oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Resistência ao cisalhamento de braquetes metálicos utilizando sistema adesivo autocondicionante
Melga?o, Camilo Aquino;Andrade, Graciele Guerra de;Araújo, M?nica Tirre de Souza;Nojima, Lincoln Issamu;
Dental Press Journal of Orthodontics , 2011, DOI: 10.1590/S2176-94512011000400013
Abstract: objective: to evaluate the shear bond strength of metallic brackets using the self-etching system after its activation and storage for 2, 5 and 9 day periods. methods: a total of 64 bovine teeth were divided in four groups and prepared to receive the brackets. initially, seven self-etching primer blisters were activated and used to bond the brackets of group i. the blisters were store at a constant temperature of 4oc for 2, 5 and 9 days and used to bond the brackets of groups ii, iii and iv, respectively. results: no statistic difference was found in shear bond strength comparing groups i, ii and iii. however, a significant difference was found in group iv. conclusion: the shear bond strength seems not to be affected by activation and storage of the self-etching primer for a 5 day period. more studies are necessary to evaluate other characteristics of the material after its activation and storage for long periods of time.
Resistência ao cisalhamento de um selante associado a componentes de um sistema adesivo dental  [cached]
MUSSOLINO Zilda Maria,BORSATTO Maria Cristina,TURBINO Miriam Lacalle
Revista de Odontologia da Universidade de S?o Paulo , 1998,
Abstract: Cilindros de selante, padronizados, foram unidos ao esmalte das superfícies vestibulares de incisivos bovinos, após serem planificadas e condicionadas, com ácido fosfórico a 37%, durante 30 segundos. Foram utilizados 40 dentes, aleatoriamente divididos em 4 grupos, cujas coroas foram secionadas, de modo a obter-se duas por es, cervical e incisal. No Grupo I, após o condicionamento, aplicou-se o selante Fluroshield; no Grupo II, antes da aplica o do selante, uma camada do "primer" do Probond foi aplicada; no Grupo III, após o "primer", aplicou-se o adesivo do Probond; e no Grupo IV, somente o adesivo foi aplicado antes do selante. Os espécimes foram armazenados em água a 37°C, durante 36 horas, e ent o submetidos aos ensaios de cisalhamento. A análise estatística revelou significante diminui o na resistência ao cisalhamento, quando o "primer" foi aplicado previamente ao selante, enquanto a resistência ao cisalhamento do selante foi semelhante quando o adesivo do Probond foi aplicado, com ou sem o "primer". A resistência ao cisalhamento do selante ao esmalte é maior no ter o incisal que no ter o cervical da coroa.
Resistência ao cisalhamento de dentes submetidos a duas técnicas de clareamento, pós-restaurados ou n o  [cached]
SIQUEIRA Evandro Luiz,SANTOS Marcelo dos,Di GIROLAMO NETO Jo?o Alfredo,SANTOS Fl?r Luigina Hidalgo Vargas dos
Revista de Odontologia da Universidade de S?o Paulo , 1997,
Abstract: Os autores testaram a resistência ao cisalhamento de dentes submetidos a duas técnicas de clareamento. Foram utilizados 50 incisivos centrais superiores, divididos em 5 grupos, a saber: controle (só abertura coronária), clareamento sem calor, clareamento catalisado por calor controlado, clareamento catalisado por calor controlado e restaura o com resina composta de última gera o e dentes hígidos. Após o teste de cisalhamento, constatou-se que, nos dentes submetidos ao clareamento dental com perborato de sódio/Peridrol com ou sem aplica es de calor controlado, apesar de estes apresentarem leve diminui o da resistência ao cisalhamento, esta n o é estatisticamente significante quando comparada com a dos dentes em que se executa o acesso endod ntico sem clareamento. A restaura o do dente após o clareamento dental com adesivo dentinário de 4a gera o e resina fotopolimerizada aumenta a resistência do elemento dental clareado. N o existem diferen as estatísticas de resistência ao cisalhamento entre dentes clareados sem o uso de calor e aqueles em que o calor foi empregado de forma controlada, como preconizado neste estudo. Dentes hígidos apresentam resistência maior do que os dentes clareados com calor, sem calor e aqueles n o clareados, com significancia estatística no nível de 5%. Já com os dentes clareados e restaurados, os dentes hígidos n o mostraram diferen as estatísticas significantes
Avalia??o da resistência ao cisalhamento de dois compósitos colados em superfície condicionada com primer autocondicionante
Pithon, Matheus Melo;Santos, Rogério Lacerda dos;Oliveira, Márlio Vinícius de;Sant'anna, Eduardo Franzotti;Ruellas, Ant?nio Carlos de Oliveira;
Dental Press Journal of Orthodontics , 2011, DOI: 10.1590/S2176-94512011000200012
Abstract: objective: the aim of this study was to evaluate the shear bond strength and the adhesive remnant index (ari) between the composites eagle bond and orthobond bonded to an enamel surface conditioned with transbond plus self-etching primer. methods: seventy-five bovine permanent mandibular incisors, divided into five groups (n=15) were used. in groups 1, 2 and 4, the bonds were performed with transbond xt, orthobond and eagle bond respectively, in accordance with the manufacturers' recommendations. in groups 3 and 4, before bonding with orthobond and eagle bond, respectively, the tooth surface was conditioned with the acid primer transbond plus self-etching primer. after bonding the shear test was performed for all samples at a speed of 0.5 mm per minute in an instron mechanical test machine. results: the results (mpa) showed that there were no statistically significant differences among groups 1, 2, 3 and 5 (p>0.05). however, these groups were statistically superior to group 4 (p<0.05). the ari results showed a higher number of fractures at the bracket/composite interface in groups 1, 2, 3 and 5.
