oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Fatores associados à obesidade em adolescentes
Fonseca Vania de Matos,Sichieri Rosely,Veiga Glória Valéria da
Revista de Saúde Pública , 1998,
Abstract: INTRODU O: A obesidade na adolescência é um fator preditivo da obesidade no adulto. Assim, foram avaliados os fatores associados à obesidade e o uso do índice de massa morporal (IMC). MéTODO: Foram avaliados 391 estudantes aferindo-se: consumo de alimentos, hábitos alimentares, características antropométricas dos pais e atividade física. O IMC foi a variável dependente utilizada na regress o linear multivariada. RESULTADOS: A prevalência de sobrepeso foi 23,9% para meninos e 7,2% para meninas. Fazer dieta para emagrecer foi 7 vezes mais freqüente entre meninas do que entre meninos com sobrepeso. Nos meninos, idade, uso de dieta, omiss o de desjejum, horas de televis o/"vídeo-game" e obesidade familiar apresentaram associa o positiva e significante com IMC. Nas meninas, associaram-se positivamente: uso de dieta, omiss o de desjejum e obesidade familiar e negativamente idade da menarca. A correla o do IMC com medidas antropométricas foi maior que 0,7. CONCLUS ES: Um padr o estético de magreza parece predominar entre meninas e elas o atingem com hábitos e consumo alimentar inadequados.
Prevalência e fatores associados ao sedentarismo em adolescentes de área urbana  [cached]
Oehlschlaeger Maria Helena Klee,Pinheiro Ricardo Tavares,Horta Bernardo,Gelatti Cristina
Revista de Saúde Pública , 2004,
Abstract: OBJETIVO: Determinar a prevalência e fatores associados ao sedentarismo em adolescentes residentes em uma área urbana. MéTODOS: Realizou-se estudo transversal em uma amostra representativa de 960 adolescentes com idades entre 15 e 18 anos, em 2002, em Pelotas, Estado do Rio Grande do Sul. Os dados foram coletados por meio de um questionário an nimo e auto-aplicado. Foi definindo como sedentário o adolescente que participava de atividades físicas por um tempo menor do que 20 minutos diários e uma freqüência menor do que três vezes por semana. Variáveis sociodemográficas e comportamentais foram avaliadas. Para as compara es entre propor es, utilizou-se o teste do qui-quadrado, e para a análise multivariada, a regress o de Poisson com ajuste robusto para as variancias. Foi feito controle para efeito de delineamento. RESULTADOS: Foram entrevistados 960 adolescentes, dos quais 39% foram considerados sedentários. As meninas foram mais sedentárias do que os meninos, 2,45 (IC 95% 2,06-2,92). Os adolescentes das classes sociais mais baixas foram mais sedentários, 1,35 (IC 95% 1,06-1,72). Escolaridade inferior a quatro anos de estudo do adolescente 1,30 (IC 95% 1,01-1,68) e da m e 1,75 (IC 95% 1,31-2,23) apresentaram maior risco para o sedentarismo. Após controle para possíveis fatores de confus o, mostrou-se também positiva a associa o entre o sedentarismo e a presen a de transtornos psiquiátricos menores e rela o inversa, fator de prote o para os sexualmente ativos 0,84 (IC 95% 0,71-0,99). CONCLUS ES: Ser do sexo feminino, pertencer à classe social baixa, ter uma baixa escolaridade e ser filho de m e com baixa escolaridade s o fatores associados ao sedentarismo.
Fatores associados com o comportamento sexual e reprodutivo entre adolescentes das regi es Sudeste e Nordeste do Brasil  [cached]
Leite Iúri da Costa,Rodrigues Roberto do Nascimento,Fonseca Maria do Carmo
Cadernos de Saúde Pública , 2004,
Abstract: Neste artigo s o analisados os fatores associados com o comportamento sexual e reprodutivo das adolescentes das regi es Nordeste e Sudeste do Brasil. A análise é implementada focando três dimens es deste processo: a inicia o sexual, o uso de métodos anticoncepcionais na primeira rela o sexual e fecundidade. Modelos hierárquicos s o implementados, pois adolescentes selecionadas de uma mesma comunidade devem ter comportamento sexual e reprodutivo mais semelhantes do que adolescentes selecionadas de áreas diferentes. O nível educacional da adolescente revelou-se o fator de risco mais importante nas três análises implementadas. Adolescentes com cinco ou mais anos de escolaridade s o menos prováveis de ter a primeira rela o sexual na adolescência; mais propensas a usar métodos anticoncepcionais nesta rela o e apresentam menores riscos de ter filhos, quando comparadas com adolescentes com menos de cinco anos de escolaridade.
Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes de 10-12 anos de idade  [cached]
Hallal Pedro Curi,Bertoldi Andréa Damaso,Gon?alves Helen,Victora Cesar Gomes
Cadernos de Saúde Pública , 2006,
Abstract: A atividade física na adolescência acarreta vários benefícios à saúde, seja por uma influência direta sobre a morbidade na própria adolescência, seja por uma influência mediada pelo nível de atividade física na idade adulta. Avaliou-se a prevalência de sedentarismo e fatores associados em 4.452 adolescentes de 10-12 anos de idade, participantes do Estudo de Coorte de Nascimentos de 1993 em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Sedentarismo foi definido como < 300 minutos por semana de atividade física. As perdas de acompanhamento desde o nascimento totalizaram 12,5%. A prevalência de sedentarismo foi de 58,2% (IC95%: 56,7-59,7). Na análise multivariável, o sedentarismo se associou positivamente ao sexo feminino, ao nível sócio-econ mico, a ter m e inativa e ao tempo diário assistindo à televis o. O sedentarismo se associou negativamente com o tempo diário de uso de vídeo-game. Adolescentes de nível econ mico baixo apresentaram maior freqüência de deslocamento ativo para a escola. Estratégias efetivas de combate ao sedentarismo na adolescência s o necessárias devido à sua alta prevalência e sua associa o com inatividade física na idade adulta.
O trabalho na vida dos adolescentes: alguns fatores determinantes para o trabalho precoce
Oliveira Beatriz Rosana Gon?alves,Robazzi Maria Lúcia do Carmo Cruz
Revista Latino-Americana de Enfermagem , 2001,
Abstract: Este estudo objetiva explicitar alguns determinantes que impelem os adolescentes ao trabalho através de sua compreens o da realidade e dos agravos à saúde do processo de trabalho. Estudo qualitativo, fundamentado no materialismo histórico, metodologia da hermenêutica dialética. Os dados empíricos foram coletados numa institui o formadora/mediadora para o mercado de trabalho em Cascavel - PR, utilizando-se a análise documental e a entrevista semi-estruturada. Os determinantes encontrados para o trabalho precoce foram: pobreza, desigualdade social, concentra o de renda, demanda de mercado, oferta educacional, qualidade do ensino, constitui o familiar, determina es do sistema de produ o e necessidade de ganhar a vida por conta própria.
Prevalência e fatores associados a sobrepeso e obesidade em adolescentes de 15 a 19 anos das regi es Nordeste e Sudeste do Brasil,1996 a 1997  [cached]
Magalh?es Vera Cristina,Azevedo Gulnar,Mendon?a Silva
Cadernos de Saúde Pública , 2003,
Abstract: O estudo objetivou avaliar a prevalência de sobrepeso e obesidade (S/O) e fatores associados, em adolescentes de duas regi es do Brasil, segundo o índice de Massa Corporal. Baseou-se nos dados da Pesquisa sobre Padr es de Vida, inquérito domiciliar realizado pelo IBGE (1998a), entre 1996 e 1997, nas regi es Nordeste e Sudeste do Brasil e incluiu 1.027 e 854 adolescentes de 15 a 19 anos, respectivamente. A análise estatística considerou os fatores de expans o e o desenho da amostra. A prevalência de S/O foi de 8,45% no Nordeste e 11,53% no Sudeste. No Nordeste, observou-se maior risco de S/O para meninas (RP = 3,00), na área urbana (RP = 3,21) e na rural (RP = 2,27). Observou-se menor risco de S/O para meninas do Sudeste (RP = 0,58), também na área urbana (RP = 0,51), mas n o na rural (RP = 1,86). O aumento da renda per capita domiciliar mensal se associou ao risco de S/O em meninos do Nordeste (chi2 de tendência linear: p = 0,002) e Sudeste (chi2 de tendência linear: p = 0,006). Concluiu-se a necessidade de programas de preven o a S/O que incluam reeduca o alimentar e estímulo à atividade física, considerando as diferen as sócio-econ micas e culturais regionais da popula o alvo.
O hábito do tabagismo entre adolescentes na cidade de Recife e os fatores associados  [PDF]
Nascimento, Daniella et al.
