oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Ra a e les o de órg os-alvo da hipertens o arterial em pacientes atendidos em um ambulatório universitário de referência na cidade de Salvador  [cached]
Noblat Antonio Carlos Beisl,Lopes Marcelo Barreto,Lopes Antonio Alberto
Arquivos Brasileiros de Cardiologia , 2004,
Abstract: OBJETIVO: Avaliar se a ra a do paciente estaria associada à presen a de hipertrofia ventricular esquerda, acidente vascular cerebral e insuficiência renal cr nica em hipertensos atendidos em ambulatório de referência em Salvador-BA. MéTODOS: Analisados dados de 622 pacientes com o primeiro atendimento em ambulatório de hipertens o, entre 1982 e 1986, e identificados os com história prévia ou seqüela de acidente vascular cerebral, hipertrofia ventricular esquerda ou insuficiência renal (creatinina sérica > 1,4 mg/dL). Modelos de regress o logística foram utilizados para estimar odds ratio (OR) da associa o entre ra a (mulatos ou negros vs brancos) e les o de órg os-alvo de hipertens o, ajustadas para sexo e idade. RESULTADOS: A média de idade dos pacientes foi 53,8±14,3 anos, 74,1% mulheres. Quanto à ra a, 15,1% eram brancos, 65,9% mulatos e 19,0% negros. Acidente vascular cerebral foi significantemente mais freqüente em negros ou mulatos do que em brancos (odds ratio ajustada (ORa)=3,44; intervalo de confian a (IC) 95%=1,23-9,67). Quanto às associa es envolvendo ra a com os eventos hipertrofia ventricular esquerda e insuficiência renal as ORa n o foram estatisticamente significantes, mas foram consistentes com maior prevalência de hipertrofia ventricular esquerda e insuficiência renal em negros e mulatos. CONCLUS O: Negros e mulatos hipertensos têm maior risco de les o de órg o alvo do que brancos, com diferen a racial maior para acidente vascular cerebral n o fatal. Deve ser avaliada se diferen as raciais em mortalidade relacionada a complica es da hipertens o influenciam as associa es observadas entre ra a e les o de órg os-alvo.
Características do atendimento de pacientes com acidente vascular cerebral em hospital secundário
RADANOVIC MáRCIA
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2000,
Abstract: OBJETIVO: Descrever o perfil de atendimento de pacientes com acidente vascular cerebral (AVC) realizado no Hospital Universitário da Universidade de S o Paulo (HU-USP), pela equipe de Clínica Médica do Setor de Emergência, como padr o de hospital secundário. MéTODO: Análise retrospectiva de 228 prontuários de pacientes com doen a cerebrovascular, no período de 1989 a 1993. RESULTADOS: Encontramos a seguinte distribui o para os subtipos: 53% AVC isquêmico, 26 % AVC hemorrágico, 2% associa o de ambos e 19% n o classificados. Incidência dos fatores de risco: hipertens o arterial sistêmica, 67,5 %; cardiopatias, 24,6%, sendo mais frequente a fibrila o auricular cr nica; diabetes, 20,2%. Entre as complica es, coma foi constatado em 22,4% dos casos; insuficiência respiratória, em 15%; infec o, em 29%. A taxa de óbito foi 14,5%. A média de permanência no hospital foi 4,11 dias. CONCLUS ES: Os aspectos epidemiológicos e complica es obtidos reproduziram o padr o descrito na literatura. Aspectos negativos observados foram a insuficiência de leitos e a incidência elevada de infec es pulmonares. A taxa de mortalidade foi comparável às mais baixas da literatura mundial.
Acidente vascular cerebral isquêmico em uma enfermaria de neurologia: complica??es e tempo de interna??o
Paulo, Rodrigo Bomeny de;Guimar?es, Tales Mollica;Helito, Paulo Victor Partezani;Marchiori, Paulo Eurípides;Yamamoto, Fabio Iuji;Mansur, Letícia Lessa;Scaff, Milberto;Conforto, Adriana Bastos;
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 2009, DOI: 10.1590/S0104-42302009000300025
Abstract: introduction: purposes of this study were: evaluate complications and length of stay of patients admitted with diagnosis of ischemic stroke (is) in the acute or subacute phase, in a general neurology ward in s?o paulo, brazil; investigate the influence of age, risk factors for vascular disease, arterial territory and etiology. methods: data from 191 is patients were collected prospectively. results: fifty-one patients (26.7%) presented at least one clinical complication during stay. pneumonia was the most frequent complication. mean length of stay was 16.8+-13.8 days. multivariate analysis revealed a correlation between younger age and lower complication rates (or=0.92-0.97, p < 0.001). presence of complications was the only factor that independently influenced length of stay (or=4.20; ci=1.928.84; p<0.0001). conclusion: these results should be considered in the planning and organization of is care in brazil.
