oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Discrimina o entre olhos normais e glaucomatosos mediante polarimetria de varredura a laser  [cached]
Magacho Leopoldo,Marcondes Ana Maria,Costa Vital Paulino
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia , 2004,
Abstract: OBJETIVOS: Avaliar a capacidade da polarimetria de varredura a laser de discriminar entre olhos normais e glaucomatosos. MéTODOS: Cento e doze pacientes com glaucoma primário de angulo aberto e 88 indivíduos normais foram incluídos no estudo. Todos os indivíduos foram submetidos a exame oftalmológico completo, perimetria computadorizada (Humphrey 24-2, full threshold), avaliando-se Mean Deviation (MD) e Correct Pattern Standard Deviation (CPSD) e exame com GDx. Curvas ROC foram criadas e novos pontos de corte para cada parametro individual do GDx estabelecidos para estabelecer uma melhor rela o sensibilidade/especificidade (Se/Es) no diagnóstico do glaucoma. A seguir, uma fun o discriminante com 2 parametros do GDx (ellipse modulation e the number) e idade por meio da análise logística multivariada foi criada com o mesmo propósito. RESULTADOS: Os parametros individuais do GDx com melhor rela o Se/Es foram: the number (Se: 79,5%, Es: 81,8%, área abaixo da curva ROC: 0,870), maximum modullation (Se: 83,0%, Es: 76,1%, área abaixo da curva ROC: 0,842) e ellipse modulation (Se: 65,2%, Es: 88,6%, área abaixo da curva ROC: 0,831). A fun o discriminante criada obteve resultados superiores a qualquer parametro do GDx isolado (Se: 85,7%, Es: 90,9%, a área abaixo da curva ROC: 0,920). CONCLUS O: A combina o de dois ou mais fatores em uma fun o logística multivariada aumenta a capacidade da polarimetria de varredura a laser de discriminar entre olhos normais e glaucomatosos.
Conduta cirúrgica na subluxa o do cristalino  [cached]
Severo Nórton Souto,Kleinert Fabíola,Kwitko Sérgio
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia , 2004,
Abstract: OBJETIVO: Apresentar 10 casos de subluxa o de cristalino, secundários a trauma ou a síndrome de Marfan, discutindo o tratamento e os resultados obtidos. MéTODOS: Foram estudados 10 olhos de 9 pacientes, 6 casos secundários a trauma contuso e 4 casos a síndrome de Marfan. A idade média foi de 48,9 ± 18,2 anos, com tempo de seguimento de 34,6 ± 11,6 meses (12 a 62 meses). Os pacientes foram submetidos à facectomia intracapsular (1 caso), extracapsular com capsulorrexe (1 caso), facoemulsifica o sem LIO (1 caso), e facoemulsifica o com implante de LIO (7 casos). Anéis expansores capsulares foram utilizados em 7 olhos. RESULTADOS: Houve melhora da acuidade visual em todos os casos durante o seguimento, exceto em um, em que houve descolamento de retina, 20 dias após o procedimento. CONCLUS O: A facectomia com implante de LIO em pacientes com cristalino subluxado é procedimento viável, principalmente com a facoemulsifica o e o uso do anel expansor capsular, podendo melhorar bastante a acuidade visual e a qualidade de vida desses pacientes.
Varia es nas dimens es do cristalino humano de acordo com a idade
Waiswol Mauro,Cursino José Wilson,Cohen Ralph
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia , 2001,
Abstract: Objetivo: Demonstrar eventual rela o entre a idade e o aumento da espessura e diametro do cristalino humano. Métodos: Diametro e espessura de 108 cristalinos removidos de olhos doados para transplante de córnea foram medidos com uso de paquímetro e microscopia estereoscópica. Resultados: As medidas médias obtidas com os cristalinos avaliados foram de 3,73 mm de espessura com desvio-padr o de 0,73 mm e de 8,96 mm de diametro com desvio-padr o de 0,41 mm. Sessenta e três cristalinos (58,3%) provinham de indivíduos do sexo feminino e 45 (41,7%), do sexo masculino, n o havendo diferen as significativas entre os sexos relativamente à sua idade e à espessura e diametro dos cristalinos. Foi encontrada correla o significativa e diretamente proporcional entre a idade dos indivíduos e a espessura dos cristalinos, que mostrou aumento médio de 54,86% entre os dez e os 90 anos de idade. Esta correla o n o foi observada com rela o ao diametro dos cristalinos. Conclus es: Ocorre aumento da espessura do cristalino em ambos os sexos e em todos os grupos etários estudados.
