oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Estudo anat mico e artroscópico do ligamento femoropatelar medial  [cached]
Camanho Gilberto Luis,Viegas Alexandre de Christo
Acta Ortopédica Brasileira , 2003,
Abstract: Os autores estudaram em joelhos de 11 cadáveres a presen a do ligamento femoropatelar medial.Em 6 joelhos o estudo foi anat mico por dissec o e sec o seriada das pe as anat micas.Em 5 joelhos o estudo foi artroscópico pela visibiliza o nos joelhos do ligamento encontrado nos seis joelhos estudados anatomicamente. Em todas as pe as anat micas foi possível a dissec o da estrutura ligamentar descrita como o ligamento femoropatelar medial e nos cinco joelhos estudados sob vis o artroscópica a visibiliza o e identifica o do ligamento foi evidente.
Valida o técnica da drenagem pulmonar como tratamento do enfisema pulmonar avan ado: estudo anat mico em cadáveres Technical validation of pulmonary drainage for the treatment of severe pulmonary emphysema: a cadaver-based study  [cached]
Júlio Mott Ancona Lopez,Roberto Saad Jr,Vicente Dorgan Neto,Marcio Botter
Jornal Brasileiro de Pneumologia , 2013,
Abstract: OBJETIVO: Descrever a técnica operatória da drenagem pulmonar através do estudo anat mico em cadáveres, determinar se o local definido para a drenagem pulmonar é adequado e seguro, e determinar a rela o anat mica do tubo de drenagem com a parede torácica, pulm es, grandes vasos e mediastino. MéTODOS: Foram dissecados 30 cadáveres de ambos os sexos, fornecidos pelo Necrotério do Hospital Central da Santa Casa de S o Paulo, em S o Paulo (SP) no período entre maio e novembro de 2011. Foi inserido um dreno de a o de 7,5 cm com 24 F de diametro no segundo espa o intercostal, na linha médio-clavicular, bilateralmente, e foi medida a distancia do dreno com as seguintes estruturas: br nquios principais, br nquios dos lobos superiores, vasos subclávios, artérias pulmonares, artérias pulmonares do lobo superior, veia pulmonar superior, veia ázigos e aorta. Foram realizadas medi es de peso, altura, diametro laterolateral do tórax, diametro posteroanterior do tórax e espessura da parede torácica de cada cadáver. RESULTADOS: Dos 30 cadáveres dissecados, 20 e 10 eram do sexo masculino e feminino, respectivamente. A média da extremidade distal do dreno com os br nquios principais direito e esquerdo foi de 7,2 cm. CONCLUS ES: A utiliza o de um dreno torácico de tamanho fixo na posi o preconizada é factível e segura, independentemente das características antropométricas do paciente. OBJECTIVE: A cadaver-based study was carried out in order to describe the pulmonary drainage surgical technique, to determine whether the site for the insertion of the chest tube is appropriate and safe, and to determine the anatomical relationship of the chest tube with the chest wall, lungs, large blood vessels, and mediastinum. METHODS: Between May and November of 2011, 30 cadavers of both genders were dissected. The cadavers were provided by the Santa Casa de S o Paulo Central Hospital Mortuary, located in the city of S o Paulo, Brazil. A 7.5-cm, 24 F steel chest tube was inserted into the second intercostal space along the midclavicular line bilaterally, and we measured the distances from the tube to the main bronchi, upper lobe bronchi, subclavian vessels, pulmonary arteries, pulmonary arteries in the upper lobe, superior pulmonary vein, azygos vein, and aorta. Weight, height, and chest wall thickness, as well as laterolateral and posteroanterior diameters of the chest, were measured for each cadaver. RESULTS: Of the 30 cadavers dissected, 20 and 10 were male and female, respectively. The mean distance between the distal end of the tube and the main bronchi (right and left) was 7.2
Estudo anat mico do músculo levantador do lábio superior
Ferreira L.M.,Minami E.,Pereira M.D.,Chohfi L.M.B.
