oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Desempenho individual e organiza o escolar na realiza o educacional
Nelson do Valle Silva,Maria Ligia de Oliveira Barbosa
Sociologia & Antropologia , 2012,
Abstract: Esse artigo analisa algumas representa es dos brasileiros sobre seu processo de escolariza o (avalia es e lembran as sobre escola e professores) e suas rela es com a objetiva o dessas representa es em trajetórias escolares diferenciadas (níveis de desempenho escolar dos entrevistados). S o descritas as variáveis clássicas – idade, sexo e origem social – dos chefes de família e c njuges integrantes da nossa amostra, que é representativa da popula o brasileira. A escola foi caracterizada como um fator interveniente na trajetória social dos indivíduos através de três avalia es da experiência individual: a escola, o professor e a própria posi o entre os colegas. Analisou-se o peso dessas experiências escolares na determina o dos diferentes níveis de sucesso escolar em rela o ao peso da origem familiar ou social. No contexto brasileiro, origem social determina fortemente as trajetórias escolares. A escola n o foi capaz ainda de reduzir substancialmente os impactos da origem social dos alunos sobre o seu destino.
Um extraterrestre em busca de um lugar: considera es sobre violência, linguagem e aprendizagem, na perspectiva da inclus o escolar = An extraterrestrial searching for a place: considerations about violence, language and apprenticeship, in the perspective of school’s inclusion  [PDF]
Stahlschmidt, Ana Paula Melchiors
Educa??o , 2009,
Abstract: O texto aborda a rela o entre linguagem e aprendizagem no contexto da inclus o escolar de crian as com transtornos de desenvolvimento, considerando as implica es da história do sujeito e sua experiência relativa à escolariza o, a partir dos conceitos de violência primária e secundária, cunhados por Piera Aulagnier e retomados por Alicia Fernández. Tomando como ilustra o um caso acompanhado pela autora, em sua prática como psicóloga da rede municipal de abrigagem e atendimento à crian a e ao adolescente vítimas de violência intrafamiliar, s o discutidos os conceitos mencionados e as dificuldades encontradas no processo de inser o escolar de crian as cuja estrutura psíquica pode colocar-se à professores e equipe educacional como entrave à adapta o à escola regular, bem como a importancia da supera o das dificuldades encontradas no processo de inclus o e seus efeitos sobre diversas áreas da vida destes sujeitos.
Tecnologias da Informa o e Comunica o (TICs), inclus o e cartografia escolar  [cached]
Ruth Emília Nogueira
Geografares , 2012,
Abstract: Os acontecimentos, os fatos, as coisas, os episódios, as catástrofes, as interven es, as a es, acontecem em algum lugar em um determinado tempo. Há um espa o e um tempo onde o ser humano se dá conta de existir, de viver. No contexto desse texto, tempo-espa o-a o ser o assim significados: O espa o é o da escola informatizada, com acesso à rede mundial de computadores, no tempo da sociedade da informa o e da exclus o social e, for adamente, da inclus o digital e educacional. O que se espera que aí aconte a? Ensino e aprendizagem do espa o geográfico e sua representa o utilizando as tecnologias da informa o e comunica o (TICs) de forma inclusiva. Para discutir o entrela ado destes temas s o encadeados quatro tópicos. No primeiro s o tecidas considera es sobre a sociedade no tempo que se vive. No segundo, sobre o espa o escolar e as TICs, depois, o professor frente às TICs e a inclus o educacional. Dedica-se um item para tratar da Cartografia Escolar, a internet e a inclus o. é utilizado o portal do LabTATE para exemplificar o planejamento de atividades neste contexto. De certo modo, nada de novo é apresentado, mas, abordado, quem sabe, de maneira diferente daquela que se encontra na literatura acadêmica. Passeia-se pela sociedade, entra-se na escola e busca-se o professor para chegar à quest o da Cartografia Escolar e às TICs e a inclus o educacional.
