oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Depress o: pontos de vista e conhecimento de enfermeiros da rede básica de saúde
Silva Mariluci Camargo Ferreira da,Furegato Antonia Regina Ferreira,Costa Júnior Moacyr Lobo da
Revista Latino-Americana de Enfermagem , 2003,
Abstract: Objetivou-se identificar os pontos de vista e o conhecimento sobre depress o de enfermeiros da rede básica de saúde. Os 73 participantes que responderam a dois questionários auto-aplicativos, encontraram-se distribuídos em 28 unidades de saúde. Nos resultados gerais dos pontos de vista e do conhecimento, a maioria das respostas est o de acordo com o que se esperava, com médio conhecimento sobre depress o. Entretanto, nas análises individuais dessas quest es, os resultados indicam que esses profissionais n o est o em contato direto e n o sabem identificar pacientes deprimidos, n o observam estes indicadores nos pacientes por eles atendidos ou n o entendem que seja sua tarefa fazer essa identifica o. Surgiram reflex es acerca da possível rela o entre as a es de saúde mental com a sua forma o profissional. Dessa maneira, o ensino na gradua o e a educa o continuada passam a ter maior importancia no desenvolvimento das a es de enfermagem para a saúde mental.
Conhecimento e atividades da enfermagem no cuidado do esquizofrênico  [cached]
Sueli Aparecida de Castro,Antonia Regina Ferreira Furegato
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2008,
Abstract: Em sua prática, os enfermeiros enfrentam dificuldades na implementa o do cuidado ao esquizofrênico. O objetivo deste trabalho foi identificar conhecimento e atividades da enfermagem no cuidado esquizofrênico. O presente estudo realizado em 2004 é do tipo exploratório-descritivo, com análise quali-quantitativa. Participaram da entrevista 17 dos 20 enfermeiros de um hospital público, 8 fizeram especializa o em Enfermagem Psiquiátrica e a maioria prefere trabalhar com doentes mentais cr nicos. Os enfermeiros e a equipe de enfermagem referem dificuldades no manejo dos pacientes esquizofrênicos com sintomas de heteroagressividade, delírios, alucina es e imprevisibilidade. Há poucas referências a respeito do aumento da autonomia do paciente e da participa o da família no procedimento terapêutico. A maior dificuldade dos enfermeiros reside na comunica o e nas rela es interpessoais. Concluindo, os enfermeiros cuidam dos pacientes de acordo com a sintomatologia, demonstram preocupa o com a assistência prestada e relatam a necessidade de buscar maior conhecimento.
Eletroconvulsoterapia no tratamento da psicose puerperal
Madeira, Nuno;Santos, Tiago;Relvas, Jo?o Santos;Abreu, José Luís Pio;Oliveira, Cristina Villares;
Jornal Brasileiro de Psiquiatria , 2012, DOI: 10.1590/S0047-20852012000100009
Abstract: puerperal psychosis (pp) is an exuberant clinical syndrome with an estimated frequency of 1 case per 1,000 childbirths that has been most consistently associated with the bipolar disorders spectrum. available evidence is scarce, namely regarding management and treatment. the authors present the clinical case of a 28 year-old first-time mother, with no psychiatric history, who developed a florid psychotic syndrome in the first weeks of puerperium. due to lack of improvement following pharmacological treatment, electroconvulsive therapy (ect) was applied, with substantial and quick response. in this context, the authors reviewed current literature on the use of ect for the treatment of puerperal psychosis.
