oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Altera??es posturais em crian?as e adolescentes obesos e n?o-obesos
Silva, Larissa Rosa da;Felix Rodacki, André Luiz;Brandalize, Michelle;Lopes, Maria de Fatima Aguiar;Bento, Paulo Cesar Baraucce;Leite, Neiva;
Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano , 2011, DOI: 10.5007/1980-0037.2011v13n6p448
Abstract: obesity has reached epidemic proportions over recent years and is related to cardiovascular risk factors, as well as to the occurrence of postural changes in adults, children and adolescents. the objective of this study was to identify the prevalence of postural abnormalities and pain in schoolchildren. fifty-one children and adolescents of both genders aged 9-17 years were divided into an obese (n = 33) and a non-obese group (n = 18). weight and height were measured to calculate the body mass index. a questionnaire was used to assess the presence or absence of pain. postural deviations of the shoulder, head and knees were analyzed by photometry using the corel draw12 software for the determination of angular measures and size. obese boys showed greater postural changes in the region of the knees than non-obese ones (p<0.001). no significant differences in any of the regions analyzed were observed for girls. on the other hand, the prevalence of pain was significantly higher among obese girls than among non-obese girls. we conclude that postural changes are not limited to obese children, but excess weight may increase this deviation. further studies are needed to diagnose these changes during childhood in order to permit early intervention and good posture in adult life.
Aterosclerose subclínica e marcadores inflamatórios em crian as e adolescentes obesos e n o obesos Atherosclerosis subclinical and inflammatory markers in obese and nonobese children and adolescents  [cached]
Larissa R. Silva,Joice M. F. Stefanello,Juliana Pizzi,Luciana S. Timossi
Revista Brasileira de Epidemiologia , 2012,
Abstract: OBJETIVO: Realizou-se revis o sistemática sobre espessamento médio-intimal (EMI) e marcadores inflamatórios, comparou-se EMI por metanálise e analisou-se a correla o entre EMI e variáveis inflamatórias em crian as e adolescentes obesos e n o obesos. FONTES DOS DADOS: Buscaram-se artigos nas bases de dados Pubmed, Bireme e Science Direct, nos anos de 2000 a 2010, com as seguintes palavras-chave em inglês: "obesity", "adolescents", "atherosclerosis" e "child", sendo utilizados em duas combina es: obesity+adolescents+atherosclerosis e obesity+child+atherosclerosis. Utilizou-se meta-análise para comparar EMI entre obesos e n o obesos. SINTESE DOS DADOS: Selecionou-se criteriosamente 16 artigos para análise final. Houve diferen a da espessura de EMI entre obesos e n o obesos em 12 estudos, confirmada pela meta-análise. Os obesos apresentaram concentra es de proteína C-reativa mais elevada em 13 artigos analisados (p < 0,05) e menores de adiponectina em 4 (p < 0,05). Em geral, os obesos apresentaram concentra es menores de adiponectina e maiores valores de EMI e Proteina C-reativa do que os n o-obesos, evidenciando rela o entre obesidade e início de processo inflamatório. CONCLUS ES: Conclui-se que há rela o da obesidade com aumento do EMI e altera es nas concentra es dos marcadores inflamatórios nesta fase. We conducted a systematic review of intima-media thickness(IMT) and inflammatory markers, compared IMT and identified by meta-analysis related to EMI and inflammatory variables in obese and non-obese children and adolescents. We searched for articles in databases Pubmed, Bireme and Science Direct, during years 2000 to 2010, with the following key words in English: "obesity", "adolescents", "atherosclerosis" and "child ", They were used in two