A Docência e o Desempenho dos Alunos dos Cursos de Gradua o em Contabilidade no Brasil
Cássia Vanessa Olak Alves Cruz,Luiz Jo?o Corrar,Valmor Slomski
Contabilidade Vista & Revista , 2008,
Abstract: A es que visem a melhoria do processo de ensino-aprendizagem poder o seradequadamente implementadas, à medida que se conhe am os fatores que influenciam aperformance educacional dos estudantes. Assim, este estudo tem por objetivo comparar odesempenho de alunos dos cursos de gradua o em Ciências Contábeis no Brasil levandoseem considera o determinados aspectos da docência e recursos físicos educacionais; demodo a verificar o possível impacto destes fatores sobre o desempenho dos discentes. Odesenvolvimento da pesquisa se deu através de investiga o empírica, sendo examinada aperformance de 22.694 alunos de gradua o em Ciências Contábeis no Exame Nacional deCursos – Prov o do ano de 2002. No processo de análise dos dados foram utilizados ostestes de Kruskal-Wallis e de Mann-Whitney. Constatou-se, pelos resultados, que osprofessores tiveram influência no desempenho dos seus educandos, sob três aspectos:domínio atualizado das disciplinas ministradas, técnicas de ensino empregadas e recursosdidáticos utilizados. Além disso, o acesso a microcomputadores também impactou aperformance dos discentes, no entanto, o mesmo n o aconteceu em rela o às condi esfísicas da biblioteca para estudo. Assim, espera-se que o desenho de políticas cujo alvo sejaa melhoria do ensino superior em Contabilidade leve em considera o esses fatores que,dentre outros, influenciam o desempenho dos alunos.
ESTATíSTICAS DE DESEMPENHO ESCOLAR: O LADO AVESSO
Carvalho Marília Pinto de
Educa??o & Sociedade , 2001,
Abstract: Algumas das principais políticas para a educa o no País, hoje, centram-se sobre a "corre o do fluxo escolar", isto é, a diminui o dos índices de evas o e repetência, assim como as diversas práticas de "acelera o". Os resultados dessas políticas s o avaliados por meio de estatísticas de desempenho escolar, que vêm sendo alardeadas pelos governos federal e do estado de S o Paulo como grandes vitórias. Este artigo pretende olhar o avesso da produ o desses dados, isto é, buscar como eles vêm sendo produzidos e utilizados no cotidiano das escolas, suas intera es com a cultura escolar e seus efeitos sobre a aprendizagem das crian as. Com esses objetivos, está baseado em dados obtidos em observa es, entrevistas e consultas a documentos de uma escola pública de 1a a 4a séries do ensino fundamental, de um município da regi o metropolitana de S o Paulo. Essa experiência de pesquisa relatada refor a a importancia de nos posicionarmos a favor da permanência das crian as e jovens na escola, mas contra a maquiagem estatística da ignorancia e do fracasso do sistema em ensinar.
Avalia o cognitiva assistida de crian as com indica es de dificuldades de aprendizagem escolar e deficiência mental leve  [cached]
Santa Maria Margaret Rose,Linhares Maria Beatriz Martins
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 1999,
Abstract: O presente estudo teve por objetivo avaliar aspectos do funcionamento cognitivo, dentro de uma abordagem de avalia o assistida, de crian as encaminhadas a servi os de Psicologia, com queixa de dificuldade de aprendizagem escolar e classificadas como deficiente mental leve. Foram avaliadas 29 crian as de oito a onze anos, de primeira a terceira série, com tarefas de perguntas de busca de informa o com exclus o de alternativas e de raciocínio analógico. Foi seguido um delineamento em fases e com base nos indicadores de desempenho de cada tarefa realizou-se uma análise comparativa do desempenho dos participantes nas diferentes fases. Em um grupo relativamente homogêneo quanto à classifica o psicométrica do nível mental, a avalia o assistida permitiu identificar varia o intra-grupo, diferenciando crian as que n o apresentaram eficiência na solu o de problemas, requereram muita ajuda e n o mantiveram o desempenho após a sua suspens o, daquelas eficientes e transferidoras.
Lembran as da matemática escolar: a constitui o dos alunos da EJA como sujeitos da aprendizagem  [cached]
Fonseca Maria da Concei??o F.R.
Educa??o e Pesquisa , 2001,
Abstract: Pouco se tem refletido sobre a incorpora o da experiência escolar anterior de alunos adultos que se re-inserem na Educa o Básica. Este artigo focaliza a enuncia o de reminiscências da matemática escolar protagonizada por alunos da Educa o de Jovens e Adultos (EJA), procurando revelá-las como um componente fundamental na constitui o do aluno adulto como sujeito n o só da aprendizagem da matemática, mas do próprio processo de escolariza o. Mais do que meras referências a conceitos ou procedimentos de matemática aprendidos em outras oportunidades, compreendem-se, aqui, as reminiscências como efeitos da memória que permeiam a produ o de sentido. O texto focaliza sua enuncia o no ambito das práticas discursivas que conformam os (e se conformam nos) processos de ensino-aprendizagem da matemática na EJA, tomando-a como a o social organizada, que institui a lembran a compartilhada da matemática escolar como árbitro da legitimidade coletiva. Ao se analisarem trechos de intera es entre a pesquisadora e alunos que cursam o equivalente à 5a série do ensino fundamental num projeto de EJA, destacam-se as dimens es semantico-pragmáticas da rememora o que nesse contexto se manifesta e que se considera autoconsciente, metacognitiva, e estruturada no discurso e pelo discurso. Por sua natureza sociocultural, essa rememora o, ao se fazer coletiva, atende a um chamado do presente, re-significando o passado.