Revista da Associa??o Médica Brasileira , 1997,
Abstract: Os autores descrevem as características anat micas do músculo levantador do lábio superior por meio de disseca es em cadáveres. OBJETIVO. Contribuir ao estudo dos músculos da mímica, estudando os seus detalhes anat micos e suas rela es, ajudando na realiza o de retalhos da face. MéTODOS. Foram dissecadas 20 pe as de cadáveres, verificando-se suas inser es, comprimento, largura, espessura, rela es, inerva o e irriga o. RESULTADOS. Em todos os casos, o músculo levantador do lábio superior apresentou inser o proximal na margem inferior da órbita e inser o distal de dois tipos: por meio de fibras laterais sobrepondo-se superficialmente ao músculo orbicular do lábio e de fibras profundas interdigitando-se, formando parte do embricamento do canto da boca (70%); e mediante fibras sobrepondo-se superficialmente ao músculo orbicular do lábio (30%). A média do comprimento foi de 24,66mm e a média da espessura, de 3,57mm. A largura em nível da inser o distal foi, em média, de 11,2mm, enquanto que em nível da inser o proximal foi, em média, de 15,96mm. Relaciona-se anteriormente ao músculo levantador do angulo da boca, posteriormente à por o distal do músculo zigomático menor (90%) e posteriormente à por o média do músculo zigomático menor (10%). A inerva o é feita pelo ramo inferior do nervo zigomático (n. facial) e nervo infra-orbital (n. trigêmeo). Ramos da artéria angular irrigam a por o inferior do músculo e a artéria infra-orbital nutre a por o superior deste músculo.
Estudo anat mico das inser es distais do tend o extensor longo do polegar  [cached]
Caetano Maurício Benedito Ferreira,Albertoni Walter Manna,Caetano Edie Benedito
Acta Ortopédica Brasileira , 2004,
Abstract: Registramos pelo presente estudo que o músculo (ELP) e seu tend o apresentaram poucas varia es anat micas. N o registramos a presen a de tend es acessórios e nem a ausência desse músculo ou de seu tend o. Verificamos em todas as prepara es a passagem do tend o pelo terceiro compartimento osteofibroso, cruzando sobre os extensor radial curto (ERCC) e longo (ERLC) do carpo e dirigindo-se ao polegar. A altera o no trajeto tendinoso, desviando-se no sentido radial foi verificada em uma das prepara es (1,6%). A duplica o parcial do tend o proximal a articula o metacarpofalangica (AMFP) foi verificada em 3 observa es (4,8%), sendo 1 bilateral, e distal à articula o em 5 (8,3%), 2 bilateralmente. A inser o óssea na base da falange distal (BFD) foi encontrada em todas as observa es. Durante sua passagem pela articula o metacarpofalangica, registramos sua inser o na cápsula articular em 14 observa es (23,3%), porém n o registramos a inser o óssea nesse local. O padr o mais comum em rela o ao músculo ELP foi a presen a constante de 1 tend o, passando pelo terceiro compartimento osteofibroso dorsal do punho com inser o óssea na base da falange distal do polegar.
ESTUDO ANAT MICO DO XILEMA SECUNDáRIO DE Mimosa sparsa Benth
Adonis Maccari,José Newton Cardoso Marchiori
Ciência Florestal , 2013,
Abstract: Os caracteres microscópicos da madeira de Mimosa sparsa Benth. s o descritos, com base em 30 dados quantitativos de sua estrutura anat mica. A descri o ilustrada com fotomicrografias tomadas nos três planos anat micos. A estrutura da madeira é comparada com referências da literatura, em análise taxon mica e filogenética.
A STUDY OF ROOT CANAL MORPHOLOGY OF Cebus apella TEETH ESTUDO ANAT MICO DO CANAL RADICULAR DE DENTES DE Cebus apella  [cached]
Rafael Rodrigues Lima,Leila Marques Araújo,Priscilla Rocha Afonso,Suely Maria Lamar?o
Ciência Animal Brasileira , 2008,
Abstract: Realizou-se um estudo anat mico em dentes do Cebus apella, para análise da anatomia interna do canal radicular dessa espécie, normatizando seu uso como modelo experimental. Utilizaram-se doze animais adultos. Após a remo o do tecido organico, os dentes foram removidos, seccionados e fotografados, sendo analisados com um estereomicroscópio. Os resultados mostraram que os dentes apresentaram características semelhantes às dos seres humanos, mas com algumas peculiaridades, tais como: a anatomia do canal radicular variou de oval para circular; nos caninos inferiores, os canais s o semelhantes a um rim, o que reflete o contorno externo da raiz; nos molares superiores, os canais mesiobucal e distobucal s o ovais, seguindo o contorno geral do dente. Os autores concluem que esta espécie pode ser utilizada como modelo em pesquisas odontológicas, principalmente em estudos do tratamento do sistema de canal radicular. PALAVRAS-CHAVES: Anatomia, dentes, Cebus apella. An anatomic study of Cebus apella root teeth was performed to analyze the internal anatomy of permanent dentition, normalizing its use as experimental model endodontic research. Twelve adult animals were used in this study. After the removal of the organic tissue, the all teeth were removed, sectioned, analyzed and photographed with a stereomicroscope. The results showed that the anatomy of root canal of this species are similar to human dental anatomy, considering the shape, pathway and number of canals, but with some peculiarities, such as: the root canal anatomy varied from oval to circular; in the lower canines, the canals are resembled a kidney, reflecting the outside contour of the root; in the upper molars, the mesiobuccal and distobuccal canals are oval, following the general contour of the tooth. The authors conclude that this primate can be applied as models for study of root canal treatment in human beings, in special the upper central and lateral incisors, upper and lower canines and first, second, third lower premolars present single and wide canal with easy access being ideals for endodontic experiments. KEY WORDS: Anatomy, Cebus apella, teeth.