Teratoma do ovario com estruturas semelhando cristalino
Torres, C. Magarinos;Sampaio, José M.;Adler, Hilde;
Memórias do Instituto Oswaldo Cruz , 1940, DOI: 10.1590/S0074-02761940000100006
Abstract: em uma mulher, brasileira, de c?r parda, com 48 anos de idade, morta com tuberculose do peritoneo, tuberculose peribronquica do lóbo superior do pulm?o esquerdo e tuberculose cronica fibrosa do apice de ambos os pulm?es, a necropsía revelou a existencia de um teratoma no ovario esquerdo. o ovario, pouco aumentado de volume, é constituído por duas por??es de tamanho sensivelmente egual, de consistencia firme, separadas, em sua superficie, por profundo sulco. ao córte, tem a aparencia de tecido fibroso em cuja espessura existem numerosos pequenos cistos. ao microscopio, os cistos s?o revestidos por epitelio descontinuo, despertando grande interesse o seu conteúdo. este é formado por fibras e células com morfologia semelhante ás do cristalino. sugerimos a possibilidade de que, no presente teratoma (teratoma lentifer, de lens, lentis: cristalino, e ferre: produzir) haja participado, de modo dominante, o ectodérme, e mesmo uma regi?o circumscrita do ectodérme, a qual corresponderia aquela emque se desenvolve, habitualmente, a placa do cristalino (? linsenplatte ?). a multiplicidade e a presen?a exclusiva de estruturas figurando saculos cristalinicos (? linsens?ckchen ?) s?o argumentos a favor de uma origem de ponto restrito do ectodérme, destinado a desenvolvimento posterior especifico, qual o da forma??o do cristalino.
Representa es sociais do envelhecimento  [cached]
Veloz Maria Cristina Triguero,Nascimento-Schulze Clélia Maria,Camargo Brigido Vizeu
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 1999,
Abstract: A presente pesquisa visou a estudar as representa es sociais das pessoas sobre a velhice, o idoso e o envelhecimento enquanto processo. Foram entrevistadas 37 pessoas (idade mínima de 52 anos e máxima de 92 anos). Estas pertenciam a três grupos residentes na cidade de Florianópolis: professores aposentados da UFSC; participantes de um programa da universidade da terceira idade (NETI) e residentes num centro para idosos. As entrevistas foram analisadas com ajuda de um software de análise quantitativa de dados textuais (Alceste). Os resultados apontam para três tipos de representa o social do envelhecimento: a primeira é uma representa o doméstica e feminina onde a perda dos la os familiares é central, a segunda tipicamente masculina apoia-se na no o de atividade, caracterizando o envelhecimento como perda do ritmo de trabalho, e a última mais utilitarista apresenta o envelhecimento como desgaste da máquina humana. A variável sexo esclareceu aspectos relevantes sobre as diferentes representa es encontradas.
