oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Nutri o e produ o da laranjeira "Folha Murcha" em porta-enxertos e plantas de cobertura permanente na entrelinha  [cached]
Fidalski Jonez,Stenzel Neusa Maria Colauto
Ciência Rural , 2006,
Abstract: O estado nutricional e a produ o de citros n o s o conhecidos para as diferentes combina es copa/porta-enxertos e plantas de coberturas permanente na entrelinha. O estudo foi instalado em um experimento de laranjeira "Folha Murcha" [Citrus sinensis (L.) Osb.] com oito anos de idade, conduzido entre 1997 a 2002, no município de Paranavaí, regi o Noroeste do Paraná. O solo corresponde a um Argissolo Vermelho distrófico típico textura areia/franco arenoso. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, sendo os tratamentos constituídos por sete porta-enxertos: limoeiro "Cravo", limoeiro "Rugoso da áfrica", limoeiro "Volcameriano", tangerineira "Cleópatra", tangerineira "Sunki", citrangeiro "C-13" e Trifoliata, com três plantas em cada parcela experimental. As repeti es foram constituídas por três blocos com a cobertura Paspalum notatum e por um bloco com Arachis pintoi. Foram avaliados os teores dos nutrientes foliares e a produ o de frutos da laranjeira "Folha Murcha". O manejo das entrelinhas com a leguminosa elevou os teores de N à faixa excessiva nas folhas do porta-enxerto limoeiro "Cravo", e reduziu a produ o de frutos da laranjeira "Folha Murcha" em rela o à gramínea. Nas entrelinhas com gramínea, a produ o de frutos da laranjeira "Folha Murcha" foi dependente das safras agrícolas e dos teores foliares de Ca, Mg e Zn. A absor o máxima de Ca pelas folhas de laranjeira "Folha Murcha" precede a de Mg e Zn. Nestas condi es, os porta-enxertos tangerineira "Cleópatra" e limoeiro "Rugoso da áfrica" apresentaram maior produ o de frutos de laranjeira "Folha Murcha".
Aplica o de reguladores vegetais no retardamento da abscis o de frutos de laranjeira-'Hamlin'  [cached]
ALMEIDA ISOLINA MARIA LEITE DE,RODRIGUES JO?O DOMINGOS,ONO ELIZABETH ORIKA
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: O trabalho avaliou os efeitos de auxinas e giberelina, combinadas e aplicadas em pré-colheita no desenvolvimento e na porcentagem de queda natural dos frutos de laranjeira-'Hamlin' (Citrus sinensis Osbeck). Foram realizadas 3 aplica es a intervalos de 45 dias dos seguintes tratamentos, via foliar: GA3 + NAA a 12,5mg.L-1 de cada; GA3 + NAA a 25mg.L-1; GA3 + 2,4-D a 12,5mg.L-1; GA3 + 2,4-D a 25mg.L-1; NAA + 2,4-D a 12,5mg.L-1; NAA + 2,4-D a 25mg.L-1; testemunha (água). As variáveis avaliadas foram: porcentagem de queda natural dos frutos (%), massa fresca de frutos (g) e teor de suco no fruto (%). Os resultados obtidos mostram que a utiliza o de reguladores vegetais atrasa a queda natural de frutos de laranjeira-'Hamlin', podendo-se prolongar o período de colheita, destacando-se o tratamento com GA3 25mg.L-1 +2,4-D 25mg.L-1 e também n o influenciaram no aumento da massa fresca e no teor de suco dos frutos.
EFEITO DO áCIDO INDOLBUTíRICO NO ENRAIZAMENTO DE ESTACAS DE LARANJEIRA CV. VALêNCIA (Citrus sinensis (L.) OSBECK) SOB CONDI ES INTERMITENTES DE NEBULIZA O  [cached]
ROSSAL P.A.L,KERSTEN E
Scientia Agricola , 1997,
Abstract: Para avaliar o efeito de cinco concentra es de IBA utilizou-se os substratos areia lavada e cinza de casca de arroz, no enraizamento de estacas cilíndricas e triangulares de laranjeira cv. valência, coletadas em três épocas do ano. Os resultados mostraram que os tratamentos n o influenciaram a forma o de raízes; a areia foi o melhor substrato para forma o de calos sendo a melhor concentra o, 4500ppm de IBA para estacas cilíndricas coletadas em maio.
EFEITO DA COMPOSI O DO SUBSTRATO NA FORMA O DE MUDAS DE LARANJEIRA `PERA'  [cached]
MOUR?O FILHO F.A.A.,DIAS C.T.S.,SALIBE A.A.
