oalib
Search Results: 1 - 10 of 100 matches for " "
All listed articles are free for downloading (OA Articles)
Page 1 /100
Display every page Item
Unio mystica nas tradi es judaica e crist primitiva / The unio mystica in the Jewish and primitive Christian traditions
Sebastiana Silva Nogueira
Plura : Revista de Estudos de Religi?o , 2011,
Abstract: A experiência mística, express o do desejo universal do espírito humano por uma comunh o com a divindade, está alojada dentro de uma categoria mais ampla conhecida como “experiência religiosa”, um termo com uma história significativa e substancial especialmente no estudo filosófico da religi o. Através da história, a experiência mística frequentemente carrega uma conota o de comunh o ou contato com um ser superior onipotente, até mesmo em uma extens o de unidade com essa realidade divina. Na prática, isso tem sido visto com bastante animosidade nos debates filosóficos, no que se refere à possibilidade de um conhecimento experimental da divindade, ou da uni o do adepto com a mesma. A proposta deste trabalho n o é definir e sistematizar o vasto campo que compreende a experiência religiosa, mas discutir os elementos que constituem a tradi o mística e que refletem a forma na qual os judeus e crist os primitivos imaginavam tais experiências.AbstractThe mystical experience, which expresses the human spirit s universal longing for communion with God, is situated within a broader category known as “religious experience”, a term that has a significant and important history, especially in the philosophical study of religion. Throughout history, mystical experience frequently holds a connotation of communion or contact with an omnipotent superior being, even an extension of unity with this divine reality. In practice, it has been seen as controversial within philosophical debates regarding the possibility of experimental knowledge of the divinity, or the union of the religious person with the divinity. The objective of this study is not to define and systematize the vast realm of religious experience, but rather to discuss the elements that constitute the mystical tradition and reflect the way Jews and primitive Christians imagined such experiences.
Em contato com as doen as genéticas: a norma e a raz o como tradi es culturais presentes no discurso de profissionais médicos do Instituto Fernandes Figueira, Funda o Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, Brasil  [cached]
Martins Antília Januária,Cardoso Maria Helena Cabral de Almeida,Llerena Jr. Juan Clinton
Cadernos de Saúde Pública , 2004,
Abstract: O estudo buscou captar a influência de tradi es culturais arraigadas na constru o do discurso que médicos do Instituto Fernandes Figueira/Funda o Oswaldo Cruz produzem acerca das crian as com doen as genéticas associadas a malforma es congênitas e ao retardo mental, assim como, as reflex es que o atendimento/convívio profissional com tais doen as ensejaram. Os dados foram coletados através de entrevistas orais do tipo narrativa conversada e do material analisado semioticamente. Os resultados apontaram para quatro tradi es culturais muito presentes no discurso médico: a norma, a raz o, a família e a religiosidade judaico-crist . Este artigo, contudo, atém-se as duas primeiras, grifando como as dismorfias e as malforma es congênitas associadas às doen as genéticas, cujo prognóstico é sempre encarado como ruim, desafiam as normas arraigadas de perfei o, beleza e produtividade, despertando sentimentos de estranheza, impotência e frustra o, e como a raz o, uma das principais tradi es culturais organizadoras do pensamento moderno, modula o discurso médico sobre as síndromes genéticas associadas ao retardo mental.