Osteotomias do processo coracoide: um estudo anat mico Osteotomies of the coracoid process: an anatomical study  [cached]
Bernardo Barcellos Terra,Eduardo Ant?nio de Figueiredo,Carlos Stanislaw Fleury Marczyk,Gustavo Cará Monteiro
Revista Brasileira de Ortopedia , 2012, DOI: 10.1590/s0102-36162012000300010
Abstract: OBJETIVO: Estudar as principais estruturas tendinosas e ligamentares inseridas no processo coracoide, correlacionando com diversos níveis de osteotomia e relatando as estruturas envolvidas no fragmento distai osteotomizado. MéTODOS: Trinta ombros de 15 cadáveres (10 masculinos e cinco femininos) frescos foram dissecados. O processo coracoide com as principais estruturas anat micas inseridas foram dissecados e cinco níveis de osteotomias (1,0; 1,5; 2,0; 2,5; 3,0cm) foram realizadas a partir do ápice e anotadas as principais estruturas inseridas no fragmento distal osteotomizado. RESULTADOS: Nas osteotomias de 1,0cm, em 100% dos casos houve envolvimento somente do tend o conjunto (TC). Nas osteotomias de 1,5cm, em 63,33% houve envolvimento do TC e peitoral menor (PMe), em 20% apenas do TC e em 16,66% do TC, PMi e ligamento coracoumeral (LCU). Nas osteotomias de 2,0cm, em 80% dos ombros, as osteotomias abrangeram o TC, PMe e o LCU e em 20% houve apenas envolvimento de TC e PMe. Nas osteotomias de 2,5cm, em 100% dos casos houve envolvimento do TC, PMe e LCU. Nas osteotomias de 3,0cm, em seis casos (20%) houve les o do ligamento trapezoide e em 100% destas osteotomias, o fragmento distal osteotomizado abrangia o TC, PMe, LCU e em 90% envolvia também totalmente o ligamento coracoacromial. CONCLUS O: O conhecimento das estruturas anat micas inseridas e envolvidas nos cortes das osteotomias do processo coracoide é de fundamental importancia no manejo das osteotomias realizadas nas técnicas que utilizam o processo coracoide como enxerto ou referência anat mica. Nas osteotomias de 3,0cm há o risco de les o do ligamento trapezoide. OBJECTIVE: Relate the main tendinous and ligamentous structures attached in the coracoid process, correlating it to several levels of osteotomy and describing the involved structures. METHODS: Thirty shoulders were dissected. The coracoid process with mainly inserted anatomic structures was dissected, and five levels of osteotomy (1.0; 1.5; 2.0; 2.5; 3.0 cm) were made from the apex of the process and the mainly involved structures were recorded. RESULTS: In osteotomies of 1.0 cm, in 100% of the cases only the conjoint tendon (CT). In osteotomies of 1.5 cm there were 63.33% of cases involved with the CT and the Pectoralis minor (PMi), in 20% of cases only the CT, and in 16.66% the CT, PMi, and the coracohumeral ligament (CUL). In osteotomies of 2.0 cm, in 80% of the shoulders, the osteotomies embraced the CT, PMi and the CUL, and in 20% only the CT and the PMi were involved. In the osteotomies of 2.5cm there was involvement of the CT, PM
Varia es da extens o anterolateral do acesso suboccipital lateral: estudo anat mico  [cached]
Silveira Roberto Leal,Gusm?o Sebasti?o
Arquivos de Neuro-Psiquiatria , 2002,
Abstract: Estudamos, em laboratório de microcirurgia, as extens es do acesso suboccipital lateral (ASOL) em sete pe as anat micas, com o objetivo de definir as extens es deste acesso necessárias à abordagem das les es da regi o anterolateral do forame magno e do forame jugular. As extens es (ressec o óssea) foram realizadas em cinco estágios progressivos: 1) craniectomia suboccipital retrossigmóidea (ASOL retrocondilar); 2) amplia o da craniectomia com remo o da metade posterior do c ndilo occipital (ASOL transcondilar parcial); 3)extens o lateral da blocagem do c ndilo occipital até abrir o canal do hipoglosso, seguida de ressec o do processo jugular e abertura do forame jugular (ASOL transcondilar parcial-transjugular); 4) brocagem completa do c ndilo occipital (ASOL transcondilar completo); 5) ASOL completo acrescido de retirada da massa lateral do atlas até identifica o do processo odontóide. Concluimos que as extens es do ASOL devem ser adaptadas à topografia da les o: o ASOL retrocondilar para as les es laterais ao forame magno, o ASOL transcondilar parcial para as anterolaterais, o ASOL transcondilar-transjugular para as les es da regi o do forame jugular, o ASOL transcondilar completo para as anteriores ao forame magno, e o transcondilar completo/trans-massa lateral do atlas para as les es extradurais da regi o anterior ao forame magno.
