oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Consciência fonológica e linguagem escrita em pré-escolares  [cached]
Maluf Maria Regina,Barrera Sylvia Domingos
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 1997,
Abstract: Esta pesquisa tem por objetivo estudar a rela o entre consciência fonológica e aquisi o da linguagem escrita, a partir de uma perspectiva psicogenética. Um grupo de 55 pré-escolares de 4 a 6 anos foi analisado através da aplica o individual de um instrumento elaborado pelas pesquisadoras. Os resultados mostraram uma correla o positiva bastante significativa entre os níveis de consciência fonológica e de aquisi o da linguagem escrita, sobretudo no que se refere às crian as de 5 e 6 anos. Esses níveis mostraram-se correlacionados positivamente à idade e independentes do sexo dos sujeitos. Alguns níveis de consciência fonológica parecem preceder a aquisi o da linguagem escrita, o que sugere a importancia da realiza o de atividades pedagógicas voltadas para o desenvolvimento dessa capacidade em pré-escolares.
Verifica o da viabilidade da auditoria presencial em operadoras de planos  [cached]
Daniel Pereira Parreiras de Bragan?a,Dagmar de Paula Queluz,Mário Marques Fernandes,Silas Henrique Rabelo de Lima
Odonto , 2011,
Abstract: Objetivo: verificar a viabilidade da realiza o de auditoria clínica presencial em todos os tratamentos odontológicos enfocando aspectos relacionados ao controle de custos, bem como destacar aspectos éticos e legais inerentes ao tema. Metodologia: a pesquisa foi realizada coletando-se dados em 2.283 relatórios de auditorias arquivados em uma cooperativa de trabalho odontológico sediada no Município de Macaé-RJ, registradas nos meses de janeiro a dezembro entre 2002 a 2008. Os dados foram compilados e analisados por estatística descritiva. Resultados: verificou-se que 14% da amostra continham pelo menos um procedimento glosado, e 86% da amostra estava em total conformidade. Observou-se que o valor dos procedimentos que foram glosados na amostra n o representa nem 40% do valor gasto para o pagamento dos auditores. Conclus o: a auditoria clínica em todos os or amentos é uma forma ultrapassada e muito onerosa para os convênios odontológicos, tendo os mesmos outras formas de realizar o controle de custos, como a auditoria eletr nica e a análise de índices técnicos e financeiros dos credenciados. Nos dias de hoje, a Resolu o 20/2001 do CFO ampara o trabalho do auditor em Odontologia, trabalho antes muito questionado pelos profissionais clínicos.
Proposi o de procedimento de detec o sistemática de perturba es oftalmológicas em escolares  [cached]
Figueiredo Rosely Moralez de,Santos Eloisa Cristina dos,Almas de Jesus Ivonete Ap.,Castilho Rosa Maria
Revista de Saúde Pública , 1993,
Abstract: Proposi o de um procedimento de detec o sistemática de perturba es oftalmológicas em escolares, com participa o do pessoal da escola. A partir de levantamento realizado em escolas estaduais que oferecem ciclo básico, da cidade de S o Carlos, SP (Brasil), foi proposta a realiza o de teste de acuidade visual. Nove escolas participaram do estudo. Os professores das escolas foram treinados e realizaram os testes de acuidade visual e estrabismo nos seus alunos, de forma padronizada. Das 2.025 crian as testadas, 88,1% apresentaram níveis de acuidade visual maiores que 0,8 e uma prevalência de estrabismo de 2,17%. Finalizada a aplica o dos testes, cada escola apresentou propostas para aplica o sistemática do teste. As propostas têm em comum a realiza o dos testes pelos professores com a supervis o pelos coordenadores do ciclo básico, cabendo à enfermeira assessoria a todos os níveis de atividades do programa.
Avalia o auditiva em escolares  [cached]
Araújo S. A.,Moura J.R.,Camargo L. A.,Alves W.
