oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Cadências escolares, ritmos docentes  [cached]
Teixeira Inês Assun??o de Castro
Educa??o e Pesquisa , 1999,
Abstract: O artigo analisa alguns dos eixos que estruturam os ritmos cotidianos dos professores, próprios às temporalidades da vida social na escola. Parte do pressuposto de que o tempo é uma "categoria do pensamento lógico", originada no ritmo da vida social (Dukheim), e que essa rítmica é uma "modalidade concreta do tempo social" (Lefebvre e Régulier). O estudo é parte de uma pesquisa que busca tematizar a experiência do tempo de sujeitos que se encontram na condi o de professores - docentes de quinta à oitava séries do ensino fundamental e do ensino médio -, levando em conta seus vínculos com a constru o de identidades docentes. O texto se desenvolve em torno de três eixos: as cadências das intera es entre educandos e educadores, os ritmos dos calendários e os compassos dos horários escolares. Conclui-se que os ritmos docentes, embora circunscritos à rítmica da vida moderna, têm particularidades associadas às cadências da escola, aos processos pedagógicos e àqueles relacionados à forma o humana. Trata-se, pois, de analisar a polirritmia dos tempos da escola em sua complexidade e peculiaridades, de forma a se compreenderem as modula es e significa es da experiência do tempo na condi o de professor, vivência constitutiva das identidades docentes.
As intera es discursivas no ensino de física: a promo o da discuss o pelo professor e a alfabetiza o científica dos alunos Discursive interactions in science education: teacher's promotion of discussion and student's scientific literacy  [cached]
Vitor Fabrício Machado Souza,Lucia Helena Sasseron
Ciência & Educa??o (Bauru) , 2012, DOI: 10.1590/s1516-73132012000300007
Abstract: Neste trabalho propomos uma análise comparativa entre o discurso do professor e os indicadores de Alfabetiza o Científica apontados no discurso dos alunos, de modo a buscar uma rela o entre a a o do professor e o desenvolvimento de habilidades visadas no ensino de ciências. Investigaremos as intera es discursivas em sala de aula de Física do Ensino Médio utilizando duas metodologias de análise: a primeira visa a identificar as intera es do professor, suas inten es, o conteúdo do discurso, as formas de abordagem, os padr es discursivos e as interven es. A segunda, busca identificar, no discurso dos alunos, parametros de organiza o, seria o ou classifica o de informa es, elabora o e teste de hipóteses, raciocínio lógico, justificativa, previs o e explica o. Verificamos, dentre outras coisas, a rela o direta entre o padr o discursivo do professor e o desenvolvimento de habilidades científicas relevantes a um ensino que vise a Alfabetiza o Científica. In this paper we propose a comparative analysis between the discourse of the teacher and the indicators of Scientific Literacy in order to seek a relationship between the action of the teacher and the development of skills aimed at teaching science. We will analyze the discursive interactions in high school classroom of Physics by using two analysis methods: the first, aims to identify the interactions of the teacher, his intentions, the content of speech, ways to approach the standards for discourse and action. The second, seeks to identify, into student's speech, parameters of organization, ranking or classification of information, developing and testing hypotheses, logical reasoning, explanation, prediction and explanation. We checked out other things to direct relationship between the standard discourse of the teacher and the development of skills relevant to a scientific education that aims to Scientific Literacy.
O chefe tem sempre raz o? Um Estudo Intercultural das Expectativas Sociais em Intera es de Trabalho  [cached]
S?nia Maria Guedes Gondim,José Luis álvaro Estramiana,Inge Schweiger Gallo,Márcio de Oliveira Sá
Revista Interamericana de Psicología , 2008,
Abstract: A pesquisa tem como objetivo explorar a tendência de concordar com as a es do supervisor ao se analisar uma situa o de intera o no trabalho. Participaram do estudo 465 estudantes universitários de Salvador e de Madrid concluintes de cursos de administra o e engenharia. Através de um diálogo por escrito entre um supervisor e um empregado, analisou-se a concordancia ou discordancia com os seus modos de agir, e as justificativas apresentadas pelos participantes. A análise quantitativa indica que, independente da cultura, da experiência de trabalho e do curso de forma o, concorda-se com o comportamento do supervisor. A análise de conteúdo qualitativa revela que as justificativas de ambos os países s o similares e focam na confian a, motiva o, orienta o e suporte mútuos.
