oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
A Súdita do Senhor dos Milagres e os Bastidores da Festa de Passos em Sergipe (The subjects of the Lord of Miracles and the backstage Party Steps into Sergipe) - DOI: 10.5752/P.2175-5841.2011v9n20p114
Magno Francisco de Jesus Santos
Horizonte : Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religi?o , 2011, DOI: 10.5752/p.2175-5841.2011v9n20p114
Abstract: Todos os anos, no segundo final de semana da quaresma é realizada em S o Cristóv o a mais importante manifesta o festiva católica de Sergipe. Trata-se da Festa de Passos, que reúne romeiros dos mais variados municípios sergipanos, com pagamento de promessas, práticas penitenciais e conflitos. Ao longo do século XX um nome importante que participou ativamente dos bastidores da solenidade foi o de Maria Paiva Monteiro, professora, religiosa, madrinha dos cristovenses e considerada a guardi da memória da romaria dos Passos. Nesse artigo o foco central é compreender a trajetória de vida da beata Marinete e seu envolvimento com os bastidores da romaria dos Passos. A devota do Senhor dos Passos participou de diferentes momentos da romaria e o seu testemunho oral é revelador sobre os importantes impasses que permearam a celebra o, assim como sobre a devo o das famílias cristovenses ao Senhor dos Passos. Desvendar a sua trajetória biográfica incumbe em revelar fontes orais significantes sobre a Festa de Passos, marcadas pelas experiências de uma tradicional família católica de S o Cristóv o. Palavras-chave: romaria; Sergipe; festa; memória. Abstract The Subject of the Lord of Miracles and the Backstage Party Steps in Sergipe Every year, in the second weekend of Lent is held in S o Cristóv o the most important Catholic festival in Sergipe. This is the Feast of Steps, which brings pilgrims from many different municipalities in Sergipe, with payment of promises, penitential practices and conflicts. Throughout the twentieth century an important person that actively participated in the scenes of such ceremony was Maria Paiva Monteiro who was a teacher, a religious woman, and the godmother of S o Cristóv o devotees. She was considered for these devotees the guardian of the memory of the pilgrimage of the Steps. In this article the main focus is to understand the scenes of the Stations of the pilgrimage from the life trajectory of the blessed Marinete. The devotee of the Lord of the Steps involved in different stages of the pilgrimage and his oral testimony is revealing about the important dilemmas and conflicts that permeated the celebration. In To unveil blessed Marinete biography, it is necessary to in reveal significant oral sources on the Feast of steps, marked by the experiences of a traditional Catholic family in S o Cristóv o. Keywords: pilgrimage; Sergipe; oral sources; party; memory.
APROVEITAMENTO DA CASCA DE MELANCIA (Curcubita citrullus, Shrad) NA PRODU O ARTESANAL DE DOCES ALTERNATIVOS*  [cached]
A. F. SANTANA,L. F. DE OLIVEIRA
Alimentos e Nutri??o , 2009,
Abstract: A melancia, botanicamente classificada como Curcubita citrullus, Shrad origin ria da ndia. Devido ao seu alto teor de gua, ideal para ser consurnida no per -odo de calor intenso, mais propriamente no ver £o. Por ser um fruto que produz consider vel quantidade de res -duos n £o comest -veis, o presente trabalho objetivou aproveitar as cascas da melancia para a produ § £o artesanal de doces alternativos. Os resultados mostraram que os doces cremosos e em calda com e sem adi § £o de coco, obtiveram excelente aceitabilidade entre os consumidores adultos e crian §as. PALAVRAS-CHAVE: Melancia; cascas; doces crernosos; doces em calda.
Efeitos da intera o de potyvirus em híbridos de meloeiro, variedades de melancia e abobrinha  [cached]
Ramos Najara F.,Lima J. Albérsio A.,Gon?alves M. Fátima B.