Fatores de risco e complica es em hipertensos/diabéticos de uma regional sanitária do nordeste brasileiro Factores de riesgo y complicaciones en hipertensos/diabéticos de una región sanitaria del noreste brasile o Risk factors and complications in patients with hypertension/diabetes in a regional health district of northeast Brazil
Jênifa Cavalcante dos Santos,Thereza Maria Magalh?es Moreira
Revista da Escola de Enfermagem da USP , 2012, DOI: 10.1590/s0080-62342012000500013
Abstract: Objetivou-se com este estudo identificar os fatores de risco e a complica es associadas em usuários com hipertens o/diabetes, cadastrados no HIPERDIA da Secretaria Executiva Regional VI em Fortaleza, CE. O estudo documental analítico abordou 2.691 pessoas. Do total, 73,6% eram mulheres; 44,6% tinham 60-79 anos, com média de 60,8 anos; 87,4% eram brancos, amarelos ou pardos; 63,7% tinham até oito anos de estudo; 79,7% n o eram fumantes; 56,6% sedentários; 59,6% apresentavam sobrepeso/obesidade; 48,4% possuíam antecedente familiar de doen a cardiovascular. Verificou-se associa o entre sedentarismo e sobrepeso/obesidade com diabéticos e diabéticos hipertensos; antecedente familiar de doen a cardiovascular com os hipertensos e diabéticos hipertensos; acidente vascular encefálico, doen a arterial coronariana e insuficiência renal cr nica com hipertensos e diabéticos hipertensos; infarto e acidente vascular encefálico com diabéticos. O antecedente familiar cardiovascular associou-se com doen a arterial coronariana e infarto. Evidenciou-se a presen a relevante de fatores de risco e complica es, destacando a necessidade da educa o em saúde com os usuários. Se objetivó identificar factores de riesgo y complicaciones asociadas en pacientes con hipertensión/diabetes, registrados en el HIPERDIA de la Secretaría Ejecutiva Regional IV de Fortaleza-CE. Estudio documental analítico que abordó 2.691 personas; 73,6% de sexo femenino, 44,6% con 60-79 a os, promedio de 60,8 a os; 87,4% blancos, amarillos o trigue os, 63,7% con hasta ocho a os de escolarización; 79,7% no fumadores, 56,6% sedentarios, 59,6% con sobrepeso/obesidad, 48,4% con antecedentes cardiovasculares familiares. Se verificó asociación entre sedentarismo y sobrepeso/obesidad con los diabéticos y diabéticos hipertensos; antecedentes cardiovasculares familiares con los hipertensos y diabéticos hipertensos; accidente cerebro-vascular, enfermedad coronaria e insuficiencia renal crónica con hipertensos y diabéticos hipertensos; infarto y accidente cerebro-vascular con diabéticos. Antecedentes cardiovasculares familiares se asociaron con enfermedad coronaria e infarto. Se evidenció presencia relevante de factores de riesgo y complicaciones, destacándose la necesidad de educación sanitaria a los pacientes. The objective of this study was to identify the risk factors and associated complications present in clients with hypertension/diabetes, enrolled in the HIPERDIA of the Executive Regional Health Department VI in Fortaleza, CE. This analytical documental study included 2,691 people. Of this total, 73.6% were
O impacto da obesidade na morbi-mortalidade de pacientes submetidos à cirurgia de revasculariza o miocárdica =Impact of obesity in morbity and mortality of patients submitted to myocardial revascularization surgery  [cached]
Guaragna, Luciana Parareda et al.