Resistência ao cisalhamento de um selante associado a componentes de um sistema adesivo dental
MUSSOLINO, Zilda Maria;BORSATTO, Maria Cristina;TURBINO, Miriam Lacalle;
Revista de Odontologia da Universidade de S?o Paulo , 1998, DOI: 10.1590/S0103-06631998000400014
Abstract: standardized cylinders of sealants were bonded to the flattened labial enamel of bovine incisor teeth that had previously been subjected to 37% phosphoric acid gel for 30 seconds. a total of 40 teeth were tested, randomly divided in four groups of 10 teeth each. in group i, the sealant fluroshield was applied after etching; in group ii after etching, the "primer" of probond was used before the sealant; in group iii after etching, the bond of probond was used after the "primer"; and in group iv only the bond was applied before the sealant. specimens were stored in water at 37°c during 36 hours, before shear testing using a universal testing machine. there was significant reduction in shear bond strength of the sealant when only the "primer" was used previously to the application of the sealant. there were no significant differences in the shear bond strength of the sealant when the probond adhesive system was applied with or without "primer". the shear bond strength of enamel sealant was higher in the incisal third than in the cervical third.
Efeito do tratamento dentinário com hipoclorito de sódio pós condicionamento ácido na resistência adesiva de restaura es em resina composta  [cached]
Karen Cristina Kazue Yui,Fabiana Ballet de Cara Araújo,Carolina Ferraz Ribeiro,Sérgio Eduardo de Paiva Gon?alves
Odonto , 2009,
Abstract: Este trabalho teve como objetivo avaliar a resistência adesiva de restaura es de resina composta, mediante a remo o ou n o do colágeno dentinário. Para tanto, foram utilizados 24 dentes bovinos, embutidos em resina acrílica e desgastados até se obter um remanescente de 2mm de dentina. Delimitou-se a área da ades o em 3mm de diametro. As amostras foram divididas em 2 grupos: G1 (controle): foi aplicado o sistema adesivo autocondicionante Adper Prompt L-Pop (3M ESPE), seguindo as recomenda es do fabricante, e procedida a restaura o com a resina Z100 (3M) pela técnica incremental, em matriz metálica e sobre a área preparada; G2 (teste): realiza o de condicionamento com ácido fosfórico 37% por 15s, lavagem, secagem, aplica o de hipoclorito de sódio (NaOCl) 10% por 60s, lavagem, secagem, aplica o do sistema adesivo autocondicionante e realiza o da restaura o, como descrito anteriormente. Os espécimes foram imersos em água destilada e mantidos em estufa bacteriológica a 37oC por 7 dias, e ent o submetidos ao teste de cisalhamento em uma máquina de ensaio universal EMIC (velocidade de 0,5mm/min). Após análise estatística (ANOVA e teste T), os valores médios encontrados foram: G1=8,32±2,28 MPa e G2=5,76±2,48MPa (p<0,05). Concluiu-se que a remo o do colágeno diminuiu significativamente a resistência adesiva para o sistema adesivo empregado.
Orthodontic bonding to porcelain surfaces: in vitro shear bond strength = Colagem de acessórios ortod nticos a superfícies de porcelana: resistência ao cisalhamento in vitro  [cached]
Guimar?es, Magáli Beck et al.
