oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Evaluation of milk production and somatic cell count of dairy cow supplemented with Saccharomyces cerevisiae as a source of organic zinc/ Avalia o da produ o de leite e contagem de células somáticas em bovinos leiteiros suplementads com Saccharomyces cerevisiae como fonte de zinco organico  [cached]
Luiz Fernando Coelho da Cunha Filho,Simone Biagio Chiacchio,Roberto Calderon Gon?alves,Paulo Eduardo Pardo
Semina : Ciências Agrárias , 2007,
Abstract: The aim of the evaluation of milk production and somatic cell count of dairy cow supplemented with Saccharomyces cerevisiae as a source of organic zinc for 180 days, 25 Holstein cows were selected, randomly chosen from a flock of 189 lactating cows. The animals were distributed in two groups, namely group 1 (G1) which holded 10 cows supplemented and group 2 (G2) with 15 animals without supplementation. The production of milk was measured by the control official milkman of the Assocition Paranaense of Creators of Bovine of the Holstein in seven moments during the 180 days. The samples of milk were collected of each animal, being submitted to the electronic counting of somatic cells. The results demonstrate that the supplemented of organic zinc didn’t alter the production of milk, however it was capable to maintain low the counting of somatic cells. The data of the present work suggest that to use supplemented of organic zinc in the diet of cows milk, increase the quality of the produced milk and consequently the remuneration for the producer. Com o objetivo de avaliar a produ o de leite e a contagem de células somáticas de bovinos leiteiros, suplementados com Saccharomyces cerevisiae, como fonte de zinco organico, por 180 dias, foram separadas aleatoriamente 25 vacas holandesas, em um rebanho de 189 vacas em lacta o. Os animais foram distribuídos em dois grupos, sendo grupo 1 (G1) composto por 10 vacas suplementadas e grupo 2 (G2) 15 animais sem suplementa o. A produ o de leite foi mensurada pelo controle leiteiro oficial da Associa o Paranaense de Criadores de Bovinos da Ra a Holandesa em sete momentos durante os 180 dias. As amostras de leite foram coletadas de cada animal, sendo submetidas à contagem eletr nica de células somáticas. Os resultados demonstram que a suplementa o de zinco organico n o alterou a produ o de leite, contudo foi capaz de manter baixa a contagem de células somáticas. Os dados do presente trabalho sugerem que utilizar suplementa o de zinco organico na dieta de vacas leiteiras, aumente a qualidade do leite produzido e conseqüentemente a remunera o para o produtor.
Efeitos da administra o de vitamina E na infec o mamária e na contagem de células somáticas de cabras primíparas desafiadas experimentalmente com Staphylococcus aureus
Paes P.R.O.,Lopes S.T.A.,Lopes R.S.,Kohayagawa A.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2003,
Abstract: O trabalho teve por objetivo estudar os efeitos da administra o de vitamina E sobre a contagem de células somáticas e a infec o da glandula mamária de cabras primíparas desafiadas com a inocula o intramamária de Staphylococcus aureus ao 10o dia pós-parto. Vinte e oito animais foram divididos em quatro grupos, cada um composto por sete cabras primíparas da ra a Saanen, como segue: grupo-controle, grupo de animais suplementados com vitamina E, grupo de animais desafiados com S.aureus inoculados na glandula mamária e grupo de animais suplementados com vitamina E e desafiados com S.aureus na glandula mamária. Na segunda e terceira semanas de lacta o, a inocula o de S.aureus na glandula mamária permitiu a recupera o do microrganismo no leite e elevou a contagem de células somáticas (CCS). A libera o de S.aureus no leite ocorreu de maneira intermitente. Em animais suplementados com vitamina E, o desafio com S.aureus resultou em CCS mais baixa e menor número de microrganismos no leite. Sugere-se que a CCS possa ser utilizada para a detec o da mastite caprina, devendo-se utilizar contagens superiores a 1,0x10(6)células/ml de leite como critério para a realiza o de exames microbiológicos.
