oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de alfafa em rela o a diferentes épocas de corte  [cached]
Ferreira Reinaldo de Paula,Botrel Milton de Andrade,Ruggieri Ana Claúdia,Pereira Ant?nio Vander
Ciência Rural , 2004,
Abstract: O experimento foi conduzido na Esta o Experimental de Zootecnia de Sert ozinho-SP. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com 3 repeti es, sendo a parcela constituída de 5 fileiras de 5m de comprimento, espa ados 0,2 m. Avaliou-se a produ o de matéria seca de 35 cultivares de alfafa em 29 cortes realizados no período de outubro/1996 a mar o/1999. O estudo da adaptabilidade e estabilidade das cultivares ao longo dos 29 cortes, foi realizado por meio das metodologias de Eberhart e Russell e Lin e Binns. Verificou-se a existência de intera o cultivares x cortes, demonstrando que o comportamento relativo das cultivares n o era o mesmo nos diferentes cortes. Das 35 cultivares avaliadas, 14 apresentaram adaptabilidade geral (b1i ou = 1) e boa previsibilidade ( s2di = 0), segundo a metodologia de “Eberhart e Russell”. Das 10 cultivares que apresentaram maior adaptabilidade e estabilidade (menores Pi), segundo a metodologia de Lin e Binns sete também apresentaram adaptabilidade geral e boa previsibilidade segundo a metodologia de Eberhart e Russell. As cultivares SW 8210, Victoria SP, MH 15, 5888, Araucana, BR 1 e BR 3 foram as que apresentaram maior adaptabilidade e estabilidade de comportamento, pelos dois métodos utilizados.
Produtividade, adaptabilidade e estabilidade fenotípica de cultivares de tomateiro sob diferentes condi es de ambiente  [cached]
Gualberto Ronan,Braz Leila Trevizan,Banzatto David Ariovaldo
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2002,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi estudar o desempenho produtivo, adaptabilidade e estabilidade fenotípica de seis genótipos de tomateiro na regi o de Marília, SP. Os experimentos foram conduzidos em nove ambientes (seis sob condi es de cultivo protegido e três sob condi es de céu aberto), com seis genótipos (Carmen, Diva, Donador, Graziela, Vita e HE-295), em blocos casualizados, com quatro repeti es. Ocorreram diferen as significativas entre ambientes, e a média geral dos cultivos protegidos superou a dos cultivos a céu aberto quanto à produtividade, apesar de a média geral dos cultivos a céu aberto ser superior quanto ao peso médio de frutos. As cultivares, à exce o de HE-295, demonstraram alta estabilidade, merecendo destaque as cultivares Carmen, Donador e Vita, que tiveram rendimento médio superior ao da média geral, adaptabilidade geral e comportamento previsível em todos os ambientes estudados. Quanto ao peso médio dos frutos, as cultivares Diva e Vita foram as únicas que mostraram ampla adaptabilidade a todos os ambientes, comportamento previsível, além de apresentarem peso médio do fruto superior ao da média geral.
Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho no nordeste brasileiro
CARVALHO HéLIO WILSON LEMOS DE,LEAL MARIA DE LOURDES DA SILVA,SANTOS MANOEL XAVIER DOS,CARDOSO MILTON JOSE
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2000,
Abstract: No ano agrícola de 1997, 21 cultivares de milho foram submetidas a 26 diferentes condi es ambientais no Nordeste brasileiro, visando conhecer a estabilidade de produ o desses materiais para fins de recomenda o na regi o. Foi utilizado o delineamento experimental em blocos casualizados, com três repeti es. Foram detectadas diferen as entre os ambientes, as cultivares e comportamento diferencial das cultivares em face das varia es ambientais, na análise de variancia conjunta. A produtividade média obtida (4.301 kg/ha) mostra o bom potencial para a produtividade das cultivares avaliadas, e boa aptid o do Nordeste brasileiro para a produ o de milho. Todas as cultivares mostraram estabilidade de produ o nos ambientes considerados. Os híbridos, de melhores rendimentos que as cultivares, constituem excelentes alternativas para explora o na regi o, destacando-se, entre eles, o BR 3123, Agromen 2003 e Germinal 600, por expressarem respostas positivas à melhoria ambiental. As cultivares BR 106, BR 5011, BR 5004 e BR 5033 têm recomenda o justificada, especialmente, para pequenos e médios produtores rurais, onde certamente contribuir o para a melhoria da produtividade do milho.
Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de soja em cinco épocas de plantio no cerrado de Rond nia
Prado Eloi Elias do,Hiromoto Dario Minoru,Godinho Vicente de Paulo Campos,Utumi Marley Marico
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2001,
Abstract: Este trabalho teve o objetivo de avaliar o desempenho, a estabilidade e a adaptabilidade de 21 cultivares de soja (Glycine max (L.) Merrill), em cinco épocas de plantio no cerrado de Rond nia. O delineamento experimental foi blocos ao acaso, com três repeti es. Os ensaios foram conduzidos no ano de 1996/97 pelo Centro de Pesquisa Agroflorestal de Rond nia, no Campo Experimental de Vilhena em Rond nia, RO. Os métodos utilizados apresentaram concordancia entre os resultados alcan ados, sendo que o comportamento das cultivares nas diferentes épocas de semeadura pode ser representado por um modelo linear. O coeficiente de resposta linear beta1i n o apresentou diferen a significativa (P<0,05) da unidade pelo teste t (beta1i = 1) em todas as cultivares testadas. As cultivares que apresentaram desvios de regress o sigma2(d i) significativos (P<0,05) foram MT/BR50 e EMBRAPA 31, com R2 = 58,56% e 74,43%, respectivamente. As demais cultivares n o apresentaram desvios de regress o significativos.
Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho no Nordeste brasileiro no triênio 1998 a 2000  [cached]
Carvalho Hélio Wilson Lemos de,Leal Maria de Lourdes da Silva,Cardoso Milton José,Santos Manoel Xavier dos
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2002,
Abstract: Foram avaliadas 22 cultivares de milho (variedades, híbridos e popula es) em 45 ambientes do Nordeste brasileiro, no triênio 1998 a 2000, objetivando conhecer a adaptabilidade e a estabilidade desses materiais para fins de recomenda o. Utilizou-se delineamento experimental em blocos ao acaso com três repeti es. A análise de variancia conjunta mostrou inconsistência no comportamento das cultivares diante das varia es ambientais. Os híbridos mostraram melhor adapta o que as variedades e popula es, constituindo-se em alternativas viáveis para os produtores que investem em tecnologias modernas de produ o; sobressaíram-se Cargill 333 B, AG 1051 e Zeneca 8501. As variedades Sertanejo, AL 25, S o Francisco, S o Vicente, Asa Branca e BR 106 s o importantes nos sistemas de produ o dos pequenos e médios produtores rurais da regi o.
Adaptabilidade e estabilidade de produ o de cultivares e linhagens de feijoeiro no Estado de S o Paulo  [cached]
CARBONELL SéRGIO AUGUSTO MORAIS,AZEVEDO FILHO JOAQUIM ADELINO DE,DIAS LUIZ ANT?NIO DOS SANTOS,GON?ALVES CHARLESTON
Bragantia , 2001,
Abstract: Avaliaram-se a adaptabilidade e a estabilidade de produ o de 12 cultivares e linhagens de feijoeiro em 24 ambientes (combina es de épocas de plantio, anos e locais de cultivo), no Estado de S o Paulo, bem como a eficiência de dois métodos de análise de estabilidade e adaptabilidade. As cultivares IAC-Carioca e IAC-Una foram utilizadas como padr es de gr o tipo carioca e preto respectivamente. O delineamento utilizado foi o de blocos completos casualizados, com quatro repeti es e parcelas de quatro linhas de 5 m de comprimento, com as duas centrais como parcela útil. Os métodos utilizados para a avalia o dos parametros de adaptabilidade, propostos por Cruz e colaboradores e Lin e Binns, modificados por Carneiro, produziram resultados discrepantes. De acordo com os resultados do primeiro método, as cultivares Rudá, Gen12, IAC-Carioca Eté e FT-Bonito podem ser indicadas para plantio em vários ambientes devido à adapta o ampla. Quanto à adaptabilidade a ambientes específicos, as cultivares mais estáveis foram FT-Nobre, FT-Bonito e Rudá (águas); Rudá, IAC-Carioca Eté e Gen12 (seca); Pérola, FT-Bonito e Gen12 (inverno). Pelo segundo método, entretanto, identificaram-se as cultivares mais estáveis e responsivas, as quais foram consideradas, também, como as mais produtivas. Esse segundo método reuniu eficiência, simplicidade, unicidade de parametros e facilidade de interpreta o dos resultados. Diante disso, sugere-se que a sele o e a recomenda o de cultivares mais produtivas, estáveis e responsivas, tanto para adapta o ampla quanto para a específica, sejam orientadas por sua aplica o.
