oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Os fenótipos da doen?a pulmonar obstrutiva crónica e a sua relevancia clínica
Celli,BR;
Revista Portuguesa de Pneumologia , 2007,
Abstract: o fenótipo da doen?a pulmonar obstrutiva crónica (dpoc) pode ser definido como a manifesta??o física exteriorizada pelos doentes com dpoc, ou seja, tudo o que fa?a parte da estrutura, fun??o ou comportamento, que possa ser observado. a caracteriza??o do doente com dpoc tem vindo a ser modificada, deixando de se limitar ao grau da obstru??o br?nquica para passar a incluir as manifesta??es de diferentes fenótipos da doen?a. estes incluem, entre outros, a hipoxemia persistente, a hiperinsufla??o com enfisema de distribui??o heterogénea, os doentes com múltiplas exacerba??es e os doentes com disfun??o dos músculos periféricos. cada um destes fenótipos obriga a diferentes abordagens terapêuticas e implica diferentes prognósticos. a limita??o dos débitos aéreos: o elemento definidor o grau de obstru??o definido pelo volume expiratório máximo no primeiro segundo (fev1) apresentado por fletcher e peto tem permitido o estadiamento da gravidade da dpoc, orientando as interven??es terapêuticas de acordo com cada estádio. o estadiamento espirométrico da dpoc pode prever o estado de saúde, o uso dos recursos de saúde, a ocorrência de exacerba??es e a mortalidade. contudo, embora se trate de uma ferramenta diagnóstica e prognóstica útil, o fev1 é um parametro que tem sido usado de forma limitativa, já que os doentes com dpoc que apresentam reversibilidade com o broncodilatador s?o habitualmente excluídos dos estudos clínicos. a presen?a de hiperreactividade br?nquica confere aos doentes com dpoc uma express?o fenotípica associada a uma fun??o pulmonar mais grave. o fev1 e a sua varia??o n?o representam todo o espectro das manifesta??es clínicas complexas da dpoc. a presen?a de enfisema e hiperinsufla??o, a importancia crescente da malnutri??o, a disfun??o dos músculos periféricos e a dispneia reflectem diferentes factores predictivos da evolu??o da doen?a. também as co-morbilidades e o sexo s?o características fenotípicas da doen?a que n?o se correlacionam com o fev1. enfisema e
Efeitos da suplementa o oral de L-carnitina associada ao treinamento físico na tolerancia ao exercício de pacientes com doen a pulmonar obstrutiva cr nica  [cached]
Silva Audrey Borghi,Di Lorenzo Valéria Amorim Pires,Jamami Maurício,Sampaio Luciana Maria Malosá
Jornal de Pneumologia , 2003,
Abstract: INTRODU O: Pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica apresentam redu o da tolerancia ao exercício físico, principalmente devido à limita o ventilatória. A L-carnitina tem sido utilizada com o objetivo de melhorar a capacidade aeróbia de pacientes com doen as cr nicas, porém n o existem estudos em pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica. OBJETIVO: Avaliar a influência da suplementa o de L-carnitina, associada ao treinamento físico por seis semanas, três vezes por semana em pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica. MéTODO: A amostra foi constituída de 30 pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica (69 ± 7 anos) com volume expiratório for ado no primeiro segundo < 65% do previsto, dividida em três grupos de 10 pacientes: grupo 1 com treinamento físico e suplementa o com 2g/dia de L-carnitina, grupo 2 que recebeu treinamento físico e placebo e grupo 3 que n o foi submetido a treinamento físico e recebeu 2g/dia de L-carnitina. Os pacientes foram submetidos a avalia o espirométrica, a teste de caminhada de seis minutos e à mensura o dos níveis plasmáticos de carnitina livre no inicio e no final do estudo. RESULTADOS: Foi constatado aumento significativo (p < 0,05) da distancia percorrida no teste de caminhada de seis minutos somente nos pacientes dos dois primeiros grupos (de 421 ± 100 para 508 ± 80,7 e de 496 ± 78,7 para 526 ± 64,3 respectivamente). Além disso, com intensidade de exercício semelhante, a subida da freqüência cardíaca foi menor no grupo 1 quando comparado com o grupo 2. As variáveis espirométricas, a satura o da oxihemoglobina e a dispnéia n o se alteraram em nenhum dos grupos estudados. Os valores de L-carnitina livre no plasma aumentaram somente nos pacientes do terceiro grupo (59,2 ± 13,8 para 102,3 ± 15,32mmol/L). CONCLUS O: A L-carnitina associada ao treinamento físico pode proporcionar maior tolerancia ao exercício em pacientes com doen a pulmonar obstrutiva cr nica.