Contagem de células somáticas em leite de cabra
Andrade P.V.D.,Souza M.R.,Borges I.,Penna C.F.A.M.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2001,
Abstract: Este estudo foi conduzido visando comparar diferentes métodos usados para contagem de células somáticas (CCS) em leite de vaca e determinar qual estimaria com acurácia a contagem de células somáticas do leite de cabra. Quinze amostras de leite de cabra foram avaliadas pela microscopia direta, por citometria de fluxo, usando o aparelho Somacount 300, e pelo Wisconsin Mastitis Test (WMT). Os resultados foram, respectivamente, 6,07 log CCS/ml; 6,08 log CCS/ml e 5,54 log CCS/ml. A CCS média obtida pelo Somacount 300 foi similar (P>0,05) à contagem pela microscopia direta, enquanto o WMT subestimou a CCS do leite de cabra.
Atividade funcional neutrofílica em cabras com mastite induzida experimentalmente por Staphylococcus aureus e suplementadas com vitamina E (acetato DL-a-tocoferol)  [cached]
Lopes S.T.A.,Paes P.R.O.,Kohayagawa A.,Lopes R.S.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2003,
Abstract: Avaliou-se a fun o neutrofílica em cabras com mastite por Staphylococcus aureus, induzida experimentalmente, suplementadas com vitamina E (acetato DL-a-tocoferol). Foram utilizadas 14 cabras gestantes da ra a Saanen, com idades entre 8 e 12 meses e com cultura bacteriológica do leite negativa. Sete cabras receberam 2000UI de vitamina E, via intramuscular, no dia do parto e no sétimo dia pós-parto. As outras sete n o foram medicadas. No 10o dia pós-parto, os dois grupos foram inoculados com 300 unidades formadoras de col nias de Staphylococcus aureus, cepa ATCC 25923, diluídas em 10ml de solu o fisiológica, na glandula mamária esquerda. A fun o de neutrófilos sangüíneos foi medida pelo teste nitroazul tetrazólio (NBT), antes da inocula o, no momento da infec o e 12, 24, 48 e 72 horas pós-infec o, quando foi instituído o tratamento intramamário com antimicrobiano, por três dias consecutivos. A colheita final de sangue foi realizada 48 horas após a última aplica o do medicamento. Amostras de sangue para determina o da vitamina E foram colhidas no dia do parto, no momento da infec o, 48 horas pós-infec o e 48 horas pós-tratamento e analisadas por cromatografia líquida de alta performance. Na prova n o estimulada do NBT n o foram verificadas diferen as entre grupos e entre momentos. Na prova estimulada do NBT (NBT-E) houve diferen a entre tratamentos às 12 e 72 horas pós-infec o, com valores mais elevados de NBT-E nos animais sem suplementa o. Conclui-se que a suplementa o com vitamina E reduz o percentual de neutrófilos NBT-E positivos.
Contagem de células somáticas e produ o de leite em vacas holandesas de alta produ o
Coldebella Arlei,Machado Paulo Fernando,Demétrio Clarice Garcia Borges,Ribeiro Júnior Paulo Justiniano
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2003,
Abstract: A mastite bovina pode ser clínica, com sinais visíveis, e subclínica, diagnosticada pela contagem das células somáticas. As perdas econ micas causadas pela mastite subclínica devem ser quantificadas para atender à demanda nacional de produtos lácteos. O objetivo deste trabalho foi verificar se as perdas na produ o de leite, pelo aumento do número de células somáticas, s o proporcionais ou independentes do nível de produ o. Foram utilizadas 7.756 observa es, colhidas mensalmente de um único rebanho, de setembro de 2000 a junho de 2002. A curva de lacta o foi modelada pela fun o gama incompleta, e os efeitos de ordem de lacta o, época do parto, ocorrência de doen as no periparto e escore de condi o corporal ao parto também foram considerados. A contagem de células somáticas foi incluída nesse modelo como fator multiplicativo, representando perdas relativas, e como fator aditivo, representando perdas absolutas. A escolha do melhor modelo foi baseada no critério de informa o de Schwarz (BIC). As perdas s o absolutas, evidentes a partir de 14.270 células/mL e para cada aumento de uma unidade na escala do logaritmo natural a partir desse valor, estimam-se perdas de 184 e 869 g/dia para vacas primíparas e multíparas, respectivamente.