Los ritmos como terapia para la impulsividad  [cached]
Mónica Trivi?o,Marisa Arnedo,Juan Lupiá?ez
Ciencia Cognitiva : Revista Electrónica de Divulgación , 2012,
Abstract: Investigaciones recientes muestran que el uso de patrones rítmicos facilita la respuesta óptima en el tiempo, por lo que el entrenamiento mediante ritmos podría proponerse como terapia novedosa ante problemas como la impulsividad. Esto podría beneficiar a pacientes con da o prefrontal o personas con trastorno por déficit de atención e hiperactividad (TDAH), que suelen mostrar conductas impulsivas, así como dificultad para estimar el paso del tiempo.
Estratégias de intera o no ensino do texto dissertativo  [cached]
Maria Izabel de Oliveira Massoni
Alfa : Revista de Linguística , 2001,
Abstract: Este trabalho apresenta um encaminhamento para o ensino da produ o de textos dissertativos a alunos que encontram dificuldades relativas às estratégias de intera o requeridas por essa tipologia. A análise de alguns problemas detectados no percurso entre a pretens o de dizer e o dito levou-nos a pensar numa prática que diminuísse tais problemas, a partir de um enfoque das habilidades de raciocínio, para o estabelecimento de premissas e das habilidades discursivas, para o engajamento a elas, por meio do trabalho com esquemas marcadores de quadros de intera o social diferentes.
O efeito da regula o trabalhista e tributária nos investimentos no Brasil.
Renata Cardoso Ferretti,Bruno Funchal
Revista de Administra??o Mackenzie , 2011,
Abstract: O objetivo deste estudo é avaliar o efeito da regula o trabalhista e tributária no investimento interno (forma o bruta de capital fixo) e externo (fluxo de entrada de investimento estrangeiro direto). Assim, buscou-se fornecer evidências empíricas dos efeitos da legisla o trabalhista e tributária sobre os investimentos e as estratégias de negócios no Brasil. Estudos nesse campo se justificam pelo fato de a regula o ter impacto substancial na atividade econ mica dos agentes, porque, apesar de raz es econ micas, sociais e políticas serem usadas para justificar a regula o, raramente alguma evidência empírica é utilizada como base ou justificativa para regula o (ALMEIDA; CARNEIRO, 2005). O foco no Brasil é relevante por ser um dos países mais regulados do mundo no ambito trabalhista e tributário, apresentando baixo enforcement (BOTERO et al., 2004), já que a rigidez dessas legisla es pode ser um fator interferente no baixo desempenho e investimentos das empresas e no crescimento econ mico do país. Para investigar o efeito da regula o trabalhista e tributária no investimento interno e externo, foram aplicados testes por meio do método de Regress o Quantílica (RQ). Para efeito de análise comparativa, os testes foram rodados também pelo método dos Mínimos Quadrados Ordinários (MQO). O estudo é cross-country baseado em dados em pooled cross-section de 180 países, coletados no período de 2003 a 2006 para regula o trabalhista e no período de 2005 a 2006 para regula o tributária. Os dados relativos às variáveis de investimentos interno e externo (variáveis dependentes), bem como do PIB, popula o total e taxa de juros (variáveis de controle), s o provenientes do World Development Indicators atualizado no ano de 2008. Os resultados encontrados sugerem que quanto maior a rigidez da regula o do trabalho, menor o nível de investimento em termos de forma o bruta de capital fixo e investimento estrangeiro direto no Brasil. Quanto ao efeito da regula o tributária sobre os investimentos, os resultados demonstram que há significancia estatística e que uma redu o da carga tributária, medida pela tributa o sobre o lucro empresarial, pode elevar os níveis de investimentos.