Scientia Medica , 2008,
Abstract: Objetivos: avaliar se a obesidade pode aumentar a incidência de complica es e mortalidade no pós-operatório de cirurgia de revasculariza o do miocárdio. Métodos: coorte histórica de 2. 445 pacientes submetidos à cirurgia de revasculariza o do miocárdio entre janeiro de 1996 e dezembro 2006 no Hospital S o Lucas da PUCRS. Os casos foram constituídos pelos pacientes obesos, definidos como tendo índice de massa corporal acima de 29kg/m2. As variáveis préoperatórias foram idade, sexo, classe funcional da angina, classe funcional da insuficiência cardíaca, diabetes, acidente vascular encefálico prévio, hipertens o, insuficiência renal, doen a pulmonar obstrutiva cr nica, tabagismo, uso de bal o intra-aórtico, uso de beta-bloqueador e fra o de eje o. No transoperatório foi avaliado o tempo de circula o extracorpórea. As variáveis pós-operatórias incluíram: óbito, mediastinite, acidente vascular encefálico, infec o respiratória, tempo de ventila o mecanica, sepse, uso de drogas vasoativas, síndrome da resposta inflamatória sistêmica, infarto do miocárdio, tromboembolia pulmonar, insuficiência renal aguda, fibrila o atrial, hipertens o, sangramento e tempo de interna o hospitalar. A análise estatística foi feita pelo software SPSS 10. 5. As variáveis contínuas foram analisadas pelo teste t de Student e as categóricas comparadas pelo teste do qui-quadrado. Foram utilizadas análises univariada e multivariada com cálculo da odds ratio (OR) com intervalo de confian a (IC) de 95% e nível de significancia de < 0,05. Resultados: dos 2. 445 pacientes incluídos no estudo, 11,5 % eram obesos e 56,2 % eram do sexo masculino. Diabete tipo 1, diabete tipo 2 e hipertens o foram mais prevalentes no grupo dos obesos. N o houve diferen a em rela o a óbito entre os dois grupos: (10,7 % obesos X 8,6 % n o obesos) p = 0,14. Na análise multivariada, a obesidade esteve associada com mediastinite OR=2,7 (IC 95% 1,6-4,5 ), síndrome da resposta inflamatória sistêmica OR=2,7 (IC 95% 1,8-3,8) e embolismo pulmonar OR=2,3 (IC 95% 1,3- 4,2). Conclus es: neste estudo a obesidade aumentou o risco das seguintes complica es no pós-operatório de cirurgia de revasculariza o do miocárdio: mediastinite, tromboembolia pulmonar e síndrome da resposta inflamatória sistêmica. N o houve aumento estatisticamente significativo na mortalidade. Aims: To evaluate if obesity increase the incidence of post-operative complications and mortality after myocardial revascularization surgery. Methods: Hystorical cohort of 2. 445 patients who underwent isolated coronary artery bypass grafting surgery betw
Interven o Fisioterapêutica na comunidade: relato de caso de uma paciente com AVE
Flávia Nogueira e Ferreira,Icácia Le?o,Micheli Bernardone Saqueto,Marcos Henrique Fernandes
Revista Saúde.Com , 2005,
Abstract: O objetivo deste estudo foi verificar os benefícios da interven o fisioterapêutica na comunidade em aten o a uma paciente com AVE ( acidente Vascular encefálico). Este descreve o caso de uma paciente de 74 anos de idade, sexo feminino, acometida por AVE há oito anos, e que possui o lado direito do corpo comprometido, sendo ent o submetida a tratamento fisioterapêutico uma vez por semana durante quatro semanas seguidas. A paciente é acompanhada pelo PSF (Programa de Saúde da Família) do bairro Inocoop no município de Jequié, nas áreas de abrangência da Unidade de Saúde Padre Hilário Terrosi. Tal paciente apresentava padr o de sinergismo flexor e desajustes na deambula o. Foi enfatizado no tratamento de tal paciente a cinesioterapia com ênfase na técnica de PNF, além de medidas preventivas para diminui o de complica es da hipertens o, diabetes e quedas. Foi restabelecido o movimento de abdu o dos dedos do pé, bem como extens o e flex o dos dedos e tornozelo. Houve melhorias na postura e do auxilio na marcha, onde a mesma obteve mais seguran a. A paciente despertou para a consciência corporal do lado hemiplégico. As orienta es para melhora de dinamica circulatória, higiene, postura foram válidas. Conclus o: A presen a do fisioterapeuta na comunidade se torna relevante na medida em que contribui para a promo o, preven o, recupera o e reabilita o obedecendo assim os princípios do atual modelo de saúde e consequentemente promovendo a melhora da qualidade de vida da popula o
Fístula traqueoesofágica como complica o tardia de traqueostomia  [cached]
COELHO MARLOS DE SOUZA,ZAMPIER JOSé ANT?NIO,ZANIN SéRGIO AUGUSTO,SILVA ELIS?NGELA DE MATTOS E
Jornal de Pneumologia , 2001,
Abstract: A fístula traqueoesofágica como complica o tardia de traqueostomia é uma ocorrência rara, com incidência menor do que 1%, mas que deve ser conhecida, diagnosticada e tratada rapidamente, para que se evite evolu o desfavorável. Relata-se o caso de uma mulher de 41 anos que permaneceu com traqueostomia prolongada, devido a acidente vascular cerebral. Após a alta hospitalar, apresentou insuficiência respiratória aguda e observou-se a saída de material da sonda nasogástrica traqueostomia. O diagnóstico de fístula traqueoesofágica foi feito por exame endoscópico e a paciente foi submetida a uma traqueoplastia, com boa evolu o.