UTILIZA O DE METAS DE DESEMPENHO LIGADAS à TAXA DE EVAS O ESCOLAR NAS UNIVERSIDADES PúBLICAS
ORION AUGUSTO PLATT NETO,FLáVIO DA CRUZ,ELISETE DAHMER PFITSCHER
Revista de Educa??o e Pesquisa em Contabilidade , 2008,
Abstract: A evas o escolar é apurada e acompanhada como indicador de desempenho em muitas institui es de ensino. Este artigo tem o objetivo de abordar os problemas e os riscos relacionados à utiliza o do índice de evas o escolar como meta para avalia o de desempenho institucional no contexto do ensino superior público, e propor formas para percep o da quest o conforme a natureza das suas causas. Quanto a sua natureza, a pesquisa é classificada como aplicada, com uma abordagem baseada no método qualitativo. Os resultados atingidos decorrem da apresenta o de considera es que permitiram, entre outros aspectos: (a) caracterizar diferen as de contexto para análise da evas o no ensino superior; (b) alertar sobre os riscos institucionais de se adotar o índice de evas o escolar com pressupostos simplistas para análise; e (c) propor uma forma para percep o da quest o da evas o que identifica e separa os fatores entre controláveis e n o controláveis. Com base nas distin es apresentadas, constata-se que para gerenciar a evas o escolar deve-se, inicialmente, dimensionar a expressividade dos fatores motivadores da evas o que est o "fora do controle" institucional. Nesse sentido, foi proposto um ajuste metodológico no indicador de evas o escolar.
Avalia o inicial no atendimento educacional especializado: dilemas e consequências  [cached]
Fabiane Romano de Souza Bridi
Revista Educa??o Especial , 2012, DOI: 10.5902/1984686x6951
Abstract: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X6951 O presente artigo enfoca os processos avaliativos do grupo de sujeitos nomeados como “alunos com deficiência mental” no contexto escolar. A partir das contribui es teóricas do pensamento sistêmico aborda os dilemas vividos por um grupo de professoras ao realizarem a avalia o inicial dos alunos no contexto do Atendimento Educacional Especializado. Como resultado da avalia o pedagógica, temos a decis o sobre a frequência (oun o) do aluno no Atendimento Educacional Especializado e a inser o (ou n o) desse aluno em uma das categorias do Censo Escolar MEC/INEP. Neste processo, surgem os contornos tênues entre dificuldades de aprendizagem e deficiência mental. Ressalta-se, a op o de algumas professoras por atenderalunos com dificuldades de aprendizagem. No ambito dessa op o podem-se perceber diferentes movimentos que posicionam o sujeito atribuindo-lhe um lugar: alunos com dificuldades de aprendizagem que n o frequentam o atendimento; alunos com dificuldades de aprendizagem que frequentam o atendimento, mas n o s o inseridos no Censo Escolar MEC/INEP; alunos com dificuldades de aprendizagem que frequentam o servi o e s o inseridos no Censo Escolar MEC/INEP na categoria de deficiência mental. E ainda, ganh aimportante relevancia, o peso angustiante da responsabilidade em vincular um aluno à categoria de deficiência mental a partir da a o pedagógica. Palavras-chave: Avalia o; Atendimento educacional especializado; Deficiência mental.
Conhecer e ser uma biblioteca escolar no ensino-aprendizagem
Araci Isaltina de Andrade Hillesheim,Gleisy Regina Bóries Fachin
Revista ACB , 1999,
Abstract: [Portuguese]Apresenta a biblioteca escolar como um recurso didático-pedagógico a ser utilizado para a integra o e dinamiza o do processo ensino-aprendizagem. Arrola conceitos, objetivos e fun es da biblioteca escolar. Exp e a importancia da sele o e aquisi o do acervo e também as atividades e servi os oferecidos por esta biblioteca.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.