Determina o de gordura, proteína, cobre, ferro, manganês, zinco e contagem de células somáticas no leite de vacas com mastite subclínica/ Determina o de gordura, proteína, cobre, ferro, manganês, zinco e contagem de células somáticas no leite de vacas com mastite subclínica  [cached]
Paulo Francisco Domingues,Helio Langoni,Carlos Roberto Padovani,Jorge A. H. Gonzales
Semina : Ciências Agrárias , 2001,
Abstract: The purpose of this paper was to investigate the relationship between of bovine mastitis and the nutrientsconcentration in milk. Seventy-two Holstein cows were divided into 2 groups: G1 - clinically healthy cows (n = 36) and G2- subclinical mastitis cows (n = 36). Both groups of animals were subjected to the California Mastitis Test – CMT, thesomatic cell counting, and the microbiological examination. The concentrations of fat, matter protein, copper, iron,manganese and zinc in the milk sample were determined. The recorded data were statistically analyzed and presentedthe following means and standard-deviations, according to groups 1 and 2: fat (%) 1.251 ± 0.676 and 1.662 ± 1.166 (p> 0.05); protein (%) 3.373 ± 0.428 and 3.411 ± 0.348 (p > 0.05); somatic cell counting (after logarithmic basis) 1.694 ±0.632 and 2.909 ± 0.424 (p < 0.0001); copper (ppm) 0.043 ± 0.015 and 0.047 ± 0.019 (p > 0.05); iron (ppm) 0.159 ± 0.047and 0.191 ± 0.063 (p < 0.05); manganese (ppm) 0.040 ± 0.010 and 0.036 ± 0.010 (p > 0.05) and zinc (ppm) 3.938 ±1.221 and 3.658 ± 1.212 (p > 0.05). It was concluded that there were significant differences in the levels of SCC and ironbetween the two groups of animals. A proposta do presente trabalho foi pesquisar a rela o da mastite bovina com os níveis de nutrientes presentes no leite. Foram utilizadas 72 vacas da ra a Holandesa, distribuídas em dois grupos: G1=36 vacas clinicamente sadias e G2=36 vacas com mastite subclínica, diagnosticadas pelo California Mastitis Test – CMT, pela contagem de células somáticas e pelo exame microbiológico. No leite, foram determinados os níveis de gordura, proteína, cobre, ferro, manganês e zinco. Os dados obtidos foram submetidos a procedimentos estatísticos, e os parametros do leite apresentaram as seguintes médias e desvios-padr es, respectivamente: gordura () 1,251 ± 0,676 e 1,662 ± 1,166 (p> 0,05); proteína () 3,373 ± 0,428 e 3,411 ± 0,348 (p > 0,05); contagem de células somáticas (após forma o logarítmica) 1,694 ± 0,632 e 2,909 ± 0,424 (p < 0,0001); Cobre (ppm) 0,043 ± 0,015 e 0,047 ± 0,019 (p > 0,05); ferro (ppm) 0,159 ± 0,047 e 0,191 ± 0,063 (p < 0,05); manganês (ppm) 0,040 ± 0,010 e 0,036 ± 0,010 (p > 0,05) e zinco (ppm) 3,938 ± 1,221 e 3,658 ± 1,212 (p > 0,05). Conclui-se que houve diferen a significativa apenas nos níveis de CCS e ferro entre os dois.