combinations: obesity + adolescents + atherosclerosis + child + obesity and atherosclerosis. We used meta-analysis to compare IMT between obese and non-obese patients. We carefully selected 16 articles for final analysis. There were differences in the thickness of IMT between obese and non-obese patients in 12 studies, confirmed by meta-analysis. Obese patients had concentrations of C-reactive protein higher in 13 articles analyzed (p < 0.05) and lower adiponectin levels in 4 (p < 0.05). In general, obese men had lower concentrations of adiponectin and higher values of IMT and C-reactive protein than non-obese men, showing the relationship between obesity and early inflammatory process. We concluded that there is a relationship of obesity with increased IMT and changes in concentrations of inflammatory marker
CORRELA ES DA IMPRESS O PLANTAR COM DISFUN ES BIOMEC NICAS CR NIO CERVICAIS E EM MEMBROS INFERIORES EM ADOLESCENTES OBESOS  [cached]
Liana Cardoso Andrade,Rodrigo Alexis Osório,Wellington Ribeiro Ribeiro
Fisioterapia & Saúde Funcional , 2012,
Abstract: Introdu o: Altera o a nível corporal do indivíduo como a obesidade, se n o ocorrer fen menos adaptativos eficientes, gerados pelo próprio organismo, pode ter graves consequências de distúrbios posturais. Objetivo: Analisar o padr o postural de adolescentes obesos através da biofotogrametria em escola pública de Teresina-PI. Metodologia: A amostra foi composta de 88 adolescentes (10-14anos) categorizados em grupo controle GC (n=33), grupo sobrepeso-GS (n=24) e grupo Obeso-GO (n=31). Os escolares foram posicionados e fotografados em posi o ortostática frontal anterior, sagital direita e posterior. As press es plantares foram registradas em um podoscópio. Realizou-se avalia o postural utilizando programa Corew Draw 12 baseado no princípio da fotogrametria. Resultados: A incidência de sobrepeso e obesidade foi de 41, 67 e 67,74% no sexo masculino e 58,33% e 32,26% no sexo feminino. A maior incidência de altera es posturais entre adolescentes GO e GS com p<0,001 foi em angulo cervical D e p<0,01 em angulo cervical E. Foi verificado maior apoio da regi o central do pé D e na regi o do calcanhar E com p<0,01 em rela o ao grupo de eutróficos. Na curvatura lombar houve resultado significante com p<0,001. Conclus o: A obesidade em adolescentes pode levar a altera es posturais. Palavras-chave: Obesidade. Impress es Plantares. Postura.
Quociente de inteligência de crian as e adolescentes obesos através da escala Wechsler  [cached]
Campos Alba L. R.,Sigulem Dirce M.,Moraes Denise E. B.,Escriv?o Arlete M. S.
Revista de Saúde Pública , 1996,
Abstract: Foram estudadas as características intelectuais de 65 crian as obesas, de 8 a 13 anos e 11 meses, comparativamente às de 35 crian as eutróficas, através da Escala de Inteligência Wechsler para Crian as. Os dois grupos foram pareados de acordo com a faixa etária, série escolar e nível socioecon mico. O grupo de obesos foi composto por pacientes atendidos pelo Departamento de Pediatria da Universidade Federal S o Paulo, e o grupo-controle, por crian as pertencentes a escolas públicas. O grupo de eutróficos apresentou significantemente melhor desempenho no teste de inteligência do que o grupo de obesos (Quociente de inteligência -QI médio - 91 x 85; p < 0,05). Crian as eutróficas revelaram maior amplitude de interesses e capacidade de adapta o social e, melhor velocidade e destreza. Houve correla o positiva entre o nível de renda, a rela o peso/estatura e o QI. Apesar de todos os resultados médios de QI apresentarem dados consistentemente favoráveis aos eutróficos, n o se pode afirmar total superioridade desse grupo em virtude da ampla gama de fatores emocionais intervenientes no processo de inteligência, n o controlados pelo estudo.