Depress o puerperal - uma revis o de literatura
Elda Terezinha da Silva,Nadja Cristiane Lappann Botti
Revista Eletr?nica de Enfermagem , 2005,
Abstract: O puerpério é uma fase de profundas altera es no ambito social, psicológico e físico da mulher, sendo assim, aumentam os riscos para o aparecimento dos transtornos psiquiátricos. Os distúrbios psiquiátricos puerperais se classificam em Depress o Puerperal, Psicose Puerperal e Tristeza Pós-Parto que se diferem entre si em diversos aspectos. O presente artigo discutirá acerca dos transtornos psíquicos puerperais, com ênfase na Depress o Puerperal. A Depress o Puerperal é um transtorno mental de alta prevalência e que provoca altera es emocionais, cognitivas, comportamentais e físicas. A sua etiologia é determinada por uma combina o de fatores que devem ser abordados no diagnóstico e terapêutica. O quadro depressivo puerperal surge na maioria das vezes, nas duas primeiras semanas após o parto. A Depress o Pós-Parto é uma síndrome psiquiátrica importante que em geral repercute na intera o m e-filho e praticamente de forma negativa e promove um desgaste progressivo na rela o com os familiares.A saúde mental é um componente fundamental da saúde humana, portanto promovê-la é um dever dos profissionais envolvidos no cuidado humano.
Epidemiologia dos transtornos alimentares: estado atual e desenvolvimentos futuros
Hay Phillipa J
Revista Brasileira de Psiquiatria , 2002,
Abstract: Os objetivos do presente trabalho foram: fornecer uma avalia o do progresso da epidemiologia na área de transtornos alimentares, desde estudos sobre incidência e prevalência até os estudos comunitários prospectivos, bem como estudos caso-controle; sintetizar o atual estado da incidência e prevalência dos transtornos alimentares; discutir os estudos epidemiológicos analíticos sobre os transtornos alimentares, enfocando estudos comunitários sobre fatores de risco e nosologia; e apontar as áreas de estudos futuros, especialmente sobre a carga social e econ mica e o grau de "conhecimento sobre saúde mental" da popula o em geral a respeito das pessoas com transtornos alimentares. Apesar dos problemas para identificar e recrutar um número suficiente de pessoas com anorexia nervosa e os métodos variáveis de recrutamento de casos, os estudos sobre incidência e prevalência dos transtornos alimentares atingiram um consenso e em geral n o corroboram uma incidência ascendente atual, exceto, possivelmente, por um pequeno aumento na anorexia nervosa em mulheres jovens. A aplica o de métodos epidemiológicos analíticos permitiu uma compreens o melhor dos fatores ambientais e genéticos, em compara o com os sociais e econ micos, quanto ao risco de desenvolvimento de transtornos alimentares, bem como ajudaram no refinamento da nosologia desses transtornos. Futuramente, a epidemiologia analítica terá potencial para responder a quest es-chave sobre a natureza e os determinantes dos transtornos alimentares e para ajudar a decidir como auxiliar os que mais necessitem.
Transtornos alimentares e os espectros do humor e obsessivo-compulsivo
Fontenelle Leonardo F,Cordás Táki A,Sassi Erlei
Revista Brasileira de Psiquiatria , 2002,
Abstract: Revisamos os estudos clínicos e biológicos que sugerem que os transtornos alimentares (TA) s o express es fenotípicas de outros transtornos psiquiátricos e parte de espectros de psicopatologia, em especial dos espectros dos transtornos do humor e do transtorno obsessivo-compulsivo. A investiga o da rela o entre os TA e outros transtornos psiquiátricos através dos modelos espectrais pode proporcionar um melhor entendimento da fisiopatologia destas síndromes e a elabora o de tratamentos mais eficazes. Entretanto, o reconhecimento de que os TA possuem características peculiares e a ado o de uma postura crítica em rela o a modelos que eliminam limites diagnósticos s o também fundamentais para a evolu o do conhecimento no campo.
