinamicas.
Endovascular management of massive pulmonary embolism with clot fragmentation and suction Tratamento endovascular de embolia pulmonar maci a com fragmenta o e aspira o de trombos  [cached]
Sergio Quilici Belczak,Igor Rafael Sincos,Ricardo Aun,Alex Ledermain
Jornal Vascular Brasileiro , 2013,
Abstract: Massive pulmonary embolism with right ventricular dysfunction may be treated with thrombolysis, embolectomy, or percutaneous mechanical thrombectomy. This study describes our experience with two patients that had massive pulmonary embolism and were treated with percutaneous mechanical thrombectomy and reports on the mid-term results of this procedure. A 28-year-old man and a 70-year-old woman were diagnosed with deep venous thrombosis and massive pulmonary embolism. They first had lower limb edema followed by sudden onset of dyspnea. Their physical examination revealed edema, tachypnea, chest discomfort and jugular turgescence. Both needed to receive oxygen using a nasal cannula. Doppler ultrasound, echocardiography, and computed tomography angiography were used to establish the diagnoses. Patients underwent percutaneous mechanical thrombectomy using the Aspirex system (Straub Medical), and their clinical condition and imaging study findings improved substantially. At mid-term follow-up, patient conditions were improving satisfactorily. A embolia pulmonar maci a com disfun o do ventrículo direito pode ser tratada com trombólise, embolectomia ou trombectomia mecanica percutanea. Este estudo descreve nossa experiência com dois pacientes com embolia pulmonar maci a tratados com trombectomia mecanica percutanea e relata os resultados a médio prazo desse procedimento. Um homem de 28 anos e uma mulher de 70 anos foram diagnosticados com trombose venosa profunda e embolia pulmonar maci a. Inicialmente, eles tiveram edema de membros inferiores seguido por início súbito de dispneia. O exame físico revelou edema, taquipneia, desconforto torácico, turgência jugular. Em ambos havia sinais de hipóxia e precisaram receber oxigênio usando uma canula nasal. A ultrassonografia Doppler ecocardiograma e angiotomografia foram utilizadas para estabelecer os diagnósticos. Os pacientes foram submetidos à trombectomia mecanica percutanea utilizando o sistema Aspirex (Straub Medical). Sua condi o clínica e os achados dos estudos de imagem melhoraram substancialmente. No acompanhamento a médio prazo, os pacientes apresentaram melhora significativa do quadro.
Análise oclusal de pacientes com má-oclus o de classe ii, tratados com extra es de 4 pré-molares  [cached]
Fernando Alcides José de Souza,Paula Rotoli Gregolin,Marco Antonio Scanavini,Savério Mandetta (in memoriam)
Odonto , 2008,
Abstract: Para determinar a estabilidade dos resultados oclusais, após tratamento ortod ntico, realizou-se um estudo comparativo do número de pontos de contato oclusais na posi o de máxima intercuspida o habitual em uma amostra composta por 14 pacientes leucodermas, sendo 9 do sexo feminino e 5 do sexo masculino, com má-oclus o de Classe II, divis o 1a de Angle, tratados ortodonticamente com a técnica de Edgewise, e extra o dos 4 primeiros pré-molares. Estes pontos foram registrados em dois tempos: T1 - ao final da fase de conten o superior e T2 - após um período médio de 5,2 anos. A contagem dos contatos oclusais foi realizada, separadamente, no arco superior e inferior, na regi o anterior e posterior. Depois da análise estatística, p de-se concluir que n o houve diferen a estatisticamente significante entre o número médio de contatos oclusais nos diferentes períodos estudados.
Avalia o de dois modelos experimentais de isquemia e reperfus o cerebral em ratos com oclus o temporária carotídea associada ou n o à oclus o vertebral  [cached]
Tardini Daniela Mazza Sundefeld,Yoshida Winston Bonetti,Novelli Ethel Lourenzi Barbosa,Sequeira Júlio Lopes
Acta Cirurgica Brasileira , 2003,
Abstract: OBJETIVO: Avaliar a reprodutibilidade de dois modelos experimentais de isquemia e reperfus o cerebral. MéTODOS: 60 ratos foram distribuídos, aleatoriamente, em três grupos experimentais, com 20 animais cada: I - pin amento temporário de artéria carótida esquerda; II - cauteriza o prévia das artérias vertebrais e pin amento temporário da artéria carótida esquerda; simulado - sem isquemia nem reperfus o. Todos os animais tiveram oclus o definitiva de artéria carótida direita e os três grupos foram subdivididos em dois períodos de reperfus o: A - 60 minutos e B - 120 minutos. Os parametros verificados foram: medidas de press o arterial média sistêmica e fluxo sangüíneo carotídeo; medida de malondialdeído cerebral através do teste TBARS e avalia o histológica do hemisfério cerebral submetido à isquemia e reperfus o. Foi feito também um estudo complementar com angiografia cerebral em 5 animais adicionais. RESULTADOS: N o houve diferen as significativas nas dosagens de malondialdeído cerebral e na freqüência e gravidade das altera es histológicas cerebrais entre os três grupos. Nos grupos GI e GII, a PAM foi significantemente maior no período de isquemia. O fluxo sangüíneo entre os períodos pré e pós-pin amento aumentou nos grupos IA e IIB, diminuiu no grupo IB e no grupo IIA manteve-se inalterado. As angiografias do estudo complementar mostraram aporte sangüíneo para cérebro através de circula o colateral. CONCLUS O: Os modelos de isquemia e reperfus o estudados n o demonstraram altera es consistentes de marcadores de les o cerebral, seja quanto à produ o de lipoperóxidos ou de les es histológicas.
Embolia pulmonar por polimetilmetacrilato
Yanina Castillo Costa,Mauro García Aurelio,Héctor Gómez Santa María,Víctor Mauro
Revista Argentina de Cardiología , 2009,
Abstract: Los primeros registros de embolia pulmonar por polimetilmetacrilato se publicaron recientemente (2003) y desde entonces se describieron no más de 15 casos. Se presenta el caso de un paciente joven a quien dos meses antes de la consulta se le había efectuado una vertebroplastia percutánea con polimetilmetacrilato. Por síntomas pleuríticos se le realizó una radiografía de tórax, que evidenció múltiples imágenes radioopacas en ambos campos pulmonares. La embolia pulmonar por polimetilmetacrilato es una complicación muy poco frecuente de ese procedimiento y un diagnóstico diferencial para tener en cuenta en pacientes con el antecedente y que consulten por dolor precordial o disnea.REV ARGENT CARDIOL 2009;77:129-130.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.