Efeito da metionina protegida e n o protegida da degrada o ruminal sobre a produ o e composi o do leite de vacas holandesas  [cached]
Sancanari Juliana Borsari Dourado,Ezequiel Jane Maria Bertocco,Galati Rosemary Laís,Vieira Paulo de Figueiredo
Revista Brasileira de Zootecnia , 2001,
Abstract: Utilizaram-se vacas Holandesas com produ o superior a 20 kg de leite/dia, de primeira e segunda lacta es, com 19±6 dias em lacta o, para avaliar o efeito da suplementa o com 8,4 g/dia de metionina protegida (MPDR) ou 8,4 g/dia de metionina n o-protegida da degrada o ruminal (MNPDR) sobre a produ o e composi o do leite, comparativamente a vacas controle, durante 90 dias. As vacas foram alimentadas com ra o completa constituída por silagem de milho e concentrado. Produ o de leite, teor de proteína do leite e produ o de proteína n o foram afetados pela suplementa o com MPDR. As produ es médias de leite foram 27,70; 27,09 e 27,61 kg/dia; os teores médios de proteína, 2,83; 2,85 e 2,77%; e as produ es de proteína do leite, 0,77; 0,76 e 0,79 kg/dia, respectivamente, para vacas controle, suplementadas com MPDR e MNPDR. O teor de gordura do leite foi de 2,39; 2,12 e 1,89% paras vacas suplementadas com MPDR, MNPDR e controle, respectivamente. A produ o diária de gordura foi 0,57; 0,58 e 0,58 kg/dia e a produ o diária de leite corrigido para gordura (3,5%), 21,25; 21,19 e 21,35 kg/dia, para os respectivos tratamentos controle, MPDR e MNPDR. A suplementa o com MPDR n o alterou a produ o de leite, porém melhorou a sua composi o no início da lacta o.
Composi o do leite de tanques de rebanhos brasileiros distribuídos segundo sua contagem de células somáticas  [cached]
Machado Paulo Fernando,Pereira Alfredo Ribeiro,Sarríes Gabriel Adrian
Revista Brasileira de Zootecnia , 2000,
Abstract: Foi realizado um levantamento dos dados de contagem de células somáticas (CCS), porcentagens de gordura, proteína, lactose e sólidos totais de amostras de leite de tanques recebidas no período de dezembro de 1996 a julho de 1998, com o objetivo de se caracterizar a composi o do leite segundo sua contagem de células somáticas. Os 4785 dados de análise foram classificados segundo sua CCS, sendo formados quatro grupos (grupo 1, CCS < 500 mil cél./mL; grupo 2, 500 < CCS < 1000 mil cél./mL; grupo 3, 1000 < CCS < 1500 mil cél./mL; grupo 4, CCS > 1.500 mil cél./mL). Aos grupos foram aplicadass técnicas de estatística descritiva, análise de variancia e compara es múltiplas de médias. O aumento da ordem das classes acarretou acréscimo da porcentagem de gordura e dos desvios-padr o e redu o nas porcentagens de proteína e lactose. A concentra o de sólidos totais, apesar de n o-significativa, apresentou tendência de redu o. Concluiu-se que leite de tanques com CCS mais altas apresentaram maior porcentagem de gordura, menor porcentagem de proteína e lactose e igual porcentagem de sólido totais. As mudan as significativas nas concentra es do componentes do leite ocorrem a partir de 1.000.000 cél./mL para gordura e 500 mil cél./mL para proteína e lactose. Grupos de tanques com maiores CCS apresentaram maior variabilidade nas concentra es dos constituintes do leite.
Influência de fatores de meio ambiente na varia o mensal da composi o e contagem de células somáticas do leite em rebanhos no Estado de Minas Gerais  [cached]
Teixeira N.M.,Freitas A.F.,Barra R.B.
