oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
TESTES DE CONDUTIVIDADE ELéTRICA PARA AVALIA O DO VIGOR DE SEMENTES DE SOJA (Glycine max (L.) Merrill)  [cached]
DIAS D.C.F.S,MARCOS FILHO J.
Scientia Agricola , 1996,
Abstract: O presente trabalho teve como objetivo investigar a possibilidade de redu o do período de condicionamento das sementes nos testes de condutividade elétrica, nos sistemas de massa e individual, e consequentemente, obter indica es mais rápidas sobre a qualidade fisiológica dos lotes. Para tanto, foram utilizados quatro lotes de sementes de soja das variedades IAC-8 e IAC-15 que foram submetidos a estudos específicos de condutividade elétrica de massa e individual (ASA-610), empregando-se períodos de condicionamento de 4, 8, 12, 16, 20 e 24 horas. No sistema de massa foram utilizadas amostras de sementes n o danificadas e de sementes fisicamente puras. Nos estudos com o ASA-610 foram testadas as intensidades de corrente elétrica de 95 a 45 mA/semente, em intervalos de 5mA. Além destes foram conduzidos os seguintes testes: germina o, primeira contagem de germina o, envelhecimento artificial e determina o do grau de umidade das sementes. Os resultados indicaram que há possibilidade de redu o no período de condicionamento das sementes no teste de condutividade de massa, sendo que os períodos de embebi o mais curtos (4 e 8 horas) permitiram a identifica o de diferen as mais acentuadas entre os lotes, enquanto que leituras realizadas a partir de 16 horas mostraram-se mais sensíveis às varia es de vigor das sementes. O referido teste mostrou-se adequado para a identifica o de lotes com diferentes níveis de vigor. Já a condutividade individual (ASA-610) revelou eficiência variável de acordo com a variedade avaliada.
UTILIZA O DO TESTE DE CONDUTIVIDADE ELéTRICA PARA PREVIS O DO POTENCIAL GERMINATIVO DE SEMENTES DE INGá  [cached]
BARBEDO C.J.,CICERO S.M.
Scientia Agricola , 1998,
Abstract: Sementes de espécies do gênero Inga apresentam curta longevidade em condi es naturais, freqüentemente inferiores a 15 dias. O teste de germina o para estas sementes tem dura o de 7 a 15 dias, tornando-o de difícil aplicabilidade na separa o de lotes de sementes a serem beneficiados e armazenados. Assim, esta pesquisa visou verificar a eficiência da utiliza o do teste de condutividade elétrica na separa o, quanto à qualidade fisiológica, de lotes de sementes de ingá (Inga uruguensis Hook. & Arn.). Foram utilizados três lotes de sementes distintos quanto à sua época de coleta, cada qual com dois sublotes em fun o da forma de obten o (colheita diretamente nas árvores e coleta sobre o solo). Todos foram armazenados por período de 80 dias, em vermiculita úmida dentro de camara fria, com análises a cada 20 dias. Os resultados comprovaram a eficiência do teste na separa o de lotes de alta (germina o superior a 50%), média (germina o entre 10 e 40%) ou baixa (germina o inferior a 10%) qualidade fisiológica que corresponderam a valores de condutividade elétrica de, respectivamente, 0-25, 25-60 e acima de 60 mS.g de peso de matéria seca-1.cm-1.
Extratores de cápsulas porosas para o monitoramento da condutividade elétrica e do teor de potássio na solu o de um solo  [cached]
Silva ênio Farias de Fran?a e,Anti Gláucia Regina,Carmello Quirino Augusto de Camargo,Duarte Sérgio Nascimento
Scientia Agricola , 2000,
Abstract: Este trabalho teve como objetivo avaliar a utiliza o de extratores de cápsulas porosas no monitoramento da condutividade elétrica e da concentra o de potássio na solu o do solo, em uma área cultivada com tomates e fertirrigada com três níveis de potássio e frequências de aplica o de um e três dias. Os valores de condutividade elétrica e concentra o de potássio encontrados na solu o do solo foram corrigidos para a umidade da pasta saturada, em fun o das diferentes umidades do solo no momento da extra o. Os valores de condutividade elétrica obtidos com os extratores de cápsulas porosas e corrigidos para a umidade da pasta subestimaram os medidos no extrato da pasta saturada em torno de 16%. Para as concentra es de potássio, a mesma tendência foi observada, sendo a magnitude cerca de 10%. Os coeficientes de determina o (R2) foram superiores a 0,7 para as duas variáveis analisadas. A condutividade elétrica e a concentra o de potássio podem ser avaliadas utilizando-se extratores de solu o, com precis o razoável.
