oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Alojamento conjunto e parto cesáreo em maternidades do Estado do Rio de Janeiro, Brasil  [cached]
Oliveira Maria Inês C. de,Leal Maria do Carmo
Revista de Saúde Pública , 1997,
Abstract: OBJETIVO: Conhecer a existência de alojamento conjunto (AC) nos hospitais que possuem leitos obstétricos da rede pública e conveniada do Estado do Rio de Janeiro e verificar se o AC guarda associa o com outro indicador de qualidade de assistência que tem influência sobre o aleitamento materno: as taxas de cesárea (TC) praticadas por esses hospitais. METODOLOGIA: Procedeu-se a um levantamento sobre a existência de AC através de questionário enviado às Secretarias Municipais de Saúde, informa o validada por inquérito telef nico. As TC foram obtidas junto à Secretaria Estadual de Saúde-RJ. Foi utilizada a raz o de prevalência para a medida da associa o entre as variáveis. RESULTADOS: Foi encontrada uma propor o de 65,2% das maternidades com AC, no Estado. Verificou-se rela o direta entre a presen a de AC e baixas taxas de cesárea no conjunto dos hospitais, porém essa associa o n o se confirmou com o mesmo peso em todas as regi es. A menor propor o de hospitais com AC foi verificada no cintur o metropolitano (44,2%), enquanto a maior propor o de hospitais com elevadas taxas de cesárea está no interior (73,1%).
Associa o entre a remunera o da assistência ao parto e a prevalência de cesariana em maternidades do Rio de Janeiro: uma revis o da hipótese de Carlos Gentile de Mello  [cached]
Gentile Francisco de Paula,Noronha Filho Gerson,Cunha Alfredo de Almeida
Cadernos de Saúde Pública , 1997,
Abstract: O objetivo do presente estudo foi comparar a prevalência de cesarianas em nove maternidades privadas, localizadas no Município do Rio de Janeiro nos anos de 1968 e 1993, procurando correlacionar a forma de pagamento com a prevalência de cesariana. Foram analisados 3.413 partos ocorridos em 1968 em nove maternidades que utilizavam a remunera o denominada "Regime de pagamento por unidade de servi o". Vinte e cinco anos depois, estas maternidades foram reanalisadas, apresentando um total de 11.065 partos. Estes dados tiveram como fonte Gentile de Mello (1969) e o Relatório do Sistema de Informa es de Nascidos Vivos da Secretaria Municipal de Saúde do Ria de Janeiro. Foi feita uma análise estatística da propor o de cesáreas nas duas épocas. Verificou-se um aumento estatisticamente significativo na prevalência de cesariana em 1993 em rela o ao ano de 1968, apesar de haver igualdade (ou muito próximo a isso) no valor do pagamento pela assistência ao parto. O fim do regime de pagamento por unidade de servi o e a igualdade no valor pago pelo parto vaginal ou cesáreo n o foram suficientes para a diminui o da prevalência de cesariana. Sugerimos que a forma de remunera o n o determina isoladamente a elevada prevalência de cesárea, havendo outras variáveis influenciando tal fen meno.
Fatores associados à morbi-mortalidade perinatal em uma amostra de maternidades públicas e privadas do Município do Rio de Janeiro, 1999-2001  [cached]
Leal Maria do Carmo,Gama Silvana Granado Nogueira da,Campos M?nica Rodrigues,Cavalini Luciana Tricai
Cadernos de Saúde Pública , 2004,
Abstract: Este estudo compara os fatores sócio-demográficos, características biológicas das m es e a qualidade da assistência prestada em maternidades do Município do Rio de Janeiro. Participaram da amostra 10.072 gestantes que se hospitalizaram para o parto em 47 institui es selecionadas, no período 1999-2001. Dados foram coletados de entrevistas com as m es no pós-parto e de consulta aos prontuários médicos. Utilizou-se o teste chi2 para analisar a homogeneidade das propor es. S o diferenciadas as condi es de vida, de aten o ao parto e nascimento no Município do Rio de Janiero, sendo mais favoráveis no grupo social que utiliza os servi os de saúde das maternidades privadas, embora persistindo ali uma excessiva propor o de cesáreas e de transferência de recém-nascidos. O estrato composto pelas maternidades federais e municipais recebe a clientela materna e infantil com maior morbi-mortalidade, oferece acompanhamento de familiares na interna o, obtendo das m es uma avalia o da aten o recebida mais positiva do que o outro segmento do SUS. As maternidades do estrato 2, representadas majoritariamente pelas institui es particulares conveniadas com o SUS, s o as que mais recusam parturientes, produzindo um retardo no acompanhamento do trabalho de parto.