Revista Brasileira de Otorrinolaringologia , 2002,
Abstract: Introdu o: A avalia o auditiva na faixa etária escolar é necessária para a identifica o e corre o precoce das altera es auditivas. Objetivos: Identificar e quantificar as altera es audiométricas mais freqüentes em escolares. Casuística e Método: Pesquisa realizada com 121 escolares da 1a a 8a séries, faixa etária de 7 a 14 anos no mês de novembro de 1998 na cidade de Goiania, por médicos otorrinolaringologistas e fonoaudiólogos através de exame clínico otorrinolaringológico, audiometria tonal e imitanciometria no Ambulatório de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás. Resultados: Audiometrias realizadas em 242 orelhas foram encontradas: 76% (184) orelhas com audiometria dentro dos limites da normalidade e 24% (58) orelhas com audiometria alterada. As altera es audiométricas mais freqüentes foram: perda auditiva condutiva em 12% (26) sendo 8% (16) esquerdas e 4% (9) direitas, perda auditiva neurossensorial leve em 7% (15) orelhas sendo 2% (5) esquerdas e 5% (10) direitas. Imitanciometria realizada em 242 orelhas obtendo timpanometrias alteradas sendo: curva do tipo B 3% (6) e do tipo C 3% (6). Conclus o: Concluímos que as altera es auditivas que ocorrem podem prejudicar a aten o e compreens o dos escolares, sendo importante o seu diagnóstico e tratamento precoce para obten o de um melhor rendimento escolar.
Preditores da realiza??o de consultas odontológicas de rotina e por problema em pré-escolares
Camargo,Maria Beatriz Junqueira; Barros,Aluísio J D; Fraz?o,Paulo; Matijasevich,Alicia; Santos,Iná S; Peres,Marco Aurélio; Peres,Karen Glazer;
Revista de Saúde Pública , 2012, DOI: 10.1590/S0034-89102012005000004
Abstract: objective: to estimate the prevalence of dental visits among preschool children and determine the factors associated with using dental services. methods: a cross-sectional study was conducted with 1,129 five-year-old children from the pelotas birth cohort study in pelotas (southern brazil) 2004, from september 2009 to january 2010. use of dental services at least once in the child's life and the reason for the child's first dental visit were recorded. the categories assigned for the first dental visit were: routine check-up, resolution of a problem, or never saw a dentist. the oral examinations and interviews were performed in the children's homes. socioeconomic aspects and independent variables related to the mother and child were analyzed using multivariable logistic regression. results: the prevalence of dental visits (both categories combined) was 37.0%. the main predictors for a routine visit were higher economic status, mothers with more schooling, and mothers who had received guidance about prevention. major predictors for a visit because of a problem were having felt pain in the previous six months, mothers with higher education level, and mothers who had received guidance about prevention. approximately 45.0% of mothers received information about how to prevent cavities, usually from the dentist. children of mothers who adhered to health programs were more likely to have had a routine dental visit. conclusions: the rate of preschool visits to dental services was lower than the rate for medical appointments (childcare). in addition to income and education, maternal behavior plays an important role in routine visits. pain reported in the last six months and a high number of teeth affected by tooth decay, independent of other factors, were associated with visits for a specific problem. it is important to integrate oral health instruction into maternal and child health programs.