Conhecimento de enfermeiros da Estratégia Saúde da Família sobre resíduos dos servi os de saúde Conocimiento de enfermeros de la Estrategia Salud de la Familia sobre los residuos de servicios de salud Knowledge of nurses of the Family Health Strategy on health services waste  [cached]
Maíra Azevedo dos Santos,Anderson de Oliveira Souza
Revista Brasileira de Enfermagem , 2012, DOI: 10.1590/s0034-71672012000400014
Abstract: O estudo realizado aborda a problemática envolvendo os resíduos sólidos de servi os de saúde e a atitude do enfermeiro perante os aspectos relacionados ao gerenciamento e a conscientiza o ambiental. Participaram da pesquisa dez profissionais atuantes na Estratégia de Saúde da Família, dos municípios de Araputanga, Mirassol D'oeste e S o José dos Quatro Marcos. Os dados foram obtidos através da aplica o de questionários, posteriormente analisados através do software Origin . Observou-se o nível de conhecimento em rela o à legisla o vigente, etapas de manejo realizadas em ambito municipal e capacita o da equipe e, ainda, a respeito da habilidade dos profissionais em diagnosticar situa es de risco ocupacional e para a saúde pública. Apesar da existência de um significativo conhecimento sobre o tema, ainda há necessidade de trabalhos de conscientiza o e desenvolvimento de práticas adequadas de gerenciamento de Resíduos de Servi os de Saúde. El estudio aborda los problemas relacionados con los residuos sólidos del servicio de salud y la actitud de los enfermeros hacia los aspectos relacionados con la gestión y la concientización ambiental. Participaran del estudio diez profesionales que trabajan en la Estrategia de Salud Familiar, en los municipios de Araputanga, Mirassol D'Oeste y S o José dos Quatro Marcos. Los datos se obtuvieron mediante la aplicación de cuestionarios, posteriormente analizados a través del software Origin . Se observó el nivel de conocimientos sobre la legislación vigente, las medidas de gestión adoptadas en ámbito municipal y también la capacidad de los profesionales para diagnosticar situaciones de riesgos ocupacionales y para la salud pública. A pesar de la existencia de un conocimiento significativo sobre el tema, todavía hay que trabajar en la sensibilización y en el desarrollo de prácticas apropiadas de gestión de los residuos de los servicios de salud The study addresses the problem involving the solid waste from health service and the nurses attitude towards aspects related to the management and environmental awareness. Participants were ten professionals working in the Family Health Strategy, from the municipalities of Araputanga, Mirassol D'west and S o José dos Quatro Marcos. Data were collected through questionnaires, and analyzed using the software Origin . It was observed the level of knowledge regarding the current law, management steps taken at the municipal and staff training, and also about the ability of the professionals to diagnose situations and occupational risk to public health. Despite the existence of a
O papel da Universidade no contexto da política de Educa o Inclusiva: reflex es sobre a forma o de recursos humanos e a produ o de conhecimento  [cached]
Rosana Glat,Márcia Denise Pletsch
Revista Educa??o Especial , 2010,
Abstract: O presente texto objetiva discutir e apresentar, de forma sucinta, linhas de a o sobre o papel da Universidade na promo o do desenvolvimento psicossocial e educacional de pessoas com deficiências e outras necessidades especiais. Tomando como referência a literatura especializada, aborda quest es voltadas para a forma o de recursos humanos, sobretudo a forma o de professores e a produ o de conhecimento na área de Educa o Especial, adquirido por meio de pesquisas e projetos de extens o, realizados, preferencialmente, em parceria com os agentes educacionais que atuam no campo. Analisa ainda, como essas a es podem influenciar na efetiva o das políticas voltadas para a inclus o escolar, laboral, e social da popula o com deficiências e demais transtornos do desenvolvimento. Palavras-chave: Inclus o escolar e laboral; Forma o de professores; Produ o de conhecimento.