Fitopatologia Brasileira , 2003,
Abstract: Em raz o da freqüente ocorrência de infec o mista, na natureza, o presente trabalho objetivou estudar o efeito da intera o de diferentes espécies de potyvírus em meloeiro (Cucumis melo), melancia (Citrullus lanatus) e abobrinha (Cucurbita pepo). Foram usados os seguintes vírus da família Potyviridae, gênero Potyvirus: Papaya ringspot virus (PRSV); Watermelon mosaic virus, (WMV) e Zucchini yellow mosaic virus, (ZYMV). Os efeitos na sintomatologia das infec es duplas e simples de PRSV, WMV e ZYMV foram avaliados em três híbridos de meloeiro, duas variedades de melancia e abobrinha 'Caserta', em experimentos de casa de vegeta o. Os três vírus, isoladamente ou em todas as duplas combina es possíveis, foram inoculados, em plantas dos híbridos de meloeiro Hy Mark, Gold Mine e Orange Flesh, variedades de melancia Crimson Sweet e Charleston Gray e abobrinha 'Caserta', usando-se dez plantas de cada híbrido ou variedade, por combina o de vírus. As inocula es foram efetuadas por meio de extratos de folhas com infec o simples dos respectivos vírus. As plantas inoculadas com cada vírus isoladamente e suas respectivas combina es foram observadas quanto ao aparecimento de sintomas durante 30 dias após as inocula es. Amostras foliares das plantas inoculadas foram, também, testadas por ELISA indireto contra os anti-soros correspondentes para cada vírus. As infec es duplas em meloeiro, melancia e abobrinha revelaram, através da avalia o sintomatológica, que existem intera es sinérgicas entre PRSV, WMV e ZYMV. As infec es duplas envolvendo o ZYMV apresentaram alta severidade, exibindo sintomas n o encontrados em infec es simples, apesar da severidade nas infec es isoladas do ZYMV.
Festa da Ouri ada e devo o a Santa Luzia na praia de Suape-PE: express o sincrética e simbólica da biodiversidade e do território de pescadores artesanais (Sea Urching Festival and the devotion to Santa Lucia, on the beach of Suape, Pernambuco).  [cached]
Juana de Oliveira Santos,Maristela Oliveira de Andrade
Horizonte : Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religi?o , 2013, DOI: 10.5752/5326
Abstract: Festa da Ouri ada e devo o a Santa Luzia na praia de Suape-PE: express o sincrética e simbólica da biodiversidade e do território de pescadores artesanais (Sea Urching Festival and the devotion to Santa Lucia, on the beach of Suape, Pernambuco) - DOI: 10.5752/P.2175-5841.2013v11n30p545 Este artigo busca compreender o simbolismo da Festa da Ouri ada em sua fus o com a Festa de Santa Luzia, realizada todo dia de 13 de dezembro, enquanto manifesta o da cultura e da religiosidade popular de uma comunidade de pescadores artesanais. Essas festas s o protagonizadas há várias gera es pela popula o que habita a baía de Suape, cujo território é disputado pelo Complexo Industrial do Porto de Suape, o que tem provocado graves impactos ambientais sobre a biodiversidade da área com prejuízo das atividades pesqueiras. Como metodologia optou-se pelo estudo etnográfico com uso da observa o participante e entrevistas com ênfase na história de vida, combinado com pesquisa bibliográfica e documental. Ainda considerou-se a memória narrativa como composta por “símbolos que demarcam a identidade de um grupo social” (TEDESCO, 2002), explicitando elementos como “rela es sociais, seus vínculos de pertencimento, o significado da natureza biofísica nas suas vidas e o conflito socioambiental vivenciado” (SOUZA, 2009). Palavras-chave: Catolicismo popular. Conflitos territoriais. Simbolismo. Biodiversidade. Abstract This article aims to understand the symbolism of the Sea Urchin Festival connected with the Saint Luzia Festival, celebrated on December 13, as a cultural and popular religiosity manifestation from a fishermen community. These festivals belong to the people that inhabits the Suape Bay but whose territory is still been disputed by the Industrial Complex of Suape Port that has caused serious environmental impacts over the local biodiversity, thus threatening the fishing activity. The methodology of this research is an ethnographic study that uses the participant observation and interviews with special emphasis on life story, as well as literature and documents. The methodology took into account also the memory narrative composed of “symbols that mark the identity of a social group”. (TEDESCO, 2002), highlighting elements as “social relationship, their ties of belonging, the nature of biophysical meaning into their lives and the environmental conflicts experienced” (SOUZA, 2009). Keywords: Popular Catholicism. Territorial conflicts. Symbolism. Biodiversity.