Diálogo entre a tradi o bíblica e a constru o do discurso teológico ambiental crist o (Dialogue between bible’s tradition and the environment christian theological discourse construction)
Amelia Ferreira Martins Limeira,Maristela Oliveira de Andrade
Horizonte : Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religi?o , 2012, DOI: 10.5752/p.2175-5841.2012v10n26p603
Abstract: A tradi o bíblica tem inspirado leituras e interpreta es ecológicas por parte de teólogos de vertentes crist s diversas, dentre os quais podemos destacar: Carriker, Reimer, Schaeffer e Stott. O objetivo deste artigo é apresentar alguns textos das Escrituras Sagradas judaico-crist s e o modo como estes têm sido interpretados por teólogos crist os vinculados à vertente reformada à luz de uma leitura ecológica. Um corte epistemológico foi feito reconhecendo nestes teólogos posi es ideológicas heterogêneas a fim de preservar a re(leitura) dos textos bíblicos escolhidos sob a perspectiva ecológica. White Júnior (1967), historiador americano, escreveu um artigo em que responsabilizava o Cristianismo pela crise ambiental. Este discurso tem sido confrontado ao longo das últimas décadas por várias vertentes crist s e os teólogos escolhidos para o diálogo neste artigo defendem posi es contrárias ao que foi declarado por White Júnior, à época. O caminho para o diálogo entre estes teólogos foi buscado a partir da concep o de que o discurso é uma constru o social (Foucault, 2009). A partir da análise dos diálogos estabelecidos entre os teólogos escolhidos e suas re(leituras) dos textos bíblicos é possível concluir que esta nova teologia tem o papel de conscientiza o, como resposta à crise ambiental, no ambito das igrejas evangélicas. Palavras-Chave: Discurso. Ecologia. Bíblia. Teologia. Abstract: The biblical tradition has inspired environmental readings and interpretations by Christian theologians of various aspects, among which we highlight: Carriker, Reimer, Schaeffer and Stott. The aim of this paper is to present a brief overview of the Judeo-Christian Scriptures and how they have been interpreted by Christian theologians linked to strand reformed in the light of an ecological reading. An epistemological cut was made recognizing these theologians and their heterogeneous ideological positions in order to preserve the re(read) of the biblical texts chosen under the ecological perspective. White Jr. (1967), American historian, wrote an article that blamed Christianity for the environmental crisis. This speech has been confronted over the past several decades by the Christian spectrum and the theologians chosen for dialogue in this article advocate contrary positions to what was stated by White Jr., at the time. The path to the dialogue between these theologians was sought from the idea that speech is a social construction (Foucault, 2009). From the analysis of the dialogue established between the theologians and their chosen re(readings) biblical texts is
A MESA DO MARRANO: IDENTIDADE E MEMóRIA JUDAICA NO BRASIL COLONIAL  [PDF]
Edvaldo Sapia Gon?alves,José Carlos Gimenez
Revista Brasileira de História das Religi?es , 2009,
Abstract: O recorte espa o-temporal deste estudo é Portugal e o Brasil Col nia entre os anosde 1497 e 1773, período em que houve a distin o religiosa que ficou conhecida como“crist o-novo”, utilizada para designar os judeus convertidos ao catolicismo e foi chamado de“marrano” aquele que de forma velada continuava a praticar o judaísmo. Com apoio emfontes primárias e secundárias, investiga-se a alimenta o do crist o-novo no Brasil colonial,que aqui é considerada como suporte da identidade e memória judaica que esteve ligada aosurgimento de uma história do judaísmo em nosso país. Os resultados da pesquisa permitemdemonstrar que o complexo sistema jurídico e inquisitorial, edificado pela Coroa Portuguesa epela Igreja Católica, com o manifesto propósito de discriminar e perseguir os crist os-novos,n o foi suficiente para impedir a permanência de tradi es e práticas alimentares do judaísmo,e que estas também n o ficaram totalmente impermeáveis à assimila o de uma rica oferta denovos alimentos e da diversidade cultural que o encontro de povos de diferentes origens podemesclar.
Tyché e Aion no pensamento freudiano  [cached]
Herzog Regina
Psicologia: Reflex?o e Crítica , 1999,
Abstract: Este trabalho tem por objetivo tematizar a quest o do acaso na psicanálise levando em considera o que Freud utiliza esta no o ao longo de sua elabora o. Apesar de Freud empregar, em seu texto, apenas a palavra Tyché, para designar o acaso, consideramos ser possível depreender uma outra acep o do acaso que se refere a no o de Aion. A nosso ver esta no o vai ser entendida, num primeiro momento, como algo da ordem acidental (Tyché) fundamentando a quest o do funcionamento do aparato psíquico e, num segundo momento, vai remeter à idéia de Aion uma vez que passa a ser problematizada a quest o de um para além do aparato psíquico.