Practice of care/caring for patients with mental disorders: perception of nurses Prática de cuidar/cuidado aos portadores de transtornos mentais: concep o dos enfermeiros  [cached]
Fabiana Dias Lima Vidal,Verbena Santos Araújo,Elisangela Braga de Azevedo,Edmundo de Oliveira Gaudêncio
Ciência & Saúde , 2012,
Abstract: Objective: To learn about the concepts of the Psychosocial Care Centers (CAPS) nurses about the care/care of patients with mental disorders and to analyze the specific characteristics of care/care practiced. Materials and Methods: Empirical study, of a qualitative nature, composed from the discourse of seven nurses coupled to the CAPS, collected through semi-structured interview, using the content analysis technique. Results: Four categories were made: Care/caring as an attention to the human being needs; Care/caring as differentiated/undifferentiated care form; Care/caring as social reintegration, respect and care; Care/caring as a difficult relationship. Conclusion: We have found that the nurses are aware of the care directed to the mental disorder individuals and have achieved remarkable results, guiding their limits and advances in rehabilitation and that caring should be understood and practiced in an integral, humanized and interdisciplinary way. Objetivo: Conhecer a concep o dos Enfermeiros dos Centros de Aten o Psicossocial (CAPS) acerca do cuidar/cuidado de portadores de transtornos mentais e analisar as especificidades do cuidar/cuidado praticado. Materiais e Métodos: Estudo empírico, de caráter qualitativo, constituído a partir das falas de sete enfermeiros vinculados aos CAPS, coletadas através de entrevista semiestruturada, tendo como técnica a análise de conteúdo. Resultados: Desenharam-se quatro categorias: Cuidar/cuidado como aten o às necessidades do ser; Cuidar/cuidado como forma diferenciada/indiferenciada de cuidado; Cuidar/cuidado como reinser o social, respeito e aten o; Cuidar/cuidado como relacionamento difícil. Conclus o: Constatou-se que os enfermeiros mostram-se conscientizados do cuidar direcionado aos portadores de transtornos mentais e têm alcan ado resultados surpreendentes, norteando seus limites e avan os na reabilita o e que o cuidar deve ser entendido e praticado de forma integral, humanizada e interdisciplinar.
Pain evaluation as a fifth vital sign in the risk classification: a study with nurses Avalia o da dor como quinto sinal vital na classifica o de risco: um estudo com enfermeiros  [cached]
Flávia Franco Morais,Juliana Penido Matozinhos,Thiago Tomé Borges,Carolina Marques Borges
Ciência & Saúde , 2009,
Abstract: Objective: To evaluate the use of pain evaluation and the risk classification used by nurses. Material and Methods: Descriptive cross-sectional study with a sample size of 15 nurses from the course of Urgency, Emergency and Trauma, Continued Education Institute, at Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. The tool used for data collection was a questionnaire developed especially for this study which comprised six questions related to perception and knowledge of the nurses about pain evaluation as a vital sign. Results: From the total respondents, fourteen (93.3%) were female, nine (60.0%) were 25 years old or older and the marital status more often reported was single (66.6%). The time since graduation ranged between two and five years. Only three (20.0%) individuals worked with risk classification approach although all of total respondents agreed that the pain might help on risk classification; thirteen classified pain as a vital sign. Conclusion: In spite of the answers that considered the pain evaluation as an important issue to take into account during risk evaluation, half of them do not use this approach in their workplace. New studies with a more refined method, as well as investigations targeting other health professionals are strongly recommend. Objetivo: Avaliar o uso da avalia o da dor e a classifica o de risco utilizada por enfermeiras. Materiais e Métodos: Estudo transversal descritivo com amostra de 15 enfermeiros matriculados no curso de Urgência, Emergência e Trauma, Instituto de Educa o Continuada, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. O instrumento utilizado para a coleta de dados foi um questionário, desenvolvido especialmente para este estudo, composto por seis quest es referentes à percep o e conhecimento dos enfermeiros sobre avalia o de dor como sinal vital. Resultados: Do total de respondentes, quatorze (93,3%) eram do sexo feminino, nove (60,0%) tinha idade igual ou maior que 25 anos e o estado civil mais comumente relatado foi solteiro (66,6%). O tempo de forma o variou entre dois e cinco anos. Apenas três (20,0%) participantes trabalhavam com classifica o de risco e apesar de todos os enfermeiros afirmarem que a dor pode ajudar na classifica o de risco, apenas 13 deles classificam a dor como sinal vital. Conclus o: Apesar da avalia o da dor ter sido considerada importante na classifica o de risco pelos dos enfermeiros entrevistados, metade deles n o utilizava a classifica o de risco no servi o. Novos estudos se fazem necessários utilizando um desenho metodológico mais refinado bem como a investi
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.