O acesso à assistência ao parto para parturientes adolescentes nas maternidades da rede SUS
Barbastefano, Patrícia Santos;Girianelli, Vania Reis;Vargens, Octavio Muniz da Costa;
Revista Gaúcha de Enfermagem , 2010, DOI: 10.1590/S1983-14472010000400014
Abstract: the study aimed at identifies the factors that interfere in the accessibility of pregnant woman to the attendance of childbirth in the health system in the city of rio de janeiro, brazil. it is quantitative study, with traverse and observational design, accomplished at maternities of health system, through structured interview. the sample was constituted of 328 adolescent during post partum. data were organized in a database, for subsequent analysis, done with the software epi info version 6.03. the prevalence reason was used as association measure. the results evidenced that 40.5% of the adolescents were black; 54.9% had fundamental teaching; 91.5% had had prenatal attendance. the access was considered unsatisfactory for 36.6% of them, and 20.7% went to more than one maternity for giving birth. it was concluded that the attendance to the pregnant adolescent still needs some adjustments, in order to favor their access to the services of attendance to childbirth.
Fatores associados à assistência pré-natal precária em uma amostra de puérperas adolescentes em maternidades do Município do Rio de Janeiro, 1999-2000  [cached]
Gama Silvana Granado Nogueira da,Szwarcwald Célia Landmann,Sabroza Adriane Reis,Castelo Branco Viviane
Cadernos de Saúde Pública , 2004,
Abstract: Caracterizou-se o perfil das gestantes com pré-natal precário, segundo variáveis sócio-demográficas, história reprodutiva da m e, apoio familiar, satisfa o com a gesta o e comportamentos de risco durante a gravidez. Foram entrevistadas 1.967 adolescentes no pós-parto imediato de maternidades públicas, conveniadas com o SUS e particulares no Município do Rio de Janeiro. A variável dependente foi o número de consultas de pré-natal (0-3; 4-6; 7 e mais). A análise estatística testou a hipótese de homogeneidade de propor es mediante análises bi e multivariada, com o uso de regress o logística multinomial, cuja categoria de referência da variável-resposta foi a realiza o de > 7 consultas. Foram encontradas maiores propor es de 0-3 consultas nos grupos de m es com grau de escolaridade < 4a série do ensino fundamental; que n o têm água encanada; n o vivem com o pai do bebê; tiveram nascidos vivos anteriores; n o ficaram satisfeitas com a gesta o; n o tiveram apoio do pai do bebê; tentaram interromper a gesta o e as que fumaram, beberam e/ou usaram drogas durante a gesta o. Pode-se concluir que as m es com piores condi es de vida e comportamentos de risco na gravidez foram as que mais ficaram à margem da assistência pré-natal.