Estudo de correla o entre provas funcionais respiratórias e o teste de caminhada de seis minutos em pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica  [cached]
RODRIGUES SéRGIO LEITE,ASSIS VIEGAS CARLOS ALBERTO DE
Jornal de Pneumologia , 2002,
Abstract: Introdu o: A espirometria e a gasometria s o largamente utilizadas na estimativa da limita o ventilatória e do prognóstico de pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica. Entretanto, testes físicos funcionais, como o teste de caminhada de seis minutos (Tc6), têm surgido como complemento na avalia o dinamica de portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica. Objetivo: Determinar as correla es entre as provas funcionais respiratórias e o teste de caminhada de seis minutos em portadores de DPOC. Pacientes e métodos: 45 pacientes foram submetidos à coleta de história clínica e a exame físico completo realizado pela equipe médica do Servi o de Pneumologia do Hospital Universitário de Brasília. Em seguida, foi realizada a avalia o das variáveis espirométricas, gasométricas, das press es respiratórias e o teste de caminhada de seis minutos (Tc6). Resultados: Observaram-se correla es positivas estatisticamente significativas (p < 0,05) das variáveis VEF1, PaO2, SpO2 e Pe máx em rela o ao teste de caminhada de seis minutos. Conclus es: O teste de caminhada de seis minutos correlacionou-se de forma significativa (p < 0,05) e positiva e pode ser utilizado como instrumento alternativo na avalia o funcional do paciente portador de DPOC.
Uma reflex o teórica da Doen a Pulmonar Obstrutiva Cr nica (DPOC)
Crhis Netto de Brum,Tassiane Ferreira Langendorf
Revista Espa?o Acadêmico , 2009,
Abstract: A Doen a Pulmonar Obstrutiva Cr nica (DPOC) caracteriza-se pela limita o cr nica ao fluxo de ar, causada por inflama o cr nica dos br nquios (bronquite cr nica) e/ou por perda da elasticidade do pulm o por enfisema pulmonar. Possui um elevado índice de morbidade e vem tomando grandes propor es na sociedade mundial. O trabalho tem por finalidade realizar uma reflex o teórica a cerca do tema em quest o e assim proporcionar um maior entendimento da patologia. Para sua elabora o foi realizado um estudo descritivo a partir de uma revis o bibliográfica. Foram selecionados nove artigos e após realizada a categoriza o para que fosse possível a discuss o. Os resultados incluíram a reflex o sobre os assuntos abordados em cada categoria e também as principais características da doen a. Conclui-se que há a necessidade, principalmente, da preven o da DPOC, já que se trata de uma doen a incurável. Além disso, devem ser buscadas formas para uma melhora na qualidade de vida desses pacientes, proporcionando assim melhores prognósticos.
Utiliza o da ventila o n o invasiva em edema agudo de pulm o e exacerba o da doen a pulmonar obstrutiva cr nica na emergência: preditores de insucesso Use of non-invasive ventilation in acute pulmonary edema and chronic obstructive pulmonary disease exacerbation in emergency medicine: predictors of failure  [cached]
Juliana Nalin de Souza Passarini,Lair Zambon,André Moreno Morcillo,Carolina Kosour
Revista Brasileira de Terapia Intensiva , 2012, DOI: 10.1590/s0103-507x2012000300012
Abstract: OBJETIVO: Analisar os casos de insuficiência respiratória aguda decorrente de edema agudo de pulm o e de agudiza o da doen a pulmonar obstrutiva cr nica, submetidos à ventila o mecanica n o invasiva, a fim de identificar fatores associados ao sucesso ou ao insucesso do método em um servi o de urgência e emergência. MéTODOS: Estudo descritivo e analítico prospectivo. Foram incluídos pacientes de ambos os gêneros, com idade >18 anos, que utilizaram ventila o mecanica n o invasiva devido ao quadro de insuficiência respiratória secundária a edema agudo de pulm o ou agudiza o da doen a pulmonar obstrutiva cr nica. Foram excluídos os pacientes com insuficiência respiratória aguda secundária a patologias diferentes de edema agudo de pulm o e doen a pulmonar obstrutiva cr nica, ou que apresentavam contraindica o para a técnica. A rotina da institui o é utilizar a press o expiratória entre 5 e 8 cmH2O, e a inspiratória entre 10 a 12 cmH2O, além de suplementa o de oxigênio para manter a satura o periférica de oxigênio >90%. A variável "desfecho" considerada foi a intuba o endotraqueal. RESULTADOS: Foram incluídos 152 