Festa dentro da Festa: Recorrências do modelo festivo do circuito bregueiro no Círio de Nazaré em Belém do Pará  [cached]
Antonio Maurício Dias da Costa
Campos - Revista de Antropologia Social , 2006,
Abstract: Ao considerar a forma como se apresenta atualmente o Círio de Nazaré, ponto alto do calendário festivo anual de Belém, torna-se visível a presen a nos seus interstícios de um modelo festivo consolidado histórica e espacialmente na cidade desde o início dos anos 80: o circuito das festas de brega. Conjugando a atua o empresarial (dos donos das casas de festa e de empresas de sonoriza o) ao mundo festivo e de lazer dos bairros periféricos da cidade, o circuito das festas de brega se faz presente na órbita ou mesmo se aproxima do interior do grande evento religioso. Este texto busca discutir as formas pelas quais as “festas de brega” têm se adequado à dinamica da Festa de Nazaré, considerando sua abrangência física e simbólica na cidade. O artigo sugere que a experiência festiva do público do circuito bregueiro se associa à prática festiva dos grandes eventos urbanos, reinventando o sentido do “festejar típico” da popula o de Belém.
FESTA CATóLICO-CARISMáTICA E PENTECOSTAL: CONSUMO E ESTéTICA NA RELIGIOSIDADE CONTEMPOR NEA  [PDF]
Emerson Sena da Silveira
Revista Brasileira de História das Religi?es , 2011,
Abstract: Este artigo discute as rela es entre religi o, consumo e estética a partir de dois estudos de caso na cidade de Juiz de Fora, no estado de Minas Gerais, Brasil. Pretende, ainda, refletir sobre duas singulares manifesta es festivas de importantes movimentos no campo religioso do Brasil: a renova o carismática católica e o pentecostalismo. Procura debater o caráter lúdico atrelado ao consumo/artifício, estabelecendo continuidades/descontinuidades com a modernidade/pós-modernidade. A festa carismática e a pentecostal colocariam em circula o determinadas categorias do universo sagrado, expressando valores de uma vivência comunitária e, ao mesmo tempo, individual. Assim, no pentecostalismo e na renova o carismática católica, as continuidades e descontinuidades poderiam constituir, simultaneamente, doxas e estéticas. Esse processo aproxima a religi o e os modos modernos e pós-modernos de concep o da vida social.