Revista Odonto Ciência , 2012,
Abstract: Objetivo: Avaliar, in vitro, a resistência ao cisalhamento de acessórios ortod nticos colados à porcelana, sob diferentes protocolos de ades o, e o padr o de falha resultante após a descolagem desses acessórios. Metodologia: A amostra foi composta de 80 pastilhas de porcelana feldspática, divididas em 4 grupos:Grupo 1 – ácido fosfórico a 37%; Grupo 2 – ácido fluorídrico a 10%; Grupo 3 – ácido fosfórico a 37% e silano; Grupo 4 – ácido fluorídrico a 10% e silano. A amostra foi submetida a teste de cisalhamento em máquina de ensaios universal para registro da for a máxima de ruptura. Resultados: O grupo 1 teve resultados inferiores aos demais grupos testados, bem como o grupo 4 apresentou resultados superiores. N o houve diferen a entre os grupos 2 e 3. Os grupos 1 e 3 apresentaram falhas exclusivamente de caráter adesivo entre porcelana e resina, enquanto que nos grupos 2 e 4 registrou-se a ocorrência de falhas coesivas em porcelana. Conclus o: Conclui-se que a utiliza o de ácido fosfórico e silano representa o melhor protocolo de ades o de acessórios ortod nticos a superfícies de porcelana, uma vez que é capaz de resistir às for as aplicadas durante o tratamento ortod ntico sem causar falhas irreversíveis à restaura o. Purpose: To evaluate in vitro the shear bond strength of orthodontic accessories to porcelain, under different porcelain surface treatment protocols, and the resultant failure pattern after debonding. Methods: The sample consisted of 80 feldspathic porcelain discs, divided into 4 groups: Group 1 – 37% Phosphoric acid etching; Group 2 – 10% fluorhydric acid; Group 3 – 37% Phosphoric acid and silane application; Group 4 – 10% fluorhydric acid and silane application. The samples were submitted to the shear bond strength test in a universal test machine to record the maximum rupture force. Results: Group 1 showed lower results, and Group 4 presented higher results than the other tested groups. There was no statistical difference between Groups 2 and 3. Groups 1 and 3 presented exclusively adhesive failures between porcelain and resin, whereas Groups 2 and 4 showed cohesive failures in porcelain. Conclusion: The use of phosphoric acid followed by silane application was the best protocol for bonding orthodontic accessories to porcelain surfaces, since it was capable of resisting the forces applied during orthodontic treatment without causing irreversible failures in restorations.
Oxygen release, microleakage and shear bond strength of composite restorations after home dental bleaching =Libera o de oxigênio, microinfiltra o e resistência de uni o ao cisalhamento em restaura es com resina composta após clareamento dental caseiro  [PDF]
Oliveira, Marcelo Tomás de,Andrade, Mauro Amaral Caldeira de,Michels, Márcia
Revista Odonto Ciência , 2011,
Abstract: Objetivo: Avaliaram-se os efeitos do clareamento dental caseiro na libera o de oxigênio a partir de dentes clareados, na resistência de uni o ao cisalhamento e microinfiltra o de restaura es com resina composta. Metodologia: Foram selecionados 40 incisivos bovinos para titula o dos níveis de oxigênio pelo método iodométrico e 26 dentes para resistência de uni o e microinfiltra o. Para titula o os dentes foram divididos em 4 grupos: T1- clareado e titulado após 24 h; T2- clareado e titulado após 48 h; T3- n o clareado e titulado após 24 h; T4- n o clareado e titulado após 48 h. No grupo T5 n o se usaram dentes, servindo como controle inicial do teor de oxigênio. Para cisalhamento associado a microinfiltra o dividiram-se aleatoriamente os dentes em 2 grupos: CM1- clareado; CM2- n o clareado. O regime de tratamento clareador (Opalescense a 15%, Ultradent, South Jordan, UT, USA) foi de 8 h por dia durante 3 semanas. Para as restaura es utilizou-se a resina Z250 (3M-ESPE, St. Paul, MN, USA) com adesivo Single Bond (3M-ESPE, St. Paul, MN, USA). Resultados: Houve aumento significativo na libera o de oxigênio durante nas primeiras 24 h pós clareamento (ANOVA, P=0,0001). O teste t de Student confirmou diminui o da resistência de uni o para o grupo clareado (P=0,0001). Houve significante aumento na microinfiltra o no grupo clareado, independentemente do examinador (teste de Wilcoxon: 1. P=0,0003; 2. P=0,0023; 3. P=0,0029). Conclus o: Há considerável varia o nos resultados de libera o de oxigênio, resistência de uni o e microinfiltra o em dentes submetidos a clareamento dental caseiro.