pacientes. A mediana do tempo de ventila o mecanica n o invasiva foi de 6 (1 - 32) horas para os pacientes com doen a pulmonar obstrutiva cr nica (n=60) e de 5 (2 - 32) horas para os pacientes com edema agudo de pulm o (n=92); 75,7% evoluíram com sucesso. Foram observados pior escore de APACHE II e menor satura o periférica de oxigênio, de forma estatisticamente significante, nos pacientes que evoluíram para intuba o (p<0,001). O uso de BiPAP relacionou-se a 2,3 vezes mais chance de ocorrência de intuba o endotraqueal que o de CPAP (p=0,032). Entre os pacientes com diagnóstico de edema agudo de pulm o e com pontua o mais elevada na ECG também apresentaram mais chance de sucesso CONCLUS O: As variáveis associadas à intuba o endotraqueal foram frequência respiratória > 25rpm, maior valor de APACHE II, uso de BiPAP e diagnóstico de doen a pulmonar obstrutiva cr nica. Já maiores valores de ECG e SpO2 est o associados ao sucesso da ventila o mecanica n o invasiva. A ventila o mecanica n o invasiva pode ser utilizada em servi os de urgência/emergência para casos de insuficiência respiratória aguda decorrente de edema agudo de pulm o e exacerba o da doen a pulmonar obstrutiva cr nica, com cuidado especial na monitora o dos pacientes com variáveis relacionadas à maior porcentagem de intuba o endotraqueal. OBJECTIVE: This study analyzed acute respiratory failure caused by acute pulmonary edema, as well as chronic obstructive pulmonary disea
Guia para prática clínica: fisioterapia em pacientes com Doen a Pulmonar Obstrutiva Cr nica (DPOC) Clinical practice guideline for physical therapy in patients with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD): portuguese version  [cached]
D Langer,VS Probst,F Pitta,C Burtin
Brazilian Journal of Physical Therapy , 2009,
Abstract: INTRODU O: No contexto da colabora o internacional para desenvolvimento de guias práticos (ou guidelines), a Sociedade Real Holandesa de Fisioterapia (Koninklijk Nederlands Genootschap voor Fysiotherapie, KNGF) se prop s a desenvolver um guia para esclarecimento sobre a prática clínica de Fisioterapia em pacientes com Doen a Pulmonar Obstrutiva Cr nica (DPOC), assim como também optou por estimular a sua tradu o para outras línguas, a fim de torná-lo acessível para públicos internacionais. OBJETIVOS: O presente guia é a vers o em língua portuguesa do Guia para Prática Clínica de Fisioterapia em pacientes com DPOC desenvolvido pela KNGF, que teve como objetivo descrever a Fisioterapia baseada em evidências para pacientes com DPOC que apresentam limita o da fun o pulmonar, da fun o muscular respiratória e periférica, da capacidade de exercício, da depura o mucociliar e da qualidade de vida, além de limita es em rela o à atividade física na vida diária pela dispneia e/ou intolerancia ao exercício. CONCLUS O: O guia prop e-se principalmente a prover recomenda es terapêuticas práticas que auxiliem o fisioterapeuta a oferecer o melhor tratamento possível para pacientes com DPOC, consideradas as evidências científicas disponíveis na atualidade. INTRODUCTION: In the context of international collaboration for the development of practice guidelines, the Royal Dutch Society for Physical Therapy (Koninklijk Nederlands Genootschap voor Fysiotherapie, KNGF) has developed guidelines for the clinical practice of physical therapy in patients with Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD). It has also stimulated its translation into other languages to make it accessible to international audiences. OBJECTIVES: The present document brings the Portuguese version of the KNGF Clinical Practice Guidelines for physical therapy in COPD patients. Its purpose was to describe evidence-based physical therapy for COPD patients with impairments in pulmonary function, peripheral and respiratory muscle function, exercise capacity, mucus clearance and quality of life, in addition to limitations in physical activity in daily life due to dyspnea and/or exercise intolerance. CONCLUSION: The guideline provides practical and therapeutic recommendations based on currently available scientific evidence to help the physical therapist provide the best possible treatment to COPD patients.
Morbidade respiratória nos pacientes com e sem síndrome pulmonar obstrutiva submetidos a cirurgia abdominal alta
Pereira E.D.B.,Farensin S.M.,Fernandes A.L.G.