Fatores associados à obesidade em escolares  [cached]
Giugliano Rodolfo,Carneiro Elizabeth C
Jornal de Pediatria , 2004,
Abstract: OBJETIVO: Analisar a rela o entre obesidade em escolares e atividade física e horas de sono da crian a, escolaridade e obesidade dos pais. MéTODOS: Avalia o de peso, estatura, índice de massa corporal e adiposidade (estimada pelas dobras cutaneas tricipital e subescapular) de escolares seguida da classifica o das crian as em normais, baixo peso, sobrepeso ou obesidade pelo índice de massa corporal por idade. Foram avaliados 452 escolares e selecionadas 68 crian as com sobrepeso e obesidade e 97 normais para preenchimento de questionários quanto a atividade física e horas de sono diárias da crian a, escolaridade, atividade física, peso e estatura dos pais. RESULTADOS: A prevalência de sobrepeso e obesidade foi de 21,1% nos meninos e 22,9% nas meninas. A adiposidade diferiu na compara o das crian as normais com as demais (p < 0,01). Nas crian as com sobrepeso e obesidade, a adiposidade correlacionou-se diretamente com o tempo de permanência sentado e inversamente com as horas de sono (p < 0,05). A ocorrência de sobrepeso e obesidade foi maior nas crian as cujas m es tinham menor escolaridade (p < 0,01). A freqüência de sobrepeso e obesidade nos pais das crian as com sobrepeso e obesidade foi maior do que nos pais das crian as normais (p < 0,01). O sedentarismo predominou na maioria dos pais. CONCLUS O: O estudo destaca a inatividade das crian as como um dos fatores associados à obesidade. As horas diárias de sono apresentaram-se como fator positivo na manuten o do equilíbrio p ndero-estatural. A escolaridade materna e a ocorrência de sobrepeso e obesidade nos pais est o associados com sobrepeso e obesidade nos filhos.
Transtornos alimentares em escolares  [cached]
Vilela Jo?o E. M,Lamounier Joel A,Dellaretti Filho Marcos A,Barros Neto José R
Jornal de Pediatria , 2004,
Abstract: OBJETIVO: Este trabalho investiga a freqüência de possíveis transtornos da alimenta o e comportamentos alimentares inadequados em crian as e adolescentes de seis cidades do interior de Minas Gerais, uma vez que a maioria dos autores afirma uma prevalência maior em países desenvolvidos. MéTODOS: Este é um estudo transversal onde foram aplicadas as auto-escalas BITE (Teste de Investiga o Bulímica de Edinburgh), EAT (Teste de Atitudes Alimentares) e Teste de Imagem Corporal em 1.807 estudantes de escolas públicas do Ensino Fundamental e Médio, com idade entre 7 e 19 anos. RESULTADOS: De acordo com a auto-escala EAT, 241 alunos (13,3%) apresentaram possíveis transtornos de alimenta o, com predominancia significativa do sexo feminino. E, segundo a auto-escala BITE, 19 estudantes (1,1%) apresentaram um escore compatível com bulimia nervosa. Encontramos 1.059 alunos (59%) insatisfeitos com sua imagem corporal, 731 alunos (40%) em uso de dieta para emagrecer e 1.014 alunos (56%) que praticavam atividade física com a finalidade de perder peso. Os episódios bulímicos foram encontrados em 218 alunos (12%), e 175 alunos (10%) utilizavam métodos purgativos para perder peso. CONCLUS ES: Este estudo mostra uma alta prevalência de possíveis transtornos alimentares na popula o estudada, assim como comportamentos alimentares inadequados, principalmente em adolescentes do sexo feminino. Os resultados s o semelhantes aos encontrados nos países considerados desenvolvidos. Concluímos que esses achados s o relevantes para a clínica da crian a e do adolescente e que podem proporcionar futuros trabalhos onde poderemos compreender melhor os possíveis fatores de risco para esses transtornos da alimenta o.
Nanismo nutricional em escolares no Brasil  [cached]
Laurentino Glória Elizabeth Carneiro,Arruda Ilma Kruse Grande de,Arruda Bertoldo Kruse Grande de
Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil , 2003,
Abstract: Revis o da literatura sobre o nanismo nutricional no Brasil. Os principais tópicos abordados foram: defini o do problema, a utiliza o da medida da altura em escolares como método de excelência para avaliar o estado de saúde e nutri o das popula es, as principais causas e conseqüências apontadas na literatura e sua magnitude no país. De acordo com a literatura a prevalência do nanismo nutricional varia entre as diversas regi es brasileiras, com nítida desvantagem para as regi es Norte e Nordeste. Sua origem tem sido atribuída especialmente a condi es ambientais desfavoráveis. Há indica es de que o atraso da capacidade intelectual e menor capacidade física para o trabalho est o associados ao problema.