Revista Odonto Ciência , 2005,
Abstract: Esse estudo teve como objetivo determinar a prevalência do tabagismo entre adolescentes com 12, 15, 16 e 20 anos de idade, de ambos os sexos, e relacionar a experiência com o tabaco com a idade, o gênero, grau de escolaridade dos pais, pais e amigos fumantes e pais separados. A coleta de dados foi realizada, através da aplica o de questionários validados, na rede de ensino da cidade de Recife, em 2004. A amostra foi composta por 240 estudantes, 60 em cada idade selecionada, que freqüentavam escolas de ensino fundamental e médio, públicas e particulares, e universidades públicas UPE e UFPE. Para análise dos dados doi utilizado o teste qui-quadrado de independência. As prevalências obtidas por idade foram de 6,7%, aos 12 anos; 5,0% aos 15; 16,7%, aos 16 e 5,0% aos 20. Verificou-se também que 20,0% dos jovens com 12 anos, 51,7% dos que tinham 16 anos e 40,0% daqueles com 20 anos já haviam fumado um cigarro todo pelo menos uma vez. A idade que apresentou maior experiência com o tabaco foi 16 anos, n o havendo rela o entre gênero e grau de escolaridade dos pais. Pode-se concluir que os adolescentes entram em contato com o hábito do tabagismo muito cedo, sendo a fase de adolescência média aquela de maior risco, independente do gênero e grau de escolaridade dos pais. Pais e amigos fumantes, e pais separados s o variáveis que devem ser considerados na abordagem do jovem em campanhas anti tabágicas.
Fatores associados à baixa ades o ao exame colpocitológico em m es adolescentes Factores asociados a la baja adhesión al examen colpocitológico en madres adolescentes Factors associated with poor adherence to colpocytological examination in adolescent mothers  [cached]
Rosimeire Pereira Bressan Batista,Marco Fabio Mastroeni
Acta Paulista de Enfermagem , 2012, DOI: 10.1590/s0103-21002012000600009
Abstract: OBJETIVO: Analisar os fatores associados à baixa ades o ao teste de Papanicolaou em um grupo de m es adolescentes. MéTODOS: Estudo observacional, transversal realizado em dois hospitais públicos de Joinville, Santa Catarina. A amostra constituiu-se de 416 puérperas adolescentes. Os dados foram coletados no período de mar o a setembro de 2010 por meio de entrevista, durante a interna o hospitalar. RESULTADOS: As adolescentes que apresentaram menor ades o à realiza o do teste de Papanicolaou foram as com idade inferior a 15 anos, somente estudantes, com baixa escolaridade e renda familiar, que utilizaram o preservativo como método contraceptivo, que possuíam somente um filho, que realizaram menos que seis consultas pré-natais e que n o foram solicitadas a fazer o teste durante a gesta o. CONCLUS O: As variáveis faixa etária, ocupa o, escolaridade, anos de estudo, método contraceptivo, paridade, número de consultas pré-natais e a oferta do exame colpocitológico durante a gesta o, foram significativamente associadas à realiza o do teste de Papanicolaou. OBJETIVO: Analizar los factores asociados a la baja adhesión al test de Papanicolao en un grupo de madres adolescentes. MéTODOS: Estudio observacional, transversal realizado en dos hospitales públicos de Joinville, Santa Catarina. La muestra se constituyó de 416 puérperas adolescentes. Los datos fueron recolectados en el período de marzo a setiembre de 2010 por medio de una entrevista, durante el internamiento hospitalario. RESULTADOS: Las adolescentes que presentaron menor adhesión a la realización del test de Papanicolao fueron las que tenían edad inferior a 15 a os, solamente estudiantes, con baja escolaridad e ingreso familiar, que utilizaron el preservativo como método anticonceptivo, que poseían solo un hijo, que realizaron menos de seis consultas prenatales y que no fueron solicitadas a hacerse el test durante la gestación. CONCLUSIóN: Las variables grupo etáreo, ocupación, escolaridad, a os de estudio, método anticonceptivo, paridad, número de consultas prenatales y la oferta del examen colpocitológico durante la gestación, fueron significativamente asociadas a la realización del test de Papanicolao. OBJECTIVE: To analyze the factors associated with low adherence to the Papanicolaou exam in a group of adolescent mothers. METHODS: An observational, transversal study conducted in two public hospitals in Joinville, Santa Catarina. The sample consisted of 416 adolescent mothers. Data were collected during the period from March to September 2010 through interviews, during hospitalization. RESULTS: A
Fatores associados ao consumo de bebidas alcoólicas pelos adolescentes de uma Escola Pública da cidade de Maringá, Estado do Paraná = Factors associated with the consumption of alcoholic beverages by adolescents from a Public School in Maringá, Paraná State
Alba Aparecida Garnica Wesselovicz,Terezinha Geralda Sousa,Edilson Nobuyoshi Kaneshima,Alice Maria Souza-Kaneshima
Acta Scientiarum : Health Sciences , 2008,