SUBSíDIOS PARA A AVALIA O DO ESTADO NUTRICIONAL DE CRIAN AS E ADOLESCENTES POR MEIO DE INDICADORES ANTROPOMéTRICOS  [cached]
A. C. T. ARAUJO,J. A. D. B. CAMPOS
Alimentos e Nutri??o , 2009,
Abstract: A antropometria é um método importante na avalia o do estado nutricional e possibilita a detec o precoce de altera es no estado nutricional de indivíduos e coletividades. Em crian as e adolescentes o crescimento e o desenvolvimento s o avaliados por meio de indicadores antropométricos como peso/idade, altura/idade, peso/altura e IMC/idade. Deste modo, realizou-se esta revis o de literatura com o intuito de discutir conceitos relevantes para a caracteriza o do estado nutricional de crian as e adolescentes por meio destes indicadores antropométricos e o uso de curvas de referências na avalia o dos resultados isolados ou em conjunto. Conclui-se que a utiliza o de indicadores antropométricos na avalia o do estado nutricional de crian as e adolescentes é uma estratégia simples e interessante que deve ser adotada e utilizada corretamente para o rastreamento de indivíduos e popula es.
Percep es de crian as e adolescentes sobre seu trabalho informa  [cached]
Marília Batarra Lima,Daniela de Figueiredo Ribeiro,Ant?nio dos Santos Andrade
Psicologia em Revista , 2011,
Abstract: A pesquisa foi realizada em uma cidade do interior de S o Paulo, cuja principal atividade econ mica é a produ o de cal ados masculinos. Teve como objetivo investigar a realidade e o sentido do trabalho para crian as e adolescentes que trabalham no setor informal com a costura manual do sapato, e a rela o trabalho-escola. Participaram da pesquisa dez sujeitos com idade entre 6 e 16 anos, moradores de um bairro periférico. Para a investiga o e compreens o dos dados, foram utilizadas, numa abordagem etnográfica, a observa o participante e entrevista semiestruturada. Na análise dos dados, foi utilizada a análise temática de conteúdo. No contexto pesquisado, as crian as e adolescentes dizem trabalhar para ajudar os pais e adquirir bens materiais. E que o trabalho que executam n o gera prejuízos no rendimento escolar. O estilo de rela o parental parece ser um componente fundamental quanto aos possíveis prejuízos causados pelo trabalho infantil no contexto doméstico.
Prevalência de sobrepeso e obesidade em crian as e adolescentes das regi es Sudeste e Nordeste  [cached]
Abrantes Marcelo M.,Lamounier Joel A.,Colosimo Enrico A.
Jornal de Pediatria , 2002,
Abstract: Objetivo: estudar a prevalência de sobrepeso e obesidade em crian as e adolescentes da regi o Sudeste e Nordeste. Métodos: dados da pesquisa sobre padr es de vida, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 1997. Estudadas 3.317 crian as e 3.943 adolescentes agrupados em faixas etárias. Sobrepeso (adolescentes) e obesidade (crian as e adolescentes) foram definidos segundo recomenda es da Organiza o Mundial de Saúde. Compara o de prevalências por faixa etária, sexo e regi o geográfica pelo teste z, considerando 0,05 como nível de significancia estatística. Resultados: a prevalência de sobrepeso em adolescentes variou entre 1,7% no Nordeste, e 4,2% no Sudeste. A prevalência de obesidade em adolescentes variou entre 6,6% e 8,4%, e em crian as entre 8,2% e 11,9%, nas regi es Nordeste e Sudeste, respectivamente. Agrupando-se os dados das duas regi es, a prevalência no sexo feminino foi de 10,3% de obesidade entre crian as, 9,3% de obesidade e 3,0% de sobrepeso entre adolescentes. No sexo masculino, a prevalência foi de 9,2%, 7,3% e 2,6%, respectivamente. Conclus es: a prevalência de obesidade é menor no Nordeste, com significancia estatística entre crian as e adolescentes com idade entre 2-17 anos. O mesmo ocorreu com a prevalência de sobrepeso entre os adolescentes. A diferen a de prevalência de obesidade entre lactentes e adolescentes acima de 18 anos n o foi estatisticamente significante. Entre lactentes, a obesidade é mais prevalente no sexo feminino. Nas outras faixas etárias, n o houve diferen a estatisticamente significante entre os sexos. A compara o dos resultados com os de outros estudos é difícil pela diversidade de critérios utilizados na classifica o nutricional.