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 2000,
Abstract: OBJETIVO: Estudar a morbidade respiratória nos pacientes com síndrome pulmonar obstrutiva submetidos a cirurgia abdominal alta. CASUíSTICA E MéTODO: Durante o pré-operatório, 196 pacientes candidatos à cirurgia abdominal alta eletiva responderam a um questionário padronizado e logo em seguida realizaram espirometria. Houve acompanhamento no pós-operatório até a alta hospitalar ou óbito. Os pacientes foram divididos em quatro grupos: 27 pacientes com DPOC (diagnóstico de bronquite cr nica ou enfisema e VEF1/CVF< 70%), 44 pacientes com diagnóstico de asma (obstru o das vias aéreas desencadeada por estímulos provocatívos) com ou sem altera o da espirometria. Outros 23 pacientes apresentavam o complexo bronquite cr nica-enfisema, (quadro clínico sugestivo de bronquite ou enfisema porém com VEF1/CVF maior que 70%). O grupo de 102 pacientes apresentou normalidade do ponto de vista clínico e espirométrico. Considerou-se como CPP: atelectasia com repercuss o clínica e ou gasométrica, broncoespasmo que necessitou de tratamento, insuficiência respiratória aguda, ventila o mecanica e/ou entuba o orotraqueal prolongada, infec o traqueobronquica e pneumonia. RESULTADOS: A incidência de complica es foi maior no grupo de pacientes com limita o do fluxo aéreo (32%) em rela o aos normais(6%). Ao estudarmos os quatro grupos separadamente, foi observado que os pacientes com DPOC, apesar de apresentaram maior morbidade no pós-operatório, n o diferiram dos demais pneumopatas. Complicaram, respectivamente, (DPOC 37%, BE 34%, asma 29%,normal 6%). Os obstrutivos triplicaram seu tempo de permanência no ventilador (média 3,1 e 1,1; respectivamente, com p<0,05). No entanto, n o houve diferen a em rela o ao tempo de permanência na UTI e no tempo total de dias no pós-operatório. CONCLUS O: Os pacientes com limita o do fluxo aéreo apresentaram maior morbidade no pós-operatório de cirurgia abdominal alta. A magnitude deste fator de risco se reflete num risco relativo quase que cinco vezes maior em rela o aos pneumopatas com os pacientes normais.
Can the Glittre ADL test differentiate the functional capacity of COPD patients from that of healthy subjects? O teste de AVD-Glittre é capaz de diferenciar a capacidade funcional de indivíduos com DPOC da de saudáveis?  [cached]
Krislainy S. Corrêa,Manuela Karloh,Letícia Q. Martins,Karoliny dos Santos
Brazilian Journal of Physical Therapy , 2011,
Abstract: BACKGROUND: The Glittre ADL (TGlittre) test is a specifically designed to assess functional limitation in chronic obstructive pulmonary disease (COPD) patients. However, it is not known if it can differentiate the performance of these patients from healthy subjects. OBJECTIVES: To investigate whether the Glittre ADL test is able to differentiate the functional capacity of COPD patients from that of healthy subjects and to compare the cardiorespiratory response between Glittre ADL and the six-minute walk test (6MWT). METHODS: The study included 10 patients with COPD (GOLD 2 to 4) and 10 healthy subjects matched by age who performed the following: spirometry pre-and post-bronchodilator, a Glittre ADL test and two 6MWT on two consecutive days. RESULTS: The performance of COPD (FEV1%pred= 38.1±11.8, age=64±10 years, BMI=23.7±5.2 kg/ m2) was worse than the control group on TGlittre (5.26±2.9 min, 3.3±0.3 min, p<0.05) and 6MWT (434.97±105.18 m vs. 593.25±87.36 m, p<0.05). TGlittre correlated with the physical activity domain of the London Chest Activity of Daily Living (LCADL) scale (r=0.67, p<0.05) and with 6MWT when the total sample was analyzed (r=-0.64, p<0.05). The COPD group had a statistically higher (p<0.05) increase in dyspnea (Borg scale) than the control group for both TGlittre and 6MWT, with a similar heart rate and peripheral oxygen saturation variation in both groups (p>0.05). CONCLUSIONS: The performance of COPD patients is worse than that of healthy subjects on the Glittre ADL test, with a greater increase in dyspnea and similar heart rates. CONTEXTUALIZA O: O teste de AVD Glittre (TGlittre) é um teste específico desenvolvido para avaliar a limita o funcional em pacientes com doen a pulmonar obstrutiva cr nica (DPOC), no entanto n o se sabe qual sua capacidade de diferenciar o desempenho de doentes do de indivíduos saudáveis. OBJETIVOS: Investigar se o TGlittre é capaz de diferenciar a capacidade funcional de pacientes com DPOC da de indivíduos normais, além de comparar a resposta cardiorrespiratória induzida pelo TGlittre com a do teste de caminhada de seis minutos (TC6min). MéTODOS: Participaram do estudo dez indivíduos com DPOC (GOLD 2 a 4) e dez indivíduos saudáveis de mesma faixa etária, realizando as seguintes avalia es: espirometria pré e pós-broncodilatador; um TGlittre e dois TC6min em dois dias consecutivos. RESULTADOS: O grupo DPOC (VEF1%prev = 38,1±11,8, idade = 64±10 anos) apresentou pior desempenho que o grupo controle no TGlittre (5,26±2,9 min vs. 3,3±0,3 min, p<0,05) e no TC6min (434,97±105,18 m vs. 593,25±87,36 m, p<0,05).
