oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Les es traumáticas do parênquima pulmonar: aspectos na tomografia computadorizada  [cached]
Melo Alessandro Severo Alves de,Moreira Luiza Beatriz Melo,Marchiori Edson
Radiologia Brasileira , 2003,
Abstract: As les es pulmonares s o achados freqüentes no trauma torácico, sendo cada vez mais diagnosticadas pela tomografia computadorizada, em especial pelo rápido tempo de aquisi o decorrente da técnica helicoidal, que permite a avalia o de pacientes em estado grave, possibilitando a ado o de conduta terapêutica eficiente. Os autores estudaram 150 pacientes vítimas de trauma torácico submetidos a tomografia computadorizada, que apresentaram les es pulmonares, representadas por contus es, atelectasias, lacera es e hematomas pulmonares. As contus es pulmonares se caracterizaram por consolida es e atenua o em vidro fosco, sendo as les es pulmonares mais comuns. As atelectasias foram observadas com os padr es subsegmentar e compressiva, e foram a segunda les o mais comum. As lacera es se apresentaram como consolida es com ar ou nível líquido no interior. Os hematomas pulmonares representaram a les o pulmonar mais rara, presentes em apenas cinco casos, caracterizados por opacidades arredondadas. Neste trabalho o trauma torácico fechado predominou, com 120 casos, enquanto o trauma aberto ocorreu em 30 casos. As causas de trauma fechado, em ordem decrescente de freqüência, foram: colis o automobilística, atropelamento, queda de altura, acidente de motocicleta e espancamento. A forma penetrante de traumatismo torácico decorreu de duas causas de agress o: les o por arma de fogo e les o por arma branca.
Paniculite mesentérica: aspectos na tomografia computadorizada  [cached]
Moreira Luiza Beatriz Melo,Pinheiro Ricardo Andrade,Melo Alessandro Severo Alves de,Alves José Ricardo Duarte
Radiologia Brasileira , 2001,
Abstract: A paniculite mesentérica é um processo inflamatório que constitui o segundo estádio de uma doen a rara e progressiva que envolve o tecido adiposo do mesentério. Entre os métodos radiológicos utilizados no diagnóstico est o os estudos baritados, a ultra-sonografia, a tomografia computadorizada e a ressonancia magnética do abdome. A tomografia computadorizada tem importancia tanto no diagnóstico e avalia o da extens o da doen a quanto no planejamento do tratamento, e os aspectos tomográficos variam de acordo com o estádio da doen a e se o componente predominante é inflamatório ou fibroso, tendo boa correla o com os achados da anatomopatologia. Os autores estudaram dez casos de paniculite mesentérica submetidos a tomografia computadorizada, sendo que em um deles foi realizada ressonancia magnética. Em todos os casos o aspecto tomográfico era o de forma o expansiva heterogênea, com densidade predominantemente adiposa, apresentando vasos ectasiados e bandas lineares com densidade de partes moles de permeio, localizada no mesentério.
Carcinoma de células transicionais do trato urinário: aspectos da tomografia computadorizada  [cached]
Almeida Junior José Guiomar de,Santos Maria Lúcia de Oliveira,Vabo Telmo Pimentel do,Silva Klezer Gaspar Carvalho da
Radiologia Brasileira , 2003,
Abstract: Embora relativamente incomum, o carcinoma de células transicionais do trato urinário é o segundo tumor mais freqüente do rim. Neste trabalho foram analisadas, de forma retrospectiva, as tomografias computadorizadas de dez pacientes com carcinoma de células transicionais confirmado por exame histopatológico. A bexiga foi acometida em 60% dos casos, o sistema pielocalicinal em 60% e o ureter em 10% deles. Les es sincr nicas estiveram presentes em 40% das vezes. Os aspectos encontrados foram les es vegetantes, espessamento da parede do ureter e les es infiltrativas do rim. Foram descritos dois casos de tumores calcificados e um carcinoma de células transicionais surgindo no interior de um divertículo de bexiga. A tomografia computadorizada detectou extens o local do tumor em 80% dos pacientes e les o a distancia em 20%. A tomografia computadorizada permitiu caracterizar a extens o da doen a, localmente e a distancia, possibilitando que um grupo selecionado de pacientes pudesse ser tratado de forma conservadora.