Alcoolismo parental e suas repercuss es sobre crian as e adolescentes: uma revis o bibliográfica  [cached]
Daniela Viganó Zanoti-Jeronymo,Ana Maria Pimenta Carvalho
SMAD Revista Electrónica Salud Mental, Alcohol y Drogas , 2005,
Abstract: Um dos fatores de risco para o alcoolismo na vida adulta é ser filho de alcoolista. Com esse tema em foco, o presente trabalho objetivou revisar a literatura dos últimos 5 anos nas bases de dados Medline, Psyclit e Lilacs, que abordavam crian as e ou adolescentes filhos de alcoolistas. De 300 pesquisas, foram selecionados 27 trabalhos. A análise dos trabalhos resultou em 3 áreas temáticas: alcoolismo parental associado com características afetivas e comportamentais da crian a ou do adolescente; em co-ocorrência com outro distúrbio e características da crian a ou do adolescente; e fatores de prote o à saúde mental da crian a ou do adolescente.
Altera es da hemostasia em crian as submetidas a cirurgia cardíaca com circula o extracorpórea  [cached]
Silveira Fernanda Maria Rebou?as da Costa,Louren?o Dayse Maria,Maluf Miguel,Carvalho Werther B.
Arquivos Brasileiros de Cardiologia , 1998,
Abstract: OBJETIVO: Avaliar as altera es de hemostasia encontradas em crian as submetidas a cirurgia cardíaca com circula o extracorpórea (CEC). MéTODOS: Estudamos 17 crian as no pré e pós-operatório (PO) imediato, no 1° PO e entre o 4o e 7o PO, analisando o hematócrito, tempo de protrombina (TP), tempo de tromboplastina parcial ativado, fibrinogênio, contagem de plaquetas, fator V e tempo de lise de euglobulina (TLE). Os pacientes foram divididos em grupos com e sem sangramento excessivo no PO. RESULTADOS: Houve altera es significantes no intra-operatório com aumento do TP e tempo de tromboplastina parcial ativado e redu o do fibrinogênio, fator V e do TLE. Seis (35%) crian as sangraram excessivamente. A contagem de plaquetas foi significantemente menor no intra-operatório; neste grupo o tempo de CEC foi maior. CONCLUS O: Altera es de hemostasia no intra e PO ocorrem como conseqüência da ativa o da cascata de coagula o e fibrinólise. A incidência de sangramento excessivo é alta nesta faixa etária. Os grupos com e sem sangramento excessivo diferenciaram-se pelo maior tempo de CEC e contagem reduzida de plaquetas.
Altera??es tireoidianas associadas à radia??o externa em crian?as e adolescentes
Bonato, Cassiane Cardoso;Elnecave, Regina Helena;
Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia , 2011, DOI: 10.1590/S0004-27302011000600002
Abstract: the effects of ionizing radiation on the thyroid have been studied for several decades, and nuclear accidents are the major source of information about the subject. there is an association of hypothyroidism, hyperthyroidism, thyroid nodules and cancer with radiation, but the threshold dose, mechanism of injury, and some risk factors have not been fully established. children are more susceptible to thyroid injury caused by radiation and require prolonged follow-up after exposure. this issue is especially relevant nowadays, since a large number of people treated with radiation for childhood cancer survive and may have sequelae. diagnostic radiology tests also represent a source of exposure to radiation in the pediatric population. in this review, we analyze different clinical and pathological changes, and the mechanisms of thyroid lesions caused by radiotherapy and computed tomography in children and adolescents. it is important to understand these data for prevention, early detection, and treatment of thyroid dysfunction.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.