Electric conductivity of the exudate of beans from diferents coffee genotipes (Caffea arabi L.) / Condutividade elétrica do exsudato de gr os de diferentes cultivares de café (coffea arábica l.)  [cached]
Cássio Egidio Cavenaghi Prete,Jairo Teixeira Mendes Abrah?o
Semina : Ciências Agrárias , 2000,
Abstract: In order to study the influence of genotype on coffee electrical conductivity, an experiment was conducted at Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Agricultural Department with materials from Agronomic Institut of Campinas. Eleven cultivars were tested. An inverse relation between electrical conductivity and beverage quality was found. Cultivars were ranked in a increasing order of quality: Icatu Vermelho Acaia, Caturra Vermelho, Icatu Amarelo, Novo Mundo, Catuai Vermelho, Catuai Amarelo, Bourbon Vermelho, Caturra Amarelo, Bourbon Amarelo e Arabica. Para estudar a influência do genótipo sobre a condutividade elétrica dos exsudatos de gr os de café foi realizado este experimento no Departamento de Agricultura da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz com materiais provenientes do Setor de Genética do Instituto Agron mico em Campinas. Foram testados onze cuitivares, que apresentaram uma rela o inversa entre condutividade elétrica e qualidade de bebida. Os cuitivares apresentaram a seguinte ordem crescente de qualidade: Icatu Vermelho, Acaia, Caturra Vermelho, Icatu Amarelo, Novo Mundo, Catuai Vermelho, Catuai Amarelo, Bourbon Vermelho. Caturra Amarelo, Bourbon Amarelo e Arábica.
TESTE DE CONDUTIVIDADE ELéTRICA PARA A AVALIA O DO POTENCIAL FISIOLóGICO DE SEMENTES DE BRóCOLIS
MAGRO, Felipe Oliveira,SALATA, Ariane da Cunha,HIGUTI, Andrea Reiko Oliveira,CARDOSO, Antonio Ismael Inácio
Nucleus , 2011,
Abstract: This experiment was conducted to evaluate the effect of water volumes and imbibition periodin electrical conductivity of broccoli seeds. The experimental design was entirely randomized, with three lots ofbroccoli seeds and four replicates. The seeds were classified into different vigor levels, according to the standardgermination test conducted. For the electrical conductivity test, 50 seeds per plot were used at temperature of 25° C, and it was evaluated two volumes of distilled water (25 and 50 mL). The readings were performed after 1, 2,3, 4, 6, 8 and 24 hours, with values expressed in μS cm-1 g-1. Water volumes did not differ in the classification ofseed lots, although the volume of 25 mL have shown higher values. Only the readings taken at 1 and 2 hours ofsoaking were found differences among lots, following the trend of the germination test. After 3 hours of soakingno difference was observed. Smaller periods of soaking are more efficient to detect differences in vigor ofbroccoli seeds.A pesquisa foi realizada com objetivo de avaliar o efeito do volume de água e do período deembebi o sobre os resultados do teste de condutividade elétrica em sementes de brócolis. O delineamentoexperimental foi inteiramente ao acaso, com três lotes de sementes de brócolis e quatro repeti es. As sementesforam classificadas em diferentes níveis de vigor, em fun o do teste padr o de germina o realizadoanteriormente. Para o teste de condutividade elétrica foram utilizadas 50 sementes por repeti o a 25oC, sendoavaliados dois volumes de água destilada: 25 e 50 mL. As leituras foram realizadas após períodos de 1, 2, 3, 4, 6,8 e 24 horas, com valores expressos em μS cm-1 g-1. Os volumes de água n o influenciaram a classifica o doslotes de sementes, embora o volume de 25 mL tenha apresentado maiores valores. Apenas nas leituras realizadascom 1 e 2 horas de embebi o foram constatadas diferen as significativas entre os lotes, seguindo a mesmatendência do teste de germina o, o que acabou n o ocorrendo para as avalia es realizadas a partir de 3 horas.Menores períodos de embebi o s o mais eficientes para detectar diferen as no vigor de sementes de brócolis.