Adaptabilidade e estabilidade de cultivares e híbridos de milho no Nordeste brasileiro no ano agrícola de 1998
Carvalho Hélio Wilson Lemos de,Leal Maria de Lourdes da Silva,Cardoso Milton José,Santos Manoel Xavier dos
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2001,
Abstract: Durante o ano agrícola de 1998, na Regi o Nordeste do Brasil, foram realizados experimentos em rede, em blocos casualizados com três repeti es, envolvendo a avalia o de 25 cultivares (cultivares e popula es) e de 30 híbridos de milho em dezenove e dezesseis ambientes, respectivamente, objetivando conhecer adaptabilidade e estabilidade dessas cultivares para fins de recomenda o. Os híbridos apresentaram maiores rendimentos, em média, 21,4% mais que as cultivares. Nos ensaios envolvendo cultivares e popula es, o híbrido Cargill 909, utilizado como testemunha, teve um rendimento superior, tanto nos ambientes desfavoráveis quanto nos favoráveis. As cultivares AL 30, BR 5028, BR 106, BR 5011, BR 5033, Sintético Dentado, Sintético Duro e a popula o CMS 50 expressaram boa adapta o e estabilidade de produ o no Nordeste brasileiro. Nos ensaios envolvendo híbridos, Dina 1000, Cargill 333 B, Dina 270, Braskalb XL 360, Master, AG 1051, AG 4051 e Pioneer 3041 apresentaram maior adapta o com estabilidade de produ o nos ambientes considerados. Para recomenda o específica a ambientes favoráveis destacaram-se os híbridos AG 4051 e Pioneer X 1296 B. Apesar de n o se encontrarem híbridos com adapta o específica a ambientes desfavoráveis, a recomenda o de materiais com maiores rendimentos nesses ambientes é de interesse para o agricultor, a exemplo do Dina 1000, Cargill 333 B e Braskalb XL 360.
Análise da adaptabilidade e da estabilidade de genótipos de trigo como ferramenta auxiliar na recomenda o de novas cultivares
Caier?o Eduardo,Silva Márcio Só e,Scheeren Pedro Luiz,Del Duca Leo de Jesus Antunes
Ciência Rural , 2006,
Abstract: A análise da adaptabilidade e da estabilidade de genótipos de trigo auxilia o melhorista na recomenda o de novas cultivares, indicando linhagens de adapta o ampla ou específica aos ambientes. Esse procedimento é particularmente importante para a cultura do trigo, principalmente levando em considera o a grande diversidade de ambientes a que o cereal é submetido no Brasil. Assim, este trabalho teve como objetivo identificar genótipos de trigo com ampla adapta o e estáveis para recomenda o. Os dados para as análises foram obtidos a partir do ensaio de Valor de Cultivo e Uso (VCU) estabelecido nas diferentes regi es de adapta o do Brasil, em 2003 e 2004. O delineamento experimental usado foi o de blocos ao acaso, com 4 repeti es. A variável analisada foi o rendimento de gr os. Para fins de compara o, foram usadas três cultivares como testemunhas: "CEP 24", "BRS 194" e " nix". Para a determina o da adaptabilidade e da estabilidade dos genótipos, foram usados os métodos descritos por Eberhart & Russel e por Lin & Binns. Quatro genótipos apresentaram ampla adaptabilidade e estabilidade (beta=1 e S2d=0) pelo método de Eberhart & Russel destes, dois n o diferiram estatisticamente da melhor testemunha. Os coeficientes de determina o foram significativos e explicaram o comportamento de todos os genótipos avaliados (R2>80% e significativo). O modelo de Lin & Binns gerou resultados coerentes com o de Eberhart & Russel, para a maioria das linhagens avaliadas. Os genótipos PF 990313 e PF 980524 destacaram-se pela ampla adapta o e produtividade média, podendo ser recomendados para todas as regi es tritícolas do Brasil.
Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho-pipoca na regi o centro-sul do Brasil
Vendruscolo Eliane Cristina Gruszka,Scapim Carlos Alberto,Pacheco Cleso Ant?nio Patto
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2001,
Abstract: Este trabalho teve como objetivo estudar a adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho-pipoca avaliadas pela Embrapa-Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo, no ano agrícola 1991/92. Foram avaliadas 15 cultivares em 19 locais quanto à produtividade, e em 15 locais quanto ao índice de capacidade de expans o (ICE) na regi o centro-sul do Brasil. As cultivares GO 100P, MF 1001, Pirapoca-Amarela, Pirapoca-Branca e Colorado Pop 1, foram mais promissoras, pois apresentaram boas médias de produtividade (1.700 a 2.100 kg/ha de gr os) e razoáveis ICE (17 a 21 mL/mL). Quanto à variável produtividade, as cultivares Pirapoca-Amarela e Colorado Pop 1 apresentaram-se adaptadas a ambientes favoráveis, e foram estáveis. As cultivares MF 1001, Pirapoca-Branca e GO 100P, demonstraram capacidade satisfatória no aproveitamento dos estímulos ambientais, e foram estáveis. Todas foram estáveis em rela o ao ICE, e as cultivares MF 1001, Colorado Pop 1, Pirapoca-Amarela e Pirapoca-Branca demonstraram capacidade satisfatória no aproveitamento dos estímulos ambientais. A cultivar GO 100P foi melhor adaptada para ambientes favoráveis.
ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE FENOTíPICA DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO NO ESTADO DO MATO GROSSO, BRASIL PHENOTYPIC ADAPTABILITY AND STABILITY OF COTTON CULTIVARS IN THE MATO GROSSO STATE, BRAZIL
Fábio Akiyoshi Suinaga,Cristina Schetino Bastos,Luis Eduardo Pacifici Rangel
Pesquisa Agropecuária Tropical , 2007, DOI: 10.5216/pat.v36i3.2035
Abstract: O objetivo deste trabalho foi o de avaliar a adaptabilidade e a estabilidade de cultivares de algod o (Gossypium hirsutum L.), utilizando a metodologia proposta por Eberhart & Russell (1966). Para tanto, onze variedades de algod o foram avaliadas em sete locais do Estado do Mato Grosso, Brasil, em dois anos agrícolas (2002/2003 e 2003/2004). O delineamento experimental empregado foi o de blocos casualizados com quatro repeti es e as características avaliadas foram a produtividade de algod o em caro o e a porcentagem de fibra. Com rela o à produ o de algod o em caro o, as cultivares BRS Aroeira, BRS Ipê, BRS Cedro, BRS Jatobá e Delta Opal demonstraram ampla adaptabilidade e estabilidade para as regi es produtoras do Estado. Entretanto, considerando a porcentagem de fibra, n o foram encontradas cultivares de algod o com ampla adaptabilidade e estabilidade nos ambientes estudados. PALAVRAS-CHAVE: Gossypium hirsutum; fibra; estabilidade. The objective of this work was to evaluate the stability and adaptability of cotton (Gossypium hirsutum L.) cultivars using the method of Eberhart & Russell (1966). Eleven varieties of cotton were tested at seven locations in Mato Grosso State, Brazil, in two growing seasons (2002/2003 and 2003/2004). The experimental design was the randomized complete blocks with four replications and the evaluated traits were lint percentage and seed cotton yield. For seed cotton yield, BRS Aroeira, BRS Ipê, BRS Cedro, BRS Jatobá and Delta Opal showed broad adaptability and stability in Mato Grosso State. However, for lint percentage there were not found cotton cultivars with both broad adaptability and stability for the studied environments. KEY-WORDS: Gossypium hirsutum; lint; yield stability; genotype-environment interaction.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.