Estratégias do membro da família prestador de cuidados face às manifesta es de confus o do seu familiar Estrategias del miembro de la familia prestador de cuidados ante las manifestaciones de confusión de su familiar Family member strategies to deal with confusional manifestations by the care recipient  [cached]
Joana Sousa,Abel Silva,Paulo Marques
Revista de Enfermagem Referência , 2011,
Abstract: Estudo realizado com o objetivo de identificar as manifesta es de Confus o Aguda (CA) que os doentes apresentam em casa, e as estratégias utilizadas pelo Membro da Família Prestador de Cuidados (MFPC) para lidar com essas manifesta es. Face a essas inten es, utilizou-se uma estratégia metodológica em duas fases, uma primeira em ambiente hospitalar, recorrendo se a uma abordagem quantitativa e uma segunda em casa, suportada na metodologia do estudo de caso. Para a identifica o dos elementos da amostra, num primeiro momento foi aplicada a Neecham Confusion Scale (NCS) aos doentes internados numa institui o hospitalar, tendo-se averiguado, um mês após a alta, o destino dos que apresentaram Confus o Aguda (CA). Constatou-se, ent o, que apenas 17,3% dos doentes, regressaram a casa. Destes, após avalia o com a NCS, selecionaram se aqueles que ainda mantinham confus o, para efetuar uma entrevista semiestruturada aos seus MFPC com o intuito de responder aos objetivos de estudo. Do discurso dos participantes emergiram três categorias relativas às manifesta es de confus o: altera es psicomotoras; orienta o e comportamento social inapropriado; e duas respeitantes às estratégias: estratégias n o farmacológicas e estratégias farmacológicas. Além destas foi referenciada pelos MFPC, incapacidade de agir. S o necessários outros estudos, em amostra maior, para uma melhor compreens o da problemática. Estudio realizado con el objetivo de identificar las manifestaciones de Confusión Aguda (CA) que los enfermos presentan en casa y las estrategias utilizadas por el Miembro de la Familia Prestador de Cuidados (MFPC) para lidiar con estas manifestaciones. Ante esas intenciones, se utilizó una estrategia metodológica en dos fases, la primera en ambiente hospitalario, recurriéndose a un enfoque cuantitativo y la segunda en casa, apoyada en la metodología del estudio de caso. Para la identificación de los elementos de la muestra, en primer lugar fue aplicada la escala de Neecham Confusion Scale (NCS) a los enfermos internados en una institución hospitalaria, habiendo, tras un mes del alta, averiguado el destino de los que presentaron Confusión Aguda (CA). Se constató entonces que apenas 17,3% de los enfermos, regresaron a casa. De estos, tras evaluación con la NCS, se seleccionaron aquellos en los que aún persistía el estado de confusión para efectuar una entrevista semi-estructurada a sus MFPC con el intuito de responder a los objetivos del estudio. Del discurso de los participantes emergieron tres categorías relativas a las manifestaciones de confusión: alteraciones psi
Manifesta es estomatológicas da paracoccidioidomicose  [cached]
Bisinelli Júlio C.,Telles Flávio Q.,A. Sobrinho Josias,Rapoport Abr?o
Revista Brasileira de Otorrinolaringologia , 2001,
Abstract: Forma de estudo: Retrospectivo clínico. Material e método: Para elabora o da presente pesquisa, foi realizada a revis o de 187 prontuários médicos de pacientes provenientes do Servi o de Infectologia do Ambulatório de Micoses Profundas do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná em Curitiba-PR, no período de maio de 1985 a mar o de 1998. Os objetivos foram tra ar o perfil epidemiológico, descrevendo as manifesta es estomatológicas encontradas na amostra, discutir sobre os achados encontrados estabelecendo compara es com a literatura pertinente, observar possíveis mudan as e se estas s o significativas, bem como observar a sensibilidade dos corantes que foram usados na histopatologia (HE, PAS e GROCOTT) em 20 laminas. Foi estabelecido um protocolo prévio, para obten o de dados, referentes à epidemiologia da doen a, como as manifesta es orais, descrevendo o tipo e localiza o destas les es. Nos resultados encontrados, o sexo, a idade, a naturalidade, a procedência e a profiss o dos pacientes foram fatores determinantes na descri