Ruptura traumática do diafragma: aspectos na tomografia computadorizada  [cached]
Melo Alessandro Severo Alves de,Moreira Luiza Beatriz Melo,Damato Simone Duarte,Martins Erick Malheiro Le?ncio
Radiologia Brasileira , 2002,
Abstract: A ruptura traumática do diafragma é uma condi o incomum, porém cada vez mais freqüentemente diagnosticada pela tomografia computadorizada, especialmente pela técnica helicoidal associada às reconstru es multiplanares, possibilitando a ado o de conduta terapêutica cirúrgica rápida e eficiente. Os autores estudaram seis pacientes com ruptura traumática do diafragma submetidos a tomografia computadorizada, que demonstrou hernia o de estruturas abdominais para o interior do tórax através de área de ruptura na hemicúpula frênica esquerda em quatro casos; os outros dois pacientes foram submetidos a procedimento cirúrgico por trauma abdominal associado, que demonstrou les es diafragmáticas, sem evidência de hernia o na tomografia computadorizada.
Criptococose pulmonar: aspectos na tomografia computadorizada  [cached]
Silva Ana Carina Gamboa da,Marchiori Edson,Souza Jr. Arthur Soares,Irion Klaus L.
Radiologia Brasileira , 2003,
Abstract: A criptococose pulmonar é uma doen a causada pelo Criptococcus neoformans, um fungo unimórfico que possui distribui o mundial, existindo na mesma forma tanto no seu habitat natural quanto em animais e humanos. A doen a possui apresenta es clínica e patológica variáveis e pode manifestar-se tanto em pacientes com a imunidade normal como em imunocomprometidos, que representam a maioria dos casos. Neste trabalho s o analisados os aspectos encontrados nas tomografias computadorizadas do tórax de 14 pacientes com criptococose pulmonar confirmada. Os achados mais freqüentes na tomografia do tórax foram as massas e os nódulos pulmonares. Outros aspectos observados foram as áreas de escava o, as consolida es, o espessamento do interstício peribroncovascular e o reticulado difuso. Massa pulmonar foi o achado isolado mais comum (64,2%), seguido dos nódulos isolados ou múltiplos (35,7%). Doen a pulmonar difusa foi vista em apenas 14,2% dos casos. Os lobos superiores foram os mais comprometidos, sendo a doen a mais comum nas regi es anteriores. A tomografia do tórax permitiu avaliar com precis o o grau de comprometimento do parênquima pulmonar.
Amiloidose pulmonar: aspectos na tomografia computadorizada  [cached]
Marchiori Edson,Souza Jr. Arthur Soares,Ferreira Angela,Azevedo Karla Confessor
Radiologia Brasileira , 2003,
Abstract: Neste trabalho foram estudados os aspectos tomográficos observados em cinco pacientes com diagnóstico de amiloidose pulmonar confirmado histopatologicamente. Dois deles apresentaram a forma traqueobr nquica da doen a e mostraram nodula es e forma o de placas nas paredes traqueais, com calcifica es. Dois tinham a forma parenquimatosa difusa, um deles com opacidades reticulares e nodulares subpleurais, e o outro com espessamento nodular de septos interlobulares e consolida es parenquimatosas. Ambos apresentavam calcifica es de permeio às les es. O último paciente tinha a forma nodular da doen a, com nódulos de contornos regulares em ambos os pulm es, com calcifica es. Os aspectos tomográficos observados, embora n o patognom nicos, s o muito sugestivos do diagnóstico de amiloidose.