Perfil epidemiológico de pacientes com catarata traumática no Hospital de Olhos do Paraná Epidemiological aspects patients with traumatic cataract who sought care in Hospital de Olhos do Paraná  [cached]
Maria Celina Salazar Rubim Pereira,Michele Aparecida Lonardoni Krieger,Ana Cláudia Mariushi,Hamilton Moreira
Revista Brasileira de Oftalmologia , 2012, DOI: 10.1590/s0034-72802012000400006
Abstract: OBJETIVO: Avaliar os resultados anat micos e visuais de pacientes com catarata traumática atendidos no Hospital de Olhos do Paraná, apresentando ou n o altera es oculares associadas e que foram submetidos ao tratamento cirúrgico, além de tra ar o perfil analisando tipo de trauma, rela o entre ocupa o e trauma, rela o entre tipo de trauma e prognóstico visual, correlacionando acuidade visual (AV) pré e pós-operatória. MéTODOS: Após minuciosa avalia o oftalmológica foram coletados os seguintes dados: sexo, idade, ocupa o, tipo de trauma, AV pré e pós-tratamento, altera es oculares associadas e dos pacientes que foram submetidos à cirurgia as complica es pós-operatórias mais frequentes. RESULTADOS: Foram atendidos 45 pacientes com catarata traumática. Destes, 25 submeteram-se à cirurgia. A maioria dos pacientes era do sexo masculino (88%), sofreu trauma contuso (52%) e apresentou idade média de 43,16 anos, atingindo uma faixa etária economicamente ativa. Estes traumas foram classificados como: laboral (14), recreacional, doméstico e automobilístico. Subluxa o de cristalino foi a altera o ocular associada mais observada. Vinte e dois pacientes (88%) apresentaram vis o inicial ≥ 20/400, entre os submetidos à cirurgia, 64% apresentaram melhor acuidade visual corrigida pela tabela de Snellen (MAVC) ≤ 20/40. Opacidade cápsula posterior foi a complica o pós-operatória mais frequente. CONCLUS O: O perfil dos pacientes atendidos, no HOP, com catarata traumática é, na grande maioria, homens com idade média de 43 anos, vítimas de trauma contuso ocorridos quando desenvolviam atividades laborais, expostos ao risco de acidente sem equipamentos de prote o, atingindo principalmente agricultores, pedreiros e serralheiros. Esses, após o tratamento cirúrgico apresentaram melhora significativa da vis o. OBJECTIVE: To evaluate the anatomic and the visual results of patients with traumatic cataract who sought care in Hospital de Olhos do Paraná (HOP), that were subjected to surgical treatment in this service. To describe their epidemiological and clinical aspects, and to analyze the post operative functional results. METHODS: There were included in the study all patients subjected to a surgical treatment and the following characteristics were analyzed: sex, age, pre and postoperative visual acuity, mechanism of trauma, associated ocular alterations and most frequent postoperative complications. RESULTS: Forty five patients were treated with clinical diagnosis of traumatic cataract during the study period. From the total, 25 were submitted the surgical treatment. The
Efeitos da constri o pupilar na perimetria de freqüência dupla em olhos normais
Arcieri Enyr Saran,Crosta Cybele,Schimiti Rui Barroso,Pozo Susana Bolívia Saavedra
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia , 2002,
Abstract: Objetivo: Estudar os efeitos da redu o do diametro pupilar nos resultados da perimetria de freqüência dupla em um grupo de voluntários normais. Métodos: Dezoito voluntários saudáveis participaram do estudo. Realizou-se perimetria de freqüência dupla no olho direito de cada participante (estratégia "Full Threshold" C-20). Para a segunda sess o de perimetria, instilou-se uma gota de pilocarpina 2% no olho direito dos voluntários e refez-se o exame após 60 minutos. Resultados: Sessenta minutos após adi o de pilocarpina 2% houve redu o significante do diametro pupilar de 4,22 ± 0,17 mm para 1,55 ± 0,51 mm (p<0,05). Houve redu o significativa da sensibilidade retiniana média após constri o pupilar de 5,67 ± 2,49 dB nos 5o centrais, 4,49 ± 2,73 dB entre 2,5o e 10oe 5,10 ± 3,55 dB entre 10o e 20o (p<0,01). Observou-se redu o de 4,06 ± 2,67 dB no "mean deviation" e aumento de 0,64 ± 0,94 dB no "pattern standard deviation" (p< 0,01). N o se observaram diferen as em rela o às respostas falso-positivas, falso-negativas, perdas de fixa o e dura o média do exame (p>0,05). Conclus o: A altera o do diametro pupilar está associada a redu o significativa dos limiares de sensibilidade dentro dos 20o centrais do campo testado pela perimetria de freqüência dupla. Estes resultados sugerem que seja importante manter o diametro pupilar constante em exames seriados.