Teste de condutividade elétrica em fun o do número de sementes e da quantidade de água para sementes de milheto Electrical conductivity test in function of the number of seeds and the amount of water for pearl millet seeds  [cached]
Carolina Maria Gaspar,Jo?o Nakagawa
Revista Brasileira de Sementes , 2002,
Abstract: Foram realizados dois experimentos, com os objetivos de estudar o efeito da corre o do valor da condutividade elétrica da solu o de embebi o (mS cm-1 g1) em fun o da condutividade da água e os efeitos do número de sementes e da quantidade de água sobre a condutividade elétrica da solu o de embebi o, visando o aprimoramento da metodologia deste teste na avalia o do vigor de sementes de milheto. Utilizaram-se três lotes de sementes, sendo o lote 1 representado pela cultivar Comum e os lotes 2 e 3 pela cultivar BN2. No experimento 1 foram avaliadas as condutividades elétricas de 10, 20, 30, 40, 50, 60, 70, 80, 90 e 100 sementes do lote 1, embebidas em 100 ml de água. No experimento 2 foram estudadas as combina es de 25, 50 e 100 sementes e 50, 75 e 100 ml de água para os três lotes. Os testes de condutividade foram conduzidos à temperatura de 25oC, com 24h de embebi o. Empregou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro repeti es por tratamento. Pode-se concluir que: a condutividade da água exerce influência sobre o valor calculado da condutividade elétrica da solu o de embebi o de sementes de milheto, quando o valor da condutividade da solu o é baixo; a utiliza o de 100 sementes e 100 ml de água foi a melhor combina o para a realiza o do teste de condutividade elétrica para as sementes de milheto, pois melhor identificou as diferen as entre os lotes. Two experiments were carried out to study the correction effect of the electrical conductivity value of the imbibition solution (mS cm-1 g-1) as affected by the conductivity of the water used in the test and the effects seed number and volume of water on the electric conductivity of the imbibition solution, to improve the methodology for this test in the evaluation of pearl millet seed vigor. Three seed lots were used, lot 1 represented by cv. Comum and the lots 2 and 3 by cv. BN2. In experiment 1 the electrical conductivities of 10, 20, 30, 40, 50, 60, 70, 80, 90 and 100 seeds of lot 1 were evaluated and placed in 100 ml distilled water. In experiment 2 the combinations of 25, 50 and 100 seeds and 50, 75 and 100 ml of water were studied for the three lots. The conductivity tests were carried out at 25 Co, with 24h imbibition. The statistical model was the complete randomized block, with four replications for all the treatments. The conductivity of the water used in the test influenced the calculated value of the electrical conductivity of the imbibition solution for pearl millet seeds, when the value of the conductivity of the solution is low. The best combination for
CONDUTIVIDADE ELéTRICA EM SEMENTES DE TOMATE (Lycopersicon lycopersicum L.)  [cached]
Sá Marco Eustáquio de
Scientia Agricola , 1999,
Abstract: Sementes de tomate, sendo dois lotes comerciais do cultivar Petomech e dois lotes do cultivar Santa Clara, foram estudados com o objetivo de se avaliar as varia es nos resultados de teste de condutividade elétrica, em fun o do período de embebi o (6, 12, 18 e 24 horas) e do número de sementes utilizadas no teste (25, 50 e 100), procurando-se relacionar os resultados com a emergência das plantulas e o desempenho das sementes em outros testes, em tres épocas de avalia o. Os resultados obtidos mostraram comportamento diferenciado dos cultivares, com valores mais altos de condutividade elétrica para as sementes do cultivar Petomech. Observaram-se também diferen as acentuadas entre os dois lotes do cultivar Petomech em termos de condutividade. Os acréscimos dos valores de condutividade com o decorrer da embebi o corresponderam a queda no vigor das sementes independentemente do cultivar.
Condutividade elétrica da solu o nutritiva e produ o de alface em hidroponia  [cached]
Costa Paulo César,Didone Evanessa B.,Sesso Thaís M.,Ca?izares Kathia Alexandra Lara
Scientia Agricola , 2001,
Abstract: A varia o da condutividade elétrica da solu o nutritiva altera a absor o de água e nutrientes pelas plantas, interferindo no metabolismo e, consequentemente, na produ o das mesmas. Este trabalho, conduzido no período de agosto a outubro de 1999, avaliou o efeito da condutividade elétrica (CE) sobre a produ o e desenvolvimento de alface americana de cabe a crespa, cultivar Ryder em hidroponia. As tendências de varia o da condutividade elétrica do meio nutritivo, durante o desenvolvimento da alface, foram também avaliadas. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com seis repeti es e três tratamentos, constituídos pelas condutividade elétricas: CE1= 1,46, CE2= 2,46 e CE3= 4,21 (± 0,24) mS cm-1. O diametro e altura da cabe a e peso seco da raiz n o foram influenciados pelas condutividades elétricas da solu o nutritiva. Os maiores pesos do material fresco e seco foram conseguidos com CE 2,46 (± 0,24) mS cm-1. Todos os tratamentos apresentaram a tendência de diminui o da condutividade elétrica, durante o cultivo da alface verificando-se que a condutividade elétrica teve influência sobre as características de produ o da alface americana.