CONTRIBUI O AO ESTUDO ANAT MICO DA FOLHA E DO CAULE DO CACAUEIRO (Theobroma cacao L.)  [cached]
NAKAYAMA L.H.I,SOARES M.K.M,APPEZZATO-DA-GLóRIA B
Scientia Agricola , 1996,
Abstract: O presente estudo teve como objetivo descrever a anatomia da folha e do caule adulto enfatizando a caracteriza o dos tricomas e das estruturas secretoras do cacaueiro. Foram analisadas amostras de caule e folhas (limbo e pecíolo), correspondente ao 3o nó, além de folhas novas de 5cm de comprimento. A lamina foliar é hipoestomática, com est matos do tipo anomocítico. Em ambas as faces do limbo ocorrem quatro tipos de tricomas: sendo dois tectores e dois glandulares. Na epiderme adaxial est o presentes as glandulas secretoras de mucilagem. O mesofilo é dorsiventral; o parênquima pali ádico é formado por duas ou três camadas. O parênquima lacunoso apresenta células coletoras. Ao longo do mesofilo predomina feixes colaterais envolvidos por bainha esclerenquimática que se estende até as epidermes. O padr o de vena o é do tipo Camptodroma com ramifica es mistas Brochidrodomas e Eucamptodromos. O pecíolo e o caule apresentam a epiderme com os tricomas descritos para o limbo; No parênquima cortical e medular do pecíolo e caule, há células contendo gr os de amido, idioblastos contendo drusas e canais de mucilagem. O sistema vascular ao longo do pecíolo se diferencia quanto a organiza o. O caule apresenta camadas de clorênquima, e de colênquima. Ocorre a esclerifica o das células deste último, com o desenvolvimento. Segue-se um anel descontínuo de fibras do floema primário. A medula é ampla e se esclerifica com o desenvolvimento.
Estudo anat mico da artéria torácica interna aplicado à cirurgia cardiovascular  [cached]
HENRIQUEZ-PINO Jorge A,GOMES Walter José,PRATES José Carlos,BUFFOLO ênio
Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular , 1997,
Abstract: Com a intensa utiliza o da artéria torácica interna (ATI) na opera o de revasculariza o do miocárdio, estudamos sua anatomia com a finalidade de esclarecer aspectos morfológicos que possibilitem extender sua utiliza o e prevenir complica es pós-operatórias. Em 100 cadáveres foram retirados os plastr es esternocostais e injetadas as ATIs com Látex Neoprene. A ATI originou-se diretamente da artéria subclávica em 82,5% e de um tronco comum com outras artérias em 17,5%. O comprimento médio foi de 20,4 ± 2,1 cm e o ponto de termina o mais freqüente foi ao nível do 6o espa o intercostal (e.i.) (52,5%). A forma de termina o se fez como bifurca o em 93% e como trifurca o em 7%. A rela o da ATI com a margem esternal foi de 10,3 ± 3,2 mm ao nível do 1o e.i. e 19,2 ± 6,0 mm ao nível do 6o e.i. A ATI está recoberta pelo músculo transverso do tórax numa extens o média de 7,5 ± 2,7 cm e apresenta o ramo costal lateral em 15%. O nervo frênico é anterior à ATI em 70% e posterior em 30%. O estudo forneceu subsídios que podem contribuir para minimizar as complica es pós-operatórias.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.