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia , 2003,
Abstract: Foram usados registros de 102.098 controles mensais individuais de vacas da ra a Holandesa em 189 rebanhos do Estado de Minas Gerais, no período de janeiro de 1999 a dezembro de 2001, para se avaliar o efeito de mês de controle, número de dias em lacta o, idade da vaca, época de parto e composi o racial sobre componentes e contagem de células somáticas (CCS) do leite no dia do controle. As CCSs foram transformadas para escore de célula somática (ECSs). Médias n o-ajustadas e desvios-padr o para produ o de leite, porcentagens de gordura e proteína e ECSs no dia de controle foram, respectivamente, 22,87 e 7,35 kg, 3,56 e 0,72%, 3,15 e 0,37%, 3,07 e 2,33 para a primeira e 24,99 e 9,33 kg, 3,57 e 0,76%, 3,14 e 0,38%, 4,23 e 2,3 para as outras lacta es. Nas análises utilizou-se o método de quadrados mínimos com as lacta es agrupadas por idade em primeira e outras lacta es. Os efeitos rebanho-ano, mês, dias em lacta o, esta o de pari o, idade ao parto e composi o racial foram usados para explicar varia es. Nos dois conjuntos de dados, com exce o da porcentagem de proteína, para a qual dias em lacta o foi o efeito que mais contribuiu para a varia o, rebanho-ano foi responsável pela maior parte da varia o, seguindo-se dias em lacta o. O efeito rebanho-ano foi também o mais importante para explicar a varia o dos ECSs, respectivamente 19,0 e 34,6% para primeira e outras lacta es, seguindo-se em importancia o efeito de dias em lacta o, respectivamente, 4,4 e 4,0% da varia o total. As médias das porcentagens de gordura e proteína foram altas imediatamente após o parto, decresceram, aproximadamente, até 50 dias e aumentaram daí por diante até o final da lacta o, enquanto que a produ o de leite diminuiu. Os teores de gordura e proteína foram maiores nos meses de inverno e mais baixos nos meses de ver o. Flutua es sazonais desses componentes seguiram tendência oposta à da produ o de leite. Os escores de células somáticas foram altos nos 10 primeiros dias da lacta o, mas inferiores para vacas de primeira lacta o, decresceram até um mínimo aos 50-60 e aos 30-40 dias, respectivamente, para a primeira e para as outras lacta es. Daí em diante aumentaram até o final, com taxas de crescimento semelhantes. A varia o dos escores segundo o mês do ano foi semelhante para primeira e outras lacta es, cresceram de fevereiro a junho e decresceram até um mínimo em outubro. O aumento dos ECSs com a idade da vaca foi curvilíneo para primeira e linear para outras lacta es.
Técnica rápida de neutraliza o viral para a detec o de anticorpos contra o vírus da Diarréia Viral Bovina (BVDV) no leite
Charles Fernando Capinos Scherer,Flores Eduardo Furtado,Weiblen Rudi,Kreutz Luiz Carlos
Pesquisa Veterinária Brasileira , 2002,
Abstract: A identifica o de rebanhos positivos para o vírus da Diarréia Viral Bovina (BVDV) através de detec o de anticorpos no leite pode viabilizar programas de controle em larga escala. Com esse objetivo, a técnica de soro-neutraliza o (SN) foi adaptada para a pesquisa de anticorpos em amostras de leite. A adapta o consistiu na redu o do tempo de incuba o do teste, seguida da detec o de antígenos virais por imunofluorescência. A redu o do tempo de incuba o minimizou os efeitos tóxicos do leite sobre as células de cultivo, além de permitir a obten o dos resultados em 24 horas. A técnica rápida (SNR) foi inicialmente testada em 1.335 amostras de soro bovino, apresentando sensibilidade de 93,7% e concordancia de 91,1% em rela o à SN tradicional. A SNR foi também utilizada para testar 423 amostras de soro bovino que apresentaram toxicidade para as células na SN tradicional, detectando 316 (74,7%) amostras positivas. O teste de amostras de soro e leite de 520 vacas em lacta o demonstrou que a SNR pode detectar anticorpos no leite de vacas com títulos séricos a partir de 10. Atividade neutralizante anti-BVDV no leite foi detectada em 97,4% (191/196) de vacas com títulos séricos 3 320; em 92,9% (79/85) de vacas com títulos de 160; em 88% (59/67) de vacas títulos de 80. A freqüência de animais positivos na SNR foi de 76,9% (40/52) para animais com títulos séricos de 40; 61,3% (19/31) com títulos de 20 e de 33,3% (10/30) para vacas com títulos de 10. Esses resultados demonstram que a técnica de SNR é adequada para a pesquisa de anticorpos anti-BVDV no leite, principalmente em animais com títulos moderados e altos de anticorpos. Essa técnica pode ser utilizada para testar amostras coletivas de leite e identificar rebanhos com atividade viral. A utiliza o dessa técnica pode viabilizar programas regionais de combate à infec o, pois permite testar um grande número de amostras e identificar rebanhos positivos através do leite enviado rotineiramente para contagem de células somáticas (CCS), reduzindo significativamente os custos com a coleta individual, transporte e teste de amostras.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.