Marx, a quest o judaica e os direitos humanos
Antonio Carlos Wolkmer
Sequência : Estudos Juridicos e Politicos , 2004,
Abstract: O propósito deste estudo é demonstrarque é possível vislumbrar uma filosofiahumanista a partir dos escritos teóricosda fase juvenil de Marx, produzidos entre1841 e 1845, desde que se tenha consciênciade que seu intento é romper com a liberdadedo humanismo metafísico individualistadefendido pelo pensamento liberal burguês.Na obra A quest o judaica, Marx faz a críticaaos direitos humanos previstos no art.2° da Declara o Francesa de 1793, concluindoque eles s o, na verdade, os direitos dohomem egoísta integrante da sociedade burguesa,voltado para si mesmo e para seuinteresse individual. No entanto, a busca deMarx por definir os caminhos que conduzamà emancipa o humana revela a dimens ode humanismo presente em sua obra.This paper aims on presentingthat is worth to glimpse a humanisticphilosophy up from the theoretical writings,during Marx’s youth period, producedfrom 1841 to 1845, since there is anacquaintanceship that the intent is to endwith freedom of individualist metaphysicalhumanism defended by the liberal-bourgeoisthought. On the literary work named‘Jewish Issue’, Marx criticizes the humanrights foreseen on 2nd clause from FrenchProclamation, 1793, concluding that theyare, indeed, the rights of a selfish man, whomakes part of a bourgeois society and seesonly himself and his own interests. Nevertheless,Marx’s search for defining waysthat lead to human freedom shows thedimension of humanism on his work.
Ironismo e tradi o em Richard Rorty
José Elielton de Sousa
Revista Redescri??es : Revista on-line do GT de Pragmatismo e Filosofia Norte-Americana , 2009,
Abstract: Este trabalho tematiza a tradi o ironista a partir do horizonte teórico de Richard Rorty, buscando refletir sobre os elementos que constituem tal tradi o e sobre a maneira que este pensador se insere nesta tradi o. Para tanto, primeiramente definiremos o que éuma tradi o e como Rorty descreve a tradi o ironista, para, em seguida, explicitarmos a maneira que ele se apropria dela, redescrevendo-a com vistas a seus anseios políticoutópicos.This paper concerns the ironist tradition from the theoretical horizon of Richard Rorty,searching to reflect on the elements that constitute such tradition and on the way that this thinker ifinserts in this tradition. For this, first define what is a tradition and as Rorty describes the ironist tradition, for then, explaining the way he appropriates it, redefining it with a view to their political and utopian yearnings.
Discurso e referência  [cached]
Ingedore Grünfeld Villa?a Koch
Alfa : Revista de Linguística , 2001,
Abstract: Este artigo tem por objetivo examinar a quest o da referência no discurso. Fazendo-se um levantamento das principais teorias sobre sentido e referência, adota-se a posi o de que é preciso entender a referência como uma fun o global de todo o discurso. N o existe, no discurso, o referente considerado como elemento particular da realidade, mas uma referência do discurso a um universo diferente dele. Assim sendo, é o discurso que constitui o seu próprio objeto.
A dádiva e o outro: sobre o conceito de desamparo no discurso freudiano
Birman, Joel;
Physis: Revista de Saúde Coletiva , 1999, DOI: 10.1590/S0103-73311999000200002
Abstract: this essay aims at establishing the distinction between the word distress and its concept in the freudian thought, in order to enunciate that distress, as a concept, is constituted only in the second topic and in the theory of pulsion of the 20's. thus, distress would be positively articulated with the concepts of sublimation and femininity, and masochism would be its negative side.
As lágrimas e o historiador: uma leitura de Guerra Judaica
Alex Degan
História da Historiografia , 2010,
Abstract: Este artigo analisa e problematiza as liga es construídas entre a historiografia clássica e o historiador judeu Flávio Josefo, destacando tal problemática nas estruturas do livro Bellum Judaicum. Tal exercício pretende ref let i r as complexas rela es intelectuais ar roladas no Mediterraneo romano.
Page 1 /100
Display every page Item


Home
Copyright © 2008-2017 Open Access Library. All rights reserved.