Trabalhos de face em intera es profissionais
Maria das Gra?as Salgado
Linguagem em (Dis)curso , 2007,
Abstract: O objetivo deste trabalho é analisar de que maneira os trabalhos de face interferem na constru o do discurso da emo o a partir de cartas de clientes dirigidas a uma empresa de seguro de saúde. Adoto o conceito de emo o como um construto cultural, prática discursiva construída na intera o, e a no o de trabalhos de face utilizada na teoria da polidez. Metodologicamente, a análise, de natureza qualitativa, é desenvolvida considerando emo es que honram e/ou amea am a face dos participantes. Os resultados indicam que os clientes usam estratégias discursivas emocionais de defesa da própria face e de amea a explícita à face da empresa para alcan ar objetivos nem sempre contemplados pelas normas contratuais.
Una caja de ritmos llamada cerebro: Moviendo objetos con la mente.
ángel Correa Torres
Ciencia Cognitiva : Revista Electrónica de Divulgación , 2008,
Abstract: El cerebro genera ritmos sin parar. Los ritmos cerebrales constituyen un lenguaje de comunicación entreneuronas mientras procesan información. La investigación dedicada a descifrar este lenguaje está revolucionando tanto teorías neurocientíficas como aplicaciones clínicas y tecnológicas. Hoy se piensa que los ritmos cerebrales cumplen un papel crucial en funciones cognitivas como percibir, recordar o moverse. El control a través del pensamiento de objetos electrónicos reales o virtuales ha dejado de ser una ficción gracias al desarrollo de la interfaz cerebro-computadora.
Desequilíbrio e co-regula o em situa o de ensino-aprendizagem: análise segundo o conceito de a o comunicativa (Habermas)  [cached]
Sim?o Lívia Mathias
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 2000,
Abstract: As situa es de ensino-aprendizagem, tomadas da perspectiva de desenvolvimento implicam um entrejogo de a es verbais dos atores, dirigidas tanto às a es do outro ator como ao objeto de conhecimento. Nesta perspectiva s o fundamentais o desequilíbrio e a co-regula o da intera o, bem como a emergência de novos conhecimentos. O objetivo deste trabalho é explorar o conceito de a o comunicativa (Habermas) para descrever o desequilíbrio e a co-regula o cognitivas em uma situa o de ensino-aprendizagem. Deste referencial, analisou-se um diálogo professora - aluna, buscando-se caracterizar cada a o verbal do diálogo de acordo com Habermas. A seguir, relacionou-se cada a o comunicativa com sua conseqüência para a intera o, em termos de desequilíbrio ou co-regula o. Esta análise permitiu descrever a dinamica das a es comunicativas que, através de sucessivos desequilíbrios e co-regula es, criaram condi es para restrutura o do campo semantico nos atores e para emergência de novos conhecimentos sobre o objeto.
Práticas Discursivas e Produ o de Sentidos nos Estudos Organizacionais: a contribui o do construcionismo social  [cached]
Alexandre Reis Rosa,César Tureta,Mozar José de Brito
Contextus , 2006,
Abstract: Tendo o paradigma interpretativo como ponto de partida e o caráter interdisciplinar que vem permeando os estudos organizacionais nos últimos anos, o presente ensaio tem por objetivo explorar, no ambito da psicologia social, uma proposta teórico-metodológica para o estudo da produ o de sentidos no cotidiano. A partir de práticas discursivas, busca também situar a produ o de sentidos junto ao mo- vimento do construcionismo social que, alinhando ao de- bate pós-modernista, adota uma postura de ruptura com o modo tradicional de fazer ciência e busca ultrapassar a dualidade sujeito-objeto situando o conhecimento no inte- rior dos processos de intera o social. Embora o texto enfatize a perspectiva da psicologia social, a produ o de sentidos é necessariamente interdisciplinar. O que torna possível a ponte com a ciência da administra o e, conse- qüentemente, uma possível incorpora o de seus pressu- postos à análise organizacional.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.