Hipertens o intracraniana em vítimas fatais de acidente de transito
PITTELLA JOSé EYMARD HOMEM,GUSM?O SEBASTI?O SILVA
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 1999,
Abstract: Foi realizada análise morfológica, macro e microscópica, das les es encefálicas de 120 vítimas fatais de acidente de transito. A hérnia para-hipocampal, a hemorragia de Duret e o infarto médio-basal occipital, indicadores fidedignos de que o paciente apresentou hipertens o intracraniana (HIC), ocorreram em 43 pacientes (35,8%). A HIC no trauma cranioencefálico é causada pela tumefa o cerebral congestiva e pelos hematomas intracranianos. Na presente casuística foram observados 3 hematomas extradurais (7,0%), 9 hematomas subdurais agudos (20,9%), 6 hematomas intracerebrais (14%), 6 explos es lobares (14%) e 9 tumefa es cerebrais congestivas (20,9%).
Explos o lobar em vítimas fatais de acidente de transito: frequência e associa o com outras les es encefálicas traumáticas
GUSM?O SEBASTI?O SILVA,PITTELLA JOSé EYMARD HOMEM
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 1999,
Abstract: Realizou-se análise morfológica, macro e microscópica, das les es encefálicas de 120 vítimas fatais de acidente de transito. A explos o lobar foi observada em 12 pacientes (10,0%). O lobo acometido foi o frontal em seis pacientes (50,0%), o temporal em dois (16,7%) e ambos em quatro (33,3%). A fratura de cranio ocorreu em 8 (66,7%) pacientes e a hipertens o intracraniana em metade dos casos. Nove pacientes foram admitidos em coma e três faleceram imediatamente após o acidente. Todos os casos de explos o lobar estavam associados a les o axonal difusa, associa o essa que explica a altera o grave de consciência observada à admiss o dos pacientes.
Paciente com acidente vascular cerebral isquêmico já é atendido com mais rapidez no Hospital S o Paulo  [cached]
Yamashita Lilia Fumie,Fukujima Marcia Maiumi,Granitoff Nina,Prado Gilmar Fernandes do
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2004,
Abstract: Foram caracterizados os pacientes com diagnóstico de acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico internados por período superior a 24 horas. Investigamos os fatores que influenciam a chegada precoce ou tardia do paciente ao pronto socorro, o intervalo de tempo entre a chegada e a realiza o de tomografia computadorizada (TC), os fatores que influenciam na permanência destes pacientes no hospital e o seu destino. Concluímos que a popula o atendida pelo Hospital S o Paulo tem chegado ao hospital mais precocemente que há 3 anos (47% chegaram nas primeiras 3 horas de instala o) e que o fluxo interno do paciente ficou muito mais rápido, uma vez que o AVC é considerado emergência médica pela equipe de saúde. As principais complica es apresentadas pelos pacientes foram infecciosas e nos direcionam à proposta de implementa o de protocolos para a melhoria aos cuidados que devem ser prestados pelos profissionais de saúde.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.