Qualidade da aten??o ao parto em maternidades do Rio de Janeiro
d'Orsi,Eleonora; Chor,Dóra; Giffin,Karen; Angulo-Tuesta,Antonia; Barbosa,Gisele Peixoto; Gama,Andrea de Souza; Reis,Ana Cristina; Hartz,Zulmira;
Revista de Saúde Pública , 2005, DOI: 10.1590/S0034-89102005000400020
Abstract: objective: to evaluate the quality of birth care based on the world health organization guidelines. methods: a case-control study was carried out in a public and a private maternity hospitals contracted by the brazilian health system in the city of rio de janeiro, brazil, from october 1998 to march 1999. the sample comprised 461 women in the public maternity hospital (230 vaginal deliveries and 231 cesarean sections) and 448 women in the private one (224 vaginal deliveries and 224 cesarean sections). data was collected through interviews with puerperal women and review of medical records. a summarization score of quality of delivery care was constructed. results: there was low frequency of practices that should be encouraged, such as having an accompanying person (1% in the private hospital for both vaginal delivery and c-sections), freedom of movements throughout labor (9.6% of c-sections in the public hospital and 9.9% of vaginal deliveries in the private hospital) and breastfeeding in the delivery room (6.9% of c-sections in the public hospital and 8.0% of c-sections in the private hospital). there was a high frequency of known harmful practices such as enema administration (38.4%); routine pubic shaving; routine intravenous infusion (88.8%); routine use of oxytocin (64.4%), strict bed rest throughout labor (90.1%) and routine supine position in labor (98.7%) in vaginal deliveries. the best summarizing scores were seen in the public maternity hospital. conclusions: the two maternity hospitals have a high frequency of interventions during birth care. in spite of providing care to higher risk pregnant women, the public maternity hospital has a less interventionist profile than the private one. procedures carried out on a routine basis should be pondered based on evidence of their benefits.
Alojamento conjunto e parto cesáreo em maternidades do Estado do Rio de Janeiro, Brasil
Oliveira,Maria Inês C. de; Leal,Maria do Carmo;
Revista de Saúde Pública , 1997, DOI: 10.1590/S0034-89101997000700005
Abstract: objective: to disclose the existence of rooming-in (ri) in public and government contracted private hospitals that offer obstetric beds, in the state of rio de janeiro, brazil, and to examine whether there is any association between ri and another quality care indicator which influences breastfeeding, namely the rate of cesarean section operations performed in these hospitals. method: a survey was made of the existence of ri through a questionnaire sent to the municipal health offices, the information collected being confirmed by telephone with each maternity hospital. the c-section rate data was obtained from the rio de janeiro state health office and divided into 2 groups: "below 40%" and "40% and above". the prevalence ratio was applied to the measurement of the association between the variables. results: a rooming-in rate of 65.2% was found for the state as a whole, with regional variations: a better situation in the capital (84.8%), an intermediate one in the interior (69.9 %), and a worse one in the metropolitan belt (44.2%). the public maternity hospitals revealed a higher rate (89.7%) than that of the government contracted private hospitals (53.3%). a direct relation between the practice of ri and low c-section rates was found in the hospitals. however, this association did not present the same weight in all regions of the state. the lowest proportion of hospitals adopting ri was verified in the metropolitan belt, whereas the highest relative number of hospitals with high c-section rates was observed in the interior. conclusion: it is concluded that to reverse the observed status, government authorities must fulfil their gerencial role within their own health system, as well as in the government contracted private hospitals.