Influência da profundidade dentinária na resistência à microtra o de sistemas adesivos de condicionamento ácido total e autocondicionante  [PDF]
Cecchin, Doglas et al.
Revista Odonto Ciência , 2008,
Abstract: Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência de uni o à microtra o de um sistema adesivo monocomponente (Single Bond – SB) e de um sistema adesivo autocondicionante (XENO III – XN) em dentina superficial (DS) e em dentina profunda (DP). Metodologia: A face oclusal de vinte molares humanos hígidos foi seccionada em dois níveis: 1 mm abaixo das cúspides (DS) e 3 mm abaixo das cúspides (DP). Os dentes foram divididos em 4 grupos: G1 (controle 1): SB e dentina DS, G2 (controle 2): SB e dentina DP, G3: XN e dentina DS, e G4: XN e dentina DP. Um bloco de resina composta foi confeccionado sobre essas superfícies. Os dentes foram seccionados obtendo-se quatro corpos-de-prova em forma de ampulheta de cada dente (n=20/grupo). Os corpos-deprova foram submetidos ao ensaio de microtra o à velocidade de 0,5mm/min. Os dados foram analisados por ANOVA e teste de Newman Keuls. Resultados: As médias (desvio-padr o) foram (em MPa): G1 = 15,84 (4,04)a; G2 = 13,84 (3,52)a; G3 = 8,76 (1,61)b; G4 = 8,64 (3,12)b. Conclus o: Conclui-se que diferentes níveis de profundidade dentinária n o afetaram a resistência de uni o para o mesmo material; SB mostrou os maiores valores em ambas as profundidades dentinárias.
ENSAIOS BIOMEC NICOS DE FLEX O E CISALHAMENTO EM DISJUN ES DO ARCO ZIGOMáTICO, UTILIZANDO OSTEOSSíNTESE CLáSSICA OU ADESIVO BUTIL-2-CIANOACRILATO, EM C ES  [cached]
Sica Domingos Geraldo
Acta Cirurgica Brasileira , 1998,
Abstract: A busca de solu es alternativas para o tratamento de ferimentos ósseos da face, motivou o presente trabalho, cujo escopo foi estudar a osteossíntese da disjun o experimental da sutura temporozigomática, pelo clássico método com fio de a o inoxidável ou com o uso de adesivo cirúrgico sintético (butil-2-cianoacrilato), utilizando-se como parametros de compara o testes biomecanicos onde s o aferidas a for a de flex o e da tens o de cisalhamento do arco zigomático. Os resultados foram comparados também com estruturas ósseas similares em condi es normais (sem disjun o experimental). Foram utilizados 36 c es, com peso variando de dez a doze quilogramas (kg). Os animais foram distribuídos em três grupos iguais de doze animais: grupos Normal, Fio e Cola. Os c es dos grupos Fio e Cola, após anestesia endovenosa, foram submetidos a diérese incisional na regi o zigomática e, após dissec o cirúrgica era exposto o arco zigomático. Na seqüência, praticava-se a disjun o de sutura temporozigomática, com instrumentos apropriados. O mesmo procedimento era repetido no lado contralateral de cada animal. As osteossínteses das disjun es dos arcos zigomáticos foram praticadas com fio de a o inoxidável ou com cola (butil-2-cianoacrilato), conforme o grupo a que pertencesse o animal. Os 24 animais foram observados por 40 dias, findos os quais foram reoperados para a remo o das pe as ósseas, e a seguir submetidos à eutanásia. O grupo Normal era composto por 12 c es, aparentemente hígidos, que tinham removidos os arcos zigomáticos de ambos os lados, e posteriormente submetidos à eutanásia. As 72 pe as ósseas (arco zigomático) passaram a constituir os "corpos de prova", que foram testados em Máquina de Ensaios Universal, quanto à carga de for a de flex o ou de tens o de cisalhamento, que s o os dois tipos de esfor os físicos mais comuns sobre os ossos da face, na vigência de traumatismos. Os dados encontrados foram submetidos a Análise de Variancia para grupos independentes, complementada pelo teste de contrastes de Tukey, para comparar o grupo Normal, grupo Fio e Grupo Cola, para todas as varia es estudadas. Os resultados dos ensaios biomecanicos de cisalhamento, foram similares entre si; em todas as condi es. Os resultados dos ensaios biomecanicos de flex o, mediante a utiliza o do adesivo cirúrgico foram inferiores que os obtidos mediante o emprego de fio de a o e os encontrados em condi es normais.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.