Efeitos de programa de exercícios físicos direcionado ao aumento da mobilidade torácica em pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica  [cached]
Paulin Elaine,Brunetto Antonio Fernando,Carvalho Celso Ricardo Fernandes
Jornal de Pneumologia , 2003,
Abstract: INTRODU O: A doen a pulmonar obstrutiva cr nica acarreta prejuízos na mecanica pulmonar e musculatura periférica. O treinamento físico dos pacientes com doen a pulmonar obstrutiva cr nica é geralmente voltado à melhora das condi es aeróbias e s o raros os programas que abordam especificamente as altera es da caixa e musculatura torácicas. OBJETIVO: Avaliar o efeito de um programa de exercícios físicos direcionados ao aumento da mobilidade da caixa torácica sobre a capacidade funcional e psicossocial de pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica moderada e grave. MéTODO: Foram estudados 30 pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica moderada e grave, divididos aleatoriamente em dois grupos: controle (GC) e tratado (GT). O GC foi submetido a um programa de educa o e o GT foi submetido ao mesmo programa educacional e a um programa de exercícios físicos objetivando o aumento da mobilidade torácica. Os efeitos dos programas foram avaliados pela espirometria, mobilidade torácica, qualidade de vida, níveis de ansiedade e depress o e teste da caminhada de seis minutos (TC6). RESULTADOS: Após dois meses de treinamento, somente o GT apresentou aumento na expansibilidade torácica (de 4,20 ± 0,58cm para 5,27 ± 0,58cm; p = 0,05) e no TC6 (de 469,73 ± 31,99m para 500,60 ± 27,38m; p = 0,01). Foi observado também que o GT apresentou melhora na qualidade de vida avaliada pelo St. George's Respiratory Questionnaire (SGRQ) e Chronic Respiratory Questionnaire (CRQ), bem como nos níveis de depress o após dois meses de tratamento. N o houve melhora da fun o pulmonar em nenhum dos dois grupos estudados. CONCLUS O: Exercícios direcionados ao aumento da mobilidade da caixa torácica melhoram a expansibilidade torácica, a qualidade de vida e a capacidade submáxima de exercício, bem como reduzem a dispnéia e os níveis de depress o nos pacientes portadores de doen a pulmonar obstrutiva cr nica.
Rela o entre o diagnóstico sorológico (ELISA) e a gravidade da tuberculose pulmonar na infancia
Sant'Anna Clemax Couto,Fonseca Leila de Souza,Saad Maria Helena Féres
Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical , 2001,
Abstract: Foram estudadas 48 crian as de 0 a 13 anos através da realiza o do ensaio imunoenzimático ligado a enzima (ELISA) para pesquisa de anticorpos da classe IgG antiPPD, visando estabelecer correla o entre a resposta imune humoral medida pela sorologia e a gravidade da tuberculose, segundo formas radiológicas (leve, moderada e grave). A amostra foi composta de 29 crian as com tuberculose e 19 sem tuberculose comunicantes de tuberculose). Os valores médios (medianas) da densidade óptica do teste ELISA foram, respectivamente: 0,098 na forma ganglio-pulmonar (leve), 0,092 na forma pneum nica (moderada) e 0,134 na tuberculose miliar (grave). Nas crian as n o tuberculosas com radiografia de tórax normal, o ELISA foi igual a 0,020. Os achados evidenciam valores mais elevados do teste sorológico relacionados à maior gravidade da doen a (p= 0,0007).
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.