Avalia o da acuidade visual em escolares da 1a série do ensino fundamental  [cached]
Granzoto José Aparecido,Ostermann Carolina S. P. Esteves,Brum Lívia Freire,Pereira Pablo Gnutzmann
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia , 2003,
Abstract: RESUMO OBJETIVOS: Estudar a importancia dos programas de promo o de saúde ocular na avalia o da acuidade visual para detec o precoce de distúrbios oftalmológicos, em programas de promo o da saúde ocular. MéTODOS: Estudo descritivo de delineamento transversal. Foram avaliados escolares primários, pertencentes a 21 escolas municipais de Pelotas, RS, por meio de questionário com as variáveis: sexo e idade, percep o da própria vis o, uso de óculos ou lentes de contato e medida da acuidade visual (AV) pela escala de Snellen. Os alunos com AV < 0,7 ou algum sintoma de problema visual foram encaminhados a servi os médicos especializados para a realiza o de exame oftalmológico. RESULTADOS: Na amostra de 1502 escolares, 774 (51,5%) eram do sexo masculino e 1328 (88,41%), de idades entre 6 e 8 anos. Aproximadamente 90% das crian as consideraram ter boa vis o. Ao exame, 227 alunos (15,1%) apresentaram baixa acuidade visual; desses, 124 (54,6%) eram meninas. Daqueles que acreditavam n o apresentar problemas visuais, 193 (14,23%) foram encaminhados ao exame oftalmológico. CONCLUS ES: A pesquisa realizada durante o Programa de Avalia o Oftalmológica de Escolares apontou dados importantes, acentuando o valor das campanhas para a detec o e preven o de problemas visuais, cujo objetivo principal é proporcionar à crian a condi es de atingir o melhor desenvolvimento de seu potencial.
Viabilidade técnica e econ mica da aplica o de estrobilurinas em milho Technical and economic feasibility of strobilurin fungicides application on maize
Rodrigo Véras da Costa,Luciano Viana Cota,Dagma Dionísia da Silva,Walter Fernandes Meirelles
Tropical Plant Pathology , 2012, DOI: 10.1590/s1982-56762012000400003
Abstract: Nos últimos anos, grande ênfase tem sido dada ao uso de fungicidas para o manejo de doen as foliares na cultura do milho no Brasil. Esse trabalho teve como objetivo a realiza o de uma análise da viabilidade técnica e econ mica da aplica o de fungicidas no rendimento de cultivares de milho em diferentes regi es produtoras. Foram conduzidos experimentos para avalia o do efeito da aplica o de fungicidas no rendimento de diferentes cultivares de milho, em três localidades: Sete Lagoas (MG), Londrina (PR) e Rio Verde (GO). Foram consideradas a n o aplica o, uma e duas aplica es de fungicidas em cada cultivar. Foram avaliadas a severidade das doen as foliares e o rendimento de cada cultivar. Os resultados de rendimento das cultivares tratadas com fungicidas apresentaram elevada inconsistência em condi es de baixa severidade de doen as. Maior frequência de rendimentos positivos e benefício econ mico ocorreu quando as aplica es de fungicida foram realizadas em condi o de elevada press o de doen a. Mais estudos s o necessários para o melhor entendimento do efeito dos fungicidas do grupo das estrobilurinas na fisiologia e na produ o de plantas de milho. In recent years, great emphasis has been given to the use of fungicides for managing foliar diseases in corn in Brazil. This study aimed to conduct an analysis of technical and economic feasibility of application of fungicides on maize in different growing regions. Trials were conducted to evaluate the effect of fungicides on the yield of different maize cultivars at three locations: Sete Lagoas (state of Minas Gerais), Londrina (state of Paraná) and Rio Verde (state of Goiás). The effect of one and two fungicide applications on each cultivar was evaluated. For each trial, the difference in mean yield and disease severities between treated and untreated plots for each cultivars was compared. For all trials, yield response of cultivars treated with fungicides was highly inconsistent under low disease severity. A higher frequency of positive yields and economic benefit occurred when fungicide applications were made under conditions of high disease pressure. More studies are needed to better clarify the effect of strobilurin fungicides on the physiology and production of corn plants.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.