Influência da embalagem e estocagem no conteúdo de betacaroteno e ácido ascórbico em suco de manga “Ubá” industrializado = Influence of package and storage on the content of beta-carotene and ascorbic acid in industrialized “Ubá” mango juice
Daniela da Silva Oliveira,Gardênia Márcia Silva Campos Mata,Ceres Mattos Della Lucia,Flávia Milagres Campos
Acta Scientiarum : Health Sciences , 2010,
Abstract: Este trabalho investigou o conteudo e avaliou a estabilidade de doisantioxidantes naturais - β-caroteno e acido ascorbico (AA) - em suco de manga "Uba" industrializado e armazenado em diferentes tempos de estocagem e correlacionou as recomendacoes de vitaminas A e C com o teor encontrado nos sucos. O β-caroteno e o AA foram analisados nos sucos comercializados em embalagem tetra pak, em cinco tempos de estocagem (1 a 5 meses) e em embalagem de vidro, em tres tempos de estocagem (apos 3, 4 e 5 meses de armazenamento). A analise foi realizada por Cromatografia Liquida de Alta Eficiencia (CLAE). Nao foram detectadas diferencas estatisticamente significativas (α = 5%) entre os diferentes tempos de estocagem, para ambos os componentes analisados, tanto em embalagens tetra pak quanto em embalagens de vidro. Alem disso, nao foram observadas diferencas significativas entre o conteudo de β-caroteno dos sucos comercializados nas duas embalagens. No entanto, houve diferenca significativa no teor de AA entre as diferentes embalagens, e a embalagem de vidro apresentou maior teor em relacao a embalagem tetrapak. Assim, as perdas ocasionadas especialmente pela permeabilidade da embalagem ao oxigenio deveriam ser alvo de atencao das industrias de alimentos. This work investigated the content and stability of two natural antioxidants . β-carotene and ascorbic acid (AA) - in mango juice industrialized and stored during different storage times, correlating the recommendations of vitamins A and C with the content found in the juice. β-carotene and AA were analyzed in juice sold in tetra pak packaging, during five storage times (1 to 5months) and in glass containers, during three storage times (after 3, 4 and 5 months of storage). The analysis was carried out using High Performance Liquid Chromatography (HPLC). No statically differences (α = 5 %) were found between the different times of storage for both compounds analyzed, both in tetra pak package and glass container. Furthermore, no significant differences were found between the β-carotene content of the juices sold in both containers. However, we found statistical differences in AA levels between the different packages, with glass containers showing greater content compared to tetra pak packaging. Thus, losses occasioned by package permeability to oxygen should be subject of concern in the food industry.
PERFIL SENSORIAL DE SUCO DE MANGA ADO ADO COM DIFERENTES EDULCORANTES E COM SACAROSE  [cached]
D. C.U. CAVALLINI,H. M.A. BOLINI
Alimentos e Nutri??o , 2009,
Abstract: Um edulcorante deve apresentar características de sabor e aroma semelhantes às da sacarose. Este trabalho teve por objetivo avaliar as propriedades sensoriais do suco de manga ado ado com sacarose, mistura ciclamato/sacarina 2:1, aspartame, sucralose e estévia, a 8% de equivalência de do ura, através da Análise Descritiva Quantitativa. Foram avaliados doze atributos (cor, aroma de manga, aroma doce, aroma ácido, sabor de manga, do ura, do ura residual, amargor, amargor residual, acidez, adstringência e corpo), utilizando-se uma escala n o estruturada de nove centímetros. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variancia, teste de médias de Tukey e análise de componentes principais. N o observou-se diferen a significativa entre as amostras em rela o à cor e o suco ado ado com sacarose apresentou média significativamente superior para o atributo corpo. As amostras com sacarose e aspartame exibiram as maiores intensidades de sabor de manga e do ura e as menores de amargor e amargor residual, quando comparadas com a mistura ciclamato/sacarina. O suco ado ado com estévia caracterizou-se por apresentar maior intensidade para do ura residual, amargor e amargor residual. De acordo com os resultados da Análise Descritiva Quantitativa o aspartame foi o edulcorante cujo comportamento sensorial mais se assemelhou ao da sacarose em suco de manga. PALAVRAS-CHAVE: Manga; edulcorantes; análise descritiva quantitativa.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.