Paracoccidioidomicose pulmonar: aspectos na tomografia computadorizada de alta resolu o  [cached]
Muniz Maria Angélica Soares,Marchiori Edson,Magnago Marcelo,Moreira Luiza Beatriz Melo
Radiologia Brasileira , 2002,
Abstract: O comprometimento pulmonar na paracoccidioidomicose é muito freqüente, podendo até ser a única manifesta o da doen a. Neste trabalho s o analisados os aspectos encontrados nas tomografias computadorizadas de alta resolu o do tórax de 30 pacientes com paracoccidioidomicose confirmada. Por meio desta análise foram determinados os achados mais comuns e suas formas de apresenta o e distribui o nos pulm es. Os aspectos mais freqüentemente observados foram: espessamento esparso de septos interlobulares (96,7%), opacidades em vidro fosco (66,7%), nódulos (60%), aumento irregular do espa o aéreo (enfisema paracicatricial) (56,7%), espessamento de paredes br nquicas (46,7%), espessamento pleural (36,7%), cavidades (36,7%), dilata o da traquéia (33,3%), distor o arquitetural (30%), consolida o do espa o aéreo (30%), bandas parenquimatosas (23,3%), reticulado intralobular (13,3%) e espessamento irregular do interstício axial peri-hilar (10%). A radiografia do tórax apresenta limitada capacidade de avaliar doen as pulmonares difusas, tornando a tomografia computadorizada de alta resolu o do tórax essencial para avalia o dos pacientes com paracoccidioidomicose pulmonar.
Malária pulmonar: aspectos na tomografia computadorizada de alta resolu o - relato de caso  [cached]
Rodrigues Rosana,Marchiori Edson,Souza Daniel Andrade Tinoco de
Radiologia Brasileira , 2004,
Abstract: Neste trabalho é relatado o caso de paciente do sexo masculino, de 38 anos de idade, que desenvolveu quadro de malária com comprometimento pulmonar. A tomografia computadorizada de alta resolu o evidenciou espessamento de septos interlobulares e de bainhas peribroncovasculares, com áreas esparsas de atenua o em vidro fosco e de consolida es, além de derrame pleural bilateral, aspectos compatíveis com edema pulmonar. O paciente recebeu tratamento específico, evoluindo bem e tendo alta 11 dias após a interna o.
Apendicite epiplóica: aspectos na ultra-sonografia e na tomografia computadorizada  [cached]
Melo Alessandro Severo Alves de,Moreira Luiza Beatriz Melo,Pinheiro Ricardo Andrade,Noro Fábio
Radiologia Brasileira , 2002,
Abstract: A apendicite epiplóica é uma condi o inflamatória incomum, porém cada vez mais freqüentemente diagnosticada pelos métodos de imagem atuais (tomografia computadorizada e ultra-sonografia), os quais possibilitam a ado o de conduta terapêutica n o-invasiva e eficiente. Os autores estudaram seis casos de apendicite epiplóica por meio de tomografia computadorizada, que mostraram les es ovaladas de 1 a 2 cm de diametro, de localiza o paracólica, com atenua o de gordura e pequena lamina hiperdensa periférica com gordura marginal peritoneal espessada. Dois desses pacientes foram submetidos a ultra-sonografia, que demonstrou forma es expansivas hiperecóicas, de aspecto ovóide, n o compressíveis, localizadas sob o sítio de maior sensibilidade do abdome.
Linfangioliomiomatose pulmonar: aspectos na tomografia computadorizada de alta resolu o  [cached]
Castro Netto Eduardo Curty,Marchiori Edson,Souza Jr. Arthur Soares,Irion Klaus L.
Radiologia Brasileira , 2003,
Abstract: Neste trabalho foram estudados, retrospectivamente, 17 pacientes com linfangioliomiomatose pulmonar diagnosticada por biópsia pulmonar a céu aberto. Todos os pacientes eram do sexo feminino, com idade média de 39,6 anos. Duas pacientes tiveram também o diagnóstico de esclerose tuberosa. As pacientes foram submetidas a tomografia computadorizada de alta resolu o, cujos achados revelaram cistos com conteúdo gasoso, de formas variadas e com diferentes tamanhos, n o ultrapassando 60 mm de diametro. A grande maioria tinha as paredes finas. Todos os cistos apresentaram distribui o difusa pelo parênquima pulmonar. Somente duas pacientes apresentaram pneumotórax associado. Nódulos parenquimatosos e espessamento de septos interlobulares n o foram observados. Dessa forma, as características tomográficas utilizadas para o diagnóstico foram a ausência de nódulos e a presen a de cistos de tamanhos variados, em geral menores que 20 mm, arredondados e distribuídos difusamente pelo parênquima pulmonar.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.