Abstract: Atualmente, há tendência no aumento do consumo de bebidas alcoólicas,principalmente pelos adolescentes. Neste trabalho, os fatores associados ao consumo de bebidas alcoólicas pelos adolescentes de uma escola pública foram identificados. As informa es foram coletadas pela aplica o de questionários. No grupo dos adolescentesque consomem bebidas alcoólicas, verificou-se que muitos pais ou responsáveis est o cientes desse consumo, e 32,30% dos adolescentes admitiram que iniciaram o hábito de beber com membros da família, enquanto os demais relataram que foi por influência deamigos. O vinho e a cerveja foram as bebidas alcoólicas mais consumidas pelos adolescentes. Estes resultados demonstram que a sociedade é permissiva quanto ao hábito dos adolescentes consumirem bebidas alcoólicas. Este consumo pode ter como objetivocontornar dificuldades de convívio social, mas também aumenta a chance do jovem ter comportamento de risco, levando ao envolvimento com acidentes automobilísticos. Por isso, o estabelecimento de programas educacionais destinados aos adolescentes e tambémaos pais ou responsáveis é necessário para que haja maior conscientiza o sobre os efeitos nocivos do consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Nowadays, there is a trend towards the increase in alcoholic beverage consumption, mainly by adolescents. In this study, factors associated with the consumption of alcoholic beverage by adolescents from a Public sSchool were identified. The data were collected by means for individual interviews conducted by questionnaire. In the group of adolescents who consume alcoholic beverages, it was verified that often guardians or parents are aware of this consumption, and32.30% of adolescents admitted they began the habit of drinking with family members, while the remainder declared it was the influence of friends. Wine and beer were the most consumed alcoholic beverages by adolescents. These results demonstrate that society is permissive towards the habit of teenage drinking. This consumption might be an attempt to avoid the difficulties of social settings, but it must be emphasized that the consumption of these substances increases the possibility of young people displaying risk behaviors, leadingto involvement with car accidents. For this reason, the establishment of educational programs aimed at adolescents as well as their parents or guardians are necessary, in order to raise awareness of the harmful effects of the excess alcohol consumption.
Fatores associados à ocorrência de parasitoses intestinais em uma popula o de crian as e adolescentes Factores asociados a la ocurrencia de parasitosis intestinales en una población de ni os y adolescentes Factors associated with intestinal parasitosis in a population of children and adolescents  [cached]
Vinícius Silva Belo,Robson Bruniera de Oliveira,Priscila Correia Fernandes,Bruno Warlley L. Nascimento
Revista Paulista de Pediatria , 2012, DOI: 10.1590/s0103-05822012000200007
Abstract: OBJETIVOS: Analisar a prevalência de infec es por parasitos intestinais em crian as e adolescentes matriculados em escolas de ensino fundamental no município de S o Jo o del-Rei, Minas Gerais, e os fatores associados à infec o. MéTODOS: Estudo epidemiológico seccional, realizado entre mar o/2008 e julho/2009. Foram realizados exames coproscópicos por sedimenta o espontanea e Kato-Katz em 1.172 escolares. Foram ajustados modelos de regress o logística múltipla para o estudo dos fatores associados às infec es em geral e, separadamente, por helmintos e por protozoários. RESULTADOS: A prevalência de infec es foi de 29%, havendo uma varia o de 7 a 83%, respectivamente, entre as escolas de menor e maior ocorrência. A presen a de instala o sanitária no domicílio foi associada a uma ocorrência menor de helmintos; o aumento na idade dos escolares associou-se a uma maior ocorrência de protozoários e de parasitos em geral; enquanto a presen a de filtro de água e a localiza o do domicílio em área urbana mostraram-se associadas a uma ocorrência menor dos três desfechos analisados. Em todas as regi es, foi registrado o consumo de medica o preventiva contra helmintos. CONCLUS ES: Desigualdades nas condi es de vida tornaram as prevalências diferenciadas entre as regi es do estudo. O estudo ressalta a necessidade de promover o uso de filtros de água nas residências de áreas endêmicas e de avaliar o consumo preventivo de medicamentos anti-helmínticos na dinamica e na saúde dos indivíduos. Medidas de controle que levem em conta os fatores descritos devem ser prioritárias em nível de Saúde Pública. OBJETIVOS: Analizar la prevalencia de infecciones por parasitas intestinales en ni os y adolescentes matriculados en escuelas de ense anza primaria en el municipio de S o Jo o del-Rei, Minas Gerais (Brasil), y los factores asociados a la infección. MéTODOS: Estudio epidemiológico seccional, realizado entre marzo/2008 y julio/2009. Se realizaron exámenes coproscópicos por sedimentación espontánea y Kato-Katz en 1.172 escolares. Se ajustaron modelos de regresión logística múltiple para el estudio de los factores asociados a las infecciones en general y, separadamente, por helmintos y protozoos. RESULTADOS: La prevalencia de infecciones fue de 29%, habiendo una variación de 7 a 83%, respectivamente, entre las escuelas de menor y mayor ocurrencia. La presencia de instalación sanitaria en el domicilio fue asociada a una ocurrencia menor de helmintos; el aumento en la edad de los escolares se asoció a una mayor ocurrencia de protozoos y de parasitas en general; mientras que l
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.