o do perfil epidemiológico e demográfico da amostra estudada (187 casos), comparada com a literatura pertinente. Resultado: A avalia o dos resultados evidenciou mudan as pouco significativas em rela o à epidemiologia da doen a. E ficou bem evidenciada, também, a exuberancia nas manifesta es orais da doen a, que s o muito comuns e com freqüência levam à piora do estado geral do paciente ou mesmo à manuten o da doen a, pela dificuldade de alimenta o que aumenta a imunossupress o. Da amostragem dos 187 pacientes revista por este estudo, 167 (89,3%) eram do sexo masculino e 20 (10,7%) do feminino. Em rela o à idade, 75 (40,1%) est o entre 41 e 50 anos, destacando-se alguns aspectos: 81 pacientes (43,3%) eram agricultores, sendo que 93 (49,7%) eram oriundos do interior do Paraná. A perda de peso foi relatada em 72 (17,22%) das 418 queixas, seguidas de dispnéia. Em rela o à forma da les o, 85 (41,46%) dos pacientes n o apresentavam les es visíveis. Naqueles em que as les es eram visíveis, as mais comuns foram a ulcerada e a granulomatosa, seguida esta da moriforme. O local com maior incidência de les es foi a regi o de lábios, seguida de orofaringe e de palato duro; foi também observado o aparecimento de mais de um tipo de les o em um mesmo paciente. Dos 187 pacientes, cinco (2,65%) apresentavam tuberculose concomitantemente, e 140 (72,54%) n o apresentavam linfonodos palpáveis. Dos pacientes 127 (67,92%) negaram fazer uso de bebida alcoólica, e 117 (62,57%) eram tabagistas. O envolvimento pulmonar foi predomi
Estratégias ótimas de irriga o para a cultura da melancia  [cached]
Andrade Júnior Aderson Soares de,Frizzone José Antonio,Bastos Edson Alves,Cardoso Milton José
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2001,
Abstract: O trabalho teve como objetivo determinar estratégias ótimas de irriga o para a cultura da melancia (Citrullus lanatus Thumb. Mansf.), considerando a água como fator limitante da produ o e diferentes valores para o pre o do produto e custos da energia elétrica. Utilizou-se uma fun o de produ o quadrática e fun o de custo linear obtidas para as condi es edafoclimáticas dos Tabuleiros Costeiros do Piauí. A irriga o com déficit proporcionou as maiores rendas líquidas, com significativa economia de água, no intervalo de varia o de pre os do produto de US$ 0,05 kg-1 a US$ 0,35 kg-1, nas três formas de tarifa o da energia elétrica. Acima desse intervalo, deve-se utilizar a lamina que maximiza a produ o de frutos.
Seletividade e eficiência agron mica de herbicidas no controle de capim-colch o na cultura da melancia
Maciel Cleber D.G.,Constantin Jamil,Goto Rumy
Horticultura Brasileira , 2002,
Abstract: Foi avaliada a seletividade e a eficiência agron mica dos herbicidas clethodim e sethoxydim, no controle de Digitaria horizontalis (capim-colch o) na cultura da melancia (cv. Crimson Sweet). O experimento foi conduzido em campo, no município de Floresta, PR, em 1995/96, em delineamento de blocos ao acaso, com quatro repeti es. Os tratamentos avaliados foram clethodim nas doses de 84; 96 e 108 g i.a./ha adicionado de 1,0 L/ha de óleo mineral (Dytrol), sethoxydim na dose de 230 g i.a./ha adicionado de 1,0 L/ha de óleo mineral (Assist) e testemunhas com e sem capina. Os herbicidas foram aplicados em pós-emergência, quando a melancia apresentava ramas com 1,4 m e a D. horizontalis em estádio de três folhas a três perfilhos e densidade de 240 plantas/m2. Para a aplica o dos herbicidas utilizou-se pulverizador costal de press o mantida por inje o de CO2, equipado com pontas de jato plano XR110.02 e volume de calda de 200 L/ha. As avalia es de seletividade (Escala E.W.R.C.) e controle das plantas daninhas (0 - 100%) foram efetuadas aos 7; 15 e 30 dias após aplica o dos tratamentos. Os resultados indicaram que o herbicida clethodim, a partir de 96 g i.a./ha, controlou eficientemente a D. horizontalis, sendo estatisticamente superior ao herbicida sethoxydim e à testemunha sem capina. Nenhum dos tratamentos químicos causou fitotoxicidade que afetasse o desenvolvimento e a produ o da melancia. A D. horizontalis interferiu no desenvolvimento da cultura, causando redu o média de 36,0% da produ o da melancia.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.