Scientia Agricola , 1998,
Abstract: O efeito de cinco composi es de substratos na produ o de mudas de laranjeira `Pêra' (Citrus sinensis, L. Osbeck) foi estudado sobre três porta-enxertos (limoeiro `Cravo', Citrus limonia, L. Osbeck; tangerineira `Cleópatra', Citrus reticulata, Blanco; e citrumeleiro `Swingle', Citrus paradisi x Poncirus trifoliata). O experimento obedeceu ao delineamento estatístico de blocos aleatorizados em esquema fatorial 5 x 3 (substratos x porta-enxertos). As composi es de misturas utilizadas como substrato e respectivas combina es volumétricas foram: 1) Terra (100%); 2) Terra (33%) + areia fina (33%) + esterco bovino curtido (33%); 3) Terra (33%) + vermiculita (33%) + esterco bovino curtido (33%); 4) Terra (33%) + raspas de madeira (33%) + esterco bovino curtido (33%); 5) Terra (25%) + raspas de madeira (25%) + areia fina (25%) + esterco bovino curtido (25%). A análise dos resultados revelou que plantas de limoeiro `Cravo' e citrumeleiro `Swingle' apresentaram maior desenvolvimento do que as de tangerineira `Cleópatra'. A mistura de materiais com solo mostrou-se vantajosa e induziu à forma o de plantas mais desenvolvidas do que aquelas em substrato constituído de terra exclusivamente. A composi o do substrato influenciou diferentemente no desenvolvimento de cada porta-enxerto, mas de uma forma geral, composi es contento 1/3 de volume de solo e 1/3 de volume de esterco bovino proporcionaram bons resultados para os três porta-enxertos estudados.
EFEITOS DA SIMULA O DE DERIVA DE CLOMAZONE EM PLANTAS DE LARANJEIRA 'HAMLIN'
TIMOSSI PAULO CéSAR,ALVES PEDRO LUíS DA C.A.
Revista Brasileira de Fruticultura , 2001,
Abstract: Em trabalho realizado em 1998, no município de Taiúva-SP, objetivou-se avaliar o efeito da simula o da deriva de doses crescentes, até atingir a recomendada comercialmente, de clomazone, em duas formula es, e de clomazone em mistura com ametryne, em laranjeira-'Hamlin' com frutos com 2 a 4 cm de diametro. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com 15 tratamentos, em 3 repeti es. As avalia es basearam-se em possíveis altera es morfofisiológicas das plantas, com determina es do teor de clorofila total nas folhas, porcentagem de abortamento de frutos, além de análise tecnológica dos frutos. Concluiu-se que a dose comercial de clomazone isolado e em mistura com ametryne a 50 e 100% da dose resultou na forma o de manchas cloróticas e/ou necróticas na casca do fruto e causou mortalidade de ramos que se encontravam em crescimento vegetativo, n o acarretando qualquer altera o qualitativa do suco.
Adubos foliares quelatizados e sais na absor o de boro, manganês e zinco em laranjeira ?Pera?  [cached]
Santos Carlos Henrique dos,Duarte Filho Jaime,Modesto Junior Cesar,Grassi Filho Hélio
Scientia Agricola , 1999,
Abstract: O presente trabalho teve como objetivo comparar a eficiência de formula es de adubos foliares quelatizados na absor o dos micronutrientes boro, manganês e zinco, com a aplica o convencional de sais em plantas de laranjeira ?Pera? (Citrus sinensis (L.) Osbeck). Para tanto foi conduzido experimento nas dependências do Departamento de Ciência do Solo da Faculdade de Ciências Agron micas UNESP/Campus de Botucatu, Estado de S o Paulo. Utilizaram-se plantas de laranjeira ?Pera? (Citrus sinensis (L.) Osbeck) enxertadas sobre limoeiro ?Cravo? (Citrus limonia Osbeck), com 2 anos de idade, plantadas em caixas de 250 litros. Os adubos foliares utilizados foram: Grex Citros na dose de 1,0 mL L-1; Copas citros 2,0 mL L-1; Plantin Citros 1,0 mL L-1; Citrolino 2,0 mL L-1; Fertamin Citros 1,75 mL L-1; Yogen Citros 2,0 mL L-1; MS-2 1,0 mL L-1; Sais, Sais + 1,0 g L-1 de KCl e Sais substituindo o ZnSO4 pelo ZnCl2. O volume de aplica o, foi de 1 litro de calda planta-1. Em todos os tratamentos adicionou-se o espalhante adesivo do grupo químico dos alquifenoletoxilados a 0,03%. A amostragem das folhas foi realizada 30 dias após a aplica o dos tratamentos, coletando-se a 3a ou 4a folha de ramos vegetativos no início do florescimento, dos 4 quadrantes, localizados na regi o mediana da planta, totalizando 10 folhas por planta. A aplica o foliar de micronutrientes, favoreceu a absor o e resultou no aumento do teor foliar de Mn e Zn mas n o de B, sendo que a presen a de cloreto aumentou os teores de Zn na folhas de laranjeira ?Pera?, proporcionando maior absor o do que o sulfato e sulfato adicionado ao cloreto de potássio. Os resultados mostram, também, que os produtos quelatizados Yogen e MS-2, para as condi es deste estudo, n o foram eficientes como fontes fornecedoras de Mn.
Normas DRIS multivariadas para avalia o do estado nutricional de laranjeira 'Pera' no estado do Amazonas Multivariate DRIS standards for the assessment of the nutritional status of the Pera orange in the state of Amazonas
Jairo Rafael Machado Dias,Paulo Guilherme Salvador Wadt,Carlos Alberto Franco Tucci,José Zilton Lopes Santos
Revista Ciência Agron?mica , 2013,
Abstract: Para utiliza o da diagnose da composi o nutricional ou do sistema integrado de diagnose e recomenda o de rela es multivariadas (DRIS) na avalia o do estado nutricional de laranjeira, faz-se necessário a defini o de valores de referência que sejam adequados para refletir suas condi es nutricionais. Neste trabalho, objetivou-se estabelecer normas DRIS multivariadas e avaliar seu desempenho comparativamente aos padr es nutricionais definidos pela literatura na avalia o do estado nutricional de laranjeiras 'Pera' no estado do Amazonas. Avaliou-se o estado nutricional de 120 glebas comerciais de laranjeira 'Pera' enxertadas em limoeiro 'Cravo', sendo que os padr es de referência foram definidos a partir do conjunto das glebas. O diagnóstico nutricional pelo método DRIS conjugado a utiliza o de normas genéricas comparativamente aos padr es nutricionais propostos pela literatura apresentou baixo grau de concordancia na avalia o do estado nutricional de laranjeira 'Pera' no estado do Amazonas. In order to use nutritional-composition diagnosis or the diagnosis and integrated recommendation system of multivariate relationships (DRIS) when assessing the nutritional status of the orange, it becomes necessary to define reference values that are suitable for indicating nutritional conditions. This study aimed to establish multivariate DRIS standards, and to evaluate their comparative performance in assessing the nutritional status of the Pera orange in the state of Amazonas against nutritional standards as defined in the literature. We evaluated the nutritional status of 120 commercial plots of a hybrid of the Pera orange and Rangpur lime, the reference values being defined from the group of plots. DRIS standards for nitrogen (N), phosphorus (P), potassium (K), calcium (Ca), magnesium (Mg), sulfur (S), boron (B), copper (Cu), iron (Fe), manganese (Mn) and zinc (Zn) were established and nutritional diagnosis by DRIS, combined with the comparative use of generic standards to those proposed in the literature, showed a low level of agreement when assessing the nutritional status of the Pera orange in the state of Amazonas.
PEGAMENTO DE FRUTOS DE LARANJEIRA `PERA' EM DIFERENTES ALTURAS NA COPA RELACIONADO AOS QUADRANTES GEOGRáFICOS  [cached]
Araújo Paulo Sérgio Rodrigues de,Mour?o Filho Francisco de Assis Alves,Sposito Marcel Bellato
Scientia Agricola , 1999,
Abstract: Observou-se o pegamento de frutos de laranjeira `Pera' enxertada sobre limoeiro `Cravo' em rela o aos quadrantes geográficos (Sudeste, Nordeste, Sudoeste e Noroeste) nos diferentes ter os da copa (basal, mediano e apical) em cinco períodos de coleta. O trabalho foi conduzido em Piracicaba-SP, com localiza o 22o43'S, 43o38'W e 540 metros de altitude. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, considerando-se cada planta um bloco, no esquema fatorial 3x4x5, perfazendo um total de 300 sub-subparcelas. Os parametros avaliados foram o número de flores (1a coleta) e frutos (chumbinhos, nas quatro coletas subsequentes), analisando-se separadamente o 1o período e conjuntamente os demais. Os resultados permitiram observar uma diferen a significativa a nível de 5% tanto para o número de flores em rela o aos quadrantes, destacando-se o SE, como para a intera o alturas x quadrantes, destacando-se o ter o mediano dentro do referido quadrante que diferiu dos demais. N o foi detectada diferen a significativa entre as alturas. Com rela o a percentagem de chumbinhos, foi possível distinguir uma diferen a significativa ao nível de 5% entre as alturas, os quadrantes e períodos, destacando-se o ter o basal e o quadrante SO. A intera o do quadrante dentro da altura e vice-versa, n o apresentou diferen a significativa, embora que no decorrer dos períodos, o comportamento tenha sido semelhante, independente do quadrante ou altura.
Efeitos da aduba o nitrogenada e potássica na produ o e na qualidade de frutos de laranjeira-'Valência'  [cached]
ALMEIDA MARCELO CARMINATI DE,BAUMGARTNER JOSé GERALDO
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: Os critérios para recomenda o de aduba o nitrogenada e potássica em pomares cítricos carecem de experimenta o regional. O objetivo deste experimento foi avaliar os efeitos de doses combinadas de N e de K2O para a laranjeira-Valência cultivada em solo representativo do município de Adolfo, Norte do Estado de S o Paulo, de citricultura desenvolvida. Em delineamento tipo fatorial 3 x 3, com 3 repeti es, foram combinadas as doses de 94; 188 e 376 kg ha-1 de N, como nitrato de am nio e 38; 75 e 150 kg ha-1 de K2O, como cloreto de potássio, durante três safras (1997 a 1999). Anualmente, foram feitas avalia es de diagnose foliar para nitrogênio e potássio, de produ o e de análise de suco para acidez titulável e teor total de sólidos solúveis. Os dados obtidos mostraram que os pomares mantiveram a produtividade com as doses mínimas de N e de K2O durante os três anos, n o havendo resposta em produ o às doses crescentes desses nutrientes. Os teores foliares de N e de K mantiveram-se dentro das faixas consideradas adequadas, nos tratamentos com doses mínimas de N e de K2O, nas três safras. Apenas no segundo ano, em que a produ o foi diminuída por fatores climáticos, foram observados efeitos significativos de combina es de doses de N e de K2O sobre a acidez e o teor de sólidos solúveis do suco.
Reciclagem e incorpora o de nutrientes ao solo pelo cultivo intercalar de adubos verdes em pomar de laranjeira-'Pêra'  [cached]
SILVA JOSé ANTONIO ALBERTO DA,VITTI GODOFREDO CESAR,STUCHI EDUARDO SANCHES,SEMPIONATO OTáVIO RICARDO
Revista Brasileira de Fruticultura , 2002,
Abstract: O experimento de campo foi conduzido na Esta o Experimental de Citricultura de Bebedouro-SP (EECB), visando a avaliar a produ o de matérias verde e seca e quantidade de nutrientes incorporados ao solo pelo cultivo intercalar de Crotalaria juncea, Crotalaria spectabilis, Cajanus cajan, Mucuna aterrima, Mucuna deeringiana, Dolichos labe-labe e Canavalia ensiformis, nos anos agrícolas de 1989/90, 90/91, 91/92 e 92/93, em pomar de laranjeira-'Pêra' (Citrus sinensis L. Osbeck), enxertada sobre tangerineira-'Cleópatra' (Citrus reshi Hort.), plantada em maio de 1987 e espa adas de 7x5 m, num Latossolo Vermelho-Escuro. A produtividade média das espécies plantadas sem aduba es e cultivos pós-semeadura, nos quatro anos de estudo, foram: 6,55; 1,23; 3,42; 1,78; 1,75; 1,61 e 3,03 t/ha de matéria seca, respectivamente, considerando plantio apenas na área intercalar de citros (50% da área total). A análise química do material seco revelou a incorpora o de volume considerável de N, P2O5, K2O, Ca, Mg, S, B, Cu, Fe, Mn e Zn pelas leguminosas, onde podemos considerar que parte do N é proveniente da fixa o simbiótica do N2 atmosférico pelas leguminosas e o restante e demais nutrientes provenientes do importante processo de reciclagem de nutrientes do solo, que s o absorvidos pelas leguminosas das camadas subsuperficiais e incorporados na superfície do solo, onde estar o novamente disponíveis às plantas cítricas. A C. juncea foi a espécie que se destacou como maior produtora de biomassa e incorporadora de nutrientes, seguida pelo C. cajan e C. ensiformis.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.