Envelhecimento do processamento temporal auditivo  [cached]
Neves Vera T?rres das,Feitosa Maria Angela Guimar?es
Psicologia: Teoria e Pesquisa , 2002,
Abstract: O presente artigo faz uma revis o breve da literatura sobre envelhecimento auditivo, abordando os estudos sobre o envelhecimento do processamento temporal auditivo, especificamente, estudos sobre detec o de interrup es em sons, por sujeitos adultos de mais idade. S o apresentadas defini es e descri es da presbiacusia, suas conseqüências, e sua prevalência. S o descritos os procedimentos experimentais para estudo de processamento temporal envolvendo a detec o de interrup es em ruídos com faixas amplas de freqüência, a discrimina o de sons com revers o temporal, a detec o de mudan as na amplitude de sons, a detec o de interrup es em sons com faixas estreitas de freqüências, a detec o de diferen as de dura o entre dois estímulos, bem como a discrimina o da ordem temporal de diferentes canais de freqüência componentes de tons complexos. S o revisados, adicionalmente, estudos que descrevem as características psicofísicas do processamento auditivo temporal em idosos. Finalmente, s o apresentadas sugest es sobre dire es futuras para pesquisa.
INFLUêNCIA DO ENVELHECIMENTO ACELERADO NO VIGOR DE SEMENTES DE Anadenanthera colubrina (Vellozo) Brenan – Mimosaceae
Lucinda Carneiro Garcia,Ant?nio Carlos Nogueira,Daniela C. A. Abreu
Ciência Florestal , 2004,
Abstract: A espécie Anadenanthera colubrina (Vellozo) Brenan é uma Mimosaceae, de porte arbóreo, utilizada na arboriza o de pastos bem como a madeira é empregada na confec o de tacos, ripas, embalagens, lenha e carv o de boa qualidade. O objetivo deste trabalho foi estudar a influência do teste de envelhecimento acelerado no vigor de sementes dessa espécie. O ensaio foi conduzido utilizando o método da camara de envelhecimento, com temperatura de 40 2oC e umidade relativa de 95%, com tempo de permanência zero (T1); 24 (T2); 48 (T3); 72 (T4) e 96 horas (T5). O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repeti es de 25 sementes, por tratamento. O teste de germina o foi realizado à temperatura de 30oC, com luz constante, tendo como substrato rolo de papel. A primeira contagem foi efetuada no quinto dia e a última no nono dia da instala o. A germina o das sementes frescas foi de 98% e o teor de água de 8,1%. Observou-se que a testemunha (T1), após 14 meses de armazenamento, apresentou germina o de 75% e os demais tratamentos (T2, T3, T4, T5) apresentaram percentuais variando entre 32 e 21%. O envelhecimento acelerado provocou a perda da viabilidade das sementes estudadas. Registrou-se baixa percentagem de plantulas normais e alta de sementes deterioradas. O envelhecimento acelerado provocou um declínio na velocidade de germina o das sementes da espécie.
Aspectos psicológicos e psicopatológicos do envelhecimento Aspectos psicológicos e psicopatológicos do envelhecimento  [cached]
Heber Soares Vargas
Semina : Ciências Sociais e Humanas , 2010, DOI: 10.5433/
Abstract: The present study shows how the different theories related to psycological aging have not satisfactorily explained that process. The difficulties of the psycological analysis of aging are discussed and stressed is the need to give more attention to the psycological potentials remaining to the old person as well as the need for less attention to the deteriorating body functions as calculated by the Weschler technique for the coefficient of deterioration. Rapidly analyzed is the psycopathology of aging, and the study concludes with some recommendations useful to help slow down psycological aging. No presente trabalho mostra-se que as diferentes teorias que procuram analisar o processo de envelhecimento n o conseguiram explicar satisfatoriamente o envelhecimento psicológico. Discute-se as dificuldades para uma análise da psicologia do envelhecimento e se encarece a necessidade de se dar maior aten o à potencialidade psicológica que ainda resta ao velho e menor aten o às fun es que se deterioram, utilizando-se a técnica de Weschler para calcular o coeficiente de deteriora o. Analisa-se rapidamente a psicopatologia do envelhecimento e conclui-se com algumas recomenda es úteis para o retardamento do envelhecimento psicológico.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.