oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Eficiência da irriga o em rendimento de gr os e matéria seca de milho
Bergonci Jo?o Ito,Bergamaschi Homero,Santos Antonio Odair,Fran?a Solange
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2001,
Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência da irriga o e o efeito do déficit hídrico sobre o rendimento de gr os e o acúmulo de matéria seca da parte aérea de uma cultura de milho. O experimento foi conduzido na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Eldorado do Sul, RS, durante quatro anos agrícolas, de 1993/94 a 1996/97. Utilizando um delineamento experimental em faixas com aspersores em linha, foram aplicados cinco níveis de irriga o, da capacidade de campo à ausência de irriga o. Os rendimentos de gr os foram crescentes com aumentos no nível de irriga o até 80% da dose necessária para a capacidade de campo; a máxima eficiência da irriga o foi obtida entre 60 e 80% e esteve associada a déficits hídricos durante o período crítico da cultura, alcan ando 40 kg ha-1 mm-1. Por outro lado, a maior eficiência da irriga o para produ o de matéria seca da parte aérea foi obtida com déficits hídricos prolongados durante o período de crescimento exponencial da cultura. Redu es no rendimento de gr os, causadas por déficit hídrico, estiveram relacionadas com a redu o do número de gr os por espiga e por metro quadrado, já que o peso médio de gr os n o foi afetado.
Efeito de bioprotetores em patógenos de sementes e na emergência e rendimento de gr os de milho  [cached]
LUZ WILMAR C.
Fitopatologia Brasileira , 2001,
Abstract: Um experimento de laboratório e dois de campo, conduzidos nas localidades de Passo Fundo, RS, e Pato Branco, PR, foram realizados com o objetivo de avaliar os efeitos da microbioliza o de sementes sobre os patógenos de sementes e sobre a germina o e rendimento de gr os de milho (Zea mays). Em laboratório, a maioria dos bioprotetores reduziu significativamente o nível de patógenos de sementes. Nos experimentos de campo, no ano de 1997, em Passo Fundo, RS, somente Trichoderma harzianum (T-22) melhorou significativamente a emergência e o rendimento de gr os do milho . Todos os bioprotetores melhoraram significativamente a emergência em Pato Branco (PR). Paenibacillus macerans (144), T. harzianum (T-22), Flavimonas oryzihabitans e Pseudomonas putida biótipo B também proporcionaram aumento significativo no rendimento de gr os em rela o à testemunha. O tratamento com T. harzianum proporcionou aumento significativo na emergência de plantulas e no rendimento de gr os de milho. Esse aumento foi de 615 kg/ha acima do rendimento da testemunha, sem tratamento.Em 1998, em Passo Fundo, P. macerans (144), F. oryzihabitans e Agrobacterium radiobacter proporcionaram os melhores aumentos na germina o. Com exce o de F. oryzihabitans e de Bacillus subtilis, todos os bioprotetores proporcionaram aumentos significativos no rendimento de gr os. Em Pato Branco, P. putida biótipo B 63, F. oryzihabitans e Pseudominas putida biótipo A (M 970841) proporcionaram as melhores germina es de sementes de milho. Paenibacilus macerans (144), T. harzianum (T-22), F. oryzihabitans, A. radiobacter e B. subtilis aumentaram significativamente o rendimento de gr os. A microbioliza o de sementes apresenta-se como uma alternativa tec nológica para o tratamento de sementes de milho no Brasil.
Crescimento inicial de milho e sua rela o com o rendimento de gr os  [cached]
Almeida Milton Luiz de,Sangoi Luís,Nava Itamar Cristiano,Galio Jonantam
Ciência Rural , 2003,
Abstract: Este trabalho foi conduzido objetivando identificar características morfo-fisiológicas de milho que se correlacionam com seu crescimento inicial, para determinar sua importancia no rendimento de gr os. O experimento foi conduzido no município de Lages, SC, nos anos agrícolas de 1998/99 e 1999/00. Em 1998/99 avaliaram-se os híbridos C901, AS 3601, C 505, AS 3466 e AS 32 e em 1999/00 os híbridos C909, AS 3601, DINA 500, AS 3466 e AS 32. Utilizou-se o delineamento de blocos ao acaso, com quatro repeti es. O crescimento inicial foi avaliado através de seis coletas semanais, da emergência até o estádio de dez folhas expandidas. Em cada coleta, determinou-se a área foliar, índice de área foliar (IAF), acúmulo de massa seca, taxa de crescimento celular (TCC) e taxa de expans o celular (TEC). O híbrido AS 3601 apresentou maior área foliar, IAF e TEC do que os demais híbridos em 1998/99. No segundo ano agrícola, o híbrido AS 3466 destacou-se dos demais em acúmulo de massa seca e TCC. N o foram registradas diferen as significativas no rendimento de gr os dos híbridos testados nas duas esta es de crescimento. Houve baixa correla o entre os parametros de crescimento inicial e o rendimento de gr os da cultura do milho. Já as variáveis utilizadas para estimar o crescimento inicial (MS, área foliar, TEC, IAF e TCC) se correlacionaram positivamente.
Identifica o de variáveis causadoras de erro experimental na variável rendimento de gr os de milho  [cached]
Cargnelutti Filho Alberto,Storck Lindolfo,Dal' Col Lúcio Alessandro
Ciência Rural , 2004,
Abstract: Dois experimentos bifatoriais de milho (cultivar x densidade) foram conduzidos em Santa Maria - RS, usando-se o delineamento blocos ao acaso com seis repeti es, durante o ano agrícola de 2000/2001. Foram avaliadas 30 cultivares de ciclo precoce e 16 de ciclo superprecoce em duas densidades de semeadura. O trabalho teve como objetivo verificar as variáveis fenológicas e morfológicas que interferem na magnitude do erro experimental do rendimento de gr os de milho. Foram estimadas a média e a variancia das variáveis rendimento de gr os, número de dias até pendoamento, estatura das plantas, estatura de inser o da primeira espiga, número de plantas e número de espigas, entre as seis repeti es para cada cultivar e densidade. Em cada experimento, estimaram-se as correla es lineares entre as variáveis e aplicou-se uma análise de trilha, verificando-se os efeitos diretos e indiretos das variáveis explicativas sobre a variável principal (variancia do rendimento de gr os). Concluiu-se que, para a redu o do erro experimental da variável rendimento de gr os de milho, a escolha de cultivares deve recair sobre as que têm maior homogeneidade de número de espigas e as que apresentam ciclo mais longo.
Rendimento de gr os de milho cultivado após aveia-preta em resposta a aduba o nitrogenada e regime hídrico
Bortolini Clayton Giani,Silva Paulo Regis Ferreira da,Argenta Gilber,Forsthofer Everton Leonardo
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2001,
Abstract: O rendimento de gr os de milho é influenciado pela disponibilidade de nitrogênio (N) no solo durante o ciclo de desenvolvimento da planta. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da aduba o nitrogenada em pré-semeadura e do regime hídrico no rendimento de gr os e nos componentes de rendimento em cultivo de milho sob semeadura direta após aveia-preta. O experimento foi conduzido em Eldorado do Sul, RS, no ano agrícola de 1998/99. Os tratamentos constaram da aplica o de um nível de irriga o adequado às exigências da cultura, e outro, com excesso hídrico; e de sete sistemas de aplica o de N em milho: 0-30-150, 150-30-0, 75-30-75, 0-30-60, 60-30-0, 30-30-30 e 0-30-0, correspondendo, respectivamente, às quantidades de N (kg ha-1) aplicadas em pré-semeadura (no momento de desseca o da aveia-preta), na semeadura e em cobertura do milho. Com a antecipa o da aplica o de N da cobertura para a época de pré-semeadura, o rendimento de gr os de milho foi menor em rela o ao obtido com a aplica o na época convencional, principalmente sob alta disponibilidade hídrica e com elevada dose de aduba o nitrogenada. O componente mais associado ao rendimento de gr os de milho foi o número de gr os por espiga.
Efeitos de épocas de aplica o de nitrogênio no rendimento de gr os do milho  [cached]
Silva Paulo Sérgio Lima e,Silva Paulo Igor Barbosa e
Pesquisa Agropecuária Brasileira , 2002,
Abstract: Um estudo foi realizado em dois anos, com irriga o por aspers o, para avaliar os efeitos da época de aplica o de 120 kg/ha de N (sulfato de am nio) no rendimento de gr os do milho. Utilizou-se o delineamento de blocos ao acaso, com cinco repeti es e os seguintes tratamentos: aplica o de todo o N por ocasi o do plantio (1-0-0), em cobertura, aos 25 (0-1-0) e aos 45 (0-0-1) dias após o plantio, e aplica o do N de forma parcelada (0-1/3-2/3, 1/3-0-2/3, 1/3-2/3-0, 0-1/2-1/2, 1/2-0-1/2, 1/2-1-/2-0, 0-2/3-1/3, 2/3-0-1/3, 2/3-1/3-0 e 1/3-1/3-1/3). O efeito de tratamentos foi independente do efeito de anos. O maior rendimento de gr os (4.960 kg/ha) foi obtido com o tratamento 0-1/3-2/3, mas todos os demais tratamentos propiciaram rendimentos comparáveis, exceto os tratamentos 1-0-0, 1/3-2/3-0 e 2/3-1/3-0, que apresentaram os menores rendimentos.
Rendimento de gr os de aveia branca (Avena sativa l.) em densidades de plantas e doses de nitrogênio  [cached]
Ceccon Gessi,Grassi Filho Hélio,Bicudo Sílvio José
Ciência Rural , 2004,
Abstract: O experimento foi realizado na Fazenda Experimental Lageado, Unesp Botucatu - SP, em um Nitossolo Vermelho distroférrico, em plantio direto sobre resteva de milho. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com quatro repeti es. As densidades de plantas (60, 120, 180, 240 e 300 plantas m2) constituíram as parcelas e as doses de N em cobertura (0, 20, 40, 60 e 80kg ha-1) constituíram as sub-parcelas. O objetivo do trabalho foi avaliar o rendimento de gr os de aveia branca cultivada em diferentes densidades de plantas e doses de N. Os resultados foram submetidos à análise de variancia (teste F), e as médias submetidas à regress o polinomial. Verificou-se intera o significativa para as variáveis avaliadas. O rendimento de gr os foi influenciado positivamente pelas densidades e doses de N. O número final de panículas foi influenciado pelas médias de densidades de plantas e doses de N e o número de gr os por panícula foi influenciado negativamente pelas densidades e positivamente pelas doses de N. A massa de mil gr os foi maior nas maiores densidades de plantas e nas doses intermediárias de N. Com redu o na densidade inicial de plantas, o rendimento de gr os esperado foi alcan ado com aumento na dose de N em cobertura. Com densidade normal de plantas e doses recomendadas de N em cobertura, o rendimento de gr os obtido foi maior que o esperado.
Rendimento de gr os de soja em fun o de diferentes sistemas de manejo de solo e de rota o de culturas  [cached]
Santos Henrique Pereira dos,Lhamby Julio Cesar Barreneche,Spera Silvio Tulio
Ciência Rural , 2006,
Abstract: O objetivo do presente trabalho foi avaliar sistemas de manejo de solo e de rota o de culturas sobre o rendimento de gr os e componentes do rendimento de soja durante seis anos. Foram comparados quatro sistemas de manejo de solo - 1) plantio direto, 2) cultivo mínimo, no inverno e semeadura direta, no ver o, 3) preparo convencional de solo com arado de discos, no inverno e semeadura direta, no ver o e 4) preparo convencional de solo com arado de aivecas, no inverno e semeadura direta, no ver o - e três sistemas de rota o de culturas: sistema I (trigo/soja), sistema II (trigo/soja e ervilhaca/milho ou sorgo) e sistema III (trigo/soja, ervilhaca/milho ou sorgo e aveia branca/soja). O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, com parcelas subdivididas e três repeti es. O rendimento de gr os e o peso de 1.000 gr os de soja cultivada sob plantio direto e sob cultivo mínimo foi superior ao de soja cultivada sob preparo convencional de solo com arado de discos e com arado de aivecas. A maior estatura de plantas de soja ocorreu no plantio direto. O rendimento de gr os de soja cultivada após trigo, no sistema II, foi superior ao de soja cultivada após aveia branca e após trigo, no sistema III, e após trigo, no sistema I. O menor rendimento de gr os, peso de gr os por planta de soja e peso de 1.000 gr os ocorreu quando em monocultura (trigo/soja).
Popula o de plantas e alguns atributos do solo relacionados ao rendimento de gr os de milho = Plant population and some soil attributes related to corn yield
Pedro Abel Vieira Junior,José Paulo Molin,Durval Dourado Neto,Paulo Augusto Manfron
Acta Scientiarum : Agronomy , 2006,
Abstract: A popula o e a distribui o espacial de plantas s o fundamentais ao rendimento de gr os de milho, bem como suas intera es com atributos do solo a exemplo de textura e fertilidade. Esse trabalho teve por objetivo investigar a aplica o de georreferenciamento em estudos agron micos, a exemplo das intera es entre popula o e distribui o espacial de plantas de milho com os teores dos principais nutrientes no solo, mantendo-se os princípios básicos da estatística experimental. Os resultados demonstraram que o uso de parcelasamostrais georrefrenciadas e análise de regress o s o aplicáveis ao estudo dos efeitos da popula o e distribui o espacial de plantas, sendo possível ainda estimar os efeitos dos teores de fósforo, potássio, cálcio, magnésio e satura o por bases sobre o rendimento degr os de milho. Ainda, a metodologia mostrou-se útil para estimar as varia es no rendimento de gr os em fun o das varia es na popula o e homogeneidade da distribui o espacial de plantas, bem como, determinar a popula o de plantas cujo rendimento de gr os é máximo,portanto, uma importante ferramenta ao planejamento da produ o de milho. Studies regarding population and plant spatial distribution are essential for understanding yield crop processes. The goal of this work is to report the possibility of applying georeferenced information as tool mainly for agronomic studies, especially for corn production studies, such as interactions between population and plant spatial distribution and concentration of soil nutrients, maintaining the basic principles of statistics. The results show that georeferencing sampling localizations and regression analysis were together efficient, and it is possible to apply it for estimating plant population which provides the highest grain yield; in addition,analyzing the effects of soil nutrient concentrations on the grain yield. Further, the method show itself to be able to estimate the grain yield variation as function of plant population and spatial distribution variations, besides predicting which plant population provides the highest grain yield, according to different environments and genotypes.
Rendimento de gr os da soja em fun o do arranjo de plantas  [cached]
Rambo Lisandro,Costa José Antonio,Pires Jo?o Leonardo Fernandes,Parcianello Geovano
Ciência Rural , 2003,
Abstract: A identifica o do arranjo de plantas que resulte em menor competi o intraespecífica permite melhor aproveitamento dos recursos disponíveis para o crescimento e rendimento de gr os da soja. O experimento foi conduzido na Esta o Experimental Agron mica da UFRGS em Eldorado do Sul, RS, na esta o de crescimento 2000/01, objetivando avaliar como o arranjo de plantas de soja modifica a competi o intraespecífica e de que forma isto se reflete no rendimento de gr os e seus componentes. Utilizou-se a cultivar 'BRS 137' (semiprecoce, determinada) em semeadura direta. O delineamento experimental foi de blocos casualizados com parcelas sub-subdivididas e quatro repeti es. Os tratamentos constaram de dois regimes hídricos (irrigado e n o irrigado); dois espa amentos entre linhas (20 e 40cm), e três popula es de plantas (20, 30 e 40 plantas.m-2). O rendimento de gr os foi afetado pela irriga o e pela intera o espa amento e popula o. O tratamento irrigado (5015kg.ha-1) apresentou rendimento de gr os 18% superior ao n o irrigado (4253kg.ha-1). A maior taxa de enchimento de gr os (TEG), que resultou no maior peso do gr o, explica o maior rendimento obtido no tratamento irrigado. O arranjo de plantas que proporcionou maior rendimento de gr os foi a associa o do espa amento de 20 cm com a popula o de 20 plantas.m-2, obtendo-se 5014kg.ha-1 em compara o a 4322kg.ha-1 em 40cm de espa amento. Houve decréscimo linear no rendimento com o aumento da popula o de plantas no espa amento reduzido (20cm). Estes resultados s o conseqüência do maior número de ramos, nós férteis e de legumes férteis.m-2 obtidos. O arranjo com 20cm de espa amento e 20 plantas.m-2 amenizou a competi o intraespecífica, resultando em maior rendimento de gr os.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.