Discrimina o positiva para acesso e atendimento em aten o primária à saúde e repercuss es no perfil de clientela: estudo com mulheres de maior vulnerabilidade à exclus o social em S o Paulo.  [cached]
Marta Campagnoni Andrade,Cláudia Renata dos Santos Barros,Lilia Blima Schraiber
Psicología, Conocimiento y Sociedad , 2010,
Abstract: Estuda-se o impacto no perfil da clientela feminina de servi o de aten o primária à saúde, devido a a es específicas de inclus o assistencial para grupos populacionais de maior vulnerabilidade à exclus o social. Trata-se de moradoras de rua, de favela e profissionais do sexo que possuem dificuldades de acesso e de vincula o à aten o rotineiramente oferecida nos servi os. Investigou-se o Centro de Saúde Escola Barra Funda (CSEBF), pertencente à rede pública do sistema de saúde brasileiro (SUS) e que além do funcionamento usual do SUS, desenvolve política de a o afirmativa para aqueles grupos. Foram estudadas algumas características sociais, demográficas, de saúde sexual e reprodutiva e a prevalência de violência por parceiro íntimo, entre usuárias do CSEBF. Aplicou-se questionário por entrevista face-a-face a 481 mulheres de 15 a 49 anos, sendo 199 usuárias com discrimina o positiva (CDP), das quais 70 profissionais do sexo, 64 moradoras de rua e 65 moradoras de favela, e 292 usuárias sem discrimina o positiva (SDP). Os resultados apontam diferen as significativas entre ambos subconjuntos de usuárias quanto à idade, escolaridade, condi o sócio-econ mica, início da vida sexual, abortamento, gravidez, violência por parceiro íntimo e percep o de violência, mostrando que a política de inclus o permite acolher usuárias com necessidades de saúde diferenciadas que sem a discrimina o positiva restariam invisíveis para o sistema de saúde. Conclui-se que grupos mais vulneráveis à exclus o social requerem políticas protetoras para serem usuários mesmo em sistemas como o SUS, que por lei dá direito a acesso universal à assistência em saúde.
Mortes perinatais e avalia o da assistência ao parto em maternidades do Sistema único de Saúde em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 1999  [cached]
Lansky S?nia,Fran?a Elisabeth,César Cibele Comini,Monteiro Neto Luiz Costa
Cadernos de Saúde Pública , 2006,
Abstract: Este trabalho analisa a associa o entre a morte perinatal e o processo de assistência hospitalar ao parto, considerando-se que grande parte das mortes perinatais pode ser prevenível pela aten o qualificada de saúde e que a avalia o da qualidade da assistência perinatal ao parto é necessária para a redu o da morbi-mortalidade perinatal. Realizou-se estudo caso-controle de base populacional dos óbitos perinatais (n = 118) e nascimentos (n = 492), ocorridos em maternidades do Sistema único de Saúde (SUS) de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Sexo masculino, prematuridade, doen as na gravidez, baixo peso ao nascer, doen as do recém-nascido, n o realiza o de pré-natal, n o utiliza o de partograma e menos de uma avalia o fetal por hora durante o trabalho de parto apresentaram associa o estatisticamente significativa com o óbito perinatal. No modelo de regress o logística múltipla, n o utiliza o do partograma durante o trabalho de parto e tipo de maternidade apresentaram-se como fatores de risco independentes para a morte perinatal. O estudo indica que é deficiente a qualidade da assistência hospitalar ao parto e que aspectos da estrutura dos servi os e do processo de assistência relacionam-se com a mortalidade perinatal por causas evitáveis.
Hipovitaminose A em recém-nascidos em duas maternidades públicas no Rio de Janeiro, Brasil  [cached]
Ramalho Rejane Andréa,Anjos Luiz Antonio dos,Flores Hernando
Cadernos de Saúde Pública , 1998,
Abstract: O estado nutricional de vitamina A foi avaliado, através dos níveis de retinol no sangue do cord o umbilical, em 253 recém-nascidos assistidos em duas maternidades públicas do Município do Rio de Janeiro. Independentemente da idade gestacional e do peso ao nascer, a prevalência de valores baixos de retinol (< 1,05 μmol/l) foi elevada (55,7%). Em crian as com baixo peso, essa prevalência chegou a 68,7%. Confirmando uma série de observa es de outros autores, n o se observou qualquer associa o entre estado nutricional, avaliado antropometricamente, e níveis de retinol. Os resultados mostram que, na amostra investigada, a prevalência de hipovitaminose A nos recém-nascidos é comparável às cifras que se encontram nas regi es mais pobres do mundo, e sugerem a necessidade de se prestar especial aten o a esse grupo populacional por ser, entre os grupos de risco, o mais vulnerável aos efeitos deletérios da carência marginal de vitamina A, em raz o